1. Spirit Fanfics >
  2. Danificados >
  3. Suco de morango

História Danificados - Capítulo 36


Escrita por:


Capítulo 36 - Suco de morango


- Vocês precisam dizer o que tem de errado. - Taehyung insistia.

Jungkook ainda estava na sala dando seu depoimento. Horas já haviam se passado mas não tinham nenhuma notícia.

- Taehyung, sabe que isso é complicado. Não são assim que as coisas funcionam. - um dos investigadores falava.

Taehyung esfregava o rosto tentando não surtar. Odiava todo aquele protocolo que parecia só atrapalhar e pior as coisas. 

- Eu não sei o que está acontecendo mas tem algo errado! 

- Sim. Realmente tem. 

- Então! Deixe ele sair dali!! Vocês não vão conseguir nada certo dele agora!! Estamos há dias sem nos vermos! Isso não é justo…!

Taehyung sentiu Miho segurar seu pulso.

Estava se exaltando e ia acabar falando algo que não deveria e pioraria a situação.

- Por favor… - Miho apelava - Me deixe entrar lá, só ficar com ele um pouco. Prometo que não vou dizer uma palavra sequer e vocês podem ficar lá. Só me deixe… ver ele um pouquinho… por favor. É só um abraço… 

Os investigadores se olhavam.

Era uma situação extremamente complicada e delicada.

Kihyun finalmente se manifestava.

- Está bem, Miho. 

Os dois pareciam respirar aliviado.

Miho andou pelos corredores até chegar na porta da sala onde Jungkook estava.

- Sem conversar sobre o caso, sem perguntar nada para ele ou responder nada, está bem? - Kihyun dizia antes de abrir a porta.

- Sim. Está bem.

Miho concordaria com qualquer coisa naquele momento se pudesse ver o garoto.

Sentia uma ansiedade no peito. Não queria que Jungkook estivesse sofrendo com aquilo.

Assim que a porta se abriu correu para os braços do Jeon lhe dando um abraço apertado.

- Kookie…

- Miho… Finalmente…

Estavam sentindo muito a falta um do outro.

Trocavam um forte abraço, daquele tipo que aliviava o coração.

- Eu estou tão cansado, Miho… não aguento mais…

- Está tudo bem. Só mais um pouquinho e acaba… 

- Eles não me deixam ir…

Miho finalmente se soltava daquele abraço.

Sorria para o outro.

- Kookie… aguenta mais um pouquinho e podemos sair daqui. Hoje mesmo podemos ficar juntos… podemos comer algo gostoso e assistir um filme, o que acha?

Jungkook sorriu.

- É tudo o que eu quero, Miho. 

Miho ganhou um selinho do garoto.

Kihyun olhava com atenção.

Tinha certeza que tinha visto Taehyung dar um selinho em Miho também. 

Via que as coisas eram muito mais complicadas do que pareciam.

Kihyun se aproximou.

- Jungkook, vou fazer um acordo com você. Vou refazer as perguntas pra você e a Miho vai poder ficar aqui contanto que ela não diga e não faça nada. Quando terminar, você pode ir embora.

- Mesmo?! 

- Sim. Mesmo.

A verdade era que se Jungkook não conseguisse responder de forma coerente, seu depoimento seria invalidado e o pior, teria que passar por um tratamento mais intenso para investigar o que estava acontecendo.

Aquela seria a última chance.

Porém, surpreendentemente, com a presente da garota, o Jeon conseguiu responder as perguntas, dessa vez, de forma correta.

Acertou as quantidades de dias e as informações dadas por ele coincidiam com o que os outros tinham declarado.

Com a exceção de um dia.

Um desses dias Jungkook simplesmente não conseguia se lembrar o que aconteceu. Era um branco completo. 

Ele tentou relembrar mas simplesmente não conseguia.

Porém, aquilo era o suficiente para os investigadores que sabiam que não podiam exigir demais deles.

Miu pensou mas não conseguia encaixar as peças.

Porém, no carro, no caminho que faziam até o apartamento de Taehyung, ela se deu conta do que havia acontecido no dia que Jungkook esqueceu.

 

——-

 

Miho olhava pela varanda do apartamento de Taehyung.

O céu tinha uma mistura de azul com laranja, o dia estava indo embora.

Respirou fundo.

Era um alívio poder conviver com os dois garotos de novo. Tinham ficado tanto tempo separados e agora finalmente poderiam conviver de novo.

Escutava ao fundo os dois garotos que jogavam cartas e trocavam alguns beijos e algumas risadinhas.

- Você está roubando, Tae! 

- Não estou! Você que é ruim! 

Miho fechou os olhos.

Sentia o vento fraco que batia em seu rosto. 

Deixou escorrer uma lágrima.

Mas era diferente. 

Ao invés da raiva e do medo, o que sentia era algo parecido com uma vontade.

Não sabia se era possível, mas pela primeira vez desde do dia em que foram resgatados, quis pedir algo.

Queria que eles pudessem se sentirem em paz de novo. 

Queria que respirar, que estar vivo, não fosse tão difícil. 

Queria sorrir de novo. 

Não precisava ser um sorriso grande mas que fosse daqueles sinceros, aquele sorrisos de uma alma em paz.

Abriu os olhos e viu um pássaro passar, voando bem longe dali.

- Miho, o que vai querer jantar? - Taehyung se aproximava passando os dedos de leve em seus cabelos.

- Qualquer coisa está bom…

- Você estava chorando? - perguntou se abaixando na frente de Miho.

A garota sorriu tentando disfarçar as lágrimas.

Ganhou um abraço. 

- Tae, eu prometo que vou fazer de tudo pra vocês ficarem bem de novo.

O Kim estranhou. Era a primeira vez que escutava aquilo.

- Porque está dizendo isso?

- Por nada. Só quero que vocês fiquem bem, que a gente fique bem. 

Olhava nos olhos de Miho e via que eram sinceras as palavras da garota.

Em qualquer outro momento de sua vida, para qualquer outra pessoa, Taehyung poderia mentir. Diria o que a convenção social ditava: “vai ficar tudo bem”.

Mas não.

Não podia.

Não para Miho.

- Eu não acho que vamos, Miu. - os olhos se enchiam de lágrimas - Acho que não tem como superar algo assim. 

Taehyung estava ali, abaixado na frente da garota sentada naquela confortável poltrona.

Jungkook se aproximou ao escutar a pequena conversa.

Miho sorriu.

- Eu também acho que não, Tae. Concordo com você mas… mesmo assim. Mesmo sabendo que é praticamente impossível, eu quero. Quero ver vocês sorrirem, quero ver vocês felizes. Acho que nós merecemos um desejo, pelo menos um. E o meu é esse. 

Taehyung chorou.

Até ter esperança era doído e sendo honestos, já fazia muito tempo que não sabiam aquilo era aquilo. Parecia quase proibido ter uma expectativa de que as coisas iam melhorar.

Mas Miho desejava.

Percebia que era a única coisa que queria.

- Então vamos fazer o máximo pra isso acontecer, Miho. - Jungkook respondeu dando um beijo na testa da garota e outro em Taehyung - Vem, bebês, vamos ver o que vamos jantar. 

 

——

 

Kihyun analisava os depoimentos gravados junto com Doho, um investigador e Hyejin, que assim como ele era psiquiatra. 

- Nossa, acho que esse é o caso mais complexo com que já trabalhei. - Hyejin dizia.

- Sim, é muito difícil de escutar. - Kihyun dizia.

- Como eles estão hoje? Estudam? Trabalham? 

- Tinham voltado à faculdade antes de Miho se dar conta na falha da investigação. 

- E os outros sobreviventes? 

- Também estão dando depoimentos mas já não são muitos. 

Kihyun escutava aquilo com dificuldade porém quanto mais escutava sentia uma vontade maior de ajudar.

Gostaria muito poder fazer algo por eles.

Então, na semana seguinte convidou Miho para vir ao seu consultório.

- Como você está, Miho? 

A garota se sentou no sofá e sorriu. 

Não costumava mais responder àquela pergunta. O máximo que podia fazer era sorrir.

- Ah, me desculpa. - Kihyun dizia ao notar.

- Não precisa se preocupar. Deu algum problema com meu depoimento? 

- Não. Está tudo certo. Você foi muito bem. Na verdade eu quis te chamar aqui pra tentar ajudar vocês, nem que for um pouco.

- Doutor, não é querendo parecer grosseira mas nós já somos acompanhados por muitos médicos. Acho que até demais… 

- Bom, mas eu não faço parte dessa equipe, gostaria de tentar algo. 

- Tentar algo?

- É. Para ajudar. Com certeza conversam e já conversaram muito sobre aqueles dias ruins e como vocês lidam com isso mas… vocês são além do que aconteceu com vocês. Não é esse episódio que define quem vocês são. 

Era algo diferente de se escutar.

Mas Miho já tinha pensado naquilo.

- Realmente não é o que nos define mas é o que determinou muitas coisas em nossas vidas e o que mudou drasticamente o que somos. Não nos define mas definitivamente nos danificou.

- Sim. Mas infelizmente não há nada que possa mudar isso. Não há nada que possa apagar isso de suas vidas e nem de suas mentes.

- Sim. Nós sabemos disso também. 

- Então, que tal tentarmos algo daí em diante?

- Como assim? 

Kihyun pegou um bonito caderno e algumas canetas as entregando para Miho.

- Para começarmos que tal fazer duas listas? A primeira você vai escrever todas as coisas que te fazem se sentir bem agora e na segunda você vai colocar todas as coisas que já quis fazer um dia. 

Miho não tinha mais pensado naquele tipo de coisas.

Só se concentravam em sobreviver à mais um dia.

- Minha irmã vai ver esse caderno?

- Não. Na verdade, se você não quiser, nem para mim você irá mostrar. 

- Preciso fazer isso agora?

- Não. Você pode levar o caderno e fazer isso em casa. Pensar também se você vai querer vir conversar comigo de novo. 

Miho olhava para o caderno.

Voltou para o apartamento de Taehyung e assim que chegou abriu o caderno.

Os dois estavam cozinhando o almoço enquanto Miho parecia ter que se esforçar demais para fazer aquelas listas.

Escreveu no título da primeira folha: “coisas que me fazem sentir bem”.

Parava para pensar.

“Poder almoçar com Taehyung e Jungkook”

Isso foi a primeira coisa de sua lista.

Aquilo parecia difícil demais.

Se fosse pensar não haviam muitas coisas que a faziam se sentir bem. Gostava de passear mas ficar muito tempo dentro do carro era uma tortura, assim como viajar, era a coisa que mais amava, porém, pensar em ficar horas dentro de um avião parecia virar sinônimo de tortura. 

Estar com Siwoo seria uma das coisas que mais lhe traria felicidade, mas além de não estar confortável em tocar outras pessoas além de Taehyung e Jungkook, o garoto tinha sido adotado. 

Começava a sentir raiva.

Aquela lista, que parecia ser uma boa ideia começava a irritar.

Parecia lembrar tudo o que ela havia perdido.

Tomou um susto quando ganhou um beijo de Jungkook.

- Quer suco de morango ou laranja? 

- Você vai fazer suco? 

- Vou. Faz tempo, né? 

- Suco de morango! Definitivamente! Você nem deveria ter oferecido o de laranja.

Miho não tinha nada contra suco de laranja mas amava o suco de morango que garoto fazia. Nem se lembrava a última vez que tomou o suco, porém, Jungkook estava feliz de poder ver os dois de novo e isso lhe dava um ânimo.

O Jeon riu.

- Então será suco de morango! 

Miho via aquele sorriso do garoto que não andava sorrindo muito.

Lhe deu um beijo no nariz e o ele foi fazer o suco.

Escreveu no caderno:

“Suco de morango” 

 

Não era muito, mas ela já havia conseguido escrever duas coisas.


 


Notas Finais


E então?

Beijos enormes! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...