História Dark - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bruxo, Depressão, Gay, Lobisomen, Magia, Musica, Romance, Suícidio, Vampiro
Visualizações 17
Palavras 1.374
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um capítulo, espero que gostem

Foto da capa: Diego

Capítulo 17 - Cortes Profundos


Fanfic / Fanfiction Dark - Capítulo 17 - Cortes Profundos

 - Antes de qualquer coisa escute do áudio 3 ao 7, depois vem aqui te explicarei o resto - Mayara diz e me teleporta para o meu quarto

Pego meu notboock e começo a ouvir os outros áudios, começo a ouvir o 3...

Diego: O meu primeiro beijo foi um espetáculo total, Simon fingiu ser meu amigo e tirou meu bv, se me arrependo? Sim, porque ele começou a caçada a Diego. Que culpa eu tenho? Eu só estava tentando ser feliz, e ele fez meu mundo virar de cabeça para baixo, talvez se fosse só a fofoca da escola eu aguentaria, mas não, foi todo o resto, meus pais acreditarem na fofoca, para eles não importava se eu fosse gay, mas eu tinha que escolher um Hoyer? Logo um lobo com sangue de anjo, você sabe a origem dos lobos?...

Centenas de anos atrás, havia uma aldeia que se encontrava no meio da floresta, essa aldeia era habitada somente por humanos, sejam eles homens, mulheres ou até mesmo crianças, todos eram humanos. Viviam como índios, sobrevivendo daquilo que a natureza lhes proporcionava porém o único problema era o grande derramamento de sangue, todas as noites, quando a lua aparecia e o sol iria até seu descanso, vampiros atacavam a aldeia, matando as pessoas e bebendo seu sangue, assim seguiam todos os dias. Certo dia o Pajé da tribo que além de líder espiritual era o líder da tribo chamou quatro pessoas, dois homens e duas mulheres e todos tomaram rumo até o monte sagrado, chegaram lá após muito tempo e já era fim de tarde, no monte existia uma espécie de templo, alguns pilares rachados formando um círculo e uma estátua de lobo no centro que olhava para cima como se estivesse uivando. Esperaram lá e as horas foram passando, o monte era um local sagrado e protegido por algo que os moradores da vila acreditavam ser um Deus, por serem impuros completamente os vampiros não podiam ir para o local pois se não virariam cinzas imediatamente e os humanos se permanecessem mais que um dia lá estariam profanando o templo com impurezas. Após horas se passarem, tinha batido 00:00, a luz estava bem no alto, ficando acima da estátua. O pajé se aproximou da estátua junto com os 4 moradores e então começou a fazer um ritual, passando uma faca com o cabo feito de isso no centro da sua mão que logo fazia um corte profundo e passando a faca para os outros quatro, após isso todos juntaram suas mãos próximo á estátua deixando o sangue cair nas patas do lobo enquanto o Pajé continuava o ritual para o Deus Ökami então os olhos da estatus de lobo brilharam e todos os cinco apagaram e após algum tempo quando abriaram os olhos, todos estavam com garras, se sentiam mais fortes e mais ágeis, seus olhos mudaram de cor e seus corpos cobertos de pelos então rapidamente saíram do monte e retornaram para Vila que naquele momento já estava sendo atacada pelos vampiros e com um forte uivo do Pajé todos os vampiros pararam e tornaram sua atenção para os seres que tinham chegado e assim um avançou contra o outro começando uma batalha e logo notaram que a mordida deles era tóxica para vampiros, então os moradores da aldeia saíram vitoriosos, e os vampiros pararam de atacar aquele local, assim "nasceram" os primeiros lobisomens e daí se iniciou a inimizade de vampiros e lobisomens. Com o passar do tempo houveram relacionamentos dos 5 com outros humanos e cada bebê nascia com a habilidade de se transformar é assim essa condição foi se expandindo. E daí tudo começou, ah minha vida se tornou um inferno total, meu pai me deu um tapa na cara, tirando totalmente a minha admiração por ele, e a minha mãe? Para não brigar com papai ela decidiu me desprezar, mas o que eles não sabiam, era que aquilo me machucava de uma forma, ao ponto de eu não conseguir aguentar mais.

O áudio acabou, e eu ficava pensando, por que os pais dele fizeram aquilo com ele? É completamente sem sentido. Comecei a ouvir o áudio 4, e foi o meu pior...

Diego: O que era para ser um baile legal, onde eu me divertiria, foi o pior dia da minha vida, você e o Simon me pegaram desprevenido, e eu poderia matar vocês? Sim! Ceder as trevas? Talvez. Eu gritava por socorro, dizia não Matteo e você Ligou? Não! Você continuava, e a cada grito era mais forte, talvez na sua cabeça doentia fosse bom para mim também, como alguém se sentiria bem perdendo a virgindade com dois caras babacas? Não senti nenhum desejo, só nojo, nojo de mim mesmo, todos os dias que eu olhava no espelho eu chorava, não aguentava pensar que tinha sido estuprado, então comecei a fazer marcas em meu corpo, no início não passava, mas depois começou a passar, tudo ficava melhor com um novo corte, uma nova marca, era errado, mas já fiz tantas coisas erradas, as marcas me traziam paz, era isso ou a morte. Sinceramente Jô, eu só espero que a minha morte faça mais sentido do que a minha vida.

Lágrimas brotaram no meu rosto, comecei a gritar, meu quarto todo ficou bagunçado, porém, por incrível que pareça meu notboock estava intacto. Comecei a escutar o áudio de número 5

Diego: Peter... O que falar dele? São tantos adjetivos, mas o que mais posso dizer a você é covarde. Nos tornamos amigos, e no primeiro dia você me beijou, sabia que deveria me afastar, mas você insistiu, ignorei meu instinto e fui atrás, você me machucou.

Mas e se o único jeito de parar de sentir mal fosse parar de sentir qualquer coisa... você me desprezou, me traiu, mas mesmo assim decide me relacionar com você, na hora o desejo falou mais alto e rolou, hoje em dia sinto mais nojo ainda do meu corpo. Todos os dias vou ao banheiro, ligo o chuveiro e passo horas chorando. Sei lá todos me perguntam se eu estou bem, e respondo com um breve "sim". E porque minto? Porque brevemente a minha morte vira, não tenho mais esperança, ela já foi embora.

- Aí Diego...

Depois comecei a ouvir o 6...

Diego: Não tenho muito o que falar, além da falsidade de Douglas, isso me tirou você João, ele me tirou o amor da minha vida, e você foi atrás lindo não? Nada da certo para mim, isso que me irrita, eu preciso parar sabe, parar com tudo, inclusive com a dor. Ele ainda falava comigo depois de que vocês começaram a namorar, ele deve ter me perguntado se eu estava bem umas 52 vezes, e todas eu disse que estava bem, nenhuma era verdade, mas ninguém percebeu, nem você...

E por último o áudio 7...

Diego: Bom João essa música ainda não terminei, mas ela... É para você

Eu nunca me senti

Assim antes

Estou ansioso

Estou pensando

Meu coração Acelera

Só ao te ver

Você nunca esteve

Tão lindo

Me sinto bem

Me sinto assustado

Eu não posso

Ir embora nem

Seguir em frente

Acho que achei

A resposta

Estou apaixonado

É algo que não

Se aprende

Na escola

Comigo o

Tempo todo

Escondendo atrás

De um sorriso

Não esqueço

Mais o seu olhar

Essa barreira

Vai se quebrar

Comigo o

Tempo todo

Estava bem no

Seu olhar

Essa barreira

Vai se quebrar

Eu te amo

O que sei é que nada sei, depois de ter enxugado as minhas lágrimas vou até o espelho e meus olhos estão muito vermelhos, chorei tanto, fui tão idiota em te deixar Diego...

Me teleportei para o quarto de Mayara me sento e ela começa a falar

- Diego e Daniel se conheceram a tempos, já lutaram, e se tornaram amigos, só que era necessário um dos dois se tornarem rei do Submundo, Diego abandonou suas emoções e se tornou para salvar Daniel desse fardo.. - Mayara conta e fico perdido

- Mas...

Estalo os dedos e vou até a frente da entrada de Hollywood, coloco a chave na letra "D", uma porta aparece e entro, quando vejo Diego...

- Di... - Falo e ele me olha

- Jô... - Ficamos apenas nos encarando, mas aquilo era libertador, o ver de novo era incrível 


Notas Finais


Espero que tenham gostado

Abraços 💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...