História Dark e Wild ( Taekook - Vkook ) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Girls' Generation, K.A.R.D
Personagens Jessica, Personagens Originais, Somin
Tags Gg Bts Kard
Visualizações 164
Palavras 8.876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeonghaseyo 🌻💖

Trazendo o capítulo três para vocês, realmente espero que vocês gostem e apreciem essa história!🙏

+40 favoritos, obrigada de coração a todos pela bela chance de mostrar essa incrível história para vocês Taekookas e Taekookers shippers 🍭❤

Não quero enrolar muito hoje, sei que desejam ler meus🍀, contando que vem algo inesperado por aí na história!

Let's read?🎋🦊🖤

Capítulo 3 - 003


Fanfic / Fanfiction Dark e Wild ( Taekook - Vkook ) - Capítulo 3 - 003



∞ Medo ∞


★ Pov Taehyung ★


Já fazia mais de duas semanas que eu tive aquela noite de sexta com o Jeon, confesso que tivemos mais algumas noites assim, mas dessa vez apenas na própria boate, pois eu não tinha como ficar saindo todas as sextas para deixar o meu chefe surtando quando eu não abria ao show, como aconteceu na sexta passada onde levei uma bronca do novo sócio. Esse que praticamente é o satanás encarnado em forma humana, seu nome Min Yoongi e sua personalidade a pior que já conheci, achando que sou objeto para ser tocado, um nojento. Asqueroso.

Nessas duas últimas semanas trabalhei mais duro do que planejava, tendo alguns dias a tarde para ensaiar até o horário da apresentação e sempre uma nova coreografia, as vezes eu achava que estava em um show de ídolos, mas depois essa imaginação me fez ver que a realidade é o puro inferno que eu não desejo nem mesmo para algum inimigo. Se eu já me irritava em ouvir meu chefe Han Kyubok, agora ter esse velho babão junto do seu sócio Min Yoongi é como ter o demônio e o diabo caminhando lado a lado ansiando para quem irá capturar minha alma primeiro. 

Mas como eu sou Kim Taehyung, puro inferno e pesadelo de quem se mete em meu caminho, acho que será impossível eles fazerem algo, afinal o sócio novato já experimentou da minha raiva quando tentou bater na minha bunda na quarta feira. É nessas horas que eu agradeço por ter aprendido Kung Fu, pois sei muito bem usar para defesas e ao meu favor, coisa que aqui na Sex trip sempre tenho que estar em alerta, nunca se sabe quando irão desejar te estuprar contra a sua vontade, porque é isso que fazem comigo.

Como era mais um dia, sendo esse quinta feira, algo bem monótono onde eu estava arrumando o meu camarim e separando a roupa do show da vez, já que a boate não abrirá na sexta por um emprevisto disse meu chefe, terei que apresentar hoje. Separei a roupa sendo essa da Arlequina, faltava apenas um hora e meia para a boate abrir e eu já estava pronto somente aquecendo os músculos para poder dançar, me admirei no espelho do camarim olhando o trabalho bem feito da maquiagem da Arlequina e até mesmo o batom vermelho borrado eu tive a brilhante idéia de copiar, realmente fiz um ótimo trabalho, só não pintei os cabelos por não gostar muito disso.

E como toda rotina dos dias de show, as famosas e irritantes batidas na porta dos meus aposentos, batidas essas que já sei bem de quem seja, aquele segurança do qual vivo chamando de cachorro e mesmo assim continua a me insultar. Acho que ele é um praga na minha vida, um mero carma colocado no mundo somente para achar que pode me menosprezar e humilhar, mas tenho dó dele, afinal eu sempre tive uma língua afiada de argumentos e sei rebater dez vezes melhor.


—Hey V, sou eu Jean...—falou meu amigo me fazendo suspirar aliviado. —Pensou que seria quem?—perguntou preocupado.

—Pensei que fosse um dos trastes como o chefe Min ou até mesmo o totó.—sorri me sentando na poltrona. —Conseguiram baixar a música da apresentação de hoje—perguntei.

—Ah, sim! Estavam tendo dificuldades, mas no fim o DJ Kwon conseguiu baixar.—disse sentando-se no sofá. —Tae...você sabe que você pode entrar em período de cio né?

—Eu sei Jean...mas não estou pensando nisso no momento.—dei de ombros. —Eu sei que está próximo, só não sei para quando.—sorri encarando o olhar de tonto do meu amigo. —Hey, se eu entrar no cio você vai me trancar no quarto e me manter longe de todos. Explicará o meu sumiço ao chefe Kyubok e não para o pervertido do Min.—apontei sério.

—Por que pervertido do Min?—perguntou me fazendo suspirar. —Tae...ele fez algo que você não gostou? Ele está tentando te obrigar a alguma coisa?—preocupou-se.

—Nada Jean, ele só tentou bater na minha bunda, me beijar e me agarrar no corredor da boate.—listei cada coisa. —Mas como eu já fiz Kung Fu, esse otário não consegue chegar nem perto.—sorri empinando o nariz.

—Tome cuidado com isso, afinal você sabe que...—ele parou de falar ao que via a porta ser aberta e revelar o crápula do qual estávamos falando junto do chefe Kyubok. —Bem, depois eu volto para conversarmos melhor. Bom show V!—falou meu amigo saindo da sala me deixando com os crápulas.


Olhei atento para os dois de braços cruzados até o peito e cenho franzido tendo os olhares alheios sobre minha pose séria. Se vocês acham que dou moleza, enganou feio, totalmente rude.


—V...—sorriu o Min ao pronunciar meu stage name.

—Bater na porta ainda é educação não sabiam disso?—perguntei ainda com a carranca.

—Esse lugar é nosso, não precisamos de permissão.—ditou Kyubok. —Precisamos falar com você seriamente.

—Jura? Como chegaram a essa conclusão?—perguntei desgostoso.

—Olha a coisa está séria para o seu lado V, então sugiro ficar quieto para que nada aconteça de errado ok?—sugeriu Yoongi. —Um passarinho me contou, que um agente de empresa secreta anda vindo aqui, descobri apenas o seu sobrenome sendo Kim e ele estava atrás de um dos funcionários.—despejou me fazendo congelar na poltrona.

—Por acaso, você tem noção de quem seja V?—perguntou o senhor Han. —Sabe...você vive observando todos, é odiado por muitos, ganha muito mais do que merece e ainda nem paga.—alisou meu ombro me fazendo esquivar do toque.

—Então se você souber ou tem alguma sugestão, ficaremos gratos em ouvir.—sorriu Yoongi se aproximando de mim e tocando meu joelho. —Você irá descobrir quem seja, irá saber se é apenas para saciar desejos ou espionagem, pois vimos alguém pelas câmeras andando no corredor do escritório, mas como estava meio escuro só deu para enxergar o terno de marca bem sucedida e o relógio de prata no pulso esquerdo.—acariciou minha coxa me fazendo empurra-lo.

—Não toquem em mim seus nojentos.—falei sério. —Seja o que for, irei analisar, mas tirem essas mãos imundas do meu corpo e nem ousam se aproximarem.—apontei me afastando dos dois carniceiros.

—Tão invocadinho. É assim que eu gosto sabia Han Kyubok?—perguntou Yoongi sorrindo malicioso. —Quando descobrir venha até a minha sala, estarei esperando por novidades.—abriu a porta saindo do meu camarim deixando o velho babão comigo.

—E você? Não vai dar um fora também?—perguntei irritado. —Ou prefere sair com porradas?—opinei.

—Gosto do seu temperamento. Ele me excita.—revelou enquanto eu fazia uma careta de nojo. —V...eu cuidei tão bem de você desde que chegou aqui, sempre fora o meu favorito. Jamais irei fazer algo que você não queira, afinal estou aqui para lhe acolher quando desejar.—se aproximou me deixando irritado. —Você é um coelho raivoso, precisa tomar a vacina da raiva. Mas saiba que não será um mísero contrato que me manterá longe de você.—sussurou me fazendo engolir a seco.


Ouvi a porta sendo fechada atrás de mim e deixei o ar escapulir dos meus pulmões, ar esse que estava prendendo pelo medo. Eu não acredito que esse cretino teve coragem de revelar algo desse tipo, uma audácia de dizer que não é um pedaço de papel que impede ele de me tocar. Mas se não é um pedaço de papel com assinaturas, o que impede esse crápula? Espero nunca saber, vai que seja algo pior do que imagino e acaba por me abalar de vez.

Se eu falar que não estou com medo estarei mentindo rudemente, porque a verdade é que eu estou tremendo de medo, não pensei que Jungkook iria visitar o corredor proibido, eu pensei que ele iria somente ficar na área do show, bar e pista de dança, mas acabei de descobrir que ele foi curioso o suficiente para explorar o local. Graças aos céus o corredor estava pouco iluminado e eles só virão o terno e relógio de prata do mais velho, como ele pode ter sido tão descuidado, aqui é uma boate com casos sérios, os caras reparam até mesmo na cor da suas unhas decoradas.

As coisas podem dar errado como Jean havia comentado e agora eu estou vendo, acho que terei de barrar que Jungkook e Namjoon venham para a Sex trip, não posso deixá-los correr esse enorme risco só para poderem me tirar daqui o mais rápido possível. Jamais que eu me perdoaria se algo acontecesse, pois eu sei que o primeiro alvo seria o moreno do qual anda me saciando as vontades e na lista vem Namjoon, Jean e por último eu, já que sou uma peça rara e nos olhos dos carniceiros sou a a chave de tudo.

Peça rara, tenho nojo de me definir como tal, mas aos olhos dos meus chefes eu sou sim um produto mega valioso que deve ser muito bem cuidado, como se eu fosse um diamante indo somente para as mãos daqueles que servem a boate como sócios. Detesto isso, nunca achei certo eu ser alvo dos mais cobiçado, sendo esses chefões de máfia, empresários, traficantes e até mesmo alguns policiais que só estão dentro da delegacia para fingir ser da lei. Sou pago apenas para ser fodido, fazer o cliente se sentir bem com o que eu posso lhe proporcionar, mas jamais que irei pagar boquete, afinal isso não está no meu contrato e jamais farei algo desse tipo.

Mas quando eu falo que "jamais" farei um boquete nos carniceiros babões é porque não vou, mas eu já paguei um boquete, foi o primeiro, o único do qual eu adorei sentir a sensação de um falo tocando minha garganta enquanto eu podia engasgar ou suspirar ao sentir os testículos sobre o meu queixo. Jungkook foi o primeiro do qual eu senti vontade de experimentar essa nova sensação, afinal o homem me proporcionou um prazer da porra naquele chalé, eu me senti no dever de reconoensa-lo da melhor maneira possível, ele foi o primeiro do qual fiz isso e sempre será a minha excessão especial quando algo rola entre nós.

Sai do meu camarim caminhando até o corredor, desci a escadaria enquanto lembrava de todos os passos ensaiados para hoje e cantarolei a música em sussurar apenas para não esquecer nenhuma parte da coreografia. Parei atrás da grande cortina azul vendo como sempre Jessie Rogeres, com o seu microfone em mãos e um sorriso enorme na face. Quem vê pensa que ela é sempre animada e feliz, mas é uma pena que ela é quem mais fica ao lado do chefe Han Kyubok, sendo escrava sexual dele, absolutamente revelando ela mora com ele desde os dezeseis anos, foi quando ele a encontrou e a trouxe para a boate. Desde então a mulher não saiu mais daqui, só tens direito de saciar auemno chefe deseja, se ele permitir, porque se não é somente aquele velho barrigudo mesmo, confesso que tenho dó dela, afinal é uma pessoa incrível e inteligente demais para estar aqui.

Suspirei fazendo o ritual de toda noite ao fechar os olhos, respirar fundo, aquecer, focar apenas no básico que é sedução, dança, música, provocações e o resto é foda se mundo. Eu realmente amo pole dance, sempre tive vontade de aprender e quando entrei na boate fora a primeira coisa que aprendi com o tempo, é uma arte incomunal para mim, algo que me define de um modo intenso, curioso e cheio de mistérios. Dançar numa barra de ferro me faz despertar uma arte que muitos a vê como algo vulgar, quando na verdade trabalha tanto em musculatura e flexibilidade.


—Você estão animados?—perguntou Jessie no microfone. —Eu posso ver que sim! Mas agora quero apresentar o nosso mito, o híbrido incrível e o mais lindo da casa.—falou sorrindo. —Aprovsitemno show do coelho Arlequina.—ouvi os gritos e aplausos. —Sobe no palco agora para vocês o espetacular e magnífico V.


[ Coloquem para tocar a música You don't onw me—Grace feat; G-Eazy ]


Sorri encorajado ao que a cortina azul escura se abria revelando a mesma plateia de sempre, me posicionei no chão de acordo com a minha coreografia e assim a música começou a soar ao som do DJ e meus passos já sendo feitos no palco. Eu tinha a atenção de todos em tudo que eu fazia, desde um simples movimento até o mais ousado, os olhos vidrados em mim e no que eu fazia, alguns sustentando um olhar de luxúria e outros apenas babando na apresentação.


You don't own me

You don't own me

...

Well, let's go

But I'm Gerald and I can always have just what I want

She's that baddest I would love to flaunt

Take her shopping, you know Yves Saint Laurent

But nope, she ain't with it though

All because she got her own dough

Boss bossed if you don't know

She could never ever be a broke hoe


Como sempre as mesmas coisas e pessoas, mas sempre um me chama atenção e dessa vez não foi diferente ao ver pela primeira vez o moreno vestido com roupas comuns, trajava um belo estilo e que confesso que combinou bastante com a personalidade forte dele. 


You don't own me

I'm not just one of your many toys

You don't own me

Don't say I can't go with other boys

...

Don't tell me what to do

And don't tell me what to say

...

Please, when I go out with you

Don't put me on display


Ainda dançando e seduzindo eu não tirava os olhos daquele que ficou vidrado em mim, eu via algo diferente, não era somente desejo, mas havia algo desconhecido por mim ou eu que estava inerte demais.


You don't own me

Don't try to change me in any way

You don't own me

Don't tie me down cause I'd never stay

...

Don't tell me what to do

And don't tell me what to say

Please, when I go out with you

Don't put me on display


Eu fazia cada movimento com maestria, dançava e rebolava, ora cantava em sussurar partes da música e sorria na direção do mais velho que sorria para mim fazendo meu coração se acelerar com o maravilhoso sorriso. Continuei com a apresentação tentando sempre fazer expressões desejosas e ouvindo os gritos loucos dos que já estavam mais do que animados, dinheiro estava sendo colocado na ponta do palco e Jessie recolhia tudo com um enorme sorriso no rosto, realmente uma droga ver o insaciável por dinheiro e mais dinheiro.


Re-really though, honestly

I get bored of basic (no)

She's the baddest, straight up vicious, texting her asking her

If she's alone and if she'd sent some pictures, she said no (what)

Well goddamn, she said come over and see it for yourself

Never asking for your help, independent woman

She ain't for the shelf

Nah, she's the one

Smoke with her till the (ahh)

Stayin' up until we see the sun

Baddest ever, I swear she do it better than I've ever seen it done

Never borrow, she ain't ever loan

That's when she told me

She ain't never ever ever ever gonna be owned


Agarrei na barra de pole ainda dançando e aproveitando cada momento, pois é assim que me faz se sentir bem durante a noite é quando eu estou fazendo algo que eu goste, quando estou aproveitando minha dança favorita e acima de tudo me sentindo bem ao dançar. 


I don't tell you what to say

I don't tell you what to do

So just let me be myself

That's all I ask of you


Eu já não conseguia mais suportar a vontade de descer do palco, de caminhar entre cada um como faço e me aproximar de Jungkook, poder sentir seu toque e poder toca-lo também. Meu corpo ansiava por sentir um toque do moreno, nem que seja somente de raspão ou rápido, eu queria sentir as mãos possessivas dele em mim e foi isso que eu fiz, desci do palco caminhando rapidamente entre os nojentos até parar no moreno e sorrir em sua direção tendo seu olhar em cada movimento meu.


I'm young and I love to be young

And I'm free and I love to be free

To live my life the way I want

To say and do whatever I please


Toquei uma de suas mãos que estava descansando sobre o joelho e levei até a minha cintura sentindo seu toque me arrepiando os pelos do corpo ao que me puxava mais para perto e deixava um selar em cada coxa me fazendo suspirar baixinho para somente ele ouvir. Tirei suas mãos de mim voltando ao palco lhe mandando uma piscadela e voltei a dançar até a música acabar.


Huh! Hey!

Ohh-oh noo

Ohh Noo no-oh

Ohhh No no no-ooh

Don't, you don't

Hey!

(You don't own me)

But just know, you never met somebody like me before tho

(Nah nah nah nah nah nah)

(You don't own me)

Eazy

You don't own me


Agradeci a todos ouvindo aplausos e gritos, e mais dinheiro sendo jogado no palco fazendo com que Jessie o recolhesse, peguei a jaqueta do figurino com a mais velha agradecendo e caminhei até o balcão do bar, sentei-me no banco apenas tomando fôlego depois da apresentação e recebendo um copo d'água vindo do Jean que sorriu orgulhoso. Bebi o líquido de uma vez, colocando o copo em cima do balcão de madeira e me permitir suspirar audível ao que sentia braços rodearem a minha cintura me fazendo se arrepiar com o toque e ouvir os sussuros:


—Você estava incrível na apresentação...eu juro que amei essa sua fantasia de Arlequina.—mordeu o lóbulo da minha orelha. —Parabéns V!

—Obrigado Jeon!—agradeci lhe deixando um selar no pescoço. —Eu também amei a roupa, mas gostaria de ficar sem ela.—sorri arteiro. —O que acha de tirá-la do meu corpo?—sugeri manhoso.

—Você ainda vai me mandar para o hospício se continuar desse jeito coelhinho.—sussurou apertando os braços em minha cintura. —Onde desejas a noite? Não estou afim de fazer nada contigo nesse lugar imundo.—falou apressado.

—Vá com calma.—ri abafado. —Mas deixo você escolher, afinal sempre anda me impressionando Jeon.—mordi seu lábio inferior ouvindo um suspiro do mais velho.

—Você pode sair daqui hoje?—perguntou acariciando minha cintura por baixo da camiseta. —Estou afim de te levar a um novo lugar, sabe...podemos aproveitar mais. O que me diz?—arqueou a sombrancelha de um jeito sexy.

—Jeon Jungkook, você é pecaminoso fazendo essa expressão facial.—sussurei sorrindo. —Me vê por favor uma bebida, de preferência se for aquela azul friend.—pedi ao meu amigo que atendeu ao meu pedido despejando o líquido no meu copo antes com água. —Obrigado...e Jean...se um dos chefes perguntar do meu sumiço, diga que eu estava no ponto e consegui uma foda boa pra um caralho.

—Você ainda vai se meter em encrencas V, mas irei falar sim.—sorriu meu amigo me alertando.

—A única encrenca que eu me meti foi nunca ter fugido desse lugar quando tive a chance.—dei de ombros. —Só vou trabalhar oras!—afirmei ouvindo a risada de Jean.

—E eu prometo que vai ser um ótimo trabalho.—sussurou Jungkook me fazendo se arrepiar. —O meu carro está do outro lado da rua, prefere trocar de roupa antes de irmos?—perguntou cheirando meu pescoço.

—Não! Se você amou a minha roupa, quero que você ame tirá-la também!—exclamei sorrindo ladino. —Vamos logo embora daqui.—peguei em sua mão saindo do balcão.


Caminhamos para fora da boate com Jungkook entrelaçando nossos dedos juntos me causando um embrulho no estômago, não sei porque essas coisas estão acontecendo ultimamente, umas sensações estranhas quando sinto o toque do moreno, arrepios, minhas mãos soam, eu só sei sorrir, meus olhos ficam focados nele, meu coração acelera quando eu o vejo sorrir, agora essa atitude de entrelaçar nossos dedos me causou um embrulho no estômago. Eu não sei porque estou sentindo essas coisas, mas já pude notar que é somente com ele, não consigo sentir isso com ninguém, até porque desde quando ele começou a vir para a boate, eu só tive noites com ele e mais ninguém.

Entramos no seu carro, liguei o rádio enquanto o mais velho dava partida, hoje ele não estava com a BMW, mas sim com um Audi A5 azul elétrico, cada vez mais me impressionando com o tanto de dinheiro que ele possa ter. Coloquei para tocar no rádio a música do Jay Park que gosto bastante sendo essa Eyes, não sei porque mas essa música é muito fofa e confesso que me faz sorrir que nem bobo pois me faz lembrar do Jeon. 

Nossa viagem estava animada, ora riamos de alguma coisa ou simplesmente caçova dos cabelos bagunçados pelo vento da noite, ainda é cedo, o relógio digital do rádio marcava 23:20 da noite, significa que saímos muito mais cedo da boate do que na sexta que nos conhecemos. Sorri para o moreno do meu lado que prestava atenção no tráfego e apenas tamborilava os dedos no volante para seguir a música, até ela entrar na parte que eu gosto.


—Close my eyes, Kkumboda heurishan geurium, No never let me go, Doraseoneun georeumi mugeowo...—parei de cantar quando senti o toque de Jungkook em minha mão, virei meu rosto para ele surpreso e pude vislumbrar o sorriso de "coelho" que me acelera o coração. —Jeon o que está fazendo?—perguntei incerto.

—Estamos só curtindo um pouco. Estamos quase chegando.—respondeu dando de ombros. —Mas você vai trocar as marchas comigo.—sorriu me fazendo suspirar.

—Mas eu não sei...se algo der errado?—perguntei inseguro. —Acho melhor não!

—Não se preocupe, minha mão vai ficar segurando a sua para te ensinar.—falou voltando a atenção para o asfalto.


Se eu estou nervoso por ter a mão dele em cima da minha? Demais! Eu nunca fiz isso, na verdade eu nem sei o que está acontecendo comigo, pois novamente aquele embrulho no estômago, um certo nervosismo, que droga é isso? 

Jungkook fez questão de acelerar em uma rua totalmente vazia enquanto trocavam-os a marcha, confesso que fiquei tenso a isso, mas não demonstrei, apenas deixei que o moreno guiasse minha mão, afinal ele sabe o que faz e eu apenas estou tentando prestar atenção ou fingindo mesmo. Nada fazia mudar essa tensão que o meu corpo criará, entrei em conflito com a minha mente e fora algo impossível de lhe dar, mas graças ao bons santos o mais velho nem havia reparado, o que é um verdadeiro alívio.

Entramos em um prédio luxuoso demais ao meu ver e o moreno estacionou o carro em uma das vagas de frente para a sua famosa BMW i8 vermelha. Me soltei do cinto tendo a porta aberta pelo mais velho que sorria e eu apenas agradeci esperando ele encostado em uma das colunas do estacionamento, eu estava suando frio, meu corpo estava tenso, minha garganta seca, mãos trêmulas e respiração pesada.

O moreno apertou o botão do elevador que começou a subir e eu vi esse sendo o 20° andar, absolutamente o último, ele só pode estar me zoando para me fazer subir até o último andar. Não que eu tenha medo de altura eu só não consigo olhar para baixo, então nem fudendo eu irei conseguir ficar no vigésimo andar de um prédio.

Ouvimos o famoso "plim" do elevador soando e a voz de uma moça dizendo que estávamos no vigésimo andar, suspirei audível tendo o olhar do moreno sobre mim com um belo sorriso me fazendo sorrir abertamente também. Sua mão rapidamente fora para a minha cintura, onde senti um carinho e seus braços fortes me abraçando carinhosamente.


—Jeon por que estamos no último andar de um prédio?—perguntei nervoso. —Você já me fez andar no elevador, algo que não sou muito fã, agora vai me fazer ficar em uma altura incomunal?

—Relaxe Tae, afinal estamos na minha cobertura. Eu te trouxe para a minha casa.—falou animado me fazendo engolir a seco. —Você não gostou né? Eu deveria ter te levado para outro lugar? Que burro que eu sou!—se repreendeu.

—Na verdade...sua casa não é algo de mais confiança para você? Digo...não é um lugar para pessoas como eu. Tipo olhe para mim jeon.—falei incerto. 

—Taehyung, se você acha que eu não confio em você o suficiente para te trazer até o meu apartamento, se acha que eu não desejo te tirar as pressas daquele lugar nojento e pensa que eu te trouxe para cá apenas para sexo está enganado demais.—despejou as palavras me fazendo se arrepiar.

—Jeon...—chamei incerto.

—Olha eu te trouxe aqui, porque eu sei que amanhã você não irá precisar pisar naquela porcaria de local, então eu pensei, porra o garoto pode dormir aqui, eu posso agradecer ele por tudo que anda fazendo e ainda recompensar com algo que ele goste.—falou bagunçando os fios negros.

—Jungkook...—chamei falhando novamente.

—Sério Taehyung, eu estou tentando te entender, eu não quero apenas ser alguém que você contratou para tirar do cativeiro, quero ser um amigo, alguém que você possa confiar do lado de fora do inferno que você vive. Mas você está sempre se esquivando ou apenas tentando fugir de mim.—disse nervoso. —Eu realmente quero te entender, poxa não nota o quanto é especial para mim? O quanto me faz bem?—perguntou olhando bem fundo nos meus olhos.


Sem palavras é a minha definição, eu não sei se isso é um tipo de declaração ou se realmente é eu que estou agindo como um colegial idiota ao ter a sua primeira declaração do dez de dez. Não sei sei em qual situação me vi ao chegar próximo o suficiente dele, segurar o seu rosto e lhe beijar, um beijo diferente do que já tivemos, fora algo calmo, acolhedor, eu senti uma proteção enorme, um carinho e algo diferente no ósculo.

Estava sendo um ósculo diferente, havia algo inexplicável nele e eu só pude ficar mais entregue ao senti as mãos do moreno me levantando no colo em meio ao beijo e caminhando as cegas, com certa dificuldade ele subiu alguns degraus caminhando entre alguns tipo sei lá o que por estar de olhos fechados inerte ao ósculo, suas mãos acariciando das minhas coxas até nádegas e cintura, sentindo alguns apertos durante os carinhos enquanto eu apenas arfava em resposta entre o beijo. O moreno caminhou às cegas até um cômodo e me colocou deitado em uma extremidade macia encerrando o beijo com uma mordida no meu lábio inferior, abri os olhos podendo ver que estávamos em um quarto.


—Jungkook por que estamos no quarto?—perguntei inseguro.

—Porque eu quis te trazer no meu quarto oras! Chega de perguntas e apenas vamos aproveitar!—afirmou me fazendo revirar os olhos.

—Eu não posso Jeon, aqui é um cômodo íntimo demais, algo principal da sua casa, não posso aceitar transar no seu quarto.—falei ao que tentava me levantar mas fui impedido. —Jungkook me solta.—pedi sendo ignorado. —Jeon...

—Eu quero você, mas não quero você somente em um quarto de motel, não quero você em um chalé e muito menos você na boate.—sussurou próximo aos meus lábios. —Quero algo especial, então eu quero você no meu quarto, eu não quero te foder, quero um sexo completo e realizado.

—Jung...—senti os lábios dele descendo pelo o meu pescoço me fazendo suspirar. —Kook...—gemi manhoso. —Por favor aah...me escuta.—tentei afastá-lo.

—Shh Taetae...—pediu voltando a selar seus lábios nos meus e eu nem pensei em negar.


Aquele frio na barriga me tomou e o arrepio tomou conta do meu corpo, ambos me deixando inerte e totalmente extasiado. As mãos do mais velho acariciando minhas coxas e ora apertando-as me fazia arfar entre o beijo, seu quadril impulsionando sobre o meu me fazendo levantar um pouco para lhe ajudar. Abri mais as pernas para que o moreno pudesse se encaixar e assim ele fez, seu corpo quase que deitado sobre o meu, nossas ereções em atrito, nossos corpos quentes e o tesão junto do carinho pairando no ar.

Senti as mãos ágeis do moreno tirando o meu shorts da fantasia e jogando-o em qualquer canto do cômodo ainda sem quebrar o ósculo, suas mãos passeando pelo meu corpo me causando arrepios gostosos, a canhota fora pousada na barra da camiseta que não tardou em sair do meu corpo, eu já estava semi nu, somente com a calcinha de renda vermelha que fui obrigado a usar para combinar com a fantasia. Como eu já estava totalmente exposto decidi começar a tirar a camiseta preta do moreno jogando-a no chão, deixei minhas mãos passearem livremente pelos ombros, braços, abdômen, peitoral, as costas até repousarem sobre os cabelos onde dei uma leves puxadas ouvindo-o gemer em resposta ao que seus dentes tocavam minha língua.

Eu estava em puro êxtase, não conseguia mais ter controle algum sobre o meu corpo, eu desejava ter mais contato, queria mais dos seus toques, precisava do seu corpo próximo ao meu, foi quando envolvi minhas pernas em sua cintura o trazendo para mim, seus beijos estalados em meu pescoço e clavícula, minhas mãos em suas costas e ombros, nossos corpos se encaixando perfeitamente como na primeira vez em que nos conhecemos, como peça de quebra cabeça. Sua destra tocando meu rosto carinhosamente ora deixando leves afagos em meus cabelos e orelhas de coelho, meus suspiros a cada toque e corpo arrepiado, eu posso dizer que essa é a melhor preliminar que estou tendo, na verdade eu nunca tive uma preliminar, essa é a primeira e bem sucedida confesso.

Jungkook parou com tudo que estava fazendo para me encarar nos olhos, suas belas orbes negras totalmente brilhante, um brilho de luxúria, mas existe outra coisa perante a tudo isso, algo que eu sinto ser especial e gentil. Só voltei para a realidade quando fui puxado para o colo dele deixando uma perna de cada lado de seu corpo e sendo acariciado no lábio pelo o seu polegar ao que admira seu sorriso de dentes salientes.


—Como pode ser tão lindo?—perguntou mais para ele do que para mim. —Por que fazer isso?—novamente encarou meus olhos.

—O que eu estou fazendo Jeon?—perguntei sentindo o embrulho no estômago, as mãos soando o corpo formigando.

—Por que você tem que me deixar aos seus pés?—mais respondeu do que perguntou. —Eu te quero tanto nesse momento. Te quero de todos os jeitos possíveis.—sussurou cheirando meu pescoço. —Amo esse seu cheiro de cereja.

—Você está sentindo o meu cheiro? Digo o meu cheiro híbrido?—perguntei vendo ele assentir. —Oh não, preciso voltar para o hotel e avisar o Jean para me manter longe de todos.—desesperei-me.

—Não estou te entendo! Por que se trancar no hotel e ficar longe de todos?—franziu o cenho.

—Jungkook o meu cio está próximo, não posso ficar perto das pessoas, preciso ficar trancado e uuh...—gemi antes de concluir a frase sentindo uma pontada em meu ventre. —Droga J-Jeon.

—Tae...está tudo bem?—perguntou preocupado. —O que foi?

—Eu ooh...en-entrei...—não conseguia falar. —Aah Jung-Jungkook...—gemi vendo ele arregalar os olhos. —Cio...

—Opa, isso não...me diz que...aí meu cu, você está no cio.—afirmou ao que via minha lubrificação natural escorrendo das nádegas. —O que eu faço?—perguntou desesperado.

—Me aah...leva pra ooh...casa.—falei pausadamente.

—Como eu vou te levar, olha o seu estado, tem muito carniceiro babão na cidade, não íamos conseguir chegar!—exclamou nervoso. —Eu tive uma idéia.

—Qu-Qual?

—Eu posso te ajudar, digo...fazer essa dor passar Tae.—falou me fazendo negar assustado, nunca que eu deixei alguém me tocar no cio. —Confia em mim Taehyung, nunca farei nada que você não queira.—acariciou meu rosto me fazendo fechar os olhos. 

—Cam-Camisinha.—sussurei sôfrego.

—Tenho de sobra, quantos dias dura isso?—perguntou me fazendo levantar três dedos. —Tenho até mais que isso.—afiemou convicto.

—Maníaco do sexo.—falei me deitando na cama.

—Olha que já faz tempo que não transava. Foi você aparecer e tudo virou de cabeça para baixo.—brincou colocando a camisinha sabor morango. —Eu amei o seu cheiro de cereja, saiba que minha torta favorita é cereja.—segredou me fazendo sorrir. —Relaxe, você já está bem lubrificado. Não tenha controle de gemer, gritar, arfar e nada, arranhe o lençol, morda o travesseiro, mas acima de tudo não se controle.—pediu ao que eu me virava de quatro sendo impedido pelo mais velho. —Não vou te foder, vamos transar.


E assim eu fiquei com as pernas entrelaçadas no tronco do maior, seu pênis me preenchendo com facilidade pela minha lubrificação natural de híbrido, nossos dedos entrelaçados, beijos e carícias sendo trocadas como se fôssemos um casal apaixonado. Os movimentos calmos do quadril alheio dentro de mim, minhas reboladas sobre o cumprimento do membro do moreno, tudo em perfeito encaixe e sintonia, algo surreal de se sentir, pela primeira vez deixando alguém me tocar em período do cio, algo único e até que uma sensação mágica.

Poder sentir meu interior preenchido pelo pênis de Jungkook, os arrepios sobre o meu corpo, meus gemidos e suspiros, a dor que comecei a sentir nas pontadas agora sendo substituída pelo mais puro prazer de estar sendo saciado da maneira mais desejosa possível, nossos movimentos ritmados como se nossos corpos já soubessem o ritmo um do outro, minhas mãos em suas costas enquanto minhas unhas arranhavam o tronco do moreno, as mãos possessivas sobre a minha cintura ora apertando e deixando afagos que me davam espasmos de tesão. 

O quarto sendo preenchido pelos gemidos e o meu cheiro misturado no suor do moreno, meus cabelos bagunçados e os do Jeon grudados na testa deixando as gotas de suor visíveis dando um ar mais sexy ao seu maravilhoso corpo cheio de músculos, seu abdômen cheio de gominhos, braços fortes, sua boca entreaberta gemendo somente para eu ouvir, as gotículas de suor escorrendo sobre o seu peitoral esculpido pelos anjos. Eu sou testemunha para afirmar que Jeon Jungkook é a pura perdição do pecado, a mais tentação impossível de negar, quanto mais se brinca, mais vicia-se e eu posso dizer que já viciei nele.


—Je-Jeon mais rápido...—pedi arfando.


Meu pedido fora atendido, sentindo o pênis alheio indo mais fundo e forte, nossos dedos voltaram a se entrelaçar e a cada movimento dos nossos quadris rápido e intenso fazendo os arrepios voltarem a tona, meu coração acelerado e o embrulho gostoso no estômago, minha ficha vindo a cair, é a sensação de sentir as famosas borboletas, malditas borboletas. 

Troquei nossas posições ficando por cima e tendo o controle de toda a relação, eu quicava no pênis do mais velho, gemia em seu ouvido enquanto suas mãos apertava minhas nádegas e as minhas arranhava e apertava seus ombros largos, eu conseguia sentir seu membro tocando meu ponto sensível várias vezes me fazendo revirar os olhos de prazer e suspirar com os toques de suas mãos em meu corpo, um êxtase impressionante, algo que jamais pude desfrutar na vida.

Me sentia nas nuvens, não consigo explicar mas é como se estivesse sendo a minha primeira vez sendo rompido e tendo alguém me preenchendo de verdade, eu sabia que Jungkook era o tipo diferente de pessoa, mas eu não sabia que isso poderia ser intenso e profundo, o moreno é praticamente um mar que estou deixando-se mergulhar e desfrutar da correnteza e ondas. Senti a destra do mais velho masturbando meu membro de acordo com as quicadas que eu dava em seu pênis, minha glande ora sendo apertada e acariciada pelo polegar astuto do Jeon, seu quadril ajudando nos movimentos, seu braço rodeado na minha cintura enquanto eu me movimentava junto de si, ora meus testículos eram massageados e apertados com vontade me fazendo gritar de puro tesão, o pênis alheio tocando minha próstata com maestria me fazendo revirar os olhos ao que perdia a velocidade.

Jungkook parecendo notar minha perda de velocidade inverteu nossas posições me deixando abaixo de si, me fazendo agarrar os lençóis ao que sua mão masturbava intensamente o meu pênis, o barulho dos nossos corpos quase se fundindo, a intensidade das estocadas no meu ponto sensível, a necessidade que eu tenho para me desfazer, mas também a vontade de ter mais controle para prolongar o prazer de ambos. Totalmente extasiado e inerte envolto do prazer concebido a mim perante ao mais velho, um jeito diferente, errôneo e ao mesmo tempo tão certo.


—Eu...eu quero...—arfei intenso. —Gozar...—suspirei.

—Goza meu amor.—sussurou o mais velho no meu ouvido. —Vem pra mim. Eu te desejo.

—Po-Por f-favor...—pedi manhoso ao que minha glande era apertada pelo polegar alheio.

—Estou mandando você gozar!—afirmou me fazendo lhe tascar uma mordida forte em seu pescoço. —Porra Taehyung.—gemeu de dor.

—Não me ordene.—pedi tentando controlar meu corpo.

—Então goza amor, vem para o Gukkie. Me deixa te provar com maestria.—mordeu o lóbulo da minha orelha deixando uma chupada no meu pomo de adão, fora o ápice e eu gozei. —Isso meu amor, goza gostoso.

—Porra Jeon...—gemi ao que sentia minha entrada contraindo e apertando o pênis alheio que tocava minha próstata. —Eu já gozei para você, agora falta você me preencher.—sussurei ao pé do seu ouvido.

—Estou quase Tae...—gemeu sôfrego. —Só mais...ooh caralho. Que delícia!—senti seu jato de sêmen ao que as veias do pênis engrossavam no meu ânus. —Como você é incrível.—falou ao que estocava lento para prolongar o prazer. —Apertado e gostoso.


O moreno ficou um tempo dentro do meu interior recuperando o fôlego e ao tirar seu pênis, retirando a camisinha e dando um nó na mesma jogando-a na lixeira próxima a sua escrivaninha, acompanhei tudo com o olhar prestando bastante atenção os movimentos do mesmo, me arrumei na cama permitindo-me descansar um pouco, pois sei que daqui a quatro ou menos horas irei estar fogoso novamente prefiro pelo menos voltar para casa antes. Jungkook deitou-se ao meu lado me encarando profundamente fazendo um rubor tomar conta do meu rosto que escondi nas cobertas que fora tiradas por ele próprio enquanto sorria maravilhosamente me deixando derretido e com o coração acelerado.

Ficamos assim por um tempo nos encarando e trocando leves carícias, sorrisos e alguns selares dentre pescoço, rosto, nariz e boca, selares carinhosos e cheio de afeto. É errado estar assim depois de uma foda, eu sei, mas é inevitável quando se trata de Jeon Jungkook ao meu lado me proporcionando sensações das quais para mim eram desconhecidas até conhecê-lo e ter o privilégio de sentir novas sensações e experiências.

Vi o moreno se velantar da cama e caminhar até a prateleira próxima a escrivaninha e pegar alguma coisa, vestiu apenas uma calça moletom vermelha, me encarando uma última vez apenas dizendo que já voltava e saiu do quarto me deixando de cenho franzido tentando entender o porquê de tudo isso. Curioso como sempre fui, vesti a calcinha de renda vermelha do figurino e a camiseta preta que Jeon usava antes do nosso momento, tentei ajeitar meus cabelos que fora em vão e abri a porta do quarto caminhando pelo simples corredor até chegar em uma escada com no mínimo oito degraus que desci rapidamente.

Olhei com atenção cada parte procurando pelo par de olhos negros com o belo corpo musculoso, observava tudo para ver algum sinal dele e nada, até que meus olhos se focarem nas cortinas brancas da sacada que se mexia com o soprar do vento. Caminhei até lá lentamente e vendo o moreno de costas para a porta, parei atrás dele envolvendo meus braços sobre a sua cintura e beijando cada centímetro dos seus ombros ouvindo um riso soprado de Jeon ao tragar o seu cigarro com vontade.


—Você pode adoecer nesse sereno Gukkie.—sussurei deixando um selar no local onde lhe mordi. —Desculpa pela mordida que lhe dei.

—Não se preocupe com nenhuma das duas hipóteses.—riu abafado. —Eu gostei da mordida, parece que ganhei um dono possessivo.

—Aigoo Jeon...—escondi meu rosto nas suas costas pela vergonha que me tomou as bochechas. —Não fala essas coisas.—pedi manhoso.

—Foi bom?—perguntou se virando para mim.

—O que foi bom Gukkie?

—Eu sei que você está no cio e que tudo não passou do prazer envolta desse período.—se explicou. —Mas foi bom? Eu te machuquei?

—Jungkook nós fizemos tudo errado, mas foi um errado gostoso sabe...—revelei sentindo meu corpo ficar tenso ao que minhas mãos suavam.

—Por que foi errado? É o seu cio, eu tive que tomar cuidado!—respondeu.

—Por isso mesmo, não era para você ter me saciado no cio, não era para transar-nos deste modo, além de ter carinho, cuidado, afeto, carícias clichês e você me chamando de amor enquanto me elogiava ou pedia para eu gozar para você. Eu sou um gogo boy, devo apenas lhe proporcionar o prazer, lhe fazer ver estrelas, receber meu dinheiro e não deixar nenhum dos meus sentimentos intervir em minha profissão, mas com você é tudo ao contrário do que vivo. É tão bom é tão errôneo.—despejei tudo vendo ele de sombrancelha arqueada. —O que foi agora?

—Não foi errado o que fizemos, você sentiu, eu senti, nós estamos sentindo, é diferente, é novo, é gostoso, profundo e desejoso para ambos.—se aproximou de mim me fazendo recuar. —Errado é você nunca ter tido prazer na vida, nunca ter sentido coisas novas a não ser a dor de ser usado de todos os modos possíveis. Porra Taehyung, eu fiz isso pra você, eu vi o quão to você estava bem, desejava e estava entregue.—falou segurando minha cintura.

—É por isso que eu não posso. Olha para mim Jungkook, garoto de programa, totalmente sujo, usa o corpo para ter o que comer e acima de tudo vive em um lugar comandando por máfia e traficantes. Eu tenho medo de acontecer algo com você ou o Namjoon, até mesmo o meu amigo pode morrer nessa história.—bati no meu peito de leve. —Jeon começamos errado e o pior pode acontecer, não estou afim de ver você machucado por estar se envolvendo comigo, não desejo que você seja tirado de mim da pior forma possível.—segredei.

—Do que você tem medo Tae?—perguntou. —Eu estou aqui, não acontecerá nada, você irá sair da boate com a minha ajuda. Será livre e feliz como sempre só vou, estarei aqui para te ajudar, dar um abrigo se for preciso e até mesmo ser alguém que possa te proteger.—acariciou meu rosto com delicadeza. —Por que está tentando me afastar? Não sabe que isso dói?

—Eu preciso te afastar, o meu chefe está desconfiado do Namjoon, por isso eu pedi para ele não aparecer na boate hoje. Porque eu sabia que os meus dois chefes estão vendo isso com singelo.—despejei de vez vendo ele engolir a seco. —Eles viram você no corredor do escritório na primeira vez que pisou na boate, não viram muito bem pelas câmeras, somente o seu terno escuro e o relógio de prata. Jungkook eles não brincam com exterminação, eles praticam isso.—avisei preocupado. —Eu já vi tanta gente morrendo naquele salão de dança da boate que eu apenas fiquei calado fingindo não ver, ouvir ou falar.

—Confie em mim Taehyung, nada, escute bem. Nada irá acontecer comigo, eu sei muito bem o que eu faço, sei na onde piso e com quem ando lidando.—segurou meu rosto com as mãos me fazendo encarar suas orbes. —Por que está com tanto medo disso?—questinou deixando um selinho rápido nos meus lábios.

—Não quero ver você machucado e nem sendo morto.—falei em um fio de voz. —Não posso me envolver desse jeito. Eu não posso mais ficar com você assim.—senti meus olhos marejarem.

—E por que você não pode ficar comigo? Só porque trabalha na boate? Porque é um gogo boy?—perguntou nervoso. —Eu desejo te entender Taehyung, mas também quero lhe proporcionar novas sensações e experiências, quero mostrar que você também pode sentir prazer e carinho, não pode ser somente usado.—afirmou convicto. —Por que está negando isso?—perguntou me encarando.

—Eu estou com medo de me envolver demais. Sabe Jungkook eu sou apenas um prostituto de luxo, que faz os caprichos dos clientes e envia o rabo entre as pernas para qualquer tipo de sofrimento. É a primeira vez que eu tenho essas experiências e saber que você me proporciona várias coisas me deixa assustado.—revelei sentindo os braços fortes do moreno me pegar no colo. —Chega Jeon, já tivemos envolvimento demais. E durante esses dias eu não consegui pensar em outra coisa que não seja você. Por que tanto carinho com a minha pessoa?

—Vou te mostrar o porquê de tudo isso e da verdadeira razão de te querer por perto e sou capaz de lhe agraciar com o mundo inteiro.—me encarou ao que me beijou intensamente.


Um ósculo profundo, carícias, proteção e acima de tudo um sentimento profundo do qual eu só pude retribuir com a mesma intensidade ao que envolvia meus braços em torno de seu pescoço e repousava minhas mãos em seus cabelos do qual acariciava com ternura. Parece que dessa vez a falta de ar não se fez presente o que permitiu que ambos aproveitassem do ósculo que trocavam-os, diferente, afetuoso e com nossas línguas dançando em um ritmo lento e prazeroso, algo pacífico e cheio de cuidado, Jungkook me beijava como se eu fosse uma porcelanato estes a quebrar com qualquer movimento brusco e eu estava amando isso.

Sentir as carícias, toques e afagos do mais velho ao que eu me rendia cada vez mais tendo os dígitos dele por baixo da camiseta, tocando a minha cintura fazendo os famosos arrepios na pele junto das borboletas no bater de asas dentro do meus estômago, sensações únicas, das quais só Jeon Jungkook é capaz de provocar em mim. Minha mente inerte ao nosso redor tendo foco somente no beijo que trocamos, sem malícia, sem desejo, apenas sensações e sentimentos, cartas sendo colocadas sobre a mesa enquanto mostramos nossos corações e acima disso estamos arriscando tudo mesmo que seja difícil é assim nosso ósculo fora encerrado com três selinhos sendo depositados em meus lábios.


—Além de errado eu te quero comigo.—sussurei abracando o moreno ao que escondia meu rosto na curvatura do seu pescoço. —Eu te quero Jeon, como nunca quis alguém na vida.—segredei contendo as lágrimas.

—Estarei sempre aqui Tae, acredite eu também te quero e muito.—sussurou de volta deixando um beijo sobre os meus cabelos. —Vamos descansar, daqui a pouco é capaz de você ficar animado de novo.—brincou me fazendo rir.

—Certo! Merecemos um descanso!—exclamei sendo carregado no colo até o quarto do moreno que me deitou na cama me envolvendo a cintura. —Obrigado por tudo e por você existir.

—Obrigado você por me ter desse jeito.—agradeceu bocejando. —Boa noite V!

—Boa noite JK!



≈°•°♡°•°≈


Uma bela manhã de sábado ao eu ver, claro, depois de exatos quase três dias de cio sendo saciado pelo Jeon que me ajudou o tempo todo durante esse período complicado do mês, se falar que eu gosto disso estarei mentindo, até porque a dor é insuportável, eu não tinha alguém para me ajudar e nunca desejei que me ajudassem. Mas naquele momento com Jungkook, em plena quinta feira, me vi inerte e entregue ao moreno, não era somente meu corpo que seria que esse ato fosse concluído, mas também a minha mente, eu desejava o mais velho com intensidade e sentimento algo novo para se permitir sentir, se é que devo continuar com isso.

Olhei para o lado da cama encontrando Jeon me olhando carinhosamente ao que eu corava, os braços fortes dele rodeando minha cintura enquanto beijos estavam sendo distribuídos do meu rosto até pescoço e ombros me fazendo sorrir como um colegial apaixonado, passei minha canhota por seu rosto vendo ele fechar os olhos apreciando meu toque, dedilhei meus dedos até chegar em seus fios negros onde comecei a afagar com ternura. Nossos olhares se conectaram com intensidade ao vê-lo abrir as pálpebras, um arrepio gostoso tomando conta do meu corpo ao que me aproximava lentamente do corpo alheio, sem coragem para findar nossa distância permaneci admirando a bela vista da manhã, mas é como se Jeon pudesse ver através de mim, tomou a atitude de deixar um selar nos meus lábios ao que me puxava para ficar sentado em seu colo.

Foi um beijo calmo, sem língua, apenas nossos lábios se movimentando em uma dança lenta e pacífica, sua destra acariciando meu pescoço enquanto sua canhota alisava a minha cintura e coxa com delicadeza, minhas mãos em seus fios negros deixando um cafuné sútil. Findam-os o beijo com curtos selinhos e sorrisos nos lábios, posso confessar que essa é a melhor forma de acordar e a sensação de se sentir amado, mas espero que esse não seja o caso de agora eu estar fantasiando essas coisas banais.


—Bom dia Bunny! 

—Bom dia Gukkie! Está tudo bem?—perguntei vendo as arranhadas e os estragos que fiz na sua maravilhosa pele morena. —Acho melhor você passar algum remédio nessa mordida que te dei na quinta, ela parece pior hoje.—toquei no seu pescoço vendo ele recuar. —Dói?

—Eu não ligo para isso. Gostei de ser mordido por você e não vou ficar passando remédio algum para que isso saia do meu corpo.—respondeu sorrindo. —Mas você já se viu também? Eu te deixei como uma bela obra de arte que você é.

—Aigoo! Eu sei bem que estou com marcas e pela primeira vez não me importo. Quero que se foda se isso for ficar a semana inteira ou se os meus chefes reclamarem sobre.—retruquei ouvindo a deliciosa gargalhada do moreno me fazendo sorrir. 

—Vamos preparar o café da manhã?—sugeriu ao que se levantava da cama. —Eu vou tomar um banho e me arrumar.—sorriu ao que abria a porta do seu closet e entrava.


Me levantei da cama enrolado no lençol e caminhei até onde o mais velho entrou, vi ele mexendo em umas gavetas e o abracei carinhosamente vendo por cima do ombro ser a gaveta de cuecas, ele pegou uma boxer cinza e um pacote com uma nova de cor azul me entregando. Caminhamos para o outro lado ainda abraçados e ele pegou do armário uma calça moletom preta junto de uma camiseta do homem de ferro, olhou para mim com um sorriso ao que deixou um selar em meu pescoço me fazendo fechar os olhos e ouvir seu sussuro.


—Escolhe uma roupa para você. Vou tomar banho agora.—sorriu ao que se punha a andar. —Sinta-se em casa, precisar de mim pode invadir o banheiro ou deseja vir comigo?—sorriu malicioso.

—Jeon larga a mão de ser pervertido!—exclamei corando. —Vai tomar seu banho.—tentei esconder o rosto ouvindo sua risada.

—Quem diria que você seria um coelhinho fofinho que ainda tem vergonha de certas coisas. Mas parando para pensar...—fez uma pose engraçada. —Você não ficou com vergonha quando me pediu para tocar sua próstata várias vezes enquanto transavam-os.

—JUNGKOOK VAI TOMAR SEU BANHO CARA.—gritei querendo cavar um buraco no chão para me esconder até o próximo século. —Que vergonha, aish.—resmunguei ouvindo a risada dele ficar distante.


Se sinônimo de vergonha é a definição do que eu sinto quando estou com Jungkook, então pode se considerar a hipótese de que ele me deixa sem jeito de qualquer forma, as vezes ele tende a ser impossível de lidar, tem horas que eu não consigo controlar a risada por causa de alguma piada ou brincadeira, seja em público ou quando estamos sozinhos. Jungkook é uma pessoa diferente do que estou acostumado a ver, além de carinhoso e atencioso, está sempre tentando me agradar e eu me esquivando por medo. Mas a verdade é que eu não posso me deixar levar assim, é perigoso e ele pode sair prejudicado de todas as maneiras possíveis e eu não desejo isso, jamais.

Assim que o mais velho saiu do banheiro caminhei para dentro vendo uma toalha limpa em cima do gabinete, liguei o chuveiro entrando debaixo da água morna podendo relaxar os músculos ao que sentia alguns pontos do meu corpo em ardência pelas chupadas que levei na pele durante o cio. Peguei o sabonete passando pelo meu corpo deixando que a água molhasse meus cabelos oleosos pelo suor, minha mente se recordando de todos os momentos como flashes bem vividos me fazendo sorrir bobo ao que tocava cada parte do meu corpo podendo ainda sentir o doce toque de Jungkook sobre a minha pele bronzeada.

Eu não pretendia demorar muito no banho, muito menos gastar a conta de água do mais velho, então rapidamente tomei meu banho lavando meus cabelos e tirando o sabão do corpo, fechei o registro pegando minha toalha e enrolando na cintura, me encarei no espelho sorrindo bobo por ver minha pele tão marcada entre pescoço, clavícula e barriga, Jeon Jungkook me fez uma obre de arte completa com direito até a mordidas. Vesti as roupas que eu havia escolhido no closet do moreno e sai do banheiro caminhando pelo quarto e pegando minhas roupas que vim para o apartamento e deixando-as dobradas em cima da cadeira giratória, olhei para a escrivaninha onde tinha a caixa com cigarros e o isqueiro, peguei ambos as coisas e sai do quarto, desci as escadas indo até a cozinha onde vinha um bom cheiro de café da manhã.

Entrei no cômodo vendo Jungkook colocando os pães na torradeira enquanto esquentava o leite na leitera, parei ao seu lado capturando sua atenção e fiz questão de levantar a caixa de cigajunto o isqueiro vendo ele franzir o cenho confuso, sorri ladino guardando no bolso da moletom azul que peguei dele admirando o sorriso ladino do mesmo enquanto negava diversas vezes com a cabeça.


—Eu vou confiscar isso Mr. Jeon. E nem tente me impedir ok!?—exclamei admirando o seu sorriso. —Ao invés de se viciar em cigarro, vicia-se em mim que posso ser sua droga.—sugeri.

—O que eu ganho me viciando em você coelhinho Taehyung?—perguntou sorrindo ladino. —Você mesmo disse. Eu sou apenas um garoto de programa Jungkook, um mero prostituto.—me lembrou da frase que falei em meio ao nosso terceiro round em que discutimos sobre tentarmos algo.

—Mas agora é diferente, isso foi na quinta feira e hoje é sábado. Eu pensei melhor e sei lá.—dei de ombros ao que me aproximava de sua boca. —Acho que já me envolvi o suficiente para ter certeza de que não tem mais volta.—sussurei vendo seus pelos eriçarem me fazendo sorrir orgulhoso.

—Isso é sério?—perguntou empolgado. —Tipo, você vai mesmo tentar?

—Sim Jeon. Eu irei tentar, nós vamos tentar!—afirmei ajudando ele com a preparação do café.


Eu sei que tenho medo, sei o quanto é arriscado, mas eu já estou mais do que envolvido nisso e mesmo que algo possa dar errado eu estarei ao lado de Jeon Jungkook para contar história,será com ele que eu irei pela primeira vez colocar minha vida em risco no ciclo de mafiosos e maníacos por dinheiro. Com ou sem medo irei meter as caras, enfrentar-ei e lutarei para poder sair da boate o mais rápido possível só para me ver livre de todas as torturas e sofrimento que vivo dentro daquele inferno cheio de demônios gananciosos. Eu sou Kim Taehyung, com medo não importa, sem ele sou vazio, mas com ele sou forte e aprendo a enfrentar.




















Links das roupas e lugares nas notas finais ↓↓↓





Notas Finais


Oi trevinhos!🖤


🌝↓Link da roupa do Taetae ↓🌝

https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-862860069-camisa-camiseta-harley-quinn-arlequina-destroyed-cosplay-_JM


🖤↓Link da dança do Taetae ↓🖤

https://youtu.be/jFr-ekNJU4w


❄️ ↓Link da roupa do JK↓ ❄️

https://aminoapps.com/c/armyaminobr/page/blog/roupas-aeroporto-jungkook/vZa0_mMunu1PRjJ5qbdgzL0R6BYaQ4YN8x%3Ca%20href='/c/armyaminobr/tag/media/'%3E#media%3C/a%3E-4f3ba471


🎋 ↓Link apartamento do JK↓ 🎋

http://www.atelierclassico.com.br/blog/apartamento-de-luxo/

🍀 ↓Link do quarto do Jeon↓ 🍀

http://www.ojornalzinho.com.br/2018/04/14/dimensionamento-de-ambientes-01-quartos-penna-arquitetura-e-urbanismo/


🙏 ↓Link do carro do JK↓ 🙏

https://www.cambalache.es/anuncio/audi-a5-azul-ano-2008-45000-kms-diesel-transmision-/506805454


😏🖤↓ Link do trailer de Dark & Wild no YouTube ↓🖤😏

https://youtu.be/71RAoavPokM




§°•°≈♥≈°•°≈♠≈°•°≈♥≈°•°§


Espero que tenham gostado do capítulo, do trailer, do vídeo da dança e da nossa querida roupa da Harley Quinn meus 🍀!

Não tenho previsão de postagem, mas tentarei sempre estar atualizando quando tiver tempo e estiver organizada descentemente hehe' porque eu sou mega bagunça de vida, organização de coisas e esquecida de tudo :') um exemplo de humano/Alien.

Comentem o que acharam dessa belezura please meus 🍀 que amo muito!

Até o próximo capítulo!❄️🎋🦊 Se Deus quiser 🙏❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...