1. Spirit Fanfics >
  2. Dark Empire: Death and Life >
  3. Criação

História Dark Empire: Death and Life - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Definindo o destino

Capítulo 10 - Criação


Fanfic / Fanfiction Dark Empire: Death and Life - Capítulo 10 - Criação

No castelo, os generais estavam todos reunidos por ordens de Kanon. O primeiro general era um homem com longos cabelos pretos, olhos de cor castanha, com pouca altura e forte. Usava uma roupa de batalha preta, com calça de couro cinza e botas pretas. Em suas costas, uma grande espada maior que ele mesmo. Tinha uma aparência adulta, aparentando ter quarenta anos e com um semblante sério e maligno.

O segundo e último general presente ali era alto, com uma estrutura corporal atlética, tinha cabelo castanho curto, cavanhaque e olhos verdes. A sua aparência era de trinta e três anos, tinha um metro e oitenta de altura e setenta e quatro quilos. Usava roupas comuns de um plebeu, mas tinha uma Zweihander na cintura e nas costas uma espada curta. Tinha botas e luvas brancas, um olhar sério voltado ao rei e mantinha-se calmo.

Na mesa estavam também Roney, o assistente mascarado ao seu lado, na frente dele tinha uma garota, usava um vestido branco que parecia ser feito com pétalas de rosas daquela cor, tinha um longo cabelo branco e olhos azuis, sorria gentilmente e estava com as mãos entre as pernas, não tinha armas consigo ou outras coisas. Era jovem, parecia ter vinte anos, um pouco alta e magra, seus seios eram grandes e era bastante linda, a presença daquela garota quebrava todo o clima sombrio ali. Moon estava voando de barriga para baixo bem perto do teto enquanto olhava para todos ali.

-Bom, todos os mais fortes devem estar aqui. -Kanon falou olhando todos naquela pequena sala. -Kraft foi morto hoje e a adaga foi roubada.

-Como esperado, Kraft era fraco, eu quem deveria ter ido naquela missão, soberano. -O primeiro general falou mantendo os braços cruzados e os olhos fechados.

-Acalme-se, Mors, não sabemos quem matou Kraft e está com a adaga agora. -Disse o segundo general encarando seu companheiro, ainda estava calmo e sereno.

-Arnulf, deve saber que nossos maiores inimigos são os merdinhas da Luz do Amanhecer, com certeza foram eles que mataram Kraft e roubaram a adaga. -Mors respondeu agora olhando de volta para seu colega.

-Garotos... -Roney disse olhando para os dois generais. -Morrer é algo bem normal por aqui, não façam um escândalo só por conta disso. -Ele falou sorrindo com um olhar convencido e logo encarou a garota de cabelo branco com um olhar curioso. -Mas estou querendo saber quem é essa bela dama...

-Lurka Xandrilla. -Moon respondeu a dúvida de Roney enquanto continuava flutuando acima de todos. -Ela é amiga da princesa, está aqui no lugar dela.

-Oi! -Lurka acenou para todos ali com um sorisso gentil e as bochechas coradas. -Prazer em conhecer vocês.

-O prazer é todo meu. -Roney respondeu acenando de volta. -Vamos ajudante, comprimente a moça também. -Ele falou olhando para o mascarado ao seu lado. Em resposta, ele levantou um pouco a mão e acenou uma vez. -Oh, você pelo menos não é surdo. -Disse Roney fingindo que estava surpreso.

-Voltando ao assunto. -Falou Kanon chamando a atenção de todos. -A adaga não é tão importante, mas não posso deixar passar a morte de um dos meus generais dessa forma. -O garoto olhou para Mors ainda com seu olhar entediado e uma voz calma. -Mors, traga a rebelião para fora de seu esconderijo, mostre seu poder para eles e tente recuperar a adaga.

-Sim, meu rei, farei isto ainda hoje. -Falou Mors em um tom de voz mais sério e sombrio abaixando um pouco o rosto.

-Ótimo, Arnulf e Lurka, cuidem das guerras que estão acontecendo no sul, as outras partes da rebelião não podem se unir com essa parte do reino. -Kanon fala olhando para os dois da mesma maneira. -Irei chamar vocês novamente em breve.

-Tá bem. -Arnulf falou concordando rapidamente. -Só vou falar com minha mulher e filha antes de ir. -Ele disse se levantando.

-Tá bem! Eu vou seguir na frente, pode me chamar quando quiser, rei! -Lurka disse animada e dando pulinhos. Seu vestido agora se mostrava mais curto do que parecia, ele só cobria até metade de suas coxas que tinham a pele macia e branca. -Tchauzinho!

Arnulf e Lurka deixaram a sala de reuniões juntos, logo, Moon pareceu lembrar de algo e flutuou um pouco mais para perto de Kanon.

-Mestre, e as Asas do Mundo? -Ela perguntou.

-Aquela maldita organização ainda não falou nada desde que estou no poder. Se eles estão planejando algo para impedir a guerra, vão falhar. -Kanon respondeu de olhos fechados.

-As "Asas do Mundo"? -Roney questionou. Ele logo olhou para a mesa se concentrando um pouco. -Se não me engano, é aquele grupo de pessoas escolhidas à dedo para manter a paz em todos os reinos do mundo.

-Isso. -Moon fala olhando Roney e agora ela desce ficando ao lado de Kanon. -Eles mantinham contato com o antigo rei de Kaylon e o filho dele. Quando invadimos e tomamos o poder, eles salvaram o filho do rei e pararam de mandar mensagens para Kaylon.

-Imagino que a organização esteja um caos, somos o primeiro reino à declarar guerra contra outros em séculos, o trabalho de paz deles acabou, não vamos recuar ou mudar de ideia. -Falou Kanon emitindo uma voz um pouco mais séria. -Eu desejo a guerra e terei a guerra. Talvez ela tire meu tédio. -Kanon se levantou olhando para os três ali na sala. -Bem, a reunião acabou. Roney e seu ajudante, podem voltar ao trabalho no porão, mandarei mais animais em breve. E Mors... -Kanon o olhou de canto. -Sabe o que fazer. -Ele disse se virando e saindo da sala na companhia de Moon.

Mors sorriu de maneira sombria, estava empolgado com o objetivo que havia recebido. Ele saiu da sala caminhando pelos corredores em direção ao pátio onde tinham alguns soldados treinando. Roney e seu acompanhante voltaram para o sub solo do castelo para continuarem seus experimentos.

Voltando um pouco no tempo, Drake, Hana e Dragon voltaram para a caverna de antes, ouvir o som da cachoeira era relaxante depois de tudo.

-É melhor você comer um pouco. -Fala Hana olhando Drake. -O dia vai ser longo, principalmente pra você que é um novato.

-Ela tem razão. -Dragon concorda já seguindo em frente. -Eu vou entregar a adaga para Ely e dizer tudo que aconteceu, a gente se vê em breve. -Ele falou já subindo as escadas.

Drake e Hana seguiram o garoto e voltaram para o corredor, logo chegaram no salão principal onde havia o bar. Hana foi para o balcão e pediu uma cerveja, Drake se aproximou e sentou ao lado dela.

-Pode beber? -Drake perguntou olhando ela de canto.

-Eu tenho dezoito seu animal, posso beber o quanto eu quiser. -Hana falou pegando o copo de cerveja e virando ele na boca.

-Vá com calma, Hana. -Disse o barman olhando a garota e depois se virou para Drake. -O novato não é? Prazer, sou Jonh. Uma bebida pra você. -Ele disse entregando um outro copo de cerveja para Drake.

Jonh tinha um semblante alegre, usava roupas de mordomo, parecia bem atlético, tinha cabelo marrom curto, olhos pretos e aparência de trinta e cinco. Era alto, braços um pouco fortes e um cavanhaque loiro bastante cortado.

-Valeu. -Drake agradeceu provando um pouco da bebida e gostando do sabor dela. -É ótima, tem algo para comer? -Perguntou olhando o barman.

-Claro, espere um pouco que já trago. -Ele respondeu entrando em uma porta no canto do bar e desaparecendo.

Drake ia pegar o copo para beber mais um pouco, mas Hana o roubou sem que ele pudesse perceber e bebeu tudo. Ela estava parcialmente bêbada, pulou o balcão e pegou uma garrafa já aberta e bebeu diretamente dela.

-Ei! -Drake falou olhando ela, mas já era tarde, estava completamente bêbada.

Hana arrotou alto e colocou a garrafa de cerveja no balcão, ela deitou a cabeça no balcão e quando levantou para encarar Drake estava completamente corada e soluçando.

-Eu falei que -Soluço. -podia beber o quanto eu quisesse.

-Minha nossa. -Drake fala colocando uma mão no rosto. Logo, Jonh retornou com um prato de comida que colocou na frente dele e encarou Hana.

-De novo. -Jonh disse encarando ela. -É sempre assim, já foi a quinta garrafa. -Jonh voltou para dentro daquela porta sem dizer mais nada. Parecia que não queria ficar ali para ver o que ia acontecer.

Drake começou a comer enquanto Hana pulou o balcão de novo, foi até uma mesa onde haviam alguns conhecidos dela e começou a conversar com eles. O garoto não estava vendo Steve ou Magnus, Dragon tinha entrado na sala de Ely e Jonh ainda estava sumido.

-Bem, estou sozinho de novo. -Drake bebeu mais um gole da cerveja e se levantou.

Ele andou até a saída, Hana olhou para ele pelas costas e continuou bebendo e conversando. Drake subiu pelas escadas por onde entrou e abriu a passagem secreta puxando a alavanca. A parede do corredor se abriu e Drake saiu sem ser visto. Ele deixou o beco da cidade onde ficava a entrada e seguiu andando pelo reino.

Enquanto caminhava, Drake pode notar a total falta de desigualdade ali, as pessoas injustiçadas sem motivo algum, a corrupção governava ali, violência e crimes se tornando cada vez mais comuns. Era difícil ou impossível acreditar que aquela reino foi completamente pacífico um dia. Mas o garoto não queria pensar nisso agora, ele precisava de algo para se distrair.

De longe, avistou o que parecia ser a grande biblioteca do reino. Ele caminhou até a construção e chegando mais perto percebeu que deveria ser um pouco velha, mas não estava muito acabada. Ele entrou e comprimentou o bibliotecário com um aceno de mão.

Andou para dentro da biblioteca sem prestar muita atenção no ambiente, era como qualquer outra que já havia visitado, só esperava encontrar algum livro interessante dessa vez. Ele passou a mão pela estante de livros e parou em um, o título era "Deuses Antigos". O garoto sabia que Kaylon tinha seus próprios deuses assim como diversos outro reinos, talvez fosse interessante ver.

Ele pegou o livro e o abriu no meio, ali falava sobre um Deus da natureza, Deus do fogo, Deus do caos, Deusa da vida, Deus da terra, Deusa do som, Deusa dos sentimentos e muitos outros.

-Tudo besteira. -Pensou Drake. -Deuses são um bando de hipócritas com histórias mal contadas.

Tinha ali sobre a Deusa da vida. Ela quem dava vida aos seres humanos e animais, plantas e outros seres. Seus seguidores ganham uma vida prolongada e poderes de dar vida para coisas não vivas, mas não é possível ressuscitar algo que morreu.

-É interessante, mas não... -Drake pensou. Já estava perdendo o interesse no livro.

Ele passou para a próxima página, mas não tinha nada, havia sido rasgada, todas as páginas depois daquela tinham sido rasgadas não deixando mais nenhuma informação ali. Ele suspirou e colocou o livro de volta no lugar, viu mais alguns, porém não ficou interessado. Não demorou para o jovem sair da biblioteca e seguir pelas ruas de Kaylon novamente. Talvez a distração que ele buscasse não estivesse ali em Kaylon.

-Lembro de ter visto uma cidade no caminho até aqui. -Disse ele para si mesmo olhando o céu. Devia ser meio dia naquele momento. -Vou até lá.

Ele seguiu caminho por Kaylon indo até uma das saídas. Iria fazer uma saída breve e logo retornaria, não faria mal. Na cidade para onde Drake seguia, o mesmo encapuzado que na noite passada estava no telhado do castelo caminhava entre a multidão. Na floresta ali perto, Lurka estava olhando uma flor sorrindo.

-Pode ficar tranquila, minha princesa. Vou ver isso logo. -Ela disse conversando com alguém que estava oculto na floresta e foi embora depois de ouvir a voz da garota.

Três completos estranhos um para o outro estavam indo ao mesmo destino, o que aconteceria na pequena cidade ao lado de Kaylon?


Notas Finais


SUSPENSE UAU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...