1. Spirit Fanfics >
  2. Dark Empire: Death and Life >
  3. Perigo eminente.

História Dark Empire: Death and Life - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Referência desse corredor aí, quem pegou?

Capítulo 28 - Perigo eminente.


Fanfic / Fanfiction Dark Empire: Death and Life - Capítulo 28 - Perigo eminente.

-Existe uma espécie de porta de pedra misteriosa escondida bem no centro de Kaylon, essa porta leva para dentro de uma montanha. -Lurka começa à falar e então se senta na cama para ficar mais confortável. -As três chaves são necessárias para abrir a porta, essas partes são: A Adaga da Verdade, O Colar de Observação e o Escudo de Teleporte.

-Colar de Observação? -Drake pega o colar que havia conseguido roubar de Arnulf do bolso e mostra para Lurka. -Esse aqui?

-Exato. -Lurka confirma. -Imagino que a adaga ainda esteja com vocês também, mas o escudo é o problema, ele está com Kanon no seu cofre pessoal, na sala do tesouro.

-Porra... -Ely diz colocando uma mão na testa. -É quase impossível entrar ali...

-Mas se reunirmos essas três partes, ou chaves, e colocarmos na porta, o que acontece? -Hana perguntou.

-Kanon disse algo sobre um deus antigo realizar desejos, mas ele não acredita em deuses, mas acha que o rumor do desejo realmente pode ser real. -Lurka falou suspirando. -Tinhamos ido pegar o colar e depois pretendíamos buscar a adaga com vocês, mas agora vocês têm dois objetos e ele um.

-Entendi... -Drake entrega o colar para Ely e olha Lurka novamente. -Qual desejo Kanon quer pedir?

-Que seu tédio acabe. -Lurka respondeu bem rápido. -Kanon diz estar amaldiçoado à sempre sentir tédio em tudo que faz, não sabe como é se divertir ou gostar muito de algo, então quer que seu tédio seja retirado para sempre.

-Tédio... espere... -Ely olha para o lado pensativo e se lembra do que queria. -Foi esse o motivo do ataque... Kanon declarou que estava entediado, matou o rei antigo e assumiu o trono para testar se seu tédio sumia... eu me lembro agora...

-Por tédio? Que porra de motivação é essa? -Hana perguntou cruzando os braços. -Agora tô puta.

-Então faremos o seguinte. -Ely abri a cela de Lurka e retira dela o selo mágico. -Vamos roubar a terceira chave e ir até esse tal "deus", nosso desejo vai ser a morte de Kanon, dessa forma vamos assumir o trono e fazer Kaylon voltar ao normal, impedindo das Asas do Mundo atacarem.

-Eu ajudo. -Lurka falou se levantando e olhando Ely com um sorriso. -Depois do que Arnulf fez e de saber sobre a Helenna, estou do lado de vocês.

-Muito bem, hoje vamos planejar e descansar, amanhã iremos começar o plano de roubo com a ajuda de todos! -Ely falou alto e todos concordaram.

Assim, Lurka se juntou à rebelião e passou outras informações sobre o castelo, localizações e rotinas. Enquanto no castelo, Arnulf havia chegado e caminhou até a sala do rei. Kanon estava de pernas cruzadas em seu trono olhando para o teto enquanto pensava na vida.

-Meu rei. -Arnulf disse se ajoelhando. -Eu retornei.

-Arnulf, que bom, achei que iria ser mais um fracasso. -Kanon olhou ao redor sem ver Lurka e suspirou. -Não irei nem perguntar onde está Lurka, o que importa é o colar, me entregue.

-Sim. -Arnulf colocou a mão no bolso e não sentiu nada ali, ele ficou confuso e tocou no outro bolso, mas também não tinha nada ali. -O que... como isso...

-Arnulf? -Kanon se levanta e vai andando lentamente até ele. -O que foi? Não está com o colar?

-S-Senhor, eu havia colocado ele no meu... bolso... -Arnulf se lembra de quando Drake havia puxado sua perna e o girado, nesse momento ele pode ter pego o colar. -Desgraçado...

-Você perdeu... -Kanon falou levemente irritado, levantou uma das mãos contra Arnulf onde ali surgiu uma energia vermelha.

Querendo defender sua vida, Arnulf pulou para trás e uma explosão aconteceu bem onde ele estava antes. Arnulf infelizmente tinha deixado sua Zweihander no Museu em Vermênia, mas ele ainda tinha uma espada curta consigo e a puxou ela para tentar lutar contra Kanon.

Arnulf avança com toda a sua força e velocidade contra Kanon, era como uma bala de canhão sendo disparada por um raio, seu poder de destruição, mas ao chegar perto de Kanon executando aquele golpe que deveria ser mortal e totalmente destrutivo, um simples escudo vermelho e transparente surge na frente de Kanon e defende o ataque de Arnulf, não só isso, o escudo também absorveu todo o dano e explosão que deveria acontecer.

-Tsc... deveria saber que nenhum tipo de violência funciona contra mim, pelo contrário... só me ajuda. -Kanon segurou o pescoço de Arnulf e apertou levemente. -Eu transformo violência em poder, Arnulf... ataques não funcionam... ataques me deixam mais forte... Kaylon, coberta por caos e mortes, me deixa mais forte...

Kanon atravessou sua mão para dentro do peito de Arnulf, mas sem atingir nenhum órgão vital, em seguida, um pequeno raio vermelho se materializou no dedo indicador de Kanon e percorreu por dentro do corpo do general até chegar em seu coração e o atravessar lentamente.

-A Luz do Amanhecer já matou dois generais meus, não darei o prazer de matarem mais um. -Kanon arrancou a mão de dentro do corpo do general e se virou de costas. -Também não terei mais generais.

Em seguida, o raio explodiu junto com o coração dele, e assim tudo que restou foi um rastro de sangue. Kanon suspirou e se sentou no trono de novo criando uma pequena esfera de violência em sua mão.

-Maldita Luz do Amanhecer... Eu mesmo vou precisar acabar com eles... -Kanon diz observando a esfera.

-Não é necessário, meu lorde. -Moon aparece atrás dele o abraçando. -Eu sei qual é o próximo passo deles e irei recuperar as chaves...

Kanon concordou com a cabeça e olhou fixamente para o vazio na sua frente. O dia passou rápido, uma pequena comemoração pelo retorno do grupo foi feita, o que deixou Hana e Drake um pouco bêbados, Ely não bebeu pois precisava ficar lúcida para fazer o plano de invasão para o dia seguinte.

Lurka bebeu bastante e começou à dançar de maneira sexy em cima de uma das mesas, Ely foi desafiada por ela e também subiu na mesa começando uma competição de quem dançava da maneira mais sexy. No final, acabou em empate.

Dragon ficou com calor depois de beber tanto e tirou sua jaqueta ficando sem nada por cima, o que chamou a atenção de algumas assassinas do esconderijo, inclusive da própria Lurka. Steve desmaiou de bêbado depois de dois copos, e por isso fizeram uma pegadinha com ele roubando suas roupas o deixando semi-nu. Quando acordou, ele saiu correndo e envergonhado para o quarto de Ely sem querer.

A festa foi acabando e os assassinos foram voltando para seus quartos, Drake acompanhou Hana até o dela e deixou ela na cama, fechou a porta e seguiu para seu quarto. Lá ele tirou as roupas e deitou, foi quando a porta abriu, era Hana, bem bêbada e sonolenta.

-Hana! Você está no quarto errado! -Drake falou um pouco alto enquanto se cobria com o lençol.

-Xiuu... -Hana estava bem bêbada e foi se aproximando da cama.

Ela subiu na cama aproximando o rosto de Drake e tirou a própria camisa, deitou o garoto na cama e ficou sobre ele. Ela puxou o lençol e cobriu os dois com ele, abraçou fortemente Drake e deitou o rosto em seu peito.

-Macio... -Ela disse sonolenta fechando os olhos e dormiu.

Drake ficou sem entender, Hana tinha entrado no quarto dele apenas para o usar como travesseiro ou iria fazer outras coisas e ficou muito sonolenta? Seja como for, ele também tinha bebido bastante, então abraçou Hana e fechou os olhos dormindo logo em seguida.

O dia acabou e assim que amanheceu, Hana acordou ainda um pouco sonolenta e sem as roupas de cima na cama de Drake.

-Hã...? -Ela olhou ao redor e viu apenas Drake vestindo suas roupas. -O que... houve?

-Você entrou aqui bêbada e dormiu. -Drake respondeu sem olhar para ela e devolveu sua camisa ainda sem olhar. -Não se preucupe, eu não vi nada e não fizemos nada.

-Hm... -Hana pega sua roupa de cima e veste. Ela se senta na cama passando as mãos no rosto ainda acordando. -Tudo bem, eu acredito em você... já entrei no quarto da Ely uma vez e fiquei apertando os peitos dela...

-Minha nossa. -Drake olhou para ela levemente corado, mas ela já estava vestida. -Agora vamos, Ely mandou a gente tomar café da manhã e ela vai passar o plano de invasão.

-Certo... -Hana levantou e olhou ao redor, depois encarou Drake. -Realmente não fizemos nada?

-N-Não. -Ele respondeu.

-Por que você não quis ou eu fiz algo? -Ela questiona levemente curiosa.

-Você adormeceu quando deitou por cima de mim, daí eu dormi também. -Drake respondeu sendo bem sincero e em seguida saiu do quarto. -Por que?

-Nada demais. -Hana passou a mão no cabelo e caminhou até a porta, quando saiu, deu um tapa na bunda de Drake se seguiu caminho. -Hihi.

Eles foram juntos para o salão principal onde tomaram café da manhã juntos e foram para a sala de Ely logo em seguida.

-Bom dia seus vagabundos. -Ely disse animada quase dançando.

-Quando ela está feliz assim, fica falando um monte de ofensas, então não liguem. -Disse Dragon olhando para eles. -E bom dia.

-É seguinte seus bostinhas. -Ely pega o mapa do castelo que havia feito junto com Lurka e coloca na mesa. -Vamos dar a volta, ferrar alguns guardas e abrir caminho para os outros. Vamos ficar em três grupos: um vai entrar no cofre, um vai ficar no corredor e o outro perto do salão.

Ely aponta para para Drake e Hana com um sorrisinho no rosto.

-Já que vocês adoram ficar juntos todo o tempo, vão para dentro do cofre pegar o escudo, Lurka me disse que ele está no fundo da sala e para ativar o poder do escudo é preciso imaginar o local onde quer ir. -Ely depois aponta para Dragon. -Quero que tome conta do corredor, dê seu máximo. -E Ely aponta para Steve e Lurka. -Vocês são o terceiro grupo do salão. E eu sou quem vai ferrar com os guardas no começo e garantir nossa saída.

-Me parece um bom plano. -Hana falou olhando o mapa com atenção. -E eu e esse besta não ficamos juntos sempre. -Ela falou com as sobrancelhas franzidas para Ely.

-Uhum, sei. -Ely fez um sinalzinho de coração com as duas mãos enquanto mexia o quadril como um rebolado. -Agora chega de papo povo, vamos nessa!

Logo, todos eles saíram do esconderijo e seguiram para perto do castelo, mas sempre tendo cuidado para não serem vistos por guardas, pois Ely já era um pouco conhecida entre eles. Os assassinos deram toda a volta ao redor do castelo chegando nele pela parte de trás onde havia um grande muro.

Hana se aproximou e transformou uma pequena parte do muro em grama, eles passaram pelo buraco e Ely avistou três guardas. Ela lançou uma faca pequena em cada um acertando suas nucas os fazendo morrerem e caírem silenciosamente no chão.

Hana novamente chegou perto de uma das janelas e transformou ela em um ursinho fofo, deixando um grande espaço aberto para eles entrarem. Quando todos entraram, Hana transformou o urso na janela de volta no lugar e fez um sinal de "ok" para Ely que ficou do lado de fora para cuidar de qualquer coisa.

-Ok, Steve e Lurka, o salão fica para a direita, fiquem escondidos perto observando. -Falou Hana. -Dragon, aqui é o corredor, fique de guarda. -Dragon concordou com a cabeça. -Eu e Drake vamos entrar no cofre que fica para a esquerda, voltamos em menos de um hora.

Lurka e Steve foram correndo para o salão e ficaram atrás de uma cortina grande com bastante espaço para os dois ficaram à vontade enquanto observavam. Dragon ficou encostado na parede do corredor de braços cruzados esperando se algo iria acontecer. Drake e Hana correram para o final do corredor na esquerda e chegaram em uma grande portal de metal dourado.

Hana abriu a porta transformando o trinco em uma pequena rocha. Eles abriram a sala do tesouro e se surpreenderam. Todo o ouro, prata e bronze que era cobrado dos cidadãos de Kaylon estavam ali, além de objetos valiosos, relíquias e armas, eram várias montanhas de tesouros naquela enorme sala.

-Isso é muita coisa... tudo de preciosidades de Kaylon está aqui... -Drake disse observando o local.

-Ali no final! -Hana aponta para o fim da sala, naquele local estava o escudo, pendurado na parede como um troféu. -É só o que queremos agora, vamos pegar logo.

-Ora ora... -Uma voz feminina que vinha de cima é ouvida por eles.

Ao olhar para o teto, eles perceberam uma mulher flutuando, era Moon, ela foi chegando perto dos dois com um sorriso surpreso os olhando.

-Isso é uma grande surpresa... eu não esperava encontrar vocês dois juntos e aqui, principalmente você. -Moon aponta um dedo para Drake. -Recuperaram a memória?

-A memória? -Os dois perguntam e se olham confusos.

Enquanto isso, do lado de fora, no corredor, passos leves são ouvidos. Dragon percebe e se prepara pegando sua espada enquanto olhava para o corredor.

-Alguém passou pelo Steve e pela Lurka? Quem? -Dragon pergunta para si mesmo.

Foi então que ele ficou e seus olhos se encheram de surpresa. Uma garota com um vestido cinza bem rasgado e sujo, o cabelo negro bagunçado, manchas de lama na pele, estava quase mostrando seus seios por conta dos rasgos e tinha um rosto cansado, mas Dragon a conhecia, conhecia à muito tempo.

-Zoe. -Dragon fala encarando a garota.


Notas Finais


ZOEEEEEEEEE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...