História Darkness of family - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Bruce Wayne (Batman), Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel (Harley Quinn / Arlequina), Pamela Lillian Isley / Poison Ivy (Hera Venenosa), Personagens Originais, Selina Kyle (Mulher-Gato)
Tags Batman, Drama, Harley Quinn, Joker, Romance, Sexo, The Joker, Violencia
Visualizações 344
Palavras 3.099
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leituraaaaaaaa ❤️❤️

Capítulo 34 - Eu vou sozinha


Fanfic / Fanfiction Darkness of family - Capítulo 34 - Eu vou sozinha

Harley Quinn 

 

-Acordei assustada, ofegante e chorando descontroladamente. Que diabos aconteceu? Eu estava sonhando? Na verdade, tendo um pesadelo. Meu pudinzinho me abandonou? Por que ele faria isso? O que está acontecendo? As lágrimas continuam escorrendo pelo meu rosto enquanto as vozes não param de me perturbar. 

-Harley, você está bem?     -Hera gritou. 

-Eu pareço estar bem? Eu não vou mais fingir. Eu não vou mais dar sorrisos falsos. Cansei! Eu não estou bem! Já faz um bom tempo que eu não estou bem.     -Gritei e joguei o vaso de vidro no chão. 

-Harley, você precisa se acalmar.    -Hera disse tentando se aproximar, mas eu joguei um objeto qualquer em sua direção e ela desviou. 

-Não se aproxima de mim! Você está aqui para estragar a minha vida. Vai embora! Por que você me fez ter aquele pesadelo? Meu pudinzinho me abandonou! Por que você iria querer que isso acontecesse comigo?     -Gritei o mais alto que consegui. 

-Porque ele é louco! Ele é insano! Ele é mau! Ele e sádico! Ele não te ama!        -Hera gritou. 

-Para de dizer isso! Eu sei que ele é tudo isso, mas ele me ama sim! Acredite se quiser. Eu não ligo. A vida é minha. As escolhas são minhas. Você não tem que se meter. Me deixa em paz!     -Gritei. De repente alguém me agarrou por trás e eu comecei a me debater. 

-Harley, sou eu. Fica calma, doidinha. Sou só eu.     -Rocco sussurrou em meu ouvido e eu parei de me debater. Ele me virou de frente para ele e depois me soltou. 

-Por que?     -Gritei. 

-Por que o que?    -Ele perguntou. 

-Por que...      -Tentei falar mas não consegui. Comecei a chorar novamente e o abracei. 

-Shhh... Está tudo bem.     -Rocco disse acariciando meus cabelos. 

-O que aconteceu? Por que eu tive aquele pesadelo?      -Perguntei ainda chorando.

-Foi só um sonho ruim. Aquilo não aconteceu e nunca vai acontecer. Eu trabalhei pro Joker muitos anos e eu sei que ele te ama.    -Rocco disse. 

-Rocco!     -Hera gritou. 

-Ele te ama mais do que você imagina. Eu já o vi muitas vezes enchendo a cara nas boates arrependido de ter batido em você. Ele gosta de torturar. Não vou dizer que não. Mas ele não gostava de te machucar. Ele odiava, aliás, odeia. Mas ele é assim. Eu não sei porque estou defendendo o Joker. Você sabe que eu o odeio. Mas... Eu me importo com você, doidinha. E eu sei o quanto você o ama também.        -Rocco disse e eu o abracei novamente. 

-Por que a Hera não consegue aceitar isso?     -Perguntei. 

-Porque...    -Hera tentou dizer mas Rocco a interrompeu. 

-Eu vou conversar com ela. Deixa comigo.     -Ele disse. 

-Eu vou te levar para casa.       -Rocco disse. 

-Eu quero ir para casa o mais rápido possível. Quero ver o... 

-Ele não está em casa, Harley. Ele está no Arkham.    -Rocco disse e eu o olhei confusa. 

-O que? Como assim? Como você sabe?    -Perguntei confusa. 

-Está em todos os jornais. Ele se entregou.     -Rocco disse. 

-Por que ele fez isso? Por que... Será que... Ele... Ele se entregou porque não queria me machucar? Machucar nossos filhos? Ele se sacrificou por nós? De novo? E você ainda diz que ele não ama ninguém.     -Falei para Hera. 

-Harley, ele... 

-Cala a boca!     -Gritei. 

-É melhor você ir para casa.    -Rocco disse. 

-Não! Eu vou para o Arkham. Você me levando ou não.    -Gritei. 

-Eu vou te levar. Não quero que você saia sozinha estando desse jeito.     -Ele disse. 

-Então vamos.    -Falei encarando a Hera com uma expressão raivosa enquanto ela me encarava com reprovação. Ignorei e saí com Rocco. Eu sei que ela não aprova minhas escolhas. Mas não me interessa. Ela não manda em mim. Eu amo o Joker querendo ela ou não. Ela gostando ou não. Sinto muito. A vida é assim. Não controlamos nossos sentimentos.

 

Joker 

 

-Sai daí, seu idiota! Vai ficar se sacrificando por causa daquelas pessoas que só atrasam a sua vida? Que só te deixam fraco? 

-Você não quer machucar sua família. Você está fora do controle. Fique aí e arrume um jeito de consertar isso. 

-Pensando na vida?       -A maldita Batgirl apareceu de repente me fazendo fugir de todos os meus pensamentos. 

-Minha vida não é da sua conta.    -Falei. 

-Tá irritadinho, é?     -Ela perguntou debochada. 

-Não. Eu estava pensando e você me interrompeu.      -Falei. 

-Não finja que não está doidinho para saber o que está acontecendo com você. Eu sei que isso está te matando por dentro.      -Ela disse e eu gargalhei. 

-Não finja que não está doidinha para me contar.     -Falei. 

-Eu não vou te contar nada. A menos que você me pergunte. Se você quiser mesmo saber, vai ter que engolir todo seu orgulho e me perguntar. Você quer saber se você tem conserto. A resposta vai ser sempre "não" se você não perguntar.    

-Eu não tenho conserto, docinho. Eu sou estragado.      -Falei. 

-Você mesmo já desistiu de você. Estou desapontada.    -Barbara disse e eu revirei os olhos. 

-Desisti de mim?     -Falei e comecei a gargalhar. 

-Minha vida é perfeita, docinho. Eu não preciso de mais nada. Aliás... Na verdade eu preciso. E você pode me dar exatamente o que eu preciso. Por que não entra aqui e faz o que você faz melhor? Hein?      -Perguntei sorrindo maliciosamente e me levantei. 

-Eu não vou entrar aí.      -Ela disse e eu gargalhei. 

-Está com medo de mim, amor?    -Perguntei. 

-Eu não tenho medo de você. Nunca tive.    -Ela disse e se afastou. 

-Sim, você tem. Tanto que você fugiu.    -Falei. 

-Eu fugi porque você ia me matar.     -Ela gritou. 

-Hum... Sabe... Eu ri quando você fugiu. Você apenas nem sequer me deu o trabalho de me livrar de você. Você mesma já fez isso. Eu gostaria de te agradecer por isso.     -Falei debochado.

-Você realmente não mudou nada.    -Barbara disse. 

-Por que eu mudaria?     -Perguntei.  

-Pela sua... 

-Família?     -A interrompi. 

-Sim.   -Ela disse. 

-Eles são só distração.     -Falei. Óbvio que não é verdade. Eu só não quero mostrar para as pessoas a minha fraqueza. 

-Eu não acredito em você. Se você realmente não se importasse com eles você não estaria aqui. Não teria se entregado.    -Ela disse e eu gargalhei novamente. 

-Você acha mesmo que eu me entreguei para protegê-los? Eu me entreguei para me livrar deles. Para respirar. Eu só estou aqui porque quero e posso sair a hora que eu quiser.     -Falei. 

-Sei. Mas enfim... Sua vidinha medíocre não me interessa. Eu só queria vir aqui e rir da sua cara.    -Ela disse e cuspiu na minha cela. 

-Você acha que isso me atinge? Que me deixa triste?    -Perguntei em um tom sarcástico e fiz um biquinho. Depois comecei a rir. 

-Eu quero que você morra aí sozinho.    -Ela disse. 

-Você ainda me ama. Então me responda uma coisa, amorzinho. Quem fez isso comigo? Porque você não teria a capacidade de fazer isso sozinha.      -Perguntei. 

-Eu não te amo. Eu nunca amei. Eu só estava apaixonada por você. No momento que eu fui embora, a paixão foi comigo.     -Ela disse. 

- Não me convenceu e não respondeu a minha pergunta.    -Falei. 

-Quem você acha que está por trás disso? Não é óbvio?       -Ela perguntou. 

-Hera.    -Falei e bufei de raiva. 

-Exatamente.    -Ela disse e sorriu. A encarei com ódio e comecei a socar as grades até minhas mãos sangrarem. Até que decidi parar e comecei a gargalhar. 

-Se ela acha que vai conseguir colocar minha Harley Quinn contra mim, ela está muito enganada.      -Falei gargalhando. 

-Depois diz que não se importa com ela. Óbvio que você se importa. Você se importa com o que a Harley pensa de você. E se importa muito.     -Ela disse.

-Claro que eu me importo. Eu nunca disse que não me importava. Quem disse isso foi você.     -Falei. 

-E a parte do "eles são só distração"?     -Ela perguntou. 

-Você acreditou mesmo nisso? Eu amo minha monstrinha. Eu amo meus filhos. E eu não me importo em dizer isso. Cansei de usar máscara.       -Falei e pude ver lágrimas em seus olhos. 

-Awnt. Fiz a bebezinha chorar? Está tristinha porque você não foi nada para mim além de uma transa?     -Perguntei debochado e comecei a rir. 

-Eu odeio você!    -Ela gritou. 

-Eu amo quando as pessoas me dizem isso. E além disso, essa frase é muito familiar para mim. Sabe quem vive me dizendo isso? Batsy. Vocês são realmente muito parecidos.      -Falei sarcasticamente e ela me encarou com ódio. 

-Você vai morrer sozinho.     -Ela disse. 

-Eu não, docinho. Você vai. Porque ao contrário de você, eu tenho alguém.     -Falei. 

-Quem disse que eu não tenho?   -Ela perguntou. 

-Se tivesse não teria vindo atrás de vingança.    -Falei. Ela me encarou com ódio e saiu irritada. Me sentei no chão novamente e comecei a gargalhar insanamente. É tão engraçado o fato das pessoas serem tão transparentes. Elas nem sequer sabem mentir. Todos os sentimentos estão estampados na cara delas. Quer saber? Eu não vou mais ficar aqui. Eu sei me controlar. Eu não vou machucar minha meus filhos. Eu não vou machucar minha monstrinha. Não de novo.   

 

Harley Quinn 

 

-Eu e Rocco saímos da casa da Hera e fomos direto para o Arkham. Eu ainda estou toda suja porque nem deu tempo de tomar banho. Pelo menos meus machucados já estão com curativos graças à Selina. Meu pé está bem melhor. Pelo visto tinha sido só um mau jeito mesmo. Obviamente não posso entrar no Arkham Asylum assim normalmente pela porta da frente. Se eu fizer isso vão me prender na hora. Afinal, sou a segunda mais procurada por eles. Só perco para o Joker. 

-Como vamos entrar, doidinha?    -Rocco perguntou. 

-Você não vai entrar. Chega de de meter em encrenca para me ajudar. Vai para casa. Fica com a Hera. Apesar de tudo que ela fez, eu me preocupo com ela. Eu vou entrar sozinha.    -Falei. 

-Não, não vai. Ficou maluca, Harley? Você acha mesmo que vai conseguir se livrar de todos os seguranças sozinha?    -Ele perguntou. 

-Eu não acho. Eu tenho certeza. Agora vai embora.   -Falei. 

-Já disse que não vou para lugar nenhum.    -Ele disse. 

-Se você não for por conta própria, eu vou fazer você ir. Sinto muito.    -Falei e dei um soco nele. Ele cambaleou e me olhou sem entender nada. Dei mais dois socos e ele desmaiou. Me sinto mais forte. Por que será? Bom, não sei. Deixei o Rocco lá e entrei no Arkham pelos fundos. Eu conheço cada canto desse lugar. Sei exatamente onde os guardas ficam. Entrei e corri em direção a eles. Comecei a lutar com todos que estavam ali. Não é só impressão, eu realmente estou mais forte. Mas como? Eu não fiz nada. Eu nem sequer treinei. E ainda por cima estou machucada. Como diabos eu estou mais forte? Quebrei o braço de alguns guardas, atirei em outros e soquei e chutei os demais. Após acabar com todos eles fui até a área de segurança máxima. Comecei a enfrentar mais guardas até que faltava só um. Comecei a lutar com ele até que de repente levei um soco na cabeça. Tinha um guarda atrás de mim. Eu não tinha visto. Caí do chão e eles começaram a me chutar. Segurei na perna dois dois e os joguei no chão. Sinceramente não sei como eu fiz isso. Tecnicamente, isso é impossível. Mas enfim... Atirei na barriga dos dois e me levantei. Fui até a cela e vi que está vazia. 

-Pudinzinho?     -Falei. Ele não está aqui. Onde será que ele se meteu? 

-Procurando o seu amado pudinzinho?     -Dr. Arkham perguntou debochado. 

-Onde ele está?      -Gritei. 

-Bem longe daqui, querida. Ele fugiu.     -Ele disse e gargalhou. 

-Você está mentindo. O que você fez com ele?     -Gritei e agarrei seu pescoço. 

-Eu juro por Deus que eu não sei onde ele está. Ele fugiu.    -Ele disse me encarando assustado. Tirei seus pés do chão e ele começou a chorar. 

-Eu juro que eu não sei, Harley. Por favor não me mata.    -Ele implorou. 

-Claro que eu não vou te matar. Acha mesmo que eu vou perder a oportunidade de te ver agoniado porque foi incapaz de impedir que uma mulher humilhasse você?     -Perguntei e o soltei. Comecei a gargalhar e dei um tiro em sua coxa o fazendo gritar. 

-Você é nojento.     -Falei e cuspi em sua cara. Depois saí gargalhando e dando pulinhos. 

 

 

Joker 

 

-Saí do Arkham e fui direto para casa da Hera. Arrombei a porta e entrei. Ela estava sentada no sofá e se levantou rapidamente quando me viu entrando. 

-Como... O que você está fazendo aqui?    -Hera perguntou me encarando confusa. 

-Eu entro e saio do Arkham a hora que eu quiser e você sabe disso. Então não fique tão surpresa. Agora, o que eu estou fazendo aqui? Isso você tem razão em perguntar. Não tinha como você saber que sua nova amiguinha Batgirl iria te entregar, não é mesmo?    -Perguntei ironicamente e comecei a gargalhar. 

-Do que você está falando?    -Ela perguntou. 

-Você sabe muito bem do que eu estou falando. Você fez isso comigo. Fique sabendo que eu sei me controlar.     -Gritei. 

-Sabe tanto que largou a Harley machucada numa floresta para morrer.    -Ela disse me encarando com fúria. A encarei com o mesmo olhar e me aproximei. 

-Você não sabe o que está dizendo. Não foi isso que aconteceu.     -Falei. 

-Ah, não? Então me explica.     -Ela disse debochada. Apertei seu pescoço com toda minha força e ela me empurrou. 

-Você sabe que não pode me machucar, Joker. E agora não poderá machucar a Harley também.     -Ela disse e eu a encarei confuso. 

-O que a Harley tem a ver com isso? Não me diga que... 

-Sim, eu usei o soro na Harley. Agora ela vai revidar. Agora ela vai se defender de você. Você não vai mais machucar ela!    -Hera gritou. 

-Filha da mãe! Vadia!     -Gritei. 

-Me chame do que você quiser. Pelo menos agora eu sei que a Harley não vai mais apanhar de você. E o melhor de tudo é que ela não terá controle. Então ela vai revidar. Mesmo que ela não queira. O corpo dela vai mandar ela revidar. Ela não terá escolha. Acabou para você, Mr. J.       -Ela disse meu nome em um tom sarcástico e eu a encarei com um olhar raivoso. 

-Você pensa que me venceu? Eu ainda não acabei!      -Gritei. 

-Não se aproxima dela!    -Rocco chegou de repente. 

-Ownt, que fofo. Defendendo a namoradinha.     -Falei debochado e gargalhei. 

-O que houve com o olho?     -Hera perguntou para Rocco se referindo ao olho roxo. 

-Foi a Harley. Ela entrou no Arkham sozinha. Não consegui impedir.    -Ele disse. 

-O que?     -Perguntei nervoso. 

-Ela enlouqueceu? Ela está mais forte, mas ainda pode morrer. Ela ainda sente a mesma dor que antes. O soro é apenas para deixá-la mais forte. E ela nem sabe que eu apliquei nela. Ou seja... 

-Eu vou tirá-la de lá agora antes que seja tarde demais.    -Gritei. 

-Se já não for tarde demais.    -Hera disse com lágrimas nos olhos eu a encarei irritado. 

-Cala a boca! Isso é culpa sua! Se alguma coisa acontecer com ela eu juro pela vida dos meus filhos que eu mato você, Hera!     -Gritei e saí correndo. Esse maldito soro foi criado pela Hera anos atrás. Ela aplicou nela mesma para ficar mais forte e se defender de mim e de todos os outros. Vadia! Por que ela tem que ficar se metendo na minha vida? Desgraçada! Estou sentindo como se todos estivessem com armas apontadas para minha cabeça. 

 

 

Selina Kyle 

 

-Depois que terminamos de tomar banho naquele rio colocamos nossas roupas novamente e continuamos andando. 

-Vai ficar me olhando ou vai se mexer para encontrar a Harley?      -Perguntei para Johnny e ele me olhou sem graça. 

-Eu não estou te olhando. Estou olhando para o chão.    -Ele disse tentando disfarçar. 

-O chão fica mais para baixo. E não na altura da minha bunda.    -Falei. 

-Para de falar e anda.     -Johnny disse e eu ri internamente. O celular dele tocou e ele atendeu imediatamente. 

-Claro, Mr. J. Estou a caminho.     -Ele disse e desligou. 

-O que houve?    -Perguntei. 

-Ele já sabe onde a Harley está. Ela está no Arkham.      -Ele disse e eu o encarei confusa. 

-Presa? Como ela foi para lá?    -Perguntei sem entender nada. 

-Eu não sei se ele está presa. Não sei de nada. Só sei que o Joker me mandou ir para lá.     -Ele disse. 

-Eu vou com você.     -Falei. 

-Não vai não. É perigoso.    -Ele disse e eu revirei os olhos. 

-E desde quando você se preocupa comigo? E eu sei muito bem me virar sozinha.     -Falei e ele revirou os olhos. 

-Tudo bem. Mas fique sabendo que eu não vou salvar você.    -Ele disse e eu gargalhei. 

-É bem mais provável que você precise ser salvo.      -Falei. 

-Até parece. Vamos logo.     -Ele disse. Fomos correndo até que finalmente saímos dessa floresta.  Pegamos o carro do Johnny e partimos o mais rápido possível. 

 

 

Joker 

 

-Cheguei no Arkham. Quando eu ia correr até a porta dos fundos, vejo Harley gargalhando e dando pulinhos saindo pela porta principal. Como? 

-Pudinzinho!     -Ela gritou e veio correndo até mim. Me abraçou fortemente e eu retribuí. 

-Eu sempre soube que você é doida, mas não tanto assim. O que deu em você para entrar aí sozinha?     -Perguntei segurando em seus braços. 

-Eu precisava tirar você desse lugar horrível. Você não precisava ter se entregado por... 

-Shhh... Eu não queria ter te machucado daquele jeito. Me desculpa.    -Falei. 

-Não foi culpa sua. Você estava fora de si.    -Ela disse. 

-Eu poderia ter me controlado, Harley. Eu não fui forte o suficiente.    -Falei. Estou me sentindo um fraco agora. Mas não importa. Eu devo desculpas a ela. 

-Já passou, pudinzinho. Esquece isso. Eu tenho uma novidade.    -Ela disse animada. 

-Ah, é? Me conta.     -Falei. 

-Eu estou mais forte. Na verdade pode ser só impressão minha, mas... Eu acabei com todos os seguranças do Arkham e eu não faço ideia de como eu fiz isso sozinha.    -Ela disse. 

-Eu sempre soube do que você é capaz.    -Falei e sorri. Eu não vou contar para ela do soro. Eu sei que se ela souber vai ficar com medo de me machucar e pode fazer alguma loucura com ela mesma. Eu ainda estou com esse problema da dupla personalidade. Mas pelo menos agora eu estou tranquilo sabendo que se eu ficar fora de mim novamente e tentar machucar ela... Ela vai se defender. 

-Vamos para casa, pudinzinho? Brincar um pouco?      -Harley perguntou sorrindo maliciosamente. 

-O que estamos esperando?      -Perguntei sorrindo maliciosamente e fomos gargalhando para casa.


Notas Finais


HOT 😈😈. Aiiii já tô vendo tudo. Imagina os dois fora de si se enfrentando 😱😱. Muita tretaaaa! Socorro. Johnny e Selina 😏😏. Prevejo hot. Hera enchendo o saco, mas eu gosto dela. E vcs? Gostaram do cap?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...