História Dark world - Capítulo 5


Escrita por: e SnowGirl383

Visualizações 15
Palavras 5.109
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hola Genti de meu corazon. Estão prontos pra mais uma leva dessa fic? Espero que sim, não me xinguem pela demora, foi um capítulo grande e esperamos que gostem, de verdade agora fiquem com a história

Boa leitura povo ^^

Capítulo 5 - Encontro inesperado


Fanfic / Fanfiction Dark world - Capítulo 5 - Encontro inesperado

*Capítulo anterior*

Passei um tempo observando o lugares, depois voltei para internato pois o céu já estava laranja pelo por do sol. Não fui direto para o meu quarto fui para o jardim para ficar relaxando. Só fui tirado do meu cochilo quando sentir alguém se acomodando em meu lado , abrir os olhos e olhei para a esquerda instantâneamente, fiquei em choque nada saía da minha boca.

— É bom te ver também...-Falou sorrindo

*Atual*

Não estava conseguindo falar , como era possível ele está vivo ... Mas desaparecido não significa que está morto e , por que ele não veio me resgatar pois sabia muito bem o que aqueles MONSTROS faziam comigo ...! E o Batista Também , como ele está vivo sendo que acharam o corpo dele no lago .

Não conseguia o responder , a única coisa que fiz foi chorar , minha destra estava em minha boca tentando abafar o choro , a minha canhota está segurando a minha camisa tentando também de alguma forma tentar me acalmar. O que eu iria dizer ...? : Oi que saudades ! Como você pode pode me abandonar !? Que bom te ver ...! minha cabeça está em colapso não irá conseguir falar nada por um tempo . Senti dois braços fortes me envolverem , nem me importei que seria aquela pessoa só me joguei em seus braços , envolvendo meus bracinhos por volta de seu corpo o abraçando forte , esconde o meu rosto em seu peitoral e por algum motivo naquele abraço eu estava me sentindo acolhido . Era como se eu estivesse encontrado o meu "ponto seguro" depois de ANOS . Estava me acalmando de pouco a pouco , meu corpo parecia dormir pois depois de um tempo sentir uma mão macia acariciar minha cabeça ajudando mais a me acalmar .

— *suspiro* está tudo bem, estou aqui agora. — A voz conhecida e acolhedora me fez o abraçar mais ainda escondendo o meu rosto em seu peitoral - eu não queria sair tão cedo dali, o cafuné ainda continuava fazendo os meus olhos pesarem e retirando aqueles pensamentos disformes .

— Por que me deixou ...? Por que não veio me tirar de lá ? eu sofri tanto que... Nem palavras podem descrever — choramingo escondendo o meu rosto na curvatura no pescoço do ser, enquanto alguns suspiros e lágrimas transbordam.

— Eu tentei mas não consegui, havia muita coisa em jogo e se saísse muitas raças iriam morrer, principalmente você ! — Sua voz saiu roca e chorosa , e me vez estremecer um pouco quando relatou que algum podia me matar , mais o que ? além do "senhor" ou a "madame" , que no fundo de meu coração estejam no inferno . — Eu sofri muito vendo você ser tratado como um animal , eu queira ir mas eu estava preso ...! Infelizmente eu e Batista estavamos ...

Nada falei , eu ainda estava em choque por ele está aqui. Vivo , em minha frente depois de anos ! Eu entendi os seus motivos de não ter conseguido me salvar digamos que , o meu orgulho não é lá muito alto ao ponto de encher a minha mente de mentiras e bobagens . Eu só estava aproveitando aquele "ponto seguro" matando a minha saudade e Também angústia que ficaram muito tempo presos em mim. Com a ajuda da Sasa eu consegui esvaziar um pouco mas eu precisa da primeira pessoa que me ajudou quando estava "vivo" digamos assim . Foi o MELHOR dia da minha vida ter conhecido os dois , até Hoje está lembrança está guardada em meu coração .

*flashback : 11 anos atrás*

Eu estava em meu quarto escondido entre minhas cobertas , tentando abafar o choro com o travesseiro , ela usou "aquilo" de novo deixando várias linhas vermelhas em meu corpo , braços , torso , pernas e pescoço . Ardiam e contraíram pelos movimentos que fazia em minha cama . Pensava que aquela tortura física e psicológica iria acabar mas meu "pai" adentra o meu quarto em passos pesados e arrastados em minha direção . Pegou minhas destra de forma brusca , resultado em meu sangue vazando pelas linhas entre seus dedos . Parecia que minha sanidade tinha esgotado pois não sentia nada nem aquela a mão pesada , espremendo meu membro machucado . Meu "pai" parecia querer ouvir os meus choramingos de dor , apertava o meu braço mais e mais em busca de respostas não correspondidas .

me arrastava pelo chão frio da sala , empurrando o meu corpo nos objetos com força , mais uma tentativa falha . Abriu a porta do quintal e me arremessou em direção a terra , como mais uma tentativa falha de me ouvir chorar . fechou a porta irritado fazendo um estrondo assustador , mas na situação que me encontrava nem isso fez efeito algum .

fiquei do mesmo jeito que ele me deixou , jogado no chão de barriga para cima deixando o sol queimar a minha pele . Depois de um tempo comecei me levantar mas estava fraco , "aquilo" além de me machucar drena a minha energia .

conseguir me levantar , fui até a porta na tentativa de abrir mas foi uma perca de tempo , caminhei pelo quintal em busca de algum entretenimento, só que, eu achei outra coisa e bem melhor . Uma passagem escondido no fundo do quintal , tinha algumas vinhas que escondia a fenda muito bem , atravesso minha perna para sentir o chão e presumir se era seguro ou não , acabo atravessando de uma vez parando em uma mini floresta pois logo na frente tinha uma estrada e alguma casas . caminho até lá tomando cuidado com os galhos secos e as pequenas pedras pontudas que podem perfurar a palma dos meus pés .

Eu observava tudo em minha volta , parecia que eu era de outro planeta pois eu admirava tudo e recuava com os objetos de jardinagem que ligavam regando a grama . Estava tão fascinado pois nunca tinha saído daquela casa , o uns únicos lugares que ia era no terraço e quintal e sair do terreno era proibido .

Estava tão distraido que nem percebo o ser em minha frente , acabo esbarrando no mesmo e com o impacto fui para trás já indo em direção ao chão , mas fui impedido pelo mesmo ser que me segurou pela cintura .

— De-desculpa . Eu não o vi... — Sorriu gentil e preocupado , sua atenção foi para as linhas vermelhas em meus braços , seu sorriso foi embora , agora um total feição preocupada surgiu em seu rosto . — Você está bem !?

— E-Estou , não se preocupe . — Não poderia dizer a verdade , ou eles me matariam e como eu sabia disso ? os mesmos me ameaçaram .

— Não ! Você não está nada bem , venha vou te ajudar . — Intimidad com sua elevação de voz , só concordei com a cabeça o mesmo me levou para uma casa - que logo presumir ser a sua - .

Chegando lá me deparo com um garoto , de cabelos cacheados loiro , olhos azuis e pele clara . Assim quando me viu veio correndo em minha direção e do outro garoto moreno que me segurava .

Passaram alguns remédios nos ferimentos , algumas lágrimas caiam de meus olhos mas o loiro me acalmava . Depois de um tempo limpando dos ferimentos , eles cuidaram dos lugares cortados que estavam em quase todo o meu corpo .

— Oi , meu nome é Felipe Batista . mas pode me chamar de batista ou batata . — Concordei — aquele alí é o ... — Sua feição mudou para assustada , mas logo se acalmou — Chame ele de Linny , ok ? — Concordei novamente repetindo o "ok" . — Qual o seu nome ?

— S-Simon Brock . — Falei me contraindo , nunca conversei com ninguém a não ser os meus "pais".

— Prazer em te conhecer . Ou M... Línny vamos jogar alguma coisa ? — Olho para trás e vejo o moreno se aproximando .

— Podemos jogar Gta San Andreas ? que acham — Batista concordar e eu fiquei fazendo uma feição muito confusa . — O que foi... Pequeno , nunca jogou ?

— N-Não .

— pelo menos sabe o que é um , vídeo game ?

— Não . — Os dois me olharam como se estivesse vendo um cadáver desmembrado .

— COMO !? — os dois literalmente gritaram muito alto ao ponto de me fazer contrair , pelo susto.

— Desculpa. — falo preocupado de ter falado algo errado. O moreno passa as mãos em meu cabelo enquanto nega com a cabeça

Acho que iremos ensinar um pouco de cultura para esse garoto .

E assim foi , eles me mostraram o vídeo game e as suas maravilhas . Eu tentava controlar o boneco mas simplesmente ficando olhando e mexendo para os lados aleatóriamente e matando o personagem . Eles riram várias vezes de mim pois ficava me assustando quando algo "inesperado" acontecia no game .

Passei várias horas com eles . Cheguei a dormir no colo de alguns dos meninos , e para minha surpresa era o do Línny . Acordei já era umas 18:30 e provavelmente eu vou morrer , os meus "pais" devem ter indo me procurar no quintal .

Me despedi de todos e vou correndo para minha casa , chegando na floresta faço pequenos cortes na palma dos meus pés . atravesso o muro já me encontrando no jardim , corro fico sentado exatamente onde aquele bárbaro me lascou .

A porta é aberta e frio percorre por minha espinha me fazendo arrepiar .

— Isso é por você ter nos desobedecido . Agora entre ! E só fale quando EU ou sua MÃE mandar ! entendeu ? — Concordei com o medo já estampado m meu rosto .

Ainda fiquei me encontrando com os meus amigos - eles que me disseram - . Passei vários momentos divertidos com eles , Quando souberam o que eu passava em casa eles ficaram com sangue nos olhos mas os impedir , quem iria sofrer as consequências seria eu ou eles provavelmente , e pra piorar eu seria a plateia .

Depois de anos de amizade eu finalmente conseguir a confiança do Línny - que não era o nome verdadeiro - era seu nome era...

*flashback off*

Eu estava acordando de pouco a pouco , sentindo o meu corpo subir e descer , tentava identificar o ser que me carregava mas minha visão estava turva era impossível . Depois de um tempo consigo abrir os meus olhos e visualizar o rosto conhecido esse mesmo me carregava pra algum lugar. Me mexo um pouco em seus braços na tentativa de achar uma posição agradável , mas acabou chamando sua atenção e o mesmo sorri meigo quando notou que eu estava acordado .

— Dormiu bem pequeno ? — deu um riso enquanto eu esfregava os olhos com as costas das mãos .

— Sim . Quanto tempo eu apaguei? — Pergunto rouco e fracamente, é, foi assim que saiu minha voz .

— 1h . Eu fiquei lá no jardim Esperando você acordar mas você demorou então , estou tentando achar o seu quarto . — Simplista como sempre , acabou dando uma risada que pra muitos achariam fofo — Oh santo lobinho , assim eu vômito arco-íris !

— Ah para com isso . Já pode me botar no chão eu lhe mostro o meu quarto . — Falo rindo já tentando me levantar , mas fui impedido por ele mesmo .

— Não . Você vai continuar em meus braços , agora me guie baixinho para o seu quarto . — Falou com um tom divertido que me fez rir e o mesmo me acompanhou .

Passamos uns 30 minutos andando no corredor - quer dizer ele né - . chegamos em meu dormitório , ele tentou abrir a porta mas percebeu que era diferente , eu só encostei o meu pulso na porta a minha pulseira apitou e a mesma abriu sozinha . Mike ficou de boca aberta e eu só gargalhei da sua reação .

Entrou comigo ainda em seu colo , caminhou e me pôs na cama . A porta atrás de nós se fechou automaticamente . Se sentou na minha frente , ficamos nos encarando por alguns segundos mas não me seguirei , o abracei com necessidade e o mesmo me correspondeu .

— Senti tanto a sua falta ! — Falou tão rápido , que nem sei como ele entendeu . para piorar eu estava chorando de alegria .

— Também sentir muito a sua falta ! Nem imagina o sufoco que foi aguentar o Batista sem você . — Ri com o seu comentário . O mesmo estava com a voz trêmula por conta do Choro . Veio um estralo em minha cabeça : Batista .

— Falando nele . Aonde ele está ? — me afastei e fiquei o encarando nós olhos .

— Foi resolver alguns assuntos "pessoas" . — Fez aspas na sua última fala , minha feição foi para confuso e o mesmo percebeu a minha inquietação — A maioria dos amigos deles e meus , já sabem sobre isso . Eu acho que até alguns alunos da escola . — Nada falei apenas assentir e iniciei uma conversa aleatório .

Ficamos horas conversando , ele me disse alguns momentos Ilários que veio ocorrendo com o mesmo . Só fiquei rindo e assentindo em alguns perguntas. Infelizmente não tinha nada de tão interessante para comentar , já que nunca sai daquela prisão antes de partir do mesmo .

No meio da conversa o Perguntei : O por que de ter indo embora sem ter me avisado . Ele me respondeu que : Os Hunters estavam o caçando , fui Obrigado a fugir sem ter tempo de despedida . Franzi o cenho , quem eram esses Hunters , e o que eles queriam ...? Não tive respostas concretas , ele sempre fazia a conversa tomar outro rumo e eu o compreendia muito bem o por que disso .

Já eram 22:30 e amanhã seria o meu primeiro dia de aula - Mike já saiu do dormitório - . Então levantei da cama e fui para o banheiro , quer dizer , suíte pois era imenso . Banheira , Box avançada , Pia peculiar e vaso sanitário no mesmo . Fiquei abismado com aquilo , tranquei a porta atrás de mim e caminhei em direção a banheira . Nunca banhei em uma , e hoje será a minha estreia ! Me despi antes de entrar.

entro na mesma me sentando em uma da pontas, procuro os registradores mas não achei nada só uns botões nas bordas planas. Aperto uns dos botões que é um símbolo de água , pressiono e no mesmo estante uma gosma preencher até o meu peito me fazendo pular e me arrependir , - aquela coisa estava muito gelada - . Depois de um tempo a gosma foi ficando mais líquida até ter uma aparência normal de H²O, começo relaxa pois a "água" estava me massageando, sem querer acabou esbarrando o meu cotovelo em uns dos botões que faz a água borbulha e começando a surgir espuma . Se naquele momento a água estava relaxante, agora parecia que eu estava nas nuvens aquilo estava muito bom .

Depois de alguns horas sai da banheira, nem precisei a esvaziar pois a mesma já fez isso por mim, esse banho longo foi maravilhoso pois o meus músculos relaxarem do recente estresses dos treinos. Vou até a pia mas percebi que esqueci a minha escova de dente, só que misteriosamente a pia abre um compartimento com a minha escova dentro, franzi o cenho mas peguei a mesma a tirando lá de dentro mas, havia uma espécie de película que quando a escova atravesso uma pasta azul claro com pedaços brancos e azuis escuro surgiu , me assustei e fiquei confuso ao mesmo tempo, como aquilo era possível?

Depois de escovar os meus dentes, retornei para o quarto me acomodando em minha cama a mesma era tão confortável parecia que eu estava deitada em uma nuvem. A Opacidade das luzes diminuíram, assim como o meu sono aumentou. O meu ápice chegou me fazendo apagar e só acorda no dia seguinte.

— Olá filho, fico feliz que sua vida tenha recomeçado. Mas só porque levou outro rumo não significa que você irar se livrar de mim ! — A voz carregada de ódio e sarcasmo , era assustadora.

Acordo suado e arfante pelo mau sono, olho prós lados em desespero pensando que a minha liberdade não passava de um sonho. Me acalmei por ver que encontrava em meu dormitório.

Dei um Lei pulo, pois um alarme alto ecoava por todo o quarto. Uma tela holográfica apareceu em minha frente , com duas opções : Soneca ou desligar . optei por desligar pois já era 6:00 hrs . Me sentei na cama fixando a palma dos meus pés no chão gélido de madeira no chão , espreguicei-me e em seguida cocei os meus olhos com as costa das mãos. Levantei-me e fui rumo ao banheiro fazer as minha higienes matinais , mas no box foi meio estranho. pois há água em vez de cair e em linha reta , ficou parecendo um redemoinho em volta do meu corpo .

6:40 , eu já estava a caminho da minha sala de aula vestindo : um moletom branca com uma regata preta por baixo , uma calça moletom preto com vans da mesma e com minha mochila mas costas . Adentrei na sala arrancando vários olhares para mim , engolir seco e andei em passos rápido para uma cadeira no fundão encosta na parede , quando sentei-me percebi o silêncio levantei a minha cabeça e percebi os olhares de todos em minha pessoa meu rosto ganhou a coloração rubor , escondi meu rosto com meus braços tentando esconder a minha vergonha mas ainda sentia o olhar deles sobre mim . Qual era o problema deles !?

Depois de um tempo o professor adentra a sala , e nesse período os alunos voltaram o que estavam fazendo . levantei minha cabeça encontrando os olhos do professor com os meus , sorriu de ladinho quando me ver e piscando o olho esquerdo , por algum motivo sentir meu rosto queimar com esse ato , ele estava tentando me intimidar ?

— Bom dia alunos ! Como vocês já sabem entrou um novo aluno em nosso colégio . — me fitou com um sorriso — apresente-se novato .

Engoli em seco pois os olhares voltaram DENOVO para mim , Meu rosto esquentou e não tive escolha , caminhei apressado para frente . Já na frente da turma , eu estava mais nervoso do que o normal , respirei fundo me acalmando .

— O-oi , Me-meu no-nome é , S-Simon Bro... S-sayuri . — Abaixei a cabeça envergonhado , pois os mesmos ficaram de boca aberta acho que foi pelo sobrenome .

— Uou...! Bom , seja bem vindo a nossa turma , e espero que TODOS o tratem bem ! — Concordaram em coro , voltei para a minha mesa escondendo o meu rosto com as mãos . — Bom , Hoje será a cerimônia de seus futuros familiares , então , se levantem e vão para o ginásio da escola . E Simon , irei lhe enviar alguns dados das suas aulas perdidas . Faça sua conexão e depois me avise . — Conexão ?

Nem tive tempo de perguntar pois todos saíram da sala afobados , quando estava na porta sentir o peso do olhar do professor em cima de mim , apressei os passos tentando sair de sua vista . chegando lá havia várias alunos sentados e outros em pé . avistei uma cadeira vazia então me sentei na mesma .

O diretor do internato ficou no centro do palco , passando os olhos em cima de todos parando em mim , franziu o cenho pois talvez eu tenha percebido um pequeno riso .

— Bom dia alunos ! — Sua voz grave me fez dar um pulo , todos não perceberam pois o responderam em coro . — Hoje iniciaremos a cerimônia dos familiares . Por motivos de seguranças não revelarei minha Indentidade , venha até o baptizator para fazer a adoção do seu familar . — agora me toquei que terei um familiar . como será que esses são? Nunca vi um. — Primeiro seram os alunos superiores ou seja os "S" , venham para cá : Mikhael Línnyker , Rafael Lange , João Victor Negromonte Queiroz, Felipe Zaghetti , Lucas Olioti e Alan Ferreira. — Ele falou alguma coisa nos ouvidos de todos , não conseguir ouvir .

Uns dos alunos convocados foram para perto de alguns objetos estranhos . Um gosma que estava "líquido" se transformou em algum sólido , um agulha .

—Me nomeio : Rafael Lange , Desejo o família que habita minha alma ! — Esse tal Rafael ditou algumas palavras , e de repente um portal que parecia um espelho com cores Azuis e violetas quer ficam mudando de posição a cada segundo , abriu saindo de dentro uma onça "tradicional" . Só que eu pulei quando ela saiu e alguns alunos perto de mim riram de meu espanto.

Assim continuaram : Fê pegou um gavião . Mikaé : tigre . João Victor : Coruja . Lucas : Urso pardo . Alan: Um lendário Dragão-de-Komodo

— Meu parabéns ! Seus familiares são fortes dignos com suas almas . Agora alunos do Rank : "B" .

Foram animas mais mansos com se fossem de estimações .

— Alunos do Rank : "A" ! .

Agora saíram como se fosse maravilhas da natureza , insetos ou outros que não conseguir indentificar .

— Agora encerramos nossa cerimônia e ... — O interrompi , pois não havia me chamado .

— D-desculpa , mas você não me chamou . — Falo com receio pois o diretor parece ser aqueles que não gostam de ser interrompidos .

— Deve ter visto algum engano . Qual o seu nome ?

— Simon Sayuri . — Todos me olham assustados até o Mike , menos o Fê pois ele já sabia .

— O príncipe ! Venha , perdoe minha incompetência .

— Pare ! por favor , assim me sinto mal .

me levanto vou para perto do diretor , ainda incomodado pelos olhares em cima de mim . Chegando perto do diretor ele me disse algumas coisas : Coloque o seu dedo esquerdo na agulha , e repita as palavras já ditas ... Familiar !

Me assustei pois como ele sabia que eu sou um familiar ? Será se ele sabe que sou da Sasa ?... Tomara que não .

Vou até o objeto espetando o meu dedo do braço esquerdo .

— Me nomeio : Simon Sayuri ! Desejo meu familiar que habita em minha alma !

Um porta se abriu mas nada vinha . Aquele demora estava me deixando ansioso . Os alunos começaram a grita "Rank E" ou "é fraco de mais para ter um familiar" . O portal trêmeluzil fazendo todos se calarem , sinto algo me acertando me fazendo ir rumo ao chão , levanto minha cabeça e vejo um lindo filhote de lobo branco em meu peito.

— Meu parabéns ! você recebeu um raro lobo albino , do pelo mais clara do que a própria neve . Ele é digno de um Rank "S" , cuide bem dele . — Alguns alunos ficarem : Impressionados , espantados e assustados por eu ser um "rank S" . — Com essa revira volta encerramos vossa cerimônia , Espero que não comentam o mesmo erro , Simon Sayuri tem um familiar digno de um Rank "S" , não cometeria o mesmo erro ! Adeus . — O diretor desapareceu com cúmulo de fumaça voando para longe .

Todos ainda ficaram abismados com a reviravolta , dei de ombros pois estava sentado no chão ocupado com o meu lobinho . Logo Felps vem em minha direção com aquele sorriso .

— Parece que alguém é poderoso né pequeno? ! Vem lhe levo para o seu quarto . — Fiz o lobo desaparecer e subir nas costas do Fê , o mesmo correu para o meu dormitório . Percebi o olha mortal do Mike em nós, Ciúmes?

Se passaram umas 12hrs desda cerimônia , Fê Saiu já um tempo do meu quarto me deixando sozinho com o meu notebook . Já havia tomado banho então só fiquei assistindo um filme qualquer , Até o sono chegar e eu ser obrigado a dormir .

Acordo com o barulho da porta sendo aberta - só um biip - , Olho para o ser se aproximando de mim , não conseguia visualizar seu rosto por conta da escuridão do quarto . Me encolhe nós lenços pois o mesmo estava chegando mais perto .

— Q-quem é vo-ocê ? — Perguntou trêmulo

Meu nome é Lucas Olioti, prazer, mas pode me chamar de T3ddy- fala bem humorado estendendo sua mão e o cumprimento ainda confuso mas parando pra pensar agora eu acho que vi ele na cerimônia dos familiares

Olá, meu nome é Simon Sayuri, tenho 17 anos, sou novo aqui e espero que nós dermos bem- falo coçando o meu olho direito com as costas da minha mão e depois dando um sorriso meigo

Meu Deus assim eu tenho um ataque de diabetes e morro agora, mas você disse Sayuri?- pergunta o final com um tom surpreso e concordo- Então dividirei o quarto com o tão conhecido príncipe?- pergunta bem humorado e me encolho cheio de vergonha o que é perceptível já que carrego minhas bochechas completamente avermelhadas

Não me chame assim, isso está começando a me aflingir- falo baixo e constrangido para o mesmo que só me olhou confuso

Porque? Ter todos te tratando bem, não ter que se preocupar com nada, deve ser bom ser um príncipe- fala, ele realmente acha que tive isso? A Sasa me dá luxo e a atenção e o carinho que nunca tive na vida mas não é bem um mar de rosas como dizem, os treinos são muito puxado além do meu passado que não para de vir me atormentar, não é como se não fosse grato a Sasa por ela ter me dado essa vida que mesmo Sobrenatural é o mais perto de algo normal e humano que já tive e isso não é algo que algum dia possa pagar

Você não faz ideia do quão difícil é- falo e levanto tentando achar coragem pra começar esse novo dia

#Quebra de Tempo#

Agora é aula em conjunto de Ed.Física e por conhecidencia fiquei com a mesma sala de Fê e do Mike, estamos todos vestindo uma roupa esportiva leve que nos foi dada no começo do dia, ela foi designada nossa roupa dessa aula

Bom alunos- fala o professor com um sorriso no rosto- Hoje teremos uma aula interessante, vocês irão lutar pra eu saber o nível de cada um de vocês e poder determinar um ranking, começaremos com Zagretti e Linnyker- fala e ambos saem do meio do grupo, Fê estava calmo já Mike estava com uma cara concentrada, eles se rondavam como dois grandes felinos prontos pra darem o bote, Mike investe mas Fê desvia com facilidade e acerta em suas costas com seu cotovelo, mas Mike se levanta e dá um soco rápido no rosto de Fê, ele tem um de seus sorrisos mas ele não é igual do que ele dá pra mim é um sorriso frio e desdenhoso

Ele investe e antes de Mike podesse fazer algo Fê já tinha seu rosto perto do pescoço de Mike além das mãos emprensando o tronco dele

Zagretti ganha a rodada assumindo a liderança do placar e deixando Linnyker em segundo lugar- fala e ambos se retirão do tablado na qual lutavam direcionando olhares mortais um para o outro, cada um se postando ao meu lado-Agora quero Langer e...- começa dando uma olhada nos alunos presentes e pregando-os eles em mim antes de dar um sorriso desdenhoso- Que tal a nossa nova celebridade? O príncipe- fala e não me mexo, ficando no mesmo lugar- Não vai andar menino? A luta é pra hoje- fala frio

Não vou ir até me chamar pelo meu nome senhor, não sou um príncipe- falo tão frio quanto o próprio, atitude essa que assusta ambos os meninos que estavam nos meus lados

Ok então, Simon Sayuri- fala firme e com desprezo e me posto de frente pro meu adversário percebendo agora que estou completamente fudido- Vamos lá, lutem- fala e Langer desfere um golpe contra mim

Desvio e respiro fundo, dando um passo pra trás e observando suas investidas que são cada vez mais frequentes e marcadas, até que eu simplesmente agarro sua mão no ar dou uma volta que derruba ele e sento em suas costas colocando uma perna em cada lado do seu tronco o prendendo e coloco minha boca em seu pescoço, paro e levanto vendo todos em minha volta encabulados inclusive o professor que tinha a boca no chão, o único que não tinha uma cara surpresa era Fê que estava com um sorriso satisfeito no rosto, estendo minha mão pro Langer que a aceitou de bom grado, olho pro professor que continuava sem fala e parecia ter algo no olho de tanto que ele piscava

Be-Bem Simon Sayuri assume o segundo lugar no ranking enquanto Langer fica no terceiro lugar- fala antes de dispensar eu e Langer que fomos ficar com Fê

Por que todos estão me olhando dessa forma?- pergunto baixo pra Felps já incomodado com tantos olhares

Porque não é normal que um novato derrote um veterano que ainda é "Rank S" com tanta facilidade e muito menos esse menino ser o mesmo que desafiou o professor e ah quase esqueci ele também não é parente, de forma mais específica um familiar de um dos monstros se não o monstro mais forte do mundo Sobrenatural- fala simples com outro sorriso antes de Langer se colocar do teu lado

Parabéns Simon- fala bem humorado e sorrio pro mesmo

Cell esse é Simon, e Simon esse é Cellbit- Fê nos apresenta e ficamos conversando os três a aula toda, mas não deixei de perceber que Mike não saiu do meu lado todo o tempo e ficou nem um pouco satisfeito quando subi nas costas de Felps pra ir pro refeitório- Vem baixinho- fala Fê me puxando pela mão quando chegamos lá para comemos logo

Mas você é esfomeado em Felps- falo e ele só dá de ombro ainda me puxando pela mão atrás dele até a frente da fila- Que coisa é essa?- pergunto e ele sorri

Privilégios de "Rank's S" -fala sorrindo e fico infeliz- O que foi baixinho?- pergunta e dou de ombro

Eu não sou "Rank S"- falo e ele sorri da minha cara

Era só isso? Pelo que tudo indica você é sim "Rank S", nenhum outro Rank poderia tirar o familiar que você tirou- fala já comendo da bandeja que ele faz e sorrio de sua afobação- Agora- fala depois de sair-mos da fila- Eu vou te mostrar a melhor parte do internato- fala e olho pro mesmo dando permissão para continuar- Meus amigos- fala indo pra uma mesa do fundo recheada de gente e sorrio- Isso vai ser divertido- fala antes de me puxar pra mesa


Notas Finais


E foi isso, o lobo do Simon é a foto do capítulo, que coisa mais fofa ^^
Agora vou escrever minha one e já começar a irritar o Kamy pra começar o próximo :D

Capítulo feito por: @Kamyops e @SnowGirl383
Revisado por: @SnowGirl383


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...