1. Spirit Fanfics >
  2. Dark life >
  3. Bitch

História Dark life - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Ninguem mais comenta nas minhas historias, estou pensando em deixar de postar aqui, já que dá muito trabalho...

No grupo do insta, falaram que não iam me matar, mas quero ver...

Aliás, fiz a playlist...

Playlist que uso enquanto escrevo: https://open.spotify.com/playlist/5JVx8NfqRWwes2YlkgAZXE

Capítulo 3 - Bitch


Fanfic / Fanfiction Dark life - Capítulo 3 - Bitch

— Billie, é sério. Garota que?

— Ela é...

Billie foi cortada, por Matias, entrando bravo na varanda.

— Sai de perto dela Eilish.

— Matias, eu só estou conversando com ela. — Respondeu enquanto nascia um sorriso cético.

— Ametista, então sai de perto dela.

— Mas...

— Sai. — Ele mandou nervoso. — Eu quero conversar com a Vossa Majestade. — Falou irônico.

— Eu não quero sair, você não manda em mim.

— Ametista, por favor, vai pra festa, toma um gole de vinho, eu não ligo, só nós deixe conversar.

— Eu cheguei aqui primeiro.

Em questão de segundos senti meu rosto esquentar. 

Olhei para ele indignada, bufei nervosa e sai dali, os deixando sozinhos, eu queria saber sobre o que eles falavam, mas era impossível escutar, sem descobrirem que estava os ouvindo, ainda mais brava, como eu estava gora.

Andei pelo salão, e peguei uma taça de vinho,  fui andando entre as pessoas.

O salão estava cheio, e meu rosto ardia, então sair dali, eu não sabia o que fazer, até ver aquela grande porta que levava ao exterior do castelo, o jardim.

O jardim estava escuro, mas ainda conseguia ver o caminho, que era pouco iluminado pela iluminação que saia das grande janelas do castelo, E a lua estava cheia, em seu ápice, e iluminava com facilidade o belo jardim, que eles tinham ali, por mais que durante o dia ele fosse mais.

Estava frio, e meu vestido não ajudava, ele tinha uma manga pequena, e havia esquecido meu casaco no salão de festas, e não queria voltar para lá agora.

Andei por quase toda a extensão do castelo, e estava perto da área do salão de festas e na sacada eu vi duas pessoas conversando:

— Fica longe dela, você é louca?

— Eu sou louca? Não se esqueça que eu posso te mandar de volta, e nem vou precisar ter muita criatividade para inventar um motivo, e não fui eu que bati nela.

— Dessa vez.

— Seria triste, se no dia do casamento, você não estivesse aqui para o mesmo, e sim em algum calabouço do meu castelo sendo torturado pela eternidade.

— Ela nunca te perdoaria. — O homem disse com um tom de voz nervoso.

— Como se ela já tivesse perdoado o que eu fiz. Eu não ligo se ela me odiar mais, desde que ela esteja bem e feliz, e se pra isso, ela me odiar com todas as forças, ela vai me odiar.

— Ah, Eilish. Você não sabe do que aquela garota é capaz com raiva.

Eilish? A única da família que usa Eilish é a Billie, Morgana usa Pirate e Maggie Baird. O homem deve ser o Matias, e eles devem estar falando de mim.

— Eu sei, ela foi enviada pro inferno antes da família, se lembra? Eu sei o que ela pode fazer com raiva, se não ela nunca teria passado pelos meus olhos. Durma de olhos aberto. — Falou mais alto a ultima parte.

Ouvi a porta da varanda se aberta e fechada em alguns instantes. Eu olhei para cima, e pude ver aqueles cabelos escuros voando, eu me viu, e eu vi seu rosto deixar uma expressão brava para uma mais suave. A ignoro e dou meia volta, indo para o salão de festas novamente.

De volta ao salão eu me sentia menos sufocada agora, mas a conversa dos dois, ficava passando pela minha mente, o olhar de Billie sobre mim, aquele era diferente, quando estava no topo da escada, em frente a porta, vi Billie saindo da varanda e indo em direção dos seus pais.

O seu olhar correu pelo salão, parando em mim, que não foi muito difícil, já que estava no ponto mais alto e de frente da porta. Ela parecia um pouco nervosa, deveria ser por causa da sua conversa com o Matias, ou pela minha.

Ela atravessou o salão e puxou Catarina. Quando as duas passaram por mim  recebi um olhar furioso de Billie, e de Catarina um sorriso cético.

Desci as escadas indo até Morgana, que me olhava apreensiva. 

— Você estava aonde?

— Estava passando mal, então fui andar um pouco, longe de toda gente.

— Está certo... — Ela começou a andar.

— Morgana. — A chamei, assim ela virou esperando eu falar. — Eu queria conversar com você amanhã, pode ser!?

— Claro, só me procurar, vou estar o dia todo desocupada. — Ela deu um sorriso e foi embora.

Estava sozinha novamente, andando sem rumo pelo salão. Havia alguns casais dançando, os irmãos estavam conversando com outras pessoas, e Matias estava conversando com uma mulher, eu não sou ciumenta, mas algo me dizia para ir até eles.

— Olá, tudo bem? —  Perguntei ao chegar lá com eles.

— Claro, algum problema.

— Nenhum amor, eu só estou entediada. Você foi conversar com a Billie e não falou mais comigo. Aliás, me chamo Ametista, sou a noiva dele, qual o seu nome? — Perguntei sorrindo inocentemente.

— Lara, sou amiga do seu noivo. — Ela retribuo o sorriso.

"Vadia"

— De certo que sim, de onde se conhecem? — Perguntei inocentemente.

— Morávamos perto, éramos namorados quando pequenos, aí ele se mudou...

— Ahh, interessante, eu não sabia. Bom, eu vou procurar meus pais para avisar que vou dormir, estou muito cansada, e não quero atrapalhar esse reencontro. — Me virei com um sorriso no rosto.

Fui até meus pais, e avisei que iria dormir. Saí da festa e fui até meu quarto, me troquei e me deitei sobre os cobertores. Senti uma corrente de ar adentrando o quarto.

— Ficou com ciúmes? — Ele perguntou vindo na minha direção.

— Não, ela só uma ex, que eu nem sabia da existência. Não estou com ciúmes, estou... — Procurava a palavra certa. 

— Incomodada?

— De certo que sim. — Me levantei ficando na sua frente.

— Você fica linda com ciúmes. 

— Você me bateu. — Falei seria.

— Desculpa, foi no calor do momento.

— Está bem, que não que repita.

Logo senti seus lábios nos meus e ele me levantando meu corpo e me prensando na cama. Seus beijos começaram a descer pelo meu corpo, junto com minha camisola.

Ele brincava com meus seios, não era minha intensão, mas eu lembrava dos lábios de Billie quando estávamos juntas, Matias fazia um bom trabalho, mas Billie... Ele nem chegava perto dela.

Ele tirou a roupa e subiu novamente em cima de mim, beijando toda a extensão do meu corpo. Eu tentava reprimir os gemidos, mas era um pouco difícil, principalmente, porque eu pensava em Billie nua ali.


Notas Finais


Comentem e deixem cinco estrelas!!!!

Ametista, tem sérios problemas em escolher relações...



Gostaram do capitulo? A bixinha ta noiva de um, gamada em outra. Kkkkkkk, perdón, eu adoro escrever hot hetero, mas normalmente a mulher seria tipo a Billie nas fics, mas a Ame é passiva, ai complica pro meu lado kkkk.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...