1. Spirit Fanfics >
  2. Dark Empire: Death and Life >
  3. Reinado

História Dark Empire: Death and Life - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo novo! Agora conheçam o outro lado da história :3

Capítulo 5 - Reinado


Fanfic / Fanfiction Dark Empire: Death and Life - Capítulo 5 - Reinado

Naquela noite, o rei caminhava pelos corredores de seu castelo. Ele era jovem, parecia ter dezenove anos, tinha uma altura normal assim como porte físico, sua pele era um pouco branca como a de quem fica alguns dias em casa sem ver o sol, mas não era exagerado. Suas roupas eram pretas com detalhes vermelhos, usava botas também pretas e tinha apenas uma luva na mão direita. Usava uma camisa longa que se dividia um pouco na sua barriga mostrando ela levemente, era preta também e tinha linhas vermelhas em algumas partes, a gola era alta, cobria metade do seu pescoço, mas era um pouco afastada dele. A calça era de tecido preto e o cinto de couro vermelho.

O rei caminhava tranquilamente por seu castelo, os corredores iluminados pelas tochas e a luz da lua que entrava pelas janelas. Ele andava devagar enquanto olhava para as janelas, simples, sem desenhos, feitas com madeiras de Carvalho. O silêncio perpétuodos corredores e o vazio do espaço neles era tão...

-Tédio. -Falou o rei. Sua voz era comum, mas tinha falta de vontade na maneira que falava.

Ele se aproximou de uma das janelas e abriu elas. Olhou para toda Kaylon lá em baixo, com tão poucas luzes, mas tantas almas atormentadas e sofredoras. Isso dava uma forte sensação de tédio no rei. Seus olhos escarlates se fecharam um pouco e ele pode ver ondas e auras vermelhas por quase toda ela, isso era algo bom, mas um tédio também.

-Ser rei deveria ser divertido... por que continuo com todo esse tédio? -Ele se perguntou suspirando de frustação.

-Majestade, está tarde, por que não vamos para a cama? -Uma voz feminina suave e calorosa falou como um eco vindo daquele corredor.

Logo, uma luz azul escuro se manifestou no teto do corredor bem acima de onde o rei estava e uma mulher saiu dali. Era uma garota linda, tinha aparência de vinte anos, com longos cabelos azuis que chegavam até sua cintura e estava dividido em duas partes, a pele dela era clara, seus olhos eram azuis como o oceano ou como uma noite bem iluminada pela lua, para ser mais específico, a cor em seus olhos era como o oceano iluminado pela lua cheia. Ela usava um vestido longo até o joelho com as bordas pretas e da coz azul royal. O busto tinha listras pretas e brancas. Tinha pulseiras de tecidos em ambas as mãos, um colar com hma jóia da cor ciano estava no seu pescoço. Por fim, meias longas de tecido preto com desenhos de losangos azuis espalhados por ela. Usava saltos pretos de estilo e tinha uma pequena mancha branca no salto esquerdo.

-Moon. -O rei falou observando ela atravessar o portal e ficar flutuando acima dele. -Achei que estava dormindo.

-Kanon, desde quando eu durmo cedo assim? -A garota que se chamava Moon perguntou revelando o nome do rei. -Estava no laboratório junto com aquele cientista doido e o novo ajudante dele. -Ela explica enquanto continua flutuando no ar com magia.

-Hm, espero que agora eles possam fazer algo útil que ajude na guerra contra Vermênia. -Kanon suspira novamente e fica jogado na janela com os braços para fora e a barriga encostada no parapeito. -Aqueles caras pensam que o meu governo é igual ao do antigo rei, eu já disse muitas vezes que não quero paz...

-É natural, Vermênia manteve um tratado de paz com Kaylon durante trinta anos, agora que demos um fim nele, estão com medo do ataque eminente. -Moon falou agora levitando para fora do castelo pela mesma janela em que Kanon estava. Ela ficou voando no ar na frente dele e o olhou com um olhar de pena. -Tá entediado com isso né?

-Sim, mas é sempre assim. -Kanon falou voltando a se levantar e olhou para ela pela janela. -E sobre as rebeliões? Algo novo?

-Nada ainda, a Luz do Amanhecer está mais silenciosa que o normal, ainda suspeito que eles tenham espiões aqui dentro, mas ainda estou investigando para descobrir quem são. -Ela respondeu olhando para as unhas da mão direita, sua voz estava calma e despreocupada. -Mas não se preucupe meu rei, eles nunca vão conseguir encostar no senhor.

-Eu gostaria que tentassem. -Kanon disse dando um leve sorrisinho, mas continuava entediado. Ele se afasta da janela e segue pelo corredor que antes caminhava. -Vamos, quero ver o cientista.

-Oh, tem interesse na ciência, majestade? -Perguntou Moon entrando pela janela voando e agora flutuava sentada ao lado do garoto.

-Hm... não, nenhum pouco, quero só saber se ele sabe alguma forma de me tirar do tédio. -Kanon falou colocando as mãos nos bolsos e concentrando uma energia vermelha estranha em baixo dos pés e desaparecendo instantaneamente como se tivesse saído em uma super velocidade.

-Ei, sabe que não tenho toda essa velocidade! -Moon gritou para ele, mas já era tarde. Ela abriu um portal de cor azul no chão e atravessou ele, o portal sumiu assim que ela passou.

No alto do castelo, estava alguém encapuzado, era alto e forte, usava roupas de combate de couro vermelho e era aberta no meio mostrando seu peitoral, a barriga estava enfaixada por algum motivo. Sua calça era de couro marrom escuro e usava joelheiras de metal para proteção, as botas eram de couro simples, mas uma delas tinha faixas também. Usava uma capa vermelha por fora e azul por dentro, a capa fazia parte da camisa e começava apenas na cintura e descia até perto de seus pés. Na cintura tinha duas bainhas com uma espada em cada, a primeira bainha era vermelha e tinha uma alça que estava pendurada no ombro dele, a espada dentro dela era grande, tinha quase todo o tamanho do garoto. A segunda bainha era preta e a espada era um pouco menor. A primeira bainha estava nas costas do garoto bem em sua cintura e a segunda também estava atrás, mas estava mais embaixo. As mangas da camisa eram brancas e ele tinha uma pele branca de algum animal do lado direito da cintura.

O homem estava de braços cruzados olhando para toda Kaylon por cima. Sua respiração podia ser vista por conta do ar gelado daquela noite. Ele olhava o horizonte atento à alguma coisa.

-Esse é o ponto mais alto da cidade... não deve demorar até eu conseguir ver um, justamente nessa noite. -Ele falou olhando para o céu agora.

Logo, parece que algo chamou sua atenção na cidade, ele andou um pouco na direção que olhava e tocou o cabo da espada grande. Correu até a borda do castelo e pulou, ele estava caindo rapidamente até quando chegou perto do chão, abriu sua mão e sua velocidade diminuiu quase de maneira imediata fazendo ele ficar quase parado dois metros acima do chão, uma cratera se abriu no chão abaixo dele mas o homem ficou em pé dentro dela sem se machucar. Ao tocar os pés no chão, começou à correr pelas ruas em direção à floresta que tinha olhado.

Voltando para o castelo, Kanon estava agora no subsolo do castelo onde ficavam as prisões, salas secretas e o laboratório do cientista que tinha chamado para cuidar dos experimentos do reino.

-Roney. -Kanon chamou entrando no laboratório. -Está por aqui ainda?

-Meu rei! -Uma voz gritou vindo dos fundos do laboratório, alguém logo apareceu. Era um homem um pouco baixo, tinha cabelo curto da cor loira, usava óculos mas aparentemente ele tinha apenas a lente esquerda. Usava uma roupa amarela que cobria todo seu corpo menos a cabeça. Tinha um avental de couro marrom cobrindo a frente do seu corpo, assim como suas luvas eram de couro preto. Tinha também botas de couro preto, algumas manchas amarelas estavam nelas. Ele parecia ter trinta anos e tinha uma barba crescendo. -O que trouxe você até aqui, meu lorde?

-Gostaria de saber se tem algo para tirar meu tédio. -Kanon falou olhando alguns frascos com líquidos coloridos dentro. -Alguma coisa que eu possa fazer para essa tédio infinito passar.

-Hm... -Roney ficou em uma pose pensativa enquanto encarava o rosto do rei. O mesmo o olhou confuso sobre o que ele realmente estava fazendo. -O que acha de jogar xadrez, senhor?

-Xadrez? -Kanon pergunta gostando da idéia. -Vou aprender como jogar isso e fazer um pronunciamento. -Ele diz concordando com a idéia.

-E qual seria o pronunciamento? -Moon que surgiu no local abrindo mais um portal perguntou para ele o olhando nos olhos.

-Quem ganhar do rei em um jogo de xadrez, ganha o trono. -Kanon falou sério sem esboçar nenhum senso de que estava brincando.

-Uh, é uma boa proposta, talvez eu participe do desafio. -Roney falou interessado na proposta do rei.

-Isso vai dar merda. -Moon declarou de olhos fechados enquanto imaginava todo o caos que essa decisão do rei poderia trazer.

-E quem perder o jogo, terá a cabeça separada do corpo. -Kanon disse depois ainda mantendo o rosto sério.

-Eu tô fora. -Roney falou rindo com uma das mãos atrás da cabeça. -Ainda tenho projetos para terminar, nesse momento meu ajudante está lá nos fundos cuidando de algumas criaturas.

-Acho melhor assim, vai causar menos tumulto. -Moon concordou dando um leve sorrisinho, mas logo desmanchando quando imaginou a quantidade de sangue que teria que ser limpo na sala do trono. -Mas vai jogar xadrez na biblioteca!

-Tá, tá. -Kanon respondeu aceitando dessa forma. Ele se virou de costas e começou a andar em direção à saída. -Agora eu vou dormir um pouco, até logo, continue com seu trabalho.

-Sim, meu rei. -Roney disse se curvando enquanto Moon e Kanon deixavam o laboratório. Ao saírem, Roney fez um rosto de raiva. -Esse canalha... se não tivesse aquela barreira e aquela maga, eu já teria acabado com ele. -Roney derrubou alguns fracos no chão e voltou para os fundos do laboratório.

Nos fundos do laboratório, um monte de lixo estava espalhando, além de algumas mesas com sangue, frascos com órgãos e até mesmo partes de insetos. Havia mais alguém ali, um jovem que estava de costas e usando um capuz marrom.

-Vamos, se apresse, temos que terminar o experimento antes do amanhecer. -Roney falou com uma voz um pouco mais calma para o rapaz.

Ele se virou e usava uma máscara azul, a máscara cobria todo seu rosto e deixava apenas seus olhos à mostra, era feita de madeira e tinha dentes entalhados na frente e as aberturas dos olhos tinham listras. Suas roupas eram totalmente pretas e de proteção, o mesmo estava usando outra roupa por baixo, mas não era possível ver. Ele se aproximou e começou à misturar alguns frascos.

-Calado como sempre não é, aprendiz? -Roney perguntou olhando ele, mas não recebeu nenhuma resposta. -Bom, você trabalha melhor que os outros, continue assim. -Ele falou pegando outros frascos e os examinando.

Kanon e Moon estavam seguindo em direção ao quarto, passaram por alguns soldados, até que encontraram um do lado de fora da sala do trono que ao olhar para eles, se curvou e olhou novamente.

-Majestade, chegaram informações dos nossos exploradores dizendo que encontraram a real localização da Adaga da Verdade. -O soldado falou alto e reto.

-Oh, isso é bom. Mande um dos meus generais, de preferência o mais ágil entre eles. Quero que pegue a adaga e traga para mim amanhã. -Kanon falou dando ordens ao soldado, o mesmo se curvou novamente e saiu andando para dar as ordens.

-Não quer que eu mesma vá lá pegar, mestre? -Moon perguntou olhando para ele com um sorrisinho.

-Não, fique comigo, o mundo é mais tedioso quando você não está por perto. -Kanon entrou na sala do trono percebendo que ela estava vazia. -A minha irmã está fora de novo não é? Bom, ela sabe se cuidar.

-Vamos para o quarto, rei, o dia foi longo. -Moon que ainda estava flutuando finalmente parou de voar e ficou em pé no chão. Ela segurou o braço de Kanon e caminhou com ele até o quarto.

A porta para entrar ficava ao lado do trono, estava fechada com magia, Moon desfez ela e entrou no quarto ainda puxando Kanon. Ela fechou a porta e colocou a magia novamente, o rei se aproximou da janela e observou a cidade dali, tirou a camisa que usava e suspirou.

-Amanhã chamarei todos os generais para uma conversa na sala do trono e darei o pronunciamento sobre os jogos de xadrez. -Ele falou com uma voz tranquila.

-Achei que ainda iria aprender como jogar. -Moon falou tirando as roupas ficando agora apenas com uma lingerie azul escuro e bordados brancos em baixo, tinha também detalhes de flocos de neve e a calcinha tinha laços pretos na direita e na esquerda. Ela se aproximou de Kanon e o abraço pelas costas passando as mãos ao redor do pescoço dele. -Irei lhe ensinar como se joga xadrez, agora mesmo. -Ela disse aproximando a boca do pescoço de Kanon e mordendo levemente.

Kanon fechou os olhos e sorriu levemente, se virou para a garota e a beijou, andou com ela até a cama e a deitou nela. Os beijos continuaram enquanto ele passava a mão pelo corpo dela e a mesma respondia. Logo, ela usou magia para fazerem os dois flutuarem enquanto se pegavam. Agora estavam os dois estavam deitados no centro da cama e agora Moon estava por cima, ela tirou o sutiã e olhou dentro dos olhos de Kanon bem perto.

-Vou te ensinar cada peça e movimento do xadrez, meu rei. -Ela falou com uma voz maliciosa e logo voltando à beijar o mesmo.

E assim os dois ficaram nessa noite de amor. Enquanto isso no calabouço do castelo, em uma das celas, uma garota estava escondida embaixo da cama. Ela usava um curto vestido de cor cinza e totalmente sujo de terra. Estava de costas e parecia chorar, o rosto dela estava de frente para a parede e por isso não dava para vê-lo, seu cabelo era curto e estava todo coberto de terra deixando ele cinza com marrom.

O castelo agora estava em silêncio com poucas luzes, a cidade de Kaylon não tinha luzes e os sons eram apenas de gritos e desespero. E assim, o dia em Kaylon terminou.


Notas Finais


Bem curto, acho que todos depois daqui serão, hehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...