1. Spirit Fanfics >
  2. Dark Empire: Death and Life >
  3. Carrasco

História Dark Empire: Death and Life - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Um dos meus personagens favoritos do livro!

Capítulo 13 - Carrasco


Fanfic / Fanfiction Dark Empire: Death and Life - Capítulo 13 - Carrasco

Drake e Tayvor ainda estavam enfrentando dificuldades na batalha contra aquele enorme espírito, seus golpes causam danos grandes enquanto os ataques dos dois garotos faziam meras cócegas.

-Desse jeito vamos acabar morrendo, não tem nenhum plano?! -Gritou Drake para Tayvor enquanto desviava de uma árvore que foi jogada na direção dele.

-Droga... -Tayvor olha bem para a criatura, então percebe uma marca dourada brilhando fraco no lado direito do pescoço dele. -Um ponto fraco, espíritos dessa categoria ficam com um ponto fraco quando são invocados assim. -Pensou Tayvor olhando aquela marca. Antes que a criatura se virasse contra ele para o atacar de novo, Tayvor pulou novamente como se tivesse pegado um grande impulso do nada, ele chegou perto do pescoço do espírito e executou um corte rápido com a espada. Nesse momento, o monstro gritou e se afastou rapidamente. -Temos que acertar aquela marca no pescoço dele para acabar com isso! -Gritou Tayvor.

Drake ouviu o que Tayvor disse e olhou para a criatura dando aquele grito de dor. Ele sorriu segurando a espada com as duas mãos e correu na direção dela, pulou em sua coxa e subiu rapidamente usando os ossos das costelas do espírito como escada, ao chegar perto, ele golpeia aquela marca dourada com a espada e a criatura novamente caiu para trás com dor e medo.

-Isso funciona! -Gritou Drake sorrindo observando a criatura cair. Mas nesse momento, a mão da criatura acertou o garoto, como a mão era várias vezes maior que ele, Drake foi jogado para longe.

-Darkness! -Gritou Tayvor ao ver ele ser arremessado para muito longe pelo golpe do espírito. O caçador encarou o espírito e começou à correr na direção que Drake tinha voado.

O espírito, agora irritado, começa à perseguir Tayvor destruindo toda a floresta na sua frente com as chamas que emanavam de seu corpo e pisoteando as árvores. Tayvor usou seu poder para aumentar sua velocidade enquanto corria até Wildwyrm.

Ele levou apenas um minuto para chegar em Wildwyrm, algumas pessoas estavam fora de casa, comprando frutas ou ouvindo músicas e histórias ao redor de uma pequena fogueira. Tayvor olhou em volta e encontrou um cocho de água para cavalos feito de madeira, e nele, estava Drake, sentado dentro da água com as pernas e o tronco para fora, então apenas sua bunda estava enfiada na água, e ele estava com uma cara séria e sombria.

Tayvor se aproximou de Drake que ainda estava preso dentro do cocho, ele olhou na direção de Tayvor ainda com aquele semblante sombrio.

-Eu vou matar esse filho da puta. -Falou Drake tentando sair daquele cocho.

-Caiu aqui não foi? -Tayvor respondeu ajudando ele à sair de dentro do cocho.

-Não pô, sentei pra descansar e molhar a bunda. -Drake falou forçando uma risadinha e saindo do cocho. Estava em pé novamente ao lado de Tayvor.

Nesse momento, o enorme espírito surgiu da floresta, se levantando novamente e esmagando uma casa toda com uma das mãos. Os moradores, ao verem aquele enorme ser, entraram em desespero e saíram correndo para dentro dos lugares próximos. Tayvor encarou a criatura e Drake rangeu os dentes irritado.

Tayvor já estava pronto para saltar e realizar mais um ataque no ponto fraco do espírito, mas ele pareceu perceber o sentimento do caçador e recuou, ao olhar para baixo, viu dois curiosos que queriam saber o que estava acontecendo, então, o espírito se tornou uma nuvem de chamas roxas e rapidamente foi na direção do curioso da esquerda, um garoto jovem usando roupas de camponês e com cabelo marrom.

-Não! -Tayvor gritou correndo na direção do garoto, mas já era tarde demais. A nuvem que o espírito tinha se tornado entrou pela boca, nariz, olhos e orelhas do rapaz. -Uma possessão! Merda!

Drake se aproximou ainda empunhando a espada, Tayvor havia parado de se mover e apenas olhava para o rapaz. Ele torceu o pescoço e os braços, mas logo voltou ao normal e encarou Tayvor, seus olhos estavam completamente roxos e ele avançou contra Tayvor. O garoto o derrubou no chão com um golpe na perna e o olhou ali, a mesma marca que o espírito tinha apareceu no pescoço daquele homem.

-Maldição, eu não trouxe nenhum material para um exorcismo, então... -Tayvor levanta sua espada de prata enquanto pisava nas costas do homem possuído.

-Espere! Tem mesmo que o matar? -Drake perguntou em dúvida se aquilo era o certo a se fazer.

-Assim que eu o matar, o espírito vai sair e acabamos com ele acertando seu ponto fraco, se prepare. -Tayvor respondeu de modo sério com um tom de voz mais sombrio.

Drake engoliu seco e se afastou um pouco, Tayvor voltou a olhar para o homem que estava se contorcendo e gritando, ele levantou a espada mais uma vez e acertou um golpe direto na marca que mostrava o ponto fraco do espírito, o homem gritou alto e morreu em segundos, então, uma explosão de ar aconteceu fazendo Tayvor ser jogado para trás e Drake também, o espírito saiu do corpo mas correu rápido até o bar dali e entrou em outra pessoa.

-Desgraçado... -Falou Tayvor caminhando na direção do bar com a espada suja de sangue e olhar de raiva.

Ele encontrou quem estava possuído e cortou sua cabeça, então o espírito fugiu novamente e entrou em outra pessoa, e assim Tayvor o fez de novo, matou e matou aqueles que o espírito estava possuindo.

-Uma hora você não vai morrer, e não vai demorar... -Pensou Tayvor cortando a cabeça de uma garota pequena que havia sido possuída, ele tentou acertar o espírito com a espada, mas ele se afastou e possuiu a mãe da garota. -Espírito de merda...

Drake não ajudou, ficou parado com um rosto surpreso e cravou a espada no chão, não acreditava que uma matança estava acontecendo na sua frente e ele não podia fazer nada para ajudar. Tayvor estava tentando matar o espírito e Drake apenas se questionava sobre isso ser certo ou não.

Em Kaylon, Mors estava enfrentando Ely e Dragon ao mesmo tempo, o ataque dos dois era forte, mas não superava a defesa da armadura em volta do general. Ele golpeou com a espada enorme que tinha contra os dois rebeldes, mas eles recuaram antes de serem atingidos pelo ataque.

-O que foi, "luz do amanhecer"?! Não se garantem? -Mors perguntou em um tom provocativo e nervoso.

Jonh suspirou e se aproximou de Mors em passos calmos, ao chegar perto o suficiente, ele avançou de forma rápida e tentou dar um soco na barriga da armadura, mas uma mão feita de ferro foi criada ali e segurou o punho de Jonh, um outro punho surgiu agora vindo do peito da armadura, esse acertou um soco no rosto de Jonh com tanta força que quebrou um de seus dentes.

-Porra! -Hana gritou se aproximando rápido e transformou o cajado em uma espada, ela cortou aquele punho que tinha socado Jonh e se afastou carregando ele. -Você tá bem? -Ela perguntou preucupada olhando para o rosto ensanguentado de Jonh.

-Sim... -Ele cuspiu os dois dentes que haviam sido quebrados e olhou para Hana com um sorriso, a boca ensanguentada e um pouco de sangue no nariz. -Aquela armadura é mais forte do que pensei... tenha cuidado.

-Você deve ser quem matou Kraft. -Mors disse se aproximando com sua espada sendo arrastada no chão. -Uma garota tão pequena como você é muito perigosa, irei cuidar disso agora mesmo.

-Pequena... -Hana se virou para Mors com um sorriso psicótico e transformou a espada em um chicote com pedaços de lâmina ao longo do fio de borracha. -O seu pau é pequeno, isso sim, bastardo.

Mors ia abrir a boca para xingar a garota de volta, mas ela correu na direção dele e o golpeou com o chicote, a velocidade de um chicote era extremamente alta, então o general nem pode ver o ataque vindo. Porém, o golpe apenas fez um som de estalo na armadura, contudo, Hana sorriu mais e ativou o critical hit, fazendo um impacto forte ser criado dentro da armadura que lançou Mors dois passos para trás, ela ficou o rodeando e dando mais chicotadas que criavam um grande impacto de golpes contra ele.

-Ma-Maldita!!! -Gritou Mors irritado e segurou o chicote, mas as lâminas que haviam ali furaram a armadura e arranharam a mão dele.

-Hehe, imbecil. -Hana usou novamente o critical hit e aquele arranhão cresceu várias vezes se tornando um corte profundo que causou uma dor agonizante no general. -Bruna!

-Já sei! -A garota que estava longe gritou. Ela segurou a lança com apenas uma mão e pegou um grande impulso. -Quanto maior a distância... -Bruna respirou fundo e lançou a lança com toda sua força na direção de Mors, a lança cortou o ar em uma incrível velocidade enquanto viajava até o alvo, Mors se virou no momento certo que a lâmina tocou seu capacete. -Maior vai ser a vibração!

Mors foi acertado bem na cabeça pela lâmina, mas uma terceira mão de ferro surgiu segurando a lâmina centímetros antes dela encostar na pele dele, só que algo estranho aconteceu, a lança e a lâmina vibraram em uma alta frequência causando uma forte dor de cabeça no general que perdeu a concentração e caiu de joelhos.

-Ely! Dragon! -Gritou Hana lançando o chicote contra Mors, o chicote se enrolou em seu pescoço e Hana começou à pular com força. -Agora!

Ely e Dragon se encararam por um segundo e concordaram em atacar juntos. Eles seguraram suas armas com firmeza e correram o mais rápido que puderam até Mors.

-Até... parece... -Mors viu aqueles dois se aproximando enquanto se sentia sufocado, ele usou todo o restante da força para segurar o cabo da espada. -Que vou perder para esses imundos!!!

Nesse momento, Mors teve seus dois braços cortados. Ele ficou em choque com a velocidade do ataque e sentiu o chicote saindo de seu pescoço, ele caiu com o rosto no chão e bastante sangue saindo dos ferimentos que sofreu.

-Acabou. -Falou Dragon guardando a espada. Ele olhou Ely e sorriu. -Belo corte.

-Ha, você também não foi nada- Nesse momento, a espada de Mors foi jogada contra Ely e cortou sua perna esquerda.

-Ely! -Gritou Dragon estendendo a mão direita para a segurar, mas uma outra lâmina menor foi jogada na direção do mesmo e cortou todos os seus dedos fora.

A lâmina que cortou os dedos de Dragon voava na direção de Hana, mas ela conseguiu virar o rosto, o que ganhou foi um corte superficial na bochecha. Ely caiu no chão com as mãos no ferimento enquanto mordia a língua para não gritar de dor, Dragon estava surpreso olhando sua mão e lentamente seu olhar foi na direção de Mors.

O general tinha criado dois braços de metal, a armadura havia se fundido com sua carne e agora ele parecia maior, com a armadura perfurando sua pele, sangue escorria pelo seu corpo banhando todo o chão.

-Vão... pagar... -Mors então afundou seus dois braços de metal no chão e gritou, mais sangue estava saindo de seu corpo, mas o sangue estava ficando com uma cor cinza e logo assumiu uma forma metálica, Mors transformou o próprio sangue em metal líquido e estava solidificando aquele metal para fazer seus ataques. -MORRAM!

Um tremor aconteceu e o chão foi rachando até onde Hana estava, das rachaduras começaram à sair espinhos de metal altamente afiados e de dois metros cada um. Hana ao perceber o ataque, transformou o chicote em um grande escudo e o colocou contra o chão, ela puxou Dragon e Ely para cima do escudo e se abaixaram. Os espinhos que estavam se aproximaram bateram contra o escudo, mas não o perfuraram, apenas o jogaram para cima com os três dentro dele.

Bruna e Jonh olhando aquela situação decidiram agir, mas foram parados por Steve que surgiu na frente dos dois. Magnus estava mais atrás segurando seu machado. Steve olhou bem para Mors e ficou com um rosto sério.

-Steve, esse cara é muito forte- Quando Bruna ia terminar de falar, Magnus ficou ao lado dela e mandou ela ficar em silêncio.

-Quando ele fica com esse rosto... -Magnus falou olhando para o garoto que estava se preparando para correr. -A merda vai feder.

Steve disparou contra Mors e em segundos já havia dando diversos golpes contra seu corpo, por sua velocidade superar o olho humano, a armadura do general não pode criar defesas contra os ataques. Os golpes do garoto foram exatamente nos pontos onde a armadura não protegia mais a pele, assim, Mors tomou um grande dano e voltou à sentir a dor intensa.

Ele finalmente decidiu revidar e criou uma barreira ao seu redor, uma esfera de metal que o cobria por inteiro. Então Steve parou de atacar e correu até o escudo onde Ely, Dragon e Hana estavam.

-Vocês estão bem? -Ele perguntou preucupado ao ver todo aquele sangue espalhado ali.

-Eu estou tentando... -Dragon havia colocado a perna de Ely no lugar e agora congelava o corte tentando juntar as partes. -Não tenho certeza se você conseguir unir os nervos da perna dela.

-Dragon... seus dedos... -Ely mesmo sentindo bastante dor, conseguiu falar preucupada com Dragon.

-Estou bem. -Dragon mostrou sua mão para ela e seus dedos estavam ali, mas pareciam mais brancos que o normal. -Quase como aquele maldito ali, posso fazer meu sangue virar gelo e criar dedos com isso, a diferença é que são mais reais. Agora se acalme. -Dragon disse voltando à se concentrar na cura da perna de Ely.

-A Luz do Amanhecer nunca enfrentou alguém como ele... -Ely disse fechando os olhos enquanto sentia um frio pelo corpo.

-Luz do amanhecer... -Disse Hana pensando em algo. A garota então se levantou com o rosto baixo e caminhou até o corpo de um dos soldados de Kaylon. Ela pegou a espada dele e limpou o sangue usando sua capa. -Steve, preciso que diga para o Magnus criar um abalo sísmico na praça toda, faça ela ser levada o mais alto que ele conseguir.

-Hã? Por que? -Steve questinou confuso.

-Apenas confie em mim! Não temos muito tempo, rápido! -Ela gritou de modo sério e passou pelo garoto olhando diretamente para a esfera onde Mors estava se protegendo.

Steve correu até Magnus e falou no ouvido dele, Jonh e Bruna que estavam perto se afastaram um pouco e Magnus sorriu empunhando o machado com as duas mãos. Hana viu o movimento dele e respirou fundo encarando o céu.

-Estou quase sem magia, então é melhor usar uma arma que não envolva o uso dela... -Hana pensou e encarou o céu, a noite estava acabando bem lentamente, era o momento perfeito. -Se existem deuses... me desejem sorte. -Ela disse ficando em uma posição de corrida com a espada em suas costas.

Então, Magnus saltou e ao chegar no solo, segurando o cabo do machado com as duas mãos, ele o bateu contra o chão e um enorme tremor aconteceu, toda a região central da praça onde Mors estava se levantou como uma montanha por conta do abalo. Hana começou à correr e saltar usando as pedras escalando aquela montanha que havia se formado, Mors abriu sua esfera para ver o que estava acontecendo e então se viu em cima de uma montanha de pedras acima de toda a cidade, era tão grande que passava até mesmo as muralhas de Kaylon. Ele pode ver que o céu tomava um tom alaranjado pois o sol em breve nasceria. Hana sacou a espada saltando pelos pedaços da praça até o alto daquela montanha, tinha poucos segundos até isso desabar novamente e o acontecimento que esperava chegar

-Vamos! Vamos! Mais rápido! Seja mais rápida! -Ela dizia enquanto aumentava a velocidade dos saltos até o topo da montanha.

Mors abriu totalmente a esfera agora buscando uma maneira de descer daquele lugar, mas então, Hana chegou ao topo e saltou na sua frente, ela estava de frente para Mors no ar, atrás da garota, uma montanha de onde o sol estava nascendo, o general estava pronto para se defender de qualquer ataque que ela fizesse usando a espada em sua mão direita.

-Ei, Mors... -Hana colocou um sorriso no rosto encarando o general. -Sabia que o primeiro raio de sol, é o mais forte do dia?

-Hã? -Ele ficou confuso, mas então aconteceu.

O sol nasceu e a luz chegou na terra em pouquíssimos segundos, a luz mais forte do sol, a primeira que chega na terra, refletiu na espada que Hana segurava e criou um flash grande que cegou os olhos de Mors que a olhou diretamente, a garota havia fechado os olhos para não ficar cega também, e então, ela virou a lâmina ao contrário e abriu os olhos, Mors estava cego, o flash enorme de luz tinha fechado seus olhos e esse foi o momento.

Hana girou no ar pegando um impulso para frente ficando bem próxima de Mors e com toda força cravou a espada em seu olho esquerdo, ela empurrou a espada mais fundo fazendo metade da lâmina inteira entrar na cabeça do general. Ele abriu o outro olho tendo como última visão o rosto enfurecido de Hana, ele caiu para trás, para o vazio, caindo daquela montanha que já começava à se desfazer.

O corpo de Mors bateu no solo como uma barra de metal, a montanha de pedra se desfez rapidamente e os escombros caíram por cima do corpo do general. O que antes era a praça, se tornou uma grande pilha de pedras destruídas. Hana conseguiu chegar no chão com bastante esforço. Ela respirou fundo algumas vezes quando finalmente estava no chão e encarou o céu tomando tons de cor azul.

-Está amanhecendo... -Hana sorriu e caiu para trás desmaiando.

Em Wildwyrm, o sol também estava iluminando a cidade, e Tayvor acabava de cortar o pescoço de um homem adulto, e dessa vez, o espírito ao sair gritou de dor e se transformou em um pó negro que ficou espalhado no chão como cinzas. Tayvor pegou um pequeno frasco na cintura dele e colocou aquele pó dentro dele.

-Acabou. -Tayvor disse saindo da casa em que estava. Drake estava sentado encostado em uma árvore.

Ao ver Tayvor saindo da casa, ele se levantou e caminhou até o garoto, seu rosto era de indignação e um pouco de desapontamento, mas por dentro não sabia como se sentir, uma chacina havia sido feita, ele não tentou impedir, apenas assistiu sem ter opções.

-Tem... certeza que isso foi mesmo... necessário? -Drake perguntou abaixando a cabeça e apertando as mãos.

-Se quiser por a culpa em mim, eu aceito, mas lembre-se de quem invocou aquele espírito. -Tayvor falou virando o rosto para o lado. -A presença dela já desapareceu, deve ter ido embora quando se deu conta que o espírito não faria mais nada.

-Assassino! -Gritou um morador de Wildwyrm saindo de sua casa.

Vários outros moradores que antes estavam escondidos, ao perceberem que a situação foi resolvida, cercaram Tayvor e Drake. Muitos iam lamentar as mortes, enquanto outros babavam de raiva e desprezo.

-Desgraçado! -Gritou um homem segurando uma pedra.

-Matou diversos inocentes apenas para dar fim à um espírito?! -Uma jovem mulher abraçada com seu filho perguntou.

-Você não passa de um carrasco! Carrasco! Carrasco!

Logo, todo o vilarejo estava gritando, chamando Tayvor de carrasco. Jogaram pedras contra ele, mas as pedras paravam à centímetros dele e caiam no chão. Tayvor abriu caminho entre a multidão e seguiu andando, Drake decidiu o seguir.

-Tudo bem? -Ele perguntou.

-Eu apenas fiz o que deveria. Não tinha materiais para um exorcismo, as pessoas dominadas por um espírito daquele tipo sofrem uma dor agonizante por dentro e estão fardadas à morrer por seus corpos não serem fortes o bastante para aguentar uma possessão. -Tayvor disse calmo olhando para as montanhas no horizonte. -Ou eu as matava naquele momento para acabar com o espírito, ou elas iriam morrer lentamente uma por uma enquanto atacavam outras pessoas.

Drake ficou em silêncio apenas ouvindo ele falar. Por mais difícil que pudesse ser, no momento que o espírito passou à possuir pessoas, o destino já estava confirmado: a morte.

-Venha comigo para Kaylon, precisamos dormir em um lugar seguro. -Falou Drake.

-Se tentar algo contra mim, não me importo se você é um monstro ou não. -Ele falou com um olhar sério para Drake.

-Pode abaixar a guarda, eu preciso descansar mais que você. -O garoto respondeu sorrindo levemente.

E assim os dois seguiram pela estrada de terra rumo à Kaylon onde o sol estava nascendo mais uma vez.


Notas Finais


Hehehehe já imagino algumas fujoshis imaginando eles dois como um casal (estou falando de você mesmo, Craziesty)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...