1. Spirit Fanfics >
  2. Dark Empire: Death and Life >
  3. Mestre da Espada

História Dark Empire: Death and Life - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


A espada é uma zweihander.

Capítulo 26 - Mestre da Espada


Fanfic / Fanfiction Dark Empire: Death and Life - Capítulo 26 - Mestre da Espada

Um dia no mar, foi bastante divertido navegar com todos ali. Dragon fez um banquete de frutos do mar, peixe e arroz que chamou de "sushi", todos adoraram. Haiiro contou um pouco mais sobre ele, disse que era a fusão de duas pessoas, sua amada e ele mesmo.

-Como assim? -Hana perguntou.

-Minha namorada havia sofrido um grave acidente e iria morrer em poucos segundos, eu usei uma magia proibida de fusão que uniu nossos corpos e a salvou, agora somos uma única pessoa, mas eu busco uma maneira de conseguir reverter a magia e ainda deixar ela viva. -Haiiro disse sorrindo levemente.

Agora fazia um pouco de sentido ele ter dois poderes diferentes e uma aparência masculina e feminina ao mesmo tempo.

-Parece que todos buscam alguma coisa... -Drake diz olhando o céu noturno junto com Hana.

-Eu não. -Hana respondeu. -Se eu busco alguma coisa, é comer todos os tipos possíveis de doces e ajudar Kaylon de alguma forma.

-Que sinceridade hein. -Ele respondeu sorrindo e fazendo carinho no cabelo dela.

A noite acabou e eles tinham chegado no porto de Vermênia quando já estava totalmente de manhã. O barco parou e eles desceram olhando a cidade, Vermênia era um país grande, mas não tanto quanto Kaylon. O país tinha um clima mais sombrio que os outros, mas era mais populoso e as pessoas dali pareciam mais nervosas do que angustiadas e tristes como as de Kaylon.

-É o medo da guerra. -Haiiro falou enquanto eles desciam do barco. -Eles sabem que se um ataque direto acontecer, a guerra vai começar e o mundo que conhecem vai mudar drasticamente.

Eles então seguiram para dentro de Vermênia sendo guiados por Haiiro, ele parecia conhecer a cidade completamente. Estavam buscando por pistas sobre Arnulf e Lurka por ali, mas não tinham encontrado nada ainda.

-Alguma outra idéia de onde eles podem estar? -Drake perguntou olhando Haiiro, já estavam levemente cansados de andar por Vermênia sem encontrar nada.

-Existem algumas passagens subterrâneas em Vermênia, mas o que eles poderiam estar querendo lá? Não tem nada. -Haiiro diz um pouco alto demais, o suficiente para uma moradora de rua que estava perto ouvir.

-Procuram por um homem parecido com um tenente e uma mulher loira? -Ela perguntou se levantando e caminhando até o grupo.

-Hã... sim? -Disse Dragon olhando a moça. Ela tinha um longo e um pouco sujo cabelo castanho, olhos pretos, parecia bem jovem mas com roupas sujas e um pouco rasgadas da cor cinza.

-Eles me perguntaram onde ficava o Museu, eu apontei para eles onde ficava. -Ela disse apontando para a direita onde havia uma estrada que subia bastante até dar em um ponto que parecia ser o Museu.

-Então é lá onde eles estão. -Hana falou se levantando e pegou algumas pedras pequenas, utilizou sua magia para as transformar em moedas de puro ouro que entregou para a garota. -Obrigado!

Ela ficou ali sorrindo feliz enquanto o grupo seguia correndo em direção ao Museu. Eles chegaram em alguns segundos e entraram rapidamente, estava quase vazio, com apenas algumas pessoas. O Museu de Vermênia era mais para guardar documentos e poucos artefatos raros, bem simples como qualquer outro Museu.

-Separar. -Haiiro falou seguindo para a direita.

Drake foi no meio, Hana para a esquerda e Dragon ficou na saída para caso os visse tentando escapar. Haiiro não encontrou ninguém suspeito, Hana avistou um casal, mas eram dois velhinhos, não o general e Lurka. Drake então olhou para o canto da sala onde havia uma pequena caixa preta dizendo ser um item do espaço, mas ninguém acreditava nessa história, e ali estavam duas pessoas usando capuzes.

Foi então que uma delas virou o rosto olhando na direção de Drake, era Lurka, ambos se reconheceram de imediato.

-Pessoal! -Gritou Drake para avisar os outros.

-Merda, fomos descobertos, vá logo Arnulf! -Lurka gritou olhando para seu companheiro.

Arnulf percebeu a situação em estava e quebrou a caixa de vidro em que aquela caixa negra estava com uma cotovelada. Ele pegou a caixa preta e a jogou contra o chão fazendo a mesma se quebrar em pedaços, em meio aos cacos negros, havia um colar, ele possuía uma jóia roxa escura pendurada e chamava bastante a atenção.

-Encontrei. -Arnulf pegou e colocou no bolso. Ele pegou sua espada Zweihander e encarou Drake enquanto os outros chegavam perto. -Lurka, pode invocar o que quiser, mas tire a gente daqui.

-Vai levar um tempinho. -Lurka responde olhando o teto enquanto pensava em alguma coisa.

-Tudo bem, eu vou criar esse tempo. -Arnulf avançou contra Drake que por enquanto estava sozinho.

A velocidade dele era grande como a esperada de um general de Kanon, Drake nem mesmo havia pegado em sua espada, então precisaria desviar do primeiro ataque. Ele saltou para trás mas um golpe direto da espada de Arnulf acertou seu braço direito, mas causou apenas um pequeno corte superficial.

-Break Inf. -Arnulf falou como um feitiço e então o braço direito de Drake quebrou no exato ponto onde o corte tinha sido feito. Arnulf se afastou enquanto observava o garoto caindo agonizante no chão. -A habilidade de quebrar ossos através de um corte pequeno.

-Porra! -Drake segurava fortemente seu braço sentindo seu osso aos poucos rasgando sua pele de dentro para fora.

Foi então que Hana surgiu ao lado de Arnulf executando um ataque direto com seu cajado contra o rosto dele.

-Fauy Guarder. -Arnulf falou e sua espada ficou gigante com a lâmina bem grossa, basicamente uma muralha tinha se formado entre ele e Hana. -A habilidade de transformar a espada em uma muralha.

Hana se afastou e foi a vez de Haiiro, mas ele pegou Drake e saiu voando de volta para a garota que tocou no braço dele fazendo o osso voltar ao lugar. Agora estavam os quatro contra Arnulf que fez sua espada voltar ao normal, ele estava à dez metros na frente deles.

-Arnulf tem muitas habilidades com as espadas... Se tirarmos aquela espada da mão dele, ganhamos. -Falou Dragon.

-Rebelião. -Arnulf abaixou sua espada os olhando. -Eu não tenho vontade de os enfrentar ou matar, então poderiam ir embora? Vamos apenas completar nossa missão e seguir em frente, não atacaremos Vermênia.

-Hã? -Haiiro perguntou confuso. -Ele está dizendo que não vai fazer nada, apenas ir embora e está pedindo pra gente não atacar? -Perguntou olhando para seus companheiros.

-É exatamente isso... -Hana diz olhando bem para Arnulf. -Mas não vai acontecer dessa forma.

Eles todos avançam contra Arnulf de uma vez, o general suspirou de olhos fechados segurando sua espada, ele abriu encarando Haiiro que estava mais perto e sacou a espada com uma velocidade absurda.

-Então que seja. -Um corte no ar foi executado e esse mesmo corte atingiu o peito de Haiiro, mas não entrou em sua carne, apenas o jogou o mais longe possível até bater contra uma das paredes do museu.

Hana e Dragon tentaram atacar por direções diferentes, mas quando iam executar os golpes, suas armas ficaram muito pesadas eles não puderam as levantar. Arnulf chutou Dragon contra Hana mandando os dois para longe enquanto suas armas ficaram ali presas no chão, dessa forma, Dragon e Hana estavam sem poder usar livremente seus poderes.

-Aumento, é o poder de amplificar o peso de objetos. -Arnulf falou olhando Drake que tinha largado sua espada ao perceber que ela estava bem pesada. -Desista, só quero cumprir minha missão e nada além do necessário.

Drake não se importava mais, tinha se enfurecido, e também precisava arranjar uma forma de ajudar seus amigos. Ele tentou executar golpes contra a face de Arnulf, mas ele apenas desviava, a velocidade do garoto não era nada para Arnulf.

-Lurka, conseguiu? -Arnulf perguntou enquanto desviava dos ataques de Drake.

-Sim, agora sim. -Um portal negro enorme se abriu e de dentro um grande e tenebroso dragão negro saiu. Ele tinha uma aparência espectral como um fantasma, mas era físico, pois quebrou duas paredes do museu quando passou inteiramente do portal, tinha metade do tamanho do Roney transformado. -Vamos logo.

-Tudo bem. -Arnulf olhou para Drake e então contra atacou. -Runner. -Ele balançou a espada uma vez, mas cinco cortes foram feitos contra Drake, inclusive cortando seu corpo ao meio do ombro para a cintura. Ele caiu morto no chão e Arnulf se virou caminhando em direção ao dragão.

-Onde vai? -Drake se levantou em uma alta velocidade e acertou um soco direto contra as costas de Arnulf fazendo ele voar contra vários objetos no móvel. -Venha e lute!

Drake levantou sua espada, mesmo estando pesada, ele aproveitou isso e jogou ela contra Arnulf com uma grande força. A espada saiu voando e quando atingiu o local onde estava Arnulf, causou uma enorme explosão de areia, pois tinha atingido uma parede e destruído ela por completo. Uma espécie de escuridão começava à rodear Drake enquanto ele sorria olhando na direção onde Arnulf estava.

Foi então que o general surgiu novamente, estava com alguns arranhões ao longo do corpo, mas ainda inteiro. Ele segurou sua Zweihander com as duas mãos e disse:

-Cem. -Outras cem Zweihanders surgiram ao redor de Arnulf e ficaram flutuando ali, ele correu contra Drake, as espadas flutuantes e o próprio Arnulf começaram a atacar o garoto rapidamente.

Drake se defendia usando os braços que eram atravessados pelas espadas, depois começou à defender usando as pernas e por fim o restante do corpo, até chegar em um ponto que tinha uma espada atravessada em cada ponto do corpo, mas continuava vivo.

-Como isso é possível... -Arnulf se questionou olhando para Drake.

Foi então que Drake sorriu e se moveu na velocidade do som contra Arnulf, ele coberto por espadas, retirou uma delas e atacou Arnulf, mas então o general estalou os dedos e todas as cem desapareceram. Foi então que Drake caiu morto novamente no chão, coberto por buracos e sangue em todo seu corpo. Arnulf ficou o olhando esperando ele levantar novamente, foi quando os ferimentos foram se fechando e Drake encarou Arnulf sorrindo, o general estava prestes a cortar a cabeça de Drake quando uma poderosa escuridão emanou do garoto e ele sumiu, mas estava atrás de Arnulf e o agarrou pela perna, girou ele bem rápido e jogou contra o dragão negro que estava na sala.

O dragão segurou Arnulf com sua calda e Arnulf percebeu que estava apenas perdendo tempo e precisava logo voltar para Kaylon. Ele pegou o braço de Lurka que em cima do dragão e jogou ela no chão, subiu em cima do dragão e segurou firmemente sua Zweihander na mão direita, mirou em Drake e jogou com uma enorme força. Drake tentou segurar a espada, mas ela o empurrou muito forte e rapidamente, fazendo com que ele batesse contra a parede e a espada entrasse levemente na sua garganta. Quando Drake voltou à olhar para Arnulf, já era tarde.

O dragão foi subindo e levando Arnulf sozinho para longe dali. Lurka ficou perplexa com o que ele tinha feito com ela, havia deixado a mesma como um sacrifício. Drake retirou a espada da garganta sentindo o ferimento se fechar e sangue escorrer de suas mãos.

O Museu todo estava destruído e bagunçado, as pessoas que estavam ali saíram correndo para alertar os guardas, seus amigos estava voltando agora enquanto iam até ele ver como estava.

-Você está bem? -Hana pergunta preucupada vendo as roupas do garoto todas destruídas e a maneira ofegante que ele estava respirando, ela arrumou suas roupas com magia enquanto o olhava.

-Sim, dessa vez estou bem... E vocês? Se machucaram? -Drake perguntou enquanto seu antigo poder obscuro aos poucos sumia.

-Eu caí em uma antiga almofada que estava muito confortável, estou ótima. -Hana falou e depois olhou para Dragon.

-Eu devo ter batido a cabeça em alguma pedra e desmaiado. -Ele falou um pouco triste.

-Eu precisei deter os guardas que estavam vindo para cá, mas não matei nenhum, causar problemas entre Kaylon e Vermênia é justamente o que não queremos. -Haiiro disse encarado o teto destruído do Museu. -Mas ele escapou seja lá com o que vieram buscar...

-Hã... não. -Drake abre sua mão esquerda e ali estava um colar negro com um pouco do seu sangue. -Quando o agarrei pela perna, pude pegar isso, ele voltou de bolsos vazios.

-Bela jogada, Drake! -Hana falou feliz dando um tapa na cabeça dele que fez seu rosto afundar no chão.

-Ei! Vocês! -Lurka disse se aproximando.

A angústia de pensarem que haviam perdido e depois a felicidade pela "vitória" fez eles esquecerem de que Lurka havia sido deixada para trás. Ela se aproximou andando normalmente, mas o grupo inteiro se armou pronto para atacar.

-Calma, podem abaixar as armas. -Lurka disse parando de andar e suspirou de olhos fechados. Encarou eles todos e falou: -Eu quero me juntar à vocês.


Notas Finais


Reviravoltas estão acontecendo e chegando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...