História Dark Secret (CHANBAEK) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Jonghyun Kim, Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Min-seok (Xiumin), Minho Choi, Park Chan-yeol (Chanyeol), Taemin Lee, Zhang Yixing (Lay)
Tags Baekhyun, Byun Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Choi Minho, Jonghyun, Kim Jonghyun, Kim Jongin, Lee Taemin, Lgbt, Minho, Park Chanyeol, Shinee, Taekai, Taemin, Zhang Yixing
Visualizações 50
Palavras 1.461
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Sete


Park Chanyeol despertou cedo naquela manhã. O dia estava ensolarado como o de costume. O rapaz recordou-se, logo após abrir os olhos, do incidente da madrugada. Ele jamais havia visto o companheiro naquele estado.

Era assustador pensar no que ele poderia ter feito caso Chanyeol não tivesse se trancado no banheiro do sobrado. Os dois precisavam, de fato, conversar.

Park estava com muita preguiça. Não havia descansado quase nada. Levantou-se à custo da cama e vestiu uma camisa simples branca e uma calça escura. Ao descer para a cozinha, viu que Zhang já estava na mesa.

— Estou de saída, Lay! Baekhyun está me esperando para a gente conversar! - o loiro pegou uma maçã da fruteira e permaneceu de pé.

Lay virou-se na direção do irmão. Ele parecia muito mal humorado. Quem mandou ter bebido tanto? Para piorar ainda mais, Byun havia perdido totalmente o controle e Lay presenciara a cena.

— Bom dia, maninho! Tá certo...mas cuidado, tá? Se as coisas ficarem muito ruins, eu te aconselho a sair desse relacionamento!

— Está bem...pode deixar! Parece a mamãe falando! - Chan riu. Zhang abriu um sorriso.

— Alguém precisa ser a mãe aqui, né?

(. . .)

Park desceu do carro e apertou a campainha do sobrado de Byun. O ruivo surgiu na abertura da porta. Ele não parecia nada bem. Chanyeol ficou preocupado. Talvez eles tivessem ido longe demais ontem, ele não deveria ter pedido para Baek revelar esse seu outro lado. O arrependimento tinha um sabor amargo nos lábios de Chan.

— Oi, Baek! Posso entrar para a gente conversar?

— Claro...não repare a bagunça... - a voz de Byun era inexpressiva, e, pelos olhos avermelhados, ele parecia ter chorado durante horas.

Ao entrar, Park recuou alguns passos, tamanho o susto que levara. Havia cacos de vidro por todos os cantos. Um vaso enorme de porcelana estava em pedaços, caído no chão, uma cômoda havia sido quebrada ao meio e inúmeros copos rachados estavam espalhados por toda a casa.

— O que...o que é isso? - Chan pousou os grandes e espantados olhos no semblante de Byun.

— Eu me senti um idiota ontem! Mas de que vai adiantar eu tentar me desculpar? Agora que você sabe quem eu sou de verdade, acho difícil ainda me querer...Kai foi longe demais! Ele fez de propósito! Eu disse a ele que no tempo certo eu contaria a você...mas cada um tem a família que merece... - Byun tinha os olhos sinistros e amargurados. Ele bufou, irritado.

— Eu sempre vou te amar, Baek! Acredite, não sou do tipo que abandona o barco quando ele está afundando! Estarei aqui para tudo, nos bons e maus momentos. - Chan afagou amorosamente os cabelos do parceiro - Esqueça o Kai, Baek! Isso só vai piorar ainda mais coisas! Venha! Vou varrer esse chão e depois nós dois vamos relaxar e curtir uma televisão juntos! A propósito, sei fazer panquecas de chocolate!

Park queria animar o ruivo, pois lhe doía o coração vê-lo naquela situação. Tudo o que ele pudesse fazer para deixá-lo melhor e mais tranquilo, ele faria de bom grado. Chanyeol podia ser bem mal humorado, frio e seco, mas, quando amava alguém, fazia de tudo para ver a pessoa sorrindo, ignorava a si próprio para tomar conta da pessoa amada.

Assim foi feito. Chanyeol e Baekhyun varreram toda a casa juntos enquanto ouviam música no rádio. Aos poucos, Byun foi se esquecendo do ocorrido e um lindo sorriso voltou a dar cor para a sua face outrora pálida e abatida.

Chan se esforçava para fazer piadas, péssimas por sinal. Byun apenas ria delas por pena do loiro. Após todos os cacos terem sido recolhidos, Chanyeol foi para a cozinha e preparou deliciosas panquecas de chocolate com cobertura de caramelo.

Ambos passaram a tarde esticados no sofá, assistindo séries na televisão, comendo panquecas e rindo de coisas que não tinham a menor graça. Park se sentia feliz por ter trazido o antigo Baekhyun de volta.

O ruivo voltou a sorrir. Ele se sentia extremamente grato por ter Chan em sua vida. Sem ele, o ruivo ainda estaria desfeito em lágrimas e perdido em arrependimentos.

(. . .)

Kai estava no apartamento em que morava com os pais. Ele entrou no quarto de sua mãe e revirou atentamente a prateleira de livros. Ao encontrar o livro que tanto procurava, ele o retirou do lugar e o folheou com atenção. Agora ele já tinha tudo o que precisava.

Pegou o telefone e discou para a casa de Chanyeol. Byun havia lhe dado o número. Torcia para que Lay atendesse ao invés do loiro. Não queria que Chanyeol soubesse que ele havia ligado para a sua casa.

— Alô? - Lay atendeu o telefone - Quem é?

— Oi, Lay! Aqui é o Kai, irmão do Baekhyun. Como você está? 

— E aí, Kai? Estou bem, valeu! Aconteceu alguma coisa? - Zhang passeava nervosamente pela sala. Será que havia acontecido alguma coisa com o seu irmão mais novo?

— Não, não aconteceu nada, fique tranquilo! Não sei se você sabe, mas Chanyeol já deve ter te contado sobre o segredo do Baekhyun. Eu encontrei um livro que contém um feitiço para acabar com as transformações que tanto atrapalham a vida do meu irmão. Liguei pra você porque sei que Byun confia mais em você do que em mim e preciso que você dê as instruções a ele. A nossa relação não é muito boa, mas, mesmo assim, eu quero muito ajudar o meu irmão mais novo! Me sinto arrependido por ter contado o segredo dele ao Chan e quero me redimir. Você poderia fazer isso por mim? Mas não diga que fui eu quem lhe contei, por favor!

Yixing não tinha motivos para desconfiar de Kai. À primeira vista, ele parecia ser um rapaz muito bondoso e educado. Além do mais, a mãe do ruivo com certeza guardava alguns livros sobre feitiços no apartamento deles. 

— Ah, entendi! Que bom que você está tentando se redimir com ele, fico feliz! Fico feliz pelos dois também! Baek parece ter sofrido muito por conta dessa condição rara que ele tem...o meu irmão também sofrerá as consequências no futuro! Tenho medo que Baek o machuque ou faça algo pior com ele. Pode me passar as instruções! Eu ligo para eles! Não direi que foi você quem falou, fique tranquilo! Digo que um amigo meu leu algo sobre isso e me passou!

— Isso! Valeu, Lay! Obrigado mesmo! 

Kai ditou devagar os procedimentos que deveriam ser feitos e desligou o telefone em sequência. O feitiço deveria ser realizado à meia-noite em ponto, numa noite de lua cheia e do lado de fora da casa.

Baekhyun deveria colher uma rosa vermelha do jardim, fazer um corte não muito profundo com uma faca na palma da mão e pingar algumas gostas do próprio sangue numa das pétalas da rosa, deixando a flor na grama logo em seguida e aguardando alguns minutos.

( . . . )

Chanyeol e Baekhyun haviam dormido no meio do filme. Já estava escuro lá fora. Apenas a luz da televisão clareava toda a sala. Chan estava com a cabeça deitada no colo de Baek, que, por sua vez, havia encostado o rosto no braço do sofá.

Byun despertou com o celular tocando. O loiro também acabou acordando com o barulho do celular.

— Oi, Baekhyun! Aqui é o Lay! Preciso te contar uma coisa!

—  Ah, oi, Lay! Tudo bem? Estávamos vendo um filme! - a voz de Byun soou sonolenta. 

— Que legal! Hoje eu estava conversando com um amigo meu e acabamos tocando nesse assunto de vampiros...ele disse que conhece um jeito de reverter a situação! 

Os olhos de Baekhyun brilharam, esperançosos.

— Mesmo? Mas...é confiável?

— Sim, ele leu num livro! Você precisa fazer o seguinte...

Lay passou as instruções do modo como Kai havia lhe dito.

— Por sorte, hoje será uma noite de lua cheia e tenho uma roseira no jardim! - Byun recordou-se - Obrigado, Lay! Nem sei como agradecer! Vou contar para o Chanyeol assim que desligar! Se funcionar, eu te aviso mais tarde, ok?

— Ok! Não foi nada! Apenas quero que você fique bem! Ligue pra mim assim que fizer, tá?

— Beleza! Valeu, Lay!

Byun desligou o telefone. Chanyeol o olhou, curioso.

— Sobre o que vocês conversaram? - o loiro quis saber.

— O seu irmão disse que um amigo dele viu num livro um feitiço para acabar com as minhas transformações, acredita? Se dá certo eu não sei, mas hoje à meia-noite eu irei tentar! 

Park não conseguiu disfarçar o seu sorriso e a sua empolgação. Ele ficou boquiaberto.

— O quê? Sério? Meu Deus, eu nem acredito, Baek! Tentar não custa nada! Afinal... - ele olhou o relógio de pulso - já são 22 horas! Falta muito pouco!

— Nem eu, Channy! Mal posso esperar!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...