História Dark Dreams - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Abaddon, Anna Milton, Bobby Singer, Castiel, Crowley, Dean Winchester, Lúcifer, Meg Masters, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Drama, Fantasia, Romance, Terror
Visualizações 124
Palavras 2.042
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 32 - Mais uma tentativa.


Fanfic / Fanfiction Dark Dreams - Capítulo 32 - Mais uma tentativa.

– Dean! - disse Bobby ao vê-lo aparecer de repente próximo a eles.

Sam ergueu uma sobrancelha e se aproximou do irmão.  

– E a Laurie? - Sam pergunta.

Dean lançou um olhar sombrio para o irmão, e Bobby ficou tenso. Até mesmo Crowley estava ouvindo agora, os olhos fixos no rosto dele.

– Não sei. Estava conversando com ela e depois aparec... - Dean deu uma pausa quando compreendeu. – Desgraçado!

Nenhum dos presentes se moveu. Sabiam que Lúcifer havia conseguido sua casca.

– Precisamos agir logo. - Bobby avisa.

Entrar em pânico agora não faria bem algum. Sam sabia que precisava de tempo para pensar em um plano de ação lógico.  Mas só que eles não tinham mais tempo.

– O que vamos fazer? - Dean pergunta sentindo uma dor de cabeça forte ao tentar encontrar uma solução.

Sam hesita um pouco até que decidi opinar.

– Abrir as portas do inferno e devolver Lúcifer para sua gaiola. - Sam diz enquanto lia algumas páginas do Livro perdido.

– Não vamos fazer isso Sam. A Laurie está com ele. - alerta Dean encarando o irmão.

– A Laurie estava usando o colar.  Se o tirarmos ela pode voltar ao normal. - comenta Bobby ao lembrar-se de ter visto Laurie usando.

Os três se encaram por um tempo tentando absorver as informações.

– Então precisamos que alguém distraia Lúcifer enquanto o Sam lê o livro. - diz Dean com a voz mais grave que o normal.

Os olhos se voltaram para Crowley que ficou em silêncio por um bom tempo. E o mesmo ao perceber balança a cabeça freneticamente.

– Não olhem pra mim, já me arrisquei muito por vocês. Só estou aqui para confirmar que Lúcifer vai está morto. - resmunga e some de repente mostrando que não faria parte do plano.

Dean dá de ombros. Enquanto Sam franzia a testa. Por um tempo ficaram ali decidindo o que fariam até que um carro em alta velocidade surge. O carro parou e logo duas pessoas surgiram.

 – Cadê a Laurie? - Castiel pregunta quando já estava perto o suficiente dos caçadores para ouvirem. E como eles só o encararam de volta, Castiel se virou para olhar quem ele sabia que lhe informaria tudo. – Sam?

Levou um momento para Sam se lembrar de como falar, e encontrar a força para fazê-lo.

– Lúcifer a pegou!

Com um pouco de fúria Castiel tentou se afastar e saiu em direção a entrada do céu, mas foi impedido pelas mãos de Bobby que o segurou.

– Não adianta Castiel. - o caçador o alertou.

– Eu preciso fazer alguma coisa não posso ficar aqui parado enquanto ele esta com ela. - rebate Castiel.

Sam teve um momento repentino de clareza.

– Castiel pode distrai Lúcifer. - ele diz.

Dean suspirou.

– Ele não tem mais sua graça. - disparou.

– Sei como posso conseguir uma pra ele. - uma voz de mulher os surpreenderam e todos se viraram para olha-la.

Era Meg. E sorria para eles. Tinha chegado junto com Castiel e todos haviam se esquecido de que ela estava ali também.

– Você não vai fazer isso Meg. - é Castiel quem questiona já sabendo do que ela queria dizer.

Sam assim como os outros dois ficou confuso e pergunta.

– O que esta falando?

Um leve brilho entretido surgiu nos olhos dela, e ela considerou a pergunta por um momento. Então explica:

– Já que vamos para o céu podemos matar um anjo e da à graça dele para o Castiel.

No instante seguinte os três caçadores junto com Castiel e Meg estavam no céu. Eles andavam devagar pelo corredor atentos a qualquer movimento. Estavam ali na tentativa de Castiel recuperar sua graça e depois distraí Lúcifer enquanto Sam lia o trecho do Livro Perdido para abrir o portão do inferno e Bobby e Dean faziam a armadilha para prendê-lo e tirar o colar do pescoço dele. Não sabiam se o plano daria certo, na verdade estavam bem apreensivos quanto a isso, mas eles precisavam tentar e fazer alguma coisa antes que seja tarde demais. A única pessoa ali que aparentava está tranquila era Meg que insistia em permanecer com um sorriso no rosto. Chegaram por fim a uma sala totalmente destruída. Meg que andava logo atrás de Castiel pareceu se atrair por algo, pois a mesma passou à frente de todos e se abaixou ao lado de um corpo. Os outros se aproximaram, mas não conseguiram identificar de imediato de quem era o corpo. Até que Dean reconhece. Seus olhos se abrem mais ainda ao reconhecer o corpo de Anna.

Meg tenta cortar o pescoço de Anna até que Castiel segura sua mão.

– Não faça isso! - disse Castiel com testa franzida.

– Deixa de ser assim Clarence. Ela não vai mais precisar da graça, mas você precisa para poder ajudar. - afirmou Meg, causando contração nos rostos de todos.

– Pela primeira vez ela tem razão Castiel. - disse Dean encarando o anjo.

***

Com a mão na boca Lúcifer encarou a porta, o teto, então voltou os olhos para os presentes. Lúcifer se encontrava em uma das cadeiras mais ao fundo, de onde a visão era melhor. A sala era imensa, cheia de pequenos móveis antigos ao redor da enorme mesa. E agora sangue completava a decoração do local. Os anjos que ainda restaram estavam sentados completamente chocados com tudo. Vários pares de olhos agora encaravam Lúcifer, espantados.

– Qual e? - Lúcifer resmunga ao vê a cara dos anjos que sobraram. – Não fiquem com essas caras de bobos. Sabem que vocês não tem outra escolha. Ou me ajudam ou serão mortos iguais esses aqui.

Lúcifer já estava em pé e apontava para um dos corpos caído ao chão.

– Você não tem como matar todos. - disse um homem de cabelos grisalhos que estava perto de Lúcifer.

Lúcifer deu um sorriso pesaroso e pegou o homem pelo pulso e pelo bíceps, travando e torcendo de modo que o homem grunhiu de dor.

– Essa casca aqui e muito poderosa sabia. - disse Lúcifer com os olhos vermelhos. – Se eu mexer um dedo você vira pó em segundos. Então vai querer cooperar ou prefere se juntar aos mortos?

Assim que Lúcifer soltou o braço dele o anjo virou a cabeça para ele, uma súplica nos lábios para que o mesmo não o machucasse. Lúcifer sorriu e se sentou à mesa novamente e deu tapinhas no lugar vazio a seu lado. Os outros anjos ergueram os olhos um para os outros surpresos.

– Gostei de você! - Lúcifer aponta o dedo para o anjo que acabará de ameaçar.

Lúcifer então virou o olhar para a porta. E soube que tinha algo errado. E o som do baque da porta ao ser escancarada ressoa pelo local. Houve um momento de embaraço, os anjos e Lúcifer olhando para Castiel sem dizer uma palavra.

– Olha só mais um anjo para se submeter a mim. - berrou Lúcifer para o novo anjo.

Castiel não se moveu, permaneceu parado apenas encarando Lúcifer lançando um olhar frio para o mesmo.

– Deixe Laurie em paz. - bravejou Castiel.

Os outros anjos que estavam presentes aproveitaram para fugir.

– Veja só, espantou meus amigos. E depois dizem que o diabo não tem amigos. - brincou com um sorriso no rosto.

Castiel o ignorou e disse novamente.

– Deixe-a Lúcifer!

O mesmo levantou uma das sobrancelhas.

– Ora, ora o anjinho esta bravo. Por que não relaxa e se junta ao lado vencedor? É muito mais divertido, asseguro a você.

Castiel se sentiu ficando quente de tanta raiva.

– Não vou repetir mais uma vez.

Dessa vez Lúcifer se levanta e se aproxima de Castiel agora aparentemente sério.

– Não me lembro de convidar você para vir para o céu comigo, de qualquer forma, já que não está gostando da nossa festinha, por que, simplesmente, não vai embora? Não quero te matar. Seria muito fácil já que não tem mais sua graça. - ele disse confiante.

– Não tenha tanta certeza...

Assim que Castiel terminou de falar as luzes se apagaram deixando o local totalmente escuro. Então uma queda ressonante, o som de vidro se quebrando, em seguida como se cem janelas estivessem se rompendo. A luz voltou e Lúcifer estava caído ao chão. Mas o baque pareceu não ter o afetado.

– Pensei que gostasse de sua namorada. Sabia que esta machucando ela? - Lúcifer diz se levantando do chão.

Novamente Castiel o ignorou e adquiriu postura mais calma e falou:

– Laurie se está ai... Reaja! Não deixe ele te controlar. - a voz era suave, porém de um tipo diferente.

– Laurie... Laurie! - repetiu Lúcifer limpando a poeira sobre a roupa.

Ele começou a andar na direção de Castiel, mas antes conseguiu puxar o fio da tomada de uma TV na parede que estava próxima dele. E jogou a mesma na direção de Castiel. O fio rodou no pescoço dele o asfixiando. O mesmo caiu de joelhos tentando soltar. Lúcifer se aproximou mais dele. E apertou ainda mais o fio. Castiel tentou usar os poderes contra Lúcifer, mas a sensação de asfixia o estava impedindo de agir. E de repente Dean se lançou sobre Lúcifer. Foi como uma investida de um gato caçando. Dean o golpeou com todo seu peso, e o impacto o derrubou dentro de um retângulo no qual Bobby acabara de desenhar no chão enquanto Lúcifer estava distraído com Castiel. Dean sentiu quando a cabeça de Lúcifer se chocou contra o chão.

Lúcifer tentou se levantar, mas alguma coisa o estava impedindo. Sentiu a dor abrasadora, como se tivesse submergido seu corpo em veneno. Era uma sensação parecida a ardente secura da fome, só que mais potente. Mil vezes mais forte. Era insuportável.

– Agora Sam! - gritou Dean.

Sam começou a ler o trecho do Livro Perdido. No exato momento que a voz de Sam inundou a sala. Pode-se vê através de Lúcifer uma luz ao redor dele. Só que a luz era dolorosa. Ele tentou se levantar, mas não tinha forças. O chão começara a abrir em volta dele. E ao mesmo tempo o rosto de Laurie se rachava. Linhas de fogo apareciam no chão.

– O que esta acontecendo? - Castiel consegue perguntar mesmo ainda com o fio enrolado em seu pescoço.

– Tirem o colar. Agora. - grita Bobby ao lado de Sam vigiando caso alguém aparecesse para impedir de continuarem.

Dean que estava mais próximo tentou tirar o colar, mas Lúcifer conseguiu acertar uma de suas mãos nele o jogando longe. Castiel que se soltava do fio no pescoço corre na direção dele na mesma tentativa. Ele alcança o cordão no pescoço de Laurie e o puxa com forca jogando-o longe. Uma luz branca sega a todos por um tempo até que se dissipa. Mostrando que o portão do inferno já estava totalmente aberto.

Lúcifer estava agora em pé e começou a rir esteticamente.

– Seus tolos! O colar não serve mais, ela nem precisou dele porque ela preferiu dizer sim pra mim. - Lúcifer revela fazendo Sam encara-lo assustado.

 Dean tentava se levantar, mesmo com a perna quebrada pelo baque. E Castiel tirava um caco de vidro que enterrou em sua barriga quando caiu sobre o chão. De alguma forma uma faca próxima de Lúcifer chamou a atenção dele que imediatamente a pegou no chão. Por um tempo ele balançou a cabeça várias vezes, tentando expulsar alguma coisa invisível que o perturbava. E ainda dentro do triângulo ele falou:

– Obrigada! - a voz não era mais masculina.

Todos o encararam assustados. Mas Castiel percebeu nos olhos dele que não era Lúcifer ali.

– Laurie! - sua voz saiu como um sussurro, mas ela conseguiu ouvir a voz do anjo.

Ela sorriu pra ele e uma lágrima escorreu pelo seu rosto. E de repente acertou em seu peito a faca que segurava. Ela se ajoelhou com a dor, mas antes que caísse no buraco lançou um último olhar para os presentes. E só o que só pode vê depois dali foi o corpo desfalecido de Laurie caindo. Castiel tentou correr para ir atrás dela, mas Meg o segurou o impedindo. Então o portal se fechou.

Mesmo com os olhos fechados, Laurie sentiu uma luz saí de seu corpo enquanto ela caia. E a partir dali ela sabia que a ligação tinha se quebrado. E satisfeita deixou que sua mente se esvaziasse e enfim ela se desligou de tudo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...