História Dark Secret (CHANBAEK) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Jonghyun Kim, Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Min-seok (Xiumin), Minho Choi, Park Chan-yeol (Chanyeol), Taemin Lee, Zhang Yixing (Lay)
Tags Baekhyun, Byun Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Choi Minho, Jonghyun, Kim Jonghyun, Kim Jongin, Lee Taemin, Lgbt, Minho, Park Chanyeol, Shinee, Taekai, Taemin, Zhang Yixing
Visualizações 54
Palavras 1.707
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Oito


(. . .)

Os dois ficaram contando cada segundo que faltava para o momento do tal "ritual". Estavam tão ansiosos que nem conseguiram prestar atenção no filme ou em qualquer outra coisa. Os rapazes não paravam de falar no quão maravilhoso seria se essas transformações cessassem. Baekhyun poderia, finalmente, levar uma vida normal, sem o seu lado vampiro atrapalhando-o e roubando-lhe a paz de espírito. 

Chanyeol olhou para o relógio de pulso. 23:58. Finalmente! Ambos haviam sonhado com esse dia! O dia em que tudo seria como deveria ter sido desde o início.

— Baek! Vai lá para fora! São 23:58 já!

— Nossa! Passou tão depressa! Vou lá! Me espera aqui, tá? Não quero que você corra nenhum risco!

— Pode deixar! Ficarei aqui...

O ruivo pegou uma faca na cozinha, saiu e caminhou pelo jardim. Estava tão ansioso, que as suas mãos tremiam. Respire fundo, Baekhyun...você sonhou anos com esse dia.

Então, ele pegou a faca e fez um corte pequeno e não muito fundo na palma da mão, colheu uma rosa vermelha da roseira e deixou que o sangue pingasse na pétala. Logo em seguida, deixou a rosa na grama e esperou. 

A lua cheia se estendia no lindo céu escuro, refletindo todo o seu esplendor e beleza. Pequenas estrelas circundavam a lua e completavam a beleza daquela noite fresca. As flores balançavam suavemente com a aproximação da brisa noturna.

Byun estava muito ansioso. Nem mesmo a natureza era capaz de acalmá-lo. Segundo Lay, o feitiço levava alguns minutos para ser concluído. A palma de sua mão ardia e latejava, então ele a enrolou num pedaço de folha numa tentativa de aliviar a dor.

Então, de repente, Baekhyun sentiu-se tonto. Uma tremedeira terrível tomou conta de suas mãos e pés. A sua visão ficou turva e desfocada. Repentinamente, as presas cresceram e se tornaram mais pontiagudas. Os seus olhos ficaram vermelhos e os seus instintos se aguçaram.

O que está acontecendo comigo? Pensei que jamais fosse me transformar novamente! Tem alguma coisa errada...agora estou na minha forma de vampiro, mas não perdi a consciência como nas outras vezes.

Park, preocupado, correu para o lado externo da casa. Ao ver Baek em sua forma de vampiro, ele retrocedeu alguns passos.

— Baekhyun! O que aconteceu? Pensei que isso jamais fosse se repetir depois desse feitiço!

— Pois é...eu não sei o que deu errado! Fiz tudo certo, segui à risca as instruções que Lay me passou...por mais estranho que pareça, eu não perdi a consciência! Mas os meus instintos estão aflorados. Eu...sinto tanta sede de sangue. Mas não se preocupe, eu vou me conter! Não vou te machucar! Só quero entender o que aconteceu!

Byun ficou decepcionado. Será que ele voltaria à sua forma normal? Será que agora os efeitos eram permanentes? Só lhe restava esperar. Só o tempo iria dizer.

— Não sei por quanto tempo ficarei assim, Chan! Se passar trinta minutos e eu não voltar à minha forma normal, é capaz que eu fique assim por mais tempo do que estou acostumado...minha mãe uma vez me disse que havia um feitiço que transformava o humano permanentemente em vampiro, mas ela nunca me disse qual... 

Chan sentiu-se triste pelo companheiro. Ele queria que Baek levasse uma vida normal. Ele sabia o quanto essa forma de vampiro o abalava emocionalmente.

— Fique calmo! Pelo menos você está consciente dessa vez! Isso por si só já é um avanço! Vamos esperar os trinta minutos e ver o que acontece! É só se controlar e dará tudo certo! 

Park não costumava ser muito otimista, mas às vezes compreendia que era necessário. Ele então aproximou-se do ruivo e tocou a sua nuca com suavidade, depois o aproximou para um beijo.

— Sempre vou te amar, Byun....

O amor inabalável e fiel de Chanyeol comoveu Byun, que esboçou um imenso sorriso.

— E eu pouco me importo em ser um vampiro assustador! Desde que você me ame, isso é tudo o que importa para mim, - ele fez uma pausa e prosseguiu - ninguém nunca permaneceu! Você foi o primeiro a ultrapassar essa linha...obrigado, Chan! Eu te amo demais... 

Lágrimas silenciosas escorreram pela face do ruivo, que se aproximou do amado e fez carinho em seus cabelos loiros. Chan achava aquela forma de Baek extremamente atraente, não podia negar. Até que não seria tão ruim assim ter que lidar com aquilo todos os dias, se fosse o caso.

O ruivo inclinou-se para frente e deitou-o na grama, ficando sobre ele. Chan não relutou. Por mais que internamente temesse ser dominado, aquilo não parecia ser tão ruim assim.

O ar fresco despenteava o cabelo dos dois. Byun colocou a mão embaixo do queixo do outro e deu um beijo ardente em seus lábios. Logo após isso, ele desabotoou as vestes do parceiro, que fez o mesmo com ele. Ele deslizou suavemente as mãos por aquela pele macia embaixo de si. Chan fechou os olhos e soltou um suspiro de prazer. Jamais havia conhecido uma pessoa com tamanha sensualidade em toda a sua vida. 

Baekhyun mordiscou a orelha do companheiro, lambendo o seu pescoço em seguida. Chanyeol, por sua vez, deixou que o ruivo o guiasse. Baekhyun estava ainda mais sedutor. Aqueles olhos, intensos e quentes, não paravam de fitar o rosto do outro. Os lábios pareciam ainda mais cheios e atraentes, pidões. O loiro explorou todo o corpo do mais baixo com as mãos, tocando os seus ombros, o seu corpo bem desenhado e o seu pênis.

Byun, cheio de luxúria, mordiscou o lábio inferior de Park, que quase enlouqueceu de desejo e retribuiu a mordida com um chupão em seu pescoço. Ambos ansiavam desesperadamente por contato físico. Mordiam, apertavam e puxavam loucamente a pele um do outro.

Byun foi rápido em percorrer o pescoço do companheiro com os lábios, chupando e lambendo cada centímetro daquela pele macia. Após isso, ele tocou as coxas do mais alto, beliscando-as com força e arranhando-as, tamanho o desejo que ele sentia.

Chan soltou um gemido. Quanto mais dor o menor provocava nele, mais excitado ele se sentia. Parecia loucura! Ele jamais pensou que sentiria prazer em não estar controlando uma situação! Isso era realmente um avanço para ele. Baek foi ágil, colocando o mais alto de quatro e penetrando-o sem dó nem piedade. Ele beliscava aquela bunda macia e arredondada, dando alguns tapas de vez em quando. 

— Você é a minha presa agora, Park! - o ruivo sussurrou no ouvido do outro, fazendo todos os pelos do corpo de Chanyeol se eriçarem.

Foi então que, inesperadamente, Baekhyun avançou no pescoço do parceiro, fazendo escorrer uma pequena gota vermelha de sangue. Chanyeol desvencilhou-se dele sem hesitar. 

— Baek! Você prometeu que faria o possível para não me morder! - Chan estava bravo apenas por fora, pois por dentro ansiava ainda mais por aquilo. Até aquela mordida profunda provocara prazer nele.

—  Desculpa...não vai se repetir! Ainda tenho que me acostumar a domar os meus instintos!

Park ficou de quatro novamente e Byun o penetrou com agilidade. O suor escorria pela face do mais novo, que soltava gemidos de prazer. O loiro também gemia e sentia-se cada vez mais satisfeito. Baekhyun acariciou lentamente os cabelos do outro, adivinhando-lhe os pensamentos. Baekhyun sentia-se ainda mais sedento pelo corpo de Chanyeol. Tudo nele havia se intensificado desde esse feitiço.

Após terminarem, os dois deitaram na grama. Estavam exaustos. As estrelas ainda brilhavam no céu. Baekhyun deitou a cabeça no peito de Chanyeol e esboçou um sorriso fofo.

— Eu nunca me canso de você, Chanyeolie! A propósito, acho que já se passaram mais de trinta minutos e nada de eu voltar ao normal. O que mais me intriga é o fato do seu irmão ter me contado tudo isso. Ele parecia esperançoso, sabe? Tenho certeza de que ele também acreditava que daria certo. Talvez haja uma outra pessoa por trás disso tudo...parece uma coisa que o Kai faria. Provavelmente ele usou Lay para conseguir realizar os seus feitos. Lay caiu na lábia de Kai, tenho certeza...

A voz de Byun soou reflexiva. Diversas coisas passavam por sua mente agitada. No dia seguinte ele iria conversar com Lay e tentar descobrir quem realmente havia lhe dado aquelas informações.

— Eu também jamais me canso de você... - Park riu e sorriu - sim! Meu irmão não seria capaz de algo assim! Ele é um cara muito honesto, nunca prejudicou ninguém! É, mas não vamos tirar nenhuma conclusão precipitada! Eu vou dormir aqui hoje e amanhã vamos pra minha casa falar com o Zhang! Não diga nada para ele hoje não, não quero deixá-lo preocupado com a minha segurança... - ele fez uma leve pausa - afinal, já que estamos aqui fora mesmo, topa entrar no lago comigo? Talvez nadar um pouquinho alivie as nossas preocupações!

— Certo, está bem! Vamos, claro!

Ambos se levantaram e caminharam descalços até o lago. Sentir a grama e a terra ajudava Baekhyun a se acalmar. Ele sempre foi um amante da natureza e das coisas simples. Ele alongou as costas e se jogou no lago sem hesitação. Chan o olhou, impressionado.

— Nossa! Você não tem medo de nada mesmo! Esse lago parece bem fundo...

— Larga a mão de ser medroso, Chanyeol! - Byun sorriu malicioso - Vem logo!

— Tá, eu vou! 

Park atirou-se no lago. A água estava bem fresca. O lago não era assim tão fundo, ele quase conseguia pisar no fundo. Baekhyun ainda mantinha um risinho malicioso nos lábios rosados.

— Do que está rindo, Baek?

Silêncio.

Foi então que, repentinamente, Byun começou a jogar água em Chanyeol como uma criança.

— Para com isso! - o loiro disse entre risos enquanto jogava água no companheiro para tentar se defender.

Há meses Park não se divertia daquele jeito. Baekhyun aflorava o seu lado mais engraçado e brincalhão. De certo modo, ele sentia vontade de ser mais livre e mais espontâneo quando estava perto dele. Os dois passaram a madrugada inteira brincando, rindo um da cara do outro e nadando juntos. Trocaram também beijos e carícias.

Amanhã, Chanyeol pensaria no que diria ao irmão, em quem estava por trás daquilo tudo e se Byun ficaria para sempre naquela forma ou voltaria algum dia a ser um humano. O loiro decidiu deixar as suas preocupações para o dia seguinte.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...