História Dark Love - Clace - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias As Peças Infernais, Mitologia Grega, Os Artifícios Das Trevas (The Dark Artifices), Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Camille Belcourt, Catarina Loss, Céline Herondale, Church, Clary Fairchild, Emma Carstairs, Hodge Starkweather, Imogen Herondale, Isabelle Lightwood, Jace Herondale, Jem Carstairs, Jocelyn Fairchild, Jonathan Christopher Morgenstern, Julian Blackthorn, Luke Graymark, Madame Dorothea, Magnus Bane, Maia Roberts, Mark Blackthorn, Maryse Lightwood, Max Lightwood, Personagens Originais, Raphael Santiago, Robert Lightwood, Simon Lewis, Stephen Herondale, Tessa Gray, Valentim Morgenstern, Will Herondale
Tags Clace, Ficdark, Malec, Sizzy
Visualizações 78
Palavras 1.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EITAPORRA!
TÁ PEGANDO FOGO BICHO!
4-6
BOA LEITURA!

Capítulo 7 - Sounds


Fanfic / Fanfiction Dark Love - Clace - Capítulo 7 - Sounds

No capítulo anterior...

Ele tomou a boca dela num beijo voraz, selvagem, e a pressão que seus lábios tinham um no outro era extremamente excitante. Ele fincou as mãos na cintura dela, enquanto ela puxava o rosto dele pra si com as mãos, e se esfregava nele.

-Tem certeza de que quer isso? –ele perguntou aos beijos, passando-os para o pescoço dela.

-Eu quero você, Jace...

Fiquem agora com o capítulo de hoje...

 

Depois dessa afirmação, ele não esperaria nem mais um minuto. Ele tomou o pescoço dela com beijos ardentes e cheios de desejo, e ela ia virando o pescoço, lhe dando mais espaço. Com a ajuda dela, ele tirou o sobretudo e jogou em algum canto que não viu, e logo depois o colete.

Ela tirou os saltos e ele os sapatos, deixando no chão de frente à cama, e logo voltaram a se tocar.

Ela começou a rebolar no colo dele, arrancando alguns gemidos e grunhidos que só a deixavam mais excitada. Ele tirou o chapéu dela e pousou sobre a ponta da cama, logo depois colocou as mãos no ombro dela, e desceu por toda a extensão da coluna.

-Posso? –ele perguntou hesitante, trocando olhares entre ela e os seios fartos dela em sua frente.

-Uhum, fique à vontade, Jacezinho... –ele antes não gostava, mas agora está adorando ouvir o som de “Jacezinho” sair da boca dela. Tão sexy e provocante.

Ele tirou lentamente a alça do vestido dela, apenas o suficiente pra que pudesse fazer o que tanto desejava. Depois de descer a alça, começou a trilhar beijos por todo o seio direito, alternando entre o mesmo e o esquerdo.

-Ah, Jace... –ela gemeu ofegante. –Oh, continue...

O membro de Jace pulsou extasiado. Estava tão duro que ele duvidava que pudesse ficar mais. Então ele abocanhou o esquerdo, dando atenção com a mão para o direito, e mordiscou o mamilo duro fazendo-a soltar um gemido agudo de prazer. Ela acariciava o cabelo dele, e assim que ele trocou de mamilo e mordiscou o direito, sugando o bico levemente, ela puxou o cabelo dele, gemendo.

­-Jace... –ela ofegou, sua respiração começou a ficar irregular. –Oh, estou tão molhada pra você...

Jace mordeu o mamilo duro dela, causando um arrepio enorme e um excitante prazer, e ela gritou.

-Jace... –ela grunhiu empinando o mamilo pra frente. –Oh, assim...

Ele subiu os beijos pro pescoço dela, deixando mordidas por toda a extensão da clavícula. Depois de ceder ao desejo, Jace desceu todo o vestido de Clary, a ajudando a passar os pés, e tudo isso ao mesmo tempo em que tomava seus lábios num beijo quente e feroz. E agora só restava a calcinha dela. Céus, ela estava molhada pra ele. E ainda por cima, estava pronta pra ele. Sem espartilho, sem as anáguas, sem a chemise. Isso o fez sorrir orgulhoso e dar um suspiro ao ver os seios fartos dela balançando em sua frente. Ele alisou as costas dela até chegar na bunda, e deu um forte apertão, fazendo ela gemer alto. Depois, virou a mão e parou-a na intimidade, dela, que estava encharcada. Eles sorriram diabolicamente um para o outro, então ele começou a fazer movimentos circulares pela calcinha dela, que estava grudada à pele.

-Jace... –ela se contorceu de prazer e gemeu. –Não me provoque.

-O que você quer que eu faça, Clary? –ele perguntou rouco, sem parar os movimentos.

-Ah... Jace... –ela gemeu manhosa. –Me chupe... Todinha...

-Hm? –ele ameaçou penetrar um dedo, fazendo os movimentos mais profundos, na medida em que a calcinha deixava. –Diga alto e claro.

-Me chupe! Por favor... –ela pediu em meio a um gemido, e soluçou alto.

Ele desceu a calcinha dela, encharcada de prazer, e jogou no canto do quarto. Carregou ela até a cama e a deitou, logo abrindo as pernas dela e contemplando a vista do paraíso. Ele gemeu, extasiado e extremamente excitado, seu membro latejava dentro da calça, querendo ir de encontro à intimidade molhada dela. Ele ajoelhou de frente a ela, que assentiu abrindo mais as pernas, e começou a massagear o ponto inchado dela. Ela gemeu e ofegou. Ele fez movimentos de vai e vem, provocando o clitóris dela, que ficou vermelha de prazer e se sentiu um pouco exposta, mas logo a sensação de prazer tomou conta de si e ela ignorou a vergonha.

-Oh, Jace... –ela gemeu alto. –Isso é... Ah... Tortura!

-Você quer...? –ele assoprou a intimidade dela, a fazendo chiar surpresa e se contorcer no lençol. –Diga que quer.

-Jace! –ela gemeu alto, arqueando as costas no colchão e apertou o lençol com força. –Me chupe, por favor! Ah... Isso... Está... Ah... É tor-tortura...!

Então ele obedeceu, tomando a intimidade molhada dela na boca, e logo sentiu seu gosto. Era doce, com uma pontada azedinha, o que fazia tudo ser mais excitante, prazeroso, delicioso... Ele chupava profundamente, fazendo-a explodir a cada toque da língua dele em seu ponto inchado. Ela remexeu os quadris, de modo que ajudasse nos movimentos e levava sua intimidade molhada, inchada e dolorida de encontro à boca maravilhosa de Jace.

-Ah... Jace... –ela ofegou e soluçou, se contorcendo totalmente de prazer, extasiada. –Isso é tão mara-maravilhoso... Vo-você é maravilhoso...

Ele deu uma lambida profunda sentindo todo o gosto dela, e depois assoprou, em agradecimento ao elogio, e ganhou um grunhido prazeroso dela.

Fora do quarto, Sebastian estava lendo um livro que ganhou do pai, “As 10 regras para um verdadeiro marquês”, e ficou entediado com o assunto. Para Sebastian, política não devia existir. Lordes, duques, marqueses, homens de alta classe, aff! –pensou ele. Que se dane tudo isso!

Havia acabado de chegar da “luta”, entre ele, Clary, Jocelyn e os lobos, e isso o cansou totalmente. As feridas ainda cicatrizavam, pois eram profundas, mas nada que um pouco de tempo e sangue não curasse.

Ele bufou irritado guardando o livro em sua prateleira da categoria “Entediantes”. Sim, ele organizava os livros com base em seu interesse neles. Havia também a categoria “Legais”, “Escolares”, “Arquitetais”, “Eróticos”, e essa categoria era a sua favorita. Não que Sebastian fosse um cafajeste depravado e viciado em sexo, mas um bom orgasmo era apreciado por ele. Então deitou na sua cama, a fim de organizar os pensamentos.

Ao relaxar, ele ouviu um barulho. O que diabos é isso?! –pensou franzindo o cenho. Ao reparar no barulho, a ficha lhe caiu: Gemidos. E, de acordo com seus livros “Os prazeres do sexo” e “Os sons excitantes do prazer”, era um gemido em que envolvia sexo. Sebastian levantou, seguindo o som. Ele saiu do quarto, mas sem sinal de onde vinha. Continuou seguindo o som, e cerrou os punhos de raiva ao perceber de onde vinha: Do quarto de Clary.

 

Continua....


Notas Finais


EITAPORRA!
TÁ PEGANDO FOGOOOOOO!
ATÉ O PRÓXIMO CAP!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...