1. Spirit Fanfics >
  2. Dark Soul-Min Yoongi >
  3. Capitulo 6

História Dark Soul-Min Yoongi - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Capitulo 6



Parece que é verdade, ainda assim não dou a mínima.
.S/n on
- Uh... pode... pode me soltar.
- Ah sim, desculpe-me. – ele me soltou, mas agarrou o meu rosto, me olhando todo feliz.
- Namjoon chega, tá me irritando já. – vi os olhos de Yoongi piscar vermelhos, já me desvencilhando do anjo, ficando ao lado dele.
- Uh... eu acho que é melhor eu voltar a trabalhar... – antes que eu saísse, yoongi me puxou para o seu colo.
O anjo olhou entre nós não parecendo nada feliz.
- São realmente namorados?
- Sim.
- Não. – ambos nós olhamos.
- Desde quando? – perguntei irritada e ele bufou.
- Amor, ontem mesmo você me pediu em namoro. – moveu as sobrancelhas e ri.
- Eu não fiz tal coisa.
- Pediu pra ficar comigo, achou que era de graça foi?
- Aff, você não presta.
- Não é nenhuma novidade. – piscou mais uma vez e se voltou para o anjo. – Agora deve ter algo errado aí Namjoon, a minha doçura não é a sua escolhida, essa aqui não tem nada de angelical, nada mesmo.
Contive a vontade de bater nele, porque aquele idiota seria capaz de gostar.
- O que seria essa escolhida e por que acha que sou eu, hein? – tentei me concentrar no anjo, mesmo que no fundo eu concordasse com yoongi, eu não tinha nada de angelical... espera angelical? Eu?
- Eu posso sentir. Mas enfim, Park S/N, o seu pai o jimin era um anjo... – começou Namjoon, mas o yoongi bufou o interrompendo.
- Como sabe que é o mesmo jimin? Há milhares de jimin por aí. Eu mesmo conheço uns 4.
- Yoongi acha mesmo que eu não saberia se ela é a escolhida? É só olhar pra ela! Você sabe que ela não é completamente humana. – ambos me olharam e pigarreei.
- Olha uh, Namjoon, né? Eu não sei do que está falando, o meu pai Charlie era um homem comum, ele era segurança noturno.
- Viu Namjoon? Segurança! Que anjo vai vir pra terra ser Segurança? Isso faz sentido?
- Namjoon, você sabe muito bem que ele abandonou tudo, o homem tinha que viver e se virar.
- Mas, Yoongi, umm, vive na terra e não trabalha. – namjoon bufou e o yoongi me abraçou apoiando a cabeça em meu ombro e o olhei, céus estávamos muito perto.
- Você está certíssima, amor. Não dê ouvidos a esse anjo maluco. – me afastei dele e saí do seu colo, antes que fizesse alguma besteira, tipo, sei lá, agarrá-lo.
- Enfim, eu preciso voltar ao trabalho, foi bom conhecê-lo, Namjoon.
- Espera... – ele chamou, mas fugi dali o mais rápido que pude.
Meu pai? Um anjo? Puff, ai do nada eu tenho tudo isso na minha vida e eu não sabia?Que conversa de doido!
Bem, o meu senhorio, digamos assim, era um demônio, né? Então não era tão de doido, mas ainda assim... não, nada a ver.
[...]
Desci da moto com a ajuda do yoongi, esperei ele soltar a minha mão, mas ele ainda a manteve, o olhei com uma sobrancelha arqueada e ele sorriu.
- Não pode?
- Uh? – ele parou e entrelaçou os nossos dedos.
Dei de ombros e voltei a andar, fomos para o elevador e assim que as portas se fecharam, o yoongi me olhou seriamente.
- Huh? Algo errado? – ele começou a se aproximar, dei alguns passos para trás até sentir a parede contra as minhas costas. Ele continuou vindo até ficar bem próximo, apoiou a mão sobre a minha cabeça me fazendo engolir em seco.
Sorrindo, ele se curvou um pouco até os nossos rostos estarem bem próximos.
- Sabe doçura, eu estive pensando... – mordi o lábio, enquanto tentava evitar os seus olhos, mas não conseguindo deixar de olhá-lo.
- Você pensa?
- Às vezes... – ele chegou perigosamente mais perto.
- No... no quê? – sussurrei abraçando a minha bolsa contra o meu peito.
- Nós.
- Nós?
- Isso amor, você não tem pensado em nós?
- Um, eu não sei, em que exatamente? – gaguejei um pouco e ele sorriu, enquanto a sua outra mão subiu pegando uma mecha do meu cabelo, ele a esfregou entre os dedos.
- Ah você sabe, estamos morando juntos e há essa coisa entre nós.
- Coisa? Que coisa? – abracei a bolsa mais forte, quase como uma barreira protetora? Barreira protetora mesmo. Estranho? Com certeza, mas quem poderia me culpar com um demônio desse?
- Vamos lá doçura, vai continuar negando?
Honestamente eu estava por um fio e ele não estava colaborando.
- Eu... é complicado. – ele suspirou.
- Por eu ser um demônio?
- Um, isso, mas e se eu tiver que ir de repente de novo e... – ele me calou quando ficou mais próximo, seu rosto tão próximo me fez ofegar.
- Amor, enquanto estiver comigo, você nunca mais vai precisar fugir.
Ah como isso era tentador, não ter mais medo, ou preocupações, só viver... com ele?
- Yoongi... – ergui a minha mão timidamente a encostando em seu pescoço, meus dedos subindo pela sua nuca, ele começou a se aproximar mais e mais... ah merda...
- Até quando vão ficar nisso?
- Beija logo, pra acabarmos com isso. – ambos nós viramos em choque ao ver a porta do elevador aberta dando de cara com a sala do Yoongi e o pior, Namjoon e uma mulher estranha.
Empurrei Yoongi sentindo o meu rosto alcançar altos níveis de vermelho.
Olhei de relance para Yoongi e ele parecia a ponto de matar um, ou melhor, Namjoon.
- O que fazem aqui?
- Você acha mesmo que vou deixar a minha escolhida em suas mãos?
- Mas eles fazem um casal tão bonitinho, Nam. – murmurou a mulher e ele a olhou irritado.
- Quieta Sook. – ela bufou e sorriu acenando pra mim.
- Eu estava torcendo por você Yoon. – isso lhe fez sorrir e olhei desconfiada para ela.
Uh até que ela era bonita, um pouco mais baixa do que eu, cabelos escuros longos presos em uma trança, olhos escuros e um sorriso fácil, as suas roupas mostravam bem a sua beleza, já que ela usava um lenço no cabelo, trajava um vestido no estilo cigano com os ombros nus, além de um senhor decote, até brincos gigantes de argola, ela tinha.
- Ah, já que tem convidados, eu vou dormir. – saí do elevador ainda abraçando a minha bolsa, passando rapidamente pelo yoongi, mas antes que fugisse o anjo me pegou.
- Espere, viemos por você. – olhei mais uma vez para ele e depois para a mulher e ela sorriu.
- Certo, eu... um? – olhei para o yoongi em busca de ajuda, mas ele só bufou.
- Eu preciso beber.
- Eu aceito Suga.
- Claro, claro. – resmungou indo para o seu aparador de bebidas e olhei para o anjo, ou melhor, para a sua mão em meu braço, vendo que eu olhava nessa direção, ele me soltou.
- Desculpe S/N.
- Claro, Hmmm? O que querem comigo?
- Sente-se, apesar de como nos conhecemos, eu vim me apresentar apropriadamente.
- Apropriadamente?
- Isso. Eu sou o anjo Kim Namjoon, e você Park S/N Ortiz, é a escolhida. – Yoongi bufou lá trás e o olhei, ele balbuciava algo que não pude ouvir, mas ele não parecia feliz, me voltei para o anjo abraçando a minha bolsa mais forte.
- Já não tínhamos descartado isso?
- S/N, só porque o Yoongi não quer acreditar, não quer dizer que não seja verdade, eu a tenho procurado por um longo tempo e agora a encontrei.
- Não sou eu. – me apressei em negar, mas ele parecia decidido.
Ai Deus!
- Eu pensei que você pudesse duvidar, por isso trouxe Sook. – olhei para a mulher que estava obedientemente em pé no mesmo lugar.
- Sook?
- Sim, ela é uma bruxa, muito poderosa, ela pode ver se você é realmente filha de Park jimin.
- Uh? – olhei mais uma vez para o Yoongi e ele vinha com uma bebida para si e outra para a Sook.
Depois de lhe entregar, fiquei um pouco aliviada quando ele escolheu se sentar no braço do sofá que eu estava.
- Ela é uma bruxa mesmo. – ele reforçou, imagino que pela minha cara de dúvida.
- Existem bruxas também? – olhei para o Yoongi em busca de confirmação, nada contra o anjo, mas esse eu conheci, e estranhamente eu confiava mais no meu Devil.
Nunca pensei que confiaria mais em um demônio do que em um anjo, mas também quem esperava que um dia eu realmente conhecesse qualquer um dos dois.
- Amor, eu te disse que existe coisa pra caramba.
- Ok, mas... como ela vai saber isso? – vi Sook dando um gole só no que Yoongi lhe deu, ela estalou a língua.
- Muito bom, podemos começar? – sem esperar resposta, ela pegou uma bolsa grande feita de tecido colorido, assim como o seu vestido,que estava aos seus pés, eu nem tinha reparado nela, devia estar escondida por sua enorme saia.
Vindo para perto de mim, ela se sentou aos meus pés, enquanto abria a bolsa e tirava dois frascos e uma faca estranha, mais como uma adaga, ela chacoalhou um dos vidros e do nada um líquido Verde claro apareceu.
- Ow... – Ela piscou pra mim e entregou o vidro para o Yoongi.
Ele o pegou o olhando avaliativamente, observei-o também, mas ela me chamou, me assustando.
- Me dê a sua mão, querida. – hesitei por um momento, mais uma vez olhando para o Yoongi, ele sorriu assentindo, ok, nada de mal ia acontecer com o Yoongi ali, coloquei a mão na dela que sorriu.
Sem que eu esperasse, ela furou o meu dedo com a adaga.
- Ai... - ia tirar a mão, mas ela não me soltou, ela era absurdamente forte para alguém tão pequena, engolindo em seco, lhe vi usar o outro frasco, depois apertou o meu dedo, deixando algumas gotas pingar dentro, em seguida levou o meu dedo aos lábios e o soprou gentilmente, logo me soltando.
Fui olhar o meu dedo e não tinha nada.
Oxê!
Mirei admirada para a minha mão, e ia falar com o yoongi, contudo vi a Sook pegando o frasco dele e derramando o líquido no frasco que estava o meu sangue.
Ela o balançou para que os dois se misturassem, lentamente começou a mudar de cor, ficando Azul e em seguida transparente, parecia água.
- Ela é definitivamente meio anjo... – ela continuou balançando o frasco, ele começou a brilhar, lentamente, depois forte, como... como se tivesse uma lâmpada dentro, de repente o brilho ficou tão forte que me fez fechar os olhos, quando os abri de novo tinha sumido.
Puta merda!
- É ela? É Sook?
- Sim, ela é a sua escolhida.
- Eu sabia! – comemorou Namjoon, então voltei a abraçar a bolsa meio preocupada.
Olhei de esguelha para o Yoongi, ele parecia mais irritado do que quando fomos interrompidos antes.
- Então, podemos começar e... – Namjoon se levantou todo animado, mas eu não estava nenhum pouco animada.
Estava era confusa.
- Espera aí, eu acho que mereço algumas respostas, né?
- Respostas?
- Sim, o que significa que eu seja a escolhida? Escolhida para quê? E o meu pai? Era mesmo um anjo? Se fosse um anjo, porque ele morreu? Ele está no céu? Tem um céu?
Emmett olhou para o yoongi e a Sook e suspirou.
- Certo, perdoe-me S/N, fiquei tão feliz de te encontrar que me esqueci que deveria estar confusa.
- Um pouco.
- É claro. Uh... que tal eu te contar sobre o seu pai.
- Meu pai?
- Sim, é um bom lugar para começar, não é?
- Você o conheceu?
- É claro.
- Eu... eu gostaria disso.
Ele esticou a mão para mim, peguei-a indo me sentar no sofá grande ao seu lado, ouvi um bufo do Yoongi e rapidamente soltei a mão do anjo e sem pensar, estiquei a mão para o yoongi. Ele arqueou uma sobrancelha.
- Tem certeza doçura?
- Pode ficar comigo? – ele sorriu e pegou a minha mão se sentando ao meu lado, sem soltar a sua mão olhei para o Namjoon, ele não pareceu gostar, mas não me importava isso agora.
Só queria saber... saber o que era tudo aquilo.
- Então, o meu pai era um anjo?
- Sim, um muito bom, gentil, amoroso, um dos melhores, ele era o porteiro do inferno.-Ele sorrir.-Seu pai era o Anjo que ficava na parte do céu,e outro, um demônio ficava na parte inferno,cada um em seu posto,ninguém saia,para nao haver problemas entre a entrada no céu e saída do inferno.
- Sério?
- Sim, apesar do que parece, os demônios são muito organizados.Como os anjos no céu, Eles têm registros de saídas e chegada ao inferno, além das almas castigadas que sempre dão um jeito de fugir, né? Há sempre um demônio ou outro que foge, além dos banidos. Tudo é bem organizado lá em baixo.
- Banidos? Quem é banido do inferno?
Tipo, o que alguém faria pra ser banido? Do inferno?
- Pergunte ao yoongi, ele foi banido. – cantarolou Sook que estava na poltrona onde eu estivera antes, ela estava olhando as suas unhas, e ao que pareceu, fazendo a cor delas mudar.
Isso era interessante, mas eu estava mais interessada no por que do Yoongi ter sido banido.
- Você foi banido?
- Eu não fui banido, eu saí!
- Ele foi banido. – Continuou Namjoon e o Yoongi grunhiu.
- Eu não fui banido, eu e o chefe entramos em um acordo de que lá não era o lugar pra mim, então eu saí.
- Ele foi banido. – falou Sook com um sorriso feliz e ele rosnou para ela.
- EU já disse...
- Quer saber, chega, continue... – pedi, ou isso não ia acabar tão cedo, já que o Yoongi não parecia que ia admitir tão fácil.
- Ah certo, então, o Jiminie veio a terra em busca de uma alma fujona, foi quando ele a encontrou...
- Quem?
- O amor da sua vida.
- Minha mãe?
- Bem, não exatamente a sua mãe, mas pode se dizer que a alma dela? Ou como posso dize... a mulher da vida dele, e ele teve tanta certeza sobre ela que cortou as suas asas sem olhar para trás e a seguiu.
- Nossa.
- Sim, foi um amor predestinado, Infelizmente ela morreu pouco tempo depois, então ele esperou a sua reencarnação. Eles tiveram muitos encontros e desencontros, mas o jimin nunca se arrependeu de sua decisão. Ele escolheu o amor e viveu com isso.
-WOw, e eles sempre se reencontravam?
- A maioria das vezes, sim. O amor deles transcende o tempo.
- E o que aconteceu depois?
- Bem, claro que tudo tem conseqüências, o jimin abandonar o seu serviço teve algumas. Houve uma época meio tensa em que os demônios e almas não respeitavam as regras e saiam como bem queriam do inferno, as guerras do mundo foram essas conseqüências.
- Demônios causavam guerras?
- Sim, um demônio pode influenciar a pessoa certa e causar o caos, o mesmo vale para almas errantes. Alguns anjos tentaram tomar o lugar do jimin, mas nenhum tinha o poder de fechar as portas, era algo que só o seu sucessor faria, ele não passou os seus poderes antes de cortar as suas asas, então ninguém tinha esse poder de fechar as portas.
- E agora?
- Bem, você é a escolhida S/N.
- Pra quê?
- Fechar as portas do inferno.
- As portas do inferno?
- Sim, só você pode fazer isso.
- Espera, tipo os Winchester?
- Quem?
- Do Supernatural. – ofereceu Sook e assenti em acordo.
- Eu não faço idéia do que vocês estão falando.
- É um programa de TV, Namjoon. – Yoongi Mostrou a tv e Namjoon pareceu mais confuso do que antes.
- Espera, e o que acontece se eu fechar as portas?
- Bom, é esperado que os demônios e almas errantes sejam levados de volta.
- Entendi, parece meio fantasioso.
- Mas é real e só você pode fazer isso.
Assenti ainda meio duvidosa de tudo o que ele disse.
Portas do inferno? Demônios fujões, almas errantes, bruxas.
Eu estava literalmente vivendo em um episódio de Sobrenatural.
Olhei para o yoongi e ele sorriu arqueando uma sobrancelha.
Eu... eu precisava pensar.
Voltei-me para o anjo.
- Um... eu posso pensar?
- Pensar? Mas você é a escolhida e... – olhei para o yoongi em busca de ajuda e ele sorriu mais, piscando pra mim, ele se levantou.
- Bem Namjoon, você ouviu, hora de ir.
- Mas... Namjoon... – ele me olhou meio desesperado, mas antes que eu falasse algo, o yoongi já o estava empurrando para o elevador.
Olhei para ele... a bruxa e ela sorriu.
- Foi um prazer S/N, espero que nos vejamos em breve.
- Ah, claro.
- E quer um conselho?
- Acho que sim...
- Não fica de frescura e agarra esse demônio logo, não vai se arrepender. – ela piscou, em seguida sumiu no ar.
Fiquei de boca aberta olhando para o lugar em que ela estava há um segundo.
Mais que dia...
- Doçura, melhor fechar a boca antes que eu coloque algo nela.
Apertei os lábios enquanto o olhava irritada e ele deu um meio sorriso.
- Que pena, outro dia, talvez.
Maldito Demônio!
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...