História Dark Secret (CHANBAEK) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Jonghyun Kim, Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Min-seok (Xiumin), Minho Choi, Park Chan-yeol (Chanyeol), Taemin Lee, Zhang Yixing (Lay)
Tags Baekhyun, Byun Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Choi Minho, Jonghyun, Kim Jonghyun, Kim Jongin, Lee Taemin, Lgbt, Minho, Park Chanyeol, Shinee, Taekai, Taemin, Zhang Yixing
Visualizações 45
Palavras 1.588
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Onze


( . . . )

Na manhã seguinte, Kim Jongin acordou muito cedo. Ele ainda estava nervoso por conta do dissabor que havia experimentado. As suas mãos tremiam de tanta raiva e ele não havia conseguido dormir direito à noite. Ficara a madrugada toda pensando nas palavras de Chen.

Ele pegou uma jarra de água e despejou um pouco num copo, sorvendo o líquido com rapidez. Não podia acreditar que Taemin o havia traído e justo com o seu irmão. Não olvidava a inconstância do outro, entretanto, não esperava que ele fosse fazer uma coisa dessas justo quando o relacionamento dos dois estava indo tão bem.

Sem mais delongas, ele pegou o celular e mandou uma mensagem para Tae.

KAI: Oi...você pode vir aqui hoje? Precisamos resolver um assunto.

TAE: Claro, mas...o que foi?

KAI: Venha e você saberá.

Ele deixou o celular no sofá e aguardou por cerca de meia hora, até que ouviu a campainha tocar. Ele abriu a porta e Tae lhe deu um selinho, o qual Kai correspondeu mesmo que com certo desgosto.

Os dois entraram e Taemin sentou-se numa poltrona. Ele entrelaçou os dedos, estava ansioso para ouvir o que o outro tinha a contar. Esperava que não fosse sobre o incidente da noite passada. 

— Taemin, vou ser bem direto com você. Afinal, nos conhecemos há dez anos e não há espaço para rodeios. - começou Jongin em um tom tão sério que fez o sangue de Taemin gelar. No que ele havia se metido? - Ontem, você e o Baekhyun ficaram se beijando na sua festa, estou enganado? 

Tae levantou-se e caminhou até Kim, que continuava em pé e ereto como uma estátua, e envolveu o seu pescoço com as mãos, massageando os seus ombros e a sua nuca.

— Ah, Kai! Você ainda acredita nas tolices que essa gente diz 'pra você? Eu não o beijei! Foi ele quem deu em cima de mim, eu estava quieto. Sou apenas seu, Kai!

Essas palavras não acalmaram Kai que, ao contrário, ficava mais irritado a cada segundo.

— Taemin, quem me contou foi uma pessoa que estava na festa. Eu não vou citar nomes, mas todos viram o que aconteceu. Não quero saber se foi aquele idiota que deu em cima de você, não importa. Você retribuiu, de qualquer modo. - Kim se afastou dos braços de Tae.

O garoto de cabelos azuis estava sem saída. Agora havia sido descoberto e ele temia as consequências. Kai podia ser extremamente violento quando alguém o tirava do sério e ele o conhecia bem o suficiente para saber disso e precisava encontrar uma saída.

— Eu admito, fiz isso só para acabar com o relacionamento do seu irmão com o Chanyeol. Não foi isso o que você me disse naquela noite? Você queria arruinar a vida dele e eu fiz isso por você! 

—  Mesmo? Não acredito! Você é demais, Tae! Você soube alguma coisa dos dois? Se eles brigaram ou alguma coisa parecida?

— Uhum! Além de ele ter me espancado, saiu sem dizer nada! Nem se despediu de Baek! Ele ficou muito bravo! Creio que eles tenham brigado feio! - ele riu de forma maléfica - Afinal, por que o odeia tanto?

— Baekhyun sempre teve a atenção de todos. Ele é um rapaz muito cativante, enérgico, sabe conversar. Eu sou muito tímido e retraído na frente das pessoas. Eu sou muito reservado e ninguém gosta de pessoas assim! Na infância, meus pais sempre cobriram meu irmão de atenções e eu sempre ficava de lado por ser o mais velho. Ele sempre conquistou as pessoas e sempre conseguiu tudo o que queria. Ele consegue tudo o que quer e eu nunca estou à altura, entende? Por isso eu queria estragar o relacionamento dele ao contar o segredo para Chanyeol e por isso manipulei Lay para enganá-lo com aquele feitiço. Já tentei de tudo, mas ele sempre ressurge das cinzas. A vida conspira a favor dele, Taemin. Não importa o quanto eu tente! Ele sempre vai ser mais amado e mais bem sucedido em todos os sentidos...eu sou um fracassado! - Kim começou a chorar e Tae aproximou-se dele, colocando a mão em seu ombro. 

— Olha, Kai, não fique assim! Quanto mais você tentar diminuí-lo, mais você vai cair! Você precisa se concentrar na sua vida e nas suas coisas. Tente esquecer o passado, esqueça que Baekhyun existe, se é que isso é possível. Eu te amo, isso não basta para você? Se você continuar se odiando desse jeito, vai acabar enlouquecendo. As suas expectativas o fazem pensar que você nunca é bom o bastante, mas e se você for? 

— Tem razão, Taemin! Vou tentar esquecer isso tudo. Eu não devia ter agido assim com o meu irmão mas é tarde demais para pedir desculpas... 

Jongin bufou, frustrado. Ele sentia todo o peso da responsabilidade de seus atos caírem sobre os ombros. Talvez ele tivesse ido longe demais.

( . . . )

Duas semanas se passaram sem grandes acontecimentos. O ruivo estava aprendendo a lidar com o seu lado impulsivo, procurando não causar mais problemas para Park. O loiro havia voltado ao trabalho, uma vez que suas férias já haviam chegado ao fim. 

Chan trabalhava numa agência de publicidade em Seul desenvolvendo slogans e anúncios para empresas famosas e internacionais. O rapaz sonhava em se tornar um músico, porém, sempre fora apaixonado por publicidade.

Ele acordou cedo naquela manhã. Conferiu o horário no despertador, eram 6 horas. Levantou da cama, vestiu a sua roupa de trabalho, escovou os dentes e arrumou os cabelos claros com um pouco de gel.

Em menos de 30 minutos, ele estava do lado de dentro da agência. Chanyeol cumprimentou os seus amigos de trabalho e se dirigiu até a sua sala individual, pois tinha que trabalhar em um novo projeto para uma loja de cosméticos.

Enquanto estava focado em suas obrigações, o seu chefe, Kim Jonghyun, bate na porta e adentra o espaço.

— Chanyeol, venha receber a nova funcionária da empresa!

— Estou indo! 

O loiro foi até o andar principal, onde vários funcionários estavam reunidos para dar as boas-vindas à nova secretária. Seu nome era Elena. Era uma belíssima estrangeira, vinda da Espanha. Os seus olhos eram amendoados e esverdeados, seus cabelos eram acastanhados, curtos, fartos e ondulados. Era uma jovem esbelta, de olhar doce e decidido ao mesmo tempo. 

Park não conseguiu disfarçar o nervosismo. A moça era realmente bela e havia balançado as suas estruturas.

— Bem-vinda...

Ela estendeu a mão direita e o cumprimentou formalmente.

— Muito obrigada! - ela esboçou um largo sorriso e pareceu contemplar por tempo demais o rosto de Chan - Poderia me mostrar onde fica a minha sala? Estou perdida! Aqui é muito grande! - ela riu.

— Ah...mostro sim! Sem problemas!

Park guiou a bela jovem até a sala dela. Elena o agradeceu com um beijo na bochecha, o que fez com que o rapaz corasse de vergonha.

— Qualquer coisa chame... 

— Obrigada! Afinal, qual o seu nome?

— Park Chanyeol...

— Prazer, Park! Sou a Elena! 

Chanyeol não deveria dar tanta liberdade assim para a moça, mas não conseguiu dizer "não" a ela. Algo no âmago de seu ser o impedia de negar qualquer coisa que ela lhe pedisse.

— Vou indo, Elena! Preciso terminar um projeto. Com licença! - Chan deixou a sala.

Os seus sentimentos estavam tão confusos! Aquela secretária havia gostado dele! Mas ele amava Baekhyun, não iria deixá-lo por nada naquele mundo.

— Controle-se, Chanyeol! - o loiro disse a si mesmo enquanto caminhava até a sua sala. Precisava colocar os seus sentimentos em ordem.

( . . . )

O turno havia terminado. Chan estava juntando alguns papéis para levar para casa quando de repente a figura esguia de Elena surge na abertura da porta.

— Elena...o que faz aqui? Aconteceu alguma coisa? - o rapaz gaguejou.

A secretária se aproxima da mesa de Chanyeol.

— Sim. preciso de ajuda! Você poderia grampear essas folhas aqui 'pra mim? Emprestei o meu grampeador 'pra Lizzy!

Ela coloca os papéis em cima da mesa e, quando Chan se prepara para pegá-los, ela coloca a mão sobre a dele. Park estava tão confuso que a sua cabeça rodopiava sem parar. A sua mente fervilhava, o seu peito queimava. Não podia deixar que ela se aproximasse demais dele, ele amava Baekhyun e jamais o trairia. Rapidamente, ele puxa os papéis e os grampeia.

— Aqui está! Algo mais?

— Não, mas eu gostaria de pedir o seu número! Só por via das dúvidas! Como sou novata aqui talvez eu precise de ajuda em algumas coisas... - não havia malícia em seu tom de voz, mas Chanyeol sabia que ela não era nenhuma ingênua.

— Certo, eu te passo! Se precisar de algo, mande uma mensagem!

Ele salvou seu número no celular da garota.

— Pronto! Preciso ir!

Sem dar espaço para ela responder, o loiro deixou a empresa. Ele andava pelas ruas de modo apressado até o seu veículo. As coisas estavam acontecendo tão depressa! O rapaz se sentia estressado, confuso. Parecia que a sua vida nunca estava boa e que os problemas nunca eram solucionados por inteiro!

Quando poderia viver em paz com o seu amado Byun? Quando supunha que a relação estava voltando ao normal, outra surpresa ruim os aguardava. Já estava ficando farto disso. Queria viver feliz com o homem de seus sonhos, mas o universo não parecia querer conspirar ao seu favor.

Ele dirigiu até a sua casa. Para a sua surpresa, Lay havia voltado mais cedo do serviço. Ele estava na cozinha preparando algo para comer, então Chan foi até ele, já que estava com fome também.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...