História Dark and Light - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Star Wars
Personagens Ahsoka Tano, Anakin Skywalker (Darth Vader), Leia Organa, Luke Skywalker, Obi-Wan Kenobi, Padmé Amidala
Tags Clone Wars, Guerra, Guerra Dos Clones, Jedi, Sith, Star Wars
Visualizações 4
Palavras 979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Decisões.


- Estão tirando o 501 de mim? – Indignação tomava a voz de Anakin.

- Não estamos tirando nada de você, Anakin! – Obi-Wan tentava acalmar o amigo. – Estamos passando o comando dele temporariamente para a mestra Secura.

- Mas por quê?

Kenobi suspirou. Tudo o que estava sendo feito e o que iria ser feito para ajudar Anakin poderia deixa-lo confuso e irritado ao mesmo tempo.

- Anakin, tudo que eu, Ahsoka e o concelho queremos fazer é te ajudar.

- Tirando meu batalhão, me tirando da guerra?

Skywalker estava frustrado.

Foi traído, seus sentimentos estavam feridos. E tudo o que o mantinha na linha eram a lealdade de sua padawan e de seu amigo e mestre.

- Venha comigo... – Kenobi pediu.

Anakin apenas o seguiu, eles saíram pelos corredores do templo, passaram por mestres, padawans e guardas, saíram do templo, pegaram um speeder e seguiram aos níveis mais baixos da cidade.

- Para onde vamos? – Anakin perguntou sentado no bando do passageiro.

- Beber algo e conversar, Anakin. – O mestre respondeu pousando o veiculo. – É isso que você precisa.

Obi-Wan era conhecido por seu carisma e companheirismo, mas fazer algo assim não era de seu feitio.

Skywalker seguiu Kenobi para uma cantina de um amigo, os dois se sentaram em uma mesa afastada dos poucos clientes do local. Como era tarde da noite, mesmo em Curuscant, aquela área da cidade estava pouco movimentada.

O ruivo pediu duas bebidas e algo para comer com seu aprendiz.

- Isso não é muito seu estilo, mestre. – Em semanas Anakin soltou um leve sorriso.

- Você estava precisando sair um pouco do templo. Distrair um pouco a sua mente.

O pedido chegou sendo entregue por um droide.

- Eu só preciso entender o que aconteceu...

- A pessoa que você ama te decepcionou. – Ele foi direto, atingindo o aprendiz como disparo de blaster. – É mais simples do que parece Anakin.

- Mas, uma coisa que me atormenta é... – Ele suspirou. – Ela me amava realmente ou isso era apenas um plano para saber de coisas como informações da Republica ou...

- Você só ira descobrir isso no futuro Anakin. – O mais velho o cortou. – Você tem que focar no aqui e no agora. Organizar seus pensamentos e sentimentos. Ver que seus amigos não estão fazendo nada para lhe retardar, apenas para lhe ajudar.

- E onde isso envolve o 501?

- Nós já encontramos Krell e Barriss comandando tropas separatistas. – Obi-Wan tomou um gole de sua bebida. – E se a encontrássemos em batalha? Sejamos francos Anakin...

- Eu perderia o foco.

- Exato. Então, até que tenhamos certeza que sua mente e seus sentimentos estão no lugar, você não vai chegar perto de um campo de batalha.

- Certo mestre. – Anakin desistiu. Rendeu-se as palavras do mestre.

Aquela foi uma noite calma, uma noite em que Anakin conseguiu sorrir e rir um pouco se lembrando de aventuras com seu mestre e sua Padawan, uma noite que ele se sentiu feliz em semanas.

 

- Padawan Tano!

Ahsoka se virou para ver a pequena figura de mestre Yoda se aproximando.

- Mestre! – Ela fez uma pequena reverencia a ele. – Algum problema?

- Venha comigo, sim? – Ele soltou um pequeno sorriso ao começar a andar ao lado da padawan.

Ao chegarem à sala de meditação usada por mestre Yoda ele se sentou e a convidou a se sentar.

- Seu mestre poderoso com a força é.

Ela concordou.

- Seu companheiro ele é.

Concordou novamente.

- Apaixonado por Padmé ele é.

Ahsoka, por alguns segundos não concordou nem discordou, mas acabou concordando com mestre Yoda.

- Jovem e sabia você é pequena Ahsoka. – Ele soltou um leve riso. – Leal e inseparável também.

Ela sorriu em agradecimento.

- E um dia alguém nesse templo você também amou.

A padawan perdeu o ar por um segundo.

Outro riso do mestre.

- Então a situação de seu mestre você entende.

- Por isso vou apoia-lo em qualquer escolha...

- Fazer isso não deve você! – O mestre a corrigiu. – Um mestre deve ensinar e ao mesmo tempo aprender com seu aprendiz!

- O senhor quer dizer que...?

- Se a escolha errada você achar que ele fazendo está. – Yoda sempre mantinha o tom calmo durante a conversa. – Impedi-lo deve você.

Ela apenas concordou.

Após mais alguns minutos de conversa Yoda liberou Ahsoka.

 

Pillio. Um planeta oceânico, não colonizado e fora da guerra.

- Contate o general Krell. – Barriss ordenou ao comandante droide.

- Aqui é Krell! – O holograma aparecia no comunicador nas mãos de Barriss.

- Espero que sua força de defesa esteja pronta Krell.

- Encontrou um planeta? – Ele respondeu com outra pergunta.

- Sim. – Ela respondeu. – Um planeta sem interesse a Republica ou até mesmo aos militares Separatistas.

- Ótimo! – Um sorriso tomou a larga boca do besalisk. – As forças de defesa estão quase prontas.

- Agora cabe ao nosso mestre a tarefa final.

Krell apenas concordou e a transmissão se encerrou.

 

Padmé havia acabado de ser informada por seu mestre sobre suas decisões.

Ficaria isolada, sob a proteção de uma força militar maior que a de Serenno, tudo apenas para esconder que estava gravida. Esconder de seus inimigos, aliados e principalmente do pai de seu filho.

Ela não confiava em seu mestre, mas ele havia mostrado a ela um modo de trazer paz para a galáxia. E ela faria o que fosse necessário para isso.

Ela se lembrava de que apenas pouco tempo atrás ela estava junto aos Jedi, junto a Anakin. Dos momentos em que pensou em desistir do lado sombrio e se juntar a Anakin e a ordem Jedi. Mas assim que viu Darth Tyranus enganar e matar o mais poderoso Sith existente que ela já viu e que o lado sombrio não era apenas sedutor, mas também mais forte e implacável. Algo que ela precisaria ser em meio a essa guerra. E depois dela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...