História Dangerous love ( Imagine Lil Xan ) - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Lil Peep, Lil Pump, Lil Xan, Post Malone, Snoop Dogg, XXXTentacion
Personagens Lil Peep, Lil Pump, Lil Xan, Personagens Originais, Post Malone, Snoop Dogg, XXXTentacion
Tags Chinnie, Gucci Mane, Jahseh, Lil Pump, Lil Xan, Migos, Xxxtentacion
Visualizações 92
Palavras 1.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi Oi, sim.. encontraram meu amigo e infelizmente, ele está morto. Cruel demais oque fizeram com ele, mesmo ele sendo errado, ele era um adolescente de apenas 16 anos. Triste realidade do país, né. Mas, ele vai continuar vivo em meu coração.


⚫ Participação especial (nesse e no próximo capítulo) de um casal de uma fanfic com o Pump de uma leitora minha, que amo demais 💕

⚫ Lembrando que não estou incentivando ninguém a fumar maconha, beber bebidas alcoólicas, entre outras coisas.

⚫ aproveitem.

Capítulo 13 - Thirteen - Pump and friends in LA


HORAS DEPOIS


Diego e eu havíamos arrumado o apartamento já que eu iria encontrar minha mãe novamente. Eu continuo com medo, e triste, até por que ele era meu pai. Diego estava fumando um Beck em minha frente, e eu apenas olhava a fumaça. Não gosto de maconha.


— Quer dar um trago, Emma? — Falou sorrindo e eu neguei, revirando os olhos me deitando no sofá em seguida. — Foi mal, Emma. Você sabe que não sou o cara certo, e sua mãe vai querer que você fique longe de mim. Você sabe disso. 


— Não, para de falar essas coisas. Você sabe que não irei te deixar, por nada. — Falei inquieta. — Diego, olha onde chegamos.. Você acha que quero desistir assim? — falei a ele e ele resmungou algo, jogando o beck de lado.


— Diego.. Eu não entendo por que está assim. Oque você tem? — perguntei indo até ele.


— Medo de perder você, Emma. Mas, você é teimosa demais para entender isso. Emma, eu vou ir buscar sua mãe. — Falou se levantando, e segurei seu braço. 


— Não faça eu me arrepender, Por favor. — Falei e soltei seu braço, indo até a cozinha. Ouço a porta ser aberta e fechada de uma forma brusca me assustando. Coloquei um pouco de café para mim beber e me sentei no sofá. — Ah, Diego.. 


Alguns minutos 


Passaram-se alguns minutos e a porta é aberta, dando a visão de Diego, Bexey, o garoto de cabelos coloridos que acredito ser o 6ix9ine e minha mãe. Corri até ela e a abracei, a mais velha começou a chorar e beijou meu rosto.


— Mãe.. Eu sinto muito. Era pra eu ter avisado a vocês que corria perigo. — apertei mais ela e a mesma apenas acentiu. Seu rosto estava todo vermelho, e inchado ela deve ter chorado muito para ter ficado assim. — Esse garoto é Diego Leanos.


— Eu sei bem quem ele é, Emma. — Falou com um certo desgosto na voz, a mais velha balançou a cabeça negativamente e foi até o sofá. — Precisamos conversar sobre isso, Emma. Você sabe que o seu pai morreu, não é? E sabe de quem é a culpa, Emma? 


— Minha mãe, a culpa é minha. — Falei e ela riu baixo, me deixando confusa. — Oque foi?


— Não é sua, mas sim dele! — Apontou para o Diego. — Deles, no caso. Emma, que tipo de pessoa você se tornou? Amiga de um gangsta.


— A culpa não é do Diego, e muito menos "deles". Pare! E ele não é meu amigo, ele é meu namorado, mãe! — Falei com um semblante sério e a maior apenas abaixou a Cabeça. — Mãe, eu peço que você respeite eles. 


— Emma, tem noção das suas palavras? Emma, você é filha única. — Falou apertando a mão em seu vestido simples, que parecia de uma senhorinha. 


— Sim, mãe. Tenho noção do que te falei. Ele é a pessoa que amo. Já parou pra pensar como eu seria infeliz namorando um riquinho? — Falei a ela amargurada e ela riu. —pare de se torturar, mãe! 


— Amor, não quero trazer-lhes problemas. Eu vou indo com eles. Se quiserem sair e contar tudo, tanto faz. Isso aqui acabou para mim. Mas, Senhora Jones se você fizer isso você vai estar acabando com Los Angeles inteiro. Quando me denunciar, fale apenas de mim e deixe eles eles em paz. — Falou Diego pegando seu celular que estava na mesinha de centro.


— Espere, Di! Por favor, me escute uma vez. — Chamei e ele parou ficando cinco segundos parado, o mesmo abriu a porta e saiu deixando Bexey e 6ix9ine ali. — Meninos, não deixe ele fazer alguma burrada. Pare ele eu vou esperar aqui.


— Tudo bem, Emma. Tchau, Senhora. — Falou Bexey e me abraçou. 6ix9ine sorriu para mim e saiu também. Fiquei calada olhando para a porta, até que minha mãe me virou e bateu na minha cara.


— Emma, você é um desgosto! Esses marginais não te trarão felicidade, seu pai já morreu por sua culpa. — Falou apontando o dedo para mim. — Emma, acabe logo com essa palhaçada. 


— Não mãe, eu não posso! Eu passei anos da minha vida infeliz, sabe porque? Por que Jess e Cloe tinha a vida mais feliz que a minha, elas podiam sair para qualquer lugar. Enquanto eu perdi o primeiro beijo com 19 anos. Tem noção, mãe? Como foi cruel comigo? Eu fiquei chateada com o papai; mas não coloque culpa em mim. — Falei deixando as lágrimas caírem. 


— Emma, você está culpando eu e seu pai por isso? — Perguntou ela e eu neguei. — termine com ele, Emma.


— Não irei, sinto muito. Não denuncie ele, você nem tem provas. O Diego é inocente, quem matou o pai foi Ghostemane que é de uma Gangue perigosa. Diego foi lá para me proteger. — Falei tentando explicar a ela. 


— Protegeu você, mas deixou a vida de várias pessoas em risco. Você tem noção como esta doendo em mim também? Emma, ele era meu marido. Eu sinto tanta vontade de te bater.. — Falou seria, e sentou-se.


— Me bata o quanto quiser, Mãe. Mas não irei desistir do Diego. — Falei e enxuguei minhas lágrimas. 


— Tudo bem, Emma. Não irei denunciar ele, pode namorar ele, faz como quiser. Mas, a partir disso, não sou mais sua mãe. Irei falar para imprensa que você foi morar no exterior. Você não é minha filha. — Falou seria e se levantou. — Mandarei vim deixar suas roupas, vá embora daqui.


— Certo, Senhora. — Falei e sai dali, indo para o quarto de Diego, me joguei na cama e comecei a chorar. Como isso ficou assim? Merda.

 

DIEGO LEANOS 


Eu estou com muita raiva da mãe dela, ela foi cruel demais com Emma. Eu resolvi sair antes que eu falasse oque não devia. Irei ligar para o Pump. Peguei meu celular do bolso e fiquei o número dele. 


— Eaí, Xan. Aconteceu algo aí? — Falou do outro lado da linha, mas sempre com a voz divertida. 


— Vem para Los Angeles, e se prepara por que a guerra tá feita aqui brô. — Falei a ele e o mesmo riu.


— arranjou briga novamente, porra? Oque houve aí? — perguntou.


— Estão querendo tomar o nosso território, armas, você não viu o jornal? — Perguntei a ele sério. 


— Tenho cara de quem assisti jornal, Xan? Mas continuando.. Se eu for, você tem que prometer que minha namorada ficará segura aí. — Falou ele sério. 


— E você tá namorando? Porra, tô por fora mesmo. Quem é ela? — perguntei a ele e ele riu alto. 


— Quando eu chegar aí você vê ela. Mas, quero ter certeza que ela ficará bem. 


— Vai sim, eu também estou namorando e quero minha garota bem. — Falei baixo


— Uau, quem é ela? — Perguntou ele rindo.


Quando você chegar aqui eu te digo. — Falei eu ele começou a rir. — É a Emma Jones. Ela é maravilhosa.


— Tá, tá. Vou fingir que acredito. Tem que parar de fumar, Xan. — Falou rindo.


— estou falando sério, Otário. 


— Sem zoas, Diego? Porra.. Parabéns aí. Tenho que desligar, vou arrumar minha mala com armas, maconha, e vou levar alguns amigos também. Talvez eu chegue aí 01:00 AM. — disse.


— Falou brô. 


— Falou, Xan. 



Falou e desliguei a chamada. Quando eles chegarem irei fazer um plano para chegar na base deles, a guerra vai começar. 


— Diego, seu fodido. Emma ficou sozinha com aquela mulher. — Falou Bexey ofegante.  — Caralho, era pra mim ter vindo de carro.


— Gazzy está vindo para cá, quero que avisem a Gangue inteira. Vamos colocar fogo neles, Bexey e 6ix9ine. — Falei sério. 


— Você está levando isso longe demais, Xan. Vamos deixar isso acalmar um pouco, Cara. — Falou 6ix9ine incrédulo.


— Não, eu quero acabar com isso logo. Los Angeles é nosso. Vou bolar um plano, e colocaremos em prática. 


Eles se olharam sério e acentiram. Fui até eles e os abracei forte, eles riram e retribuem o Abraço. 


— Diego, esta todo carinhoso. Caralho, não combina com você. — Falou Bexey rindo. — Não vamos deixar você, brô. 


— Que bom.. Por que eu mesmo quero me deixar.


Notas Finais


Atualizarei logo, logo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...