História Das Fases da Lua - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Fred Weasley, Gui Weasley, Jorge Weasley, Minerva Mcgonagall, Nymphadora Tonks, Personagens Originais, Remo Lupin, Severo Snape, Sirius Black
Tags Harrypotter
Visualizações 18
Palavras 2.225
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Lobos Lupin


Fanfic / Fanfiction Das Fases da Lua - Capítulo 6 - Lobos Lupin

Mesmo sendo proibida de continuar com o hábito de adormecer na torre, Artêmis foi informada da nova senha da sala comunal, diferente de Neville, mas a bruxa anotou a senha na parte de trás do livro de Herbologia do garoto, pedindo que ele não contasse a ninguém sobre aquilo.

Os trasgos na frente do quadro da Mulher Gorda, agora restaurada, ainda olhavam torto para ela quando saía tarde da noite de lá. Mas naquela noite ela não se demorou muito na sala comunal, o rosto vermelho por estar correndo.

Ela não sairá de Hogwarts o ano todo por causa dos Dementadores, passava mal perto deles e por isso passava as tardes lendo pelos arredores da escola, entretanto Fred sempre tentava convencê-la de acompanhá-los antes de ir a Hogsmeade. Foi isso que a fez estar correndo até a sala do irmão.

Remo a encarou um pouco intrigado quando ela chegou arfando na sala, o peito doendo pelo esforço físico e pela respiração.

“Você sabe que não pode ficar correndo Ártemis..."ele disse num tom sério, então sua feição suavizou “Achei que os Weasley haviam lhe convencido dessa vez”

“Na noite que Sirius Black invadiu a torre da Grifinória, eu ouvi Fred dizer algo como: Aluado, Rabicho, Almofadinhas e Pontas” Remo abaixou o livro que segurava “existe pouca coisa que os gêmeos conseguem esconder de mim, precisei de pouco para descobrir sobre o Mapa do maroto…”  os olhos do bruxo pareceram um pouco surpresos “Aluado me lembra em demasiado você, e Severo me disse várias vezes que você tinha um grupo de três amigos...”

“Eu…” Remo suspirou “Preciso te contar uma história, que eu já deveria ter contado antes” ele puxou uma cadeira “Sobre quando eu estudei em Hogwarts”

Artêmis encontrou a porta da sala entreaberta, ela encontrou o mapa do maroto aberto sobre a mesa de Remo, o nome dele perto da casa dos gritos, e o de Snape indo na mesma direção. Ela já havia se convencido que algo estava errado antes de ler o nome de Pedro Pettigrew e Siruis Black junto com Hermione, Rony e Harry no mapa.

Não conseguir correr a deixou em desvantagem, quando ela finalmente encontrou o grupo eles já haviam saído pelo Salgueiro Lutador. Ela arfava e tinha o rosto vermelho pelo esforço.

“Artêmis" Lupin estava algemado a Pedro e a Rony, ele puxou os dois quando correu até ela “Você veio correndo?”

“Não, eu não conseguiria” ela encostou a cabeça no ombro dele “Podem me explicar depois o que aconteceu? E por que Snape está desmaiado”.

“É claro” ele acariciou o cabelo dela “Não precisava correr até aqui”

Ela viu o bruxo logo atrás dele, ele tinha uma massa de cabelos imundos e embaraçados caíam até seus cotovelos, a pele macilenta estava tão esticada sobre os ossos do rosto, que ele parecia uma caveira. Mas os olhos cinzas eram os mesmos do cão, ele a encarou por um tempo calado, até que ela sorriu.

“Oi Sinistro”

“Artêmis" ele respondeu “Você ainda parece alta, mesmo eu estando em pé”

“Você é ainda mais magro na forma humana”

“Não é o momento para isso” Remo disse segurando a mão da irmã com força “Vocês conversam depois”

Em silêncio eles avançaram pelos jardins, as luzes do castelo crescendo com a aproximação. Snape estava flutuar de maneira fantasmagórica à frente de Sirius, o queixo batendo no peito. Artêmis ia mexer nele até que uma nuvem se mexeu, Remo apertou sua mão com mais força.

Inesperadamente surgiram sombras escuras no chão, e o grupo foi banhado pelo luar. A bruxa se moveu antes que pudesse perceber, ela rompeu a algema que prendia o irmão a Pettigrew, ela encarou Sírius.

“Tire as crianças daqui, eu cuido de Remo” ele pareceu relutar “Confie em mim, eu lido com ele a 12 anos”

Sirius puxou Harry e Hermione para longe, ela tirou o irmão de perto deles antes que transformasse. A cabeça de Remo começou a se alongar, e seu corpo também. Os ombros se encurvaram, pelos brotavam visivelmente de seu rosto e suas mãos, que se fechavam transformando-se em patas com garras.

A bruxa pegou rapidamente o vidro da bolsa e jogou em si algumas gotas do aroma antes que se visse cara a cara com o lobo. Ela fazia aquilo desde que era criança, mas normalmente não havia outras pessoas perto deles, era apenas os dois.

“Está tudo bem” ela disse calma e carinhosamente, e se ajoelhando estendeu  mão para ele.

Ele deu um passo à frente, cheirando o ar, ele correu para os braços da bruxa, Artêmis viu Hermione arfar de medo a frente dela, o lobo virou a orelha para eles mas ela acariciou sua cabeça.

“Apenas nós dois, como todas as noites, só nós dois” ela disse tentando acalma-lo.

Mas o vento não queria cooperar com a mentira da bruxa, ele veio contra ele trazendo o cheiro dos garotos, Remo fugiu de seus braços, o lobo correu na direção dos garotos quando outro lobo um pouco menor que Lupin, e de pelagem clara o atacou, o jogando para longe.

Ela rosnou para ele deixando claro que não o deixaria tocar nos meninos, lobo a atacou decidido que ela não ficaria no seu caminho, em dado momento o cão preto a atacou também, os três abocanhando um ao outro. Eles foram seguindo até o lago, se afastando dos garotos quando sem querer Sirius lhe deu uma patada forte no rosto, arranhado-lo e fazendo a bruxa cair, um pouco desnorteada, ela se transformou em humana novamente.

As vestes de bruxa estavam rasgadas e os braços cheios de arranhões, o rosto tinha um enorme corte no nariz que se alastrava até o lado esquerdo do rosto, o lobo parou, ele encarou a imagem de Artêmis no chão, que não se movia ou fazia sons pela dor, o lobo choramingou colocando o focinho no rosto da bruxa, ele moveu seu rosto mas ela nada fez, ele uivou antes de se distanciar deles.

A bruxa sentiu o frio de longe.

“Dementadores” ela disse com dor, tentando se mexer “Sirius...”

O bruxo estava caído a poucos centímetros dela, a bruxa se arrastou até ele, ela esticou a mão para tentar tocar seu rosto. O frio estava penetrando suas entranhas, a névoa começando a obscurecer sua visão; eles não estavam somente surgindo da escuridão por todo o lado; estavam cercando-os. Ela escutou uma discussão, uma mulher chorando e de repente um clarão vermelho cruzando seus olhos, ela desmaiou.

 

A bruxa acordou na enfermaria, esperou que Madame Pomfrey saísse rapidamente dali para sair, ainda era de noite e provavelmente Remo ainda estaria perdido na floresta, achando que a matara ou coisa pior. Artêmis já havia se esquivado pela janela quando escutou que a enfermeira havia voltado, ela parecia falar com Snape.

“Eu avisei que ela fugiria assim que acordasse” o professor disse num tom frio “Ela não perderia a oportunidade de sair correndo atrás do irmão”

“Eu não sei como a menina conseguiu brigar com um lobisomem, mas sinceramente é impressionante que esteja de pé… Eu nem havia curado o rosto dela...” a enfermeira disse mal humorada.

Ela não esperou para ouvir mais, se transformou em lobo e correu pela floresta atrás do irmão. Artêmis havia conseguido se transformar em enimago em seu quarto ano, ela teve muita sorte de ter conseguido o feito antes de entrar para o time de quadribol, por que seria impossível de outra forma. Teve a ajuda de Remo, ele se lembrava dos erros e acertos de Sirius e James haviam lhe ajudado muito quando tentou se transformar sozinha, talvez tivesse pensado tanto em Lupin por todo o processo que acabará por transformar-se em um lobo.

Não que ela precisasse, no primeiro mês em que Remo havia se transformado, o lobo conseguiu fugir do quarto em que o bruxo se trancará. Ele havia se prevenido, e também trancado Ártemis, mas por algum motivo a porta abriu e quando a menina abriu os olhos o lobo a encarava na cama. Entretanto o animal não a atacou, os dois acreditavam que fora um conjunto de coisas que ajudaram para aquilo: o fato de Artêmis  coincidentemente estar usando um cobertor que Remo usava para dormir e ter ficado com o cheiro do lobo; o fato da menina não ter sentido medo dele; e o fato do próprio bruxo já gostar dela, ele conseguiu convencer o lobo de que Artêmis era um filhote, que não apresentava perigo a ele.

Mesmo assim ele acreditava que ela não deveria abusar da sorte, e a vez prometer que evitaria o lobo… “Acidentalmente” Artêmis o deixava entrar todas as noites de transformação, ela sentia que com o tempo o lobo foi ficando cada vez  mais à vontade com ela. Isso convenceu o irmão a ajudá-la a se tornar um enimago, assim ela não ocorreria tanto riscos perto dele. Mais o lobo ainda preferia sua versão humana a lupina.

Quando sentiu o cheiro dele ela voltou a forma humana, o peito doendo levemente pelo esforço físico.

“Remo!” ela chamou andando pelas sombras da floresta “Remo, eu estou bem, estou aqui!”

O lobo apareceu de repente, ele correu  para os braços dela, choramingando enquanto a bruxa se ajoelhava para abraçá-lo, seus dedos trêmulos pelo frio acariciando suas orelhas. Os olhos dela se encheram de lágrimas.

“Pensei que eles pudessem tê-lo machucado” ela o sentiu lamber a orelha “Não, lobo bobo” ela o puxou “Você não me machucou”

Não foi difícil levá-lo para mais perto do castelo, ela se sentou perto de uma árvore e deixou o lobo dormir com a cabeça nas pernas dela, enquanto ela acabou adormecendo com o calor do pelo dele. Acordou pela manhã, e com o irmão ainda sonolento o puxou para o castelo.

Ele subiu as escadas com ela sem dizer uma palavra, até que os dois estavam na sala dele novamente, enquanto a bruxa cuidava dos machucados que ela e Sirius produziram.

“Fui eu que machuquei você?” ele perguntou segurando o rosto da bruxa.

“Não, foi Sirius” Artêmis puxou o rosto, voltando a cuidar do irmão“Ele me acertou acidentalmente...”

“Foi o que me fez tomar controle do lobo” ele disse com tristeza “Eu pensei que você estivesse morta”

“Remo…”

“Sempre foi egoísta da minha parte querer que você me fizesse companhia em minhas transformações e… Eu poderia tê-la matado...”

“Eu queria te fazer companhia” ela tocou seu ombro “sabia os riscos, eu aceitei”

“Você era uma criança” ele empurrou a mão dela “ Eu contei a você, quando James, Sirius e…” ele fez um som parecido com um rosnado “Me faziam companhia, eu me tornava menos perigoso. Meu corpo ainda era o de um lobo, mas minha mente se tornava menos lupina quando estávamos juntos. Pensei que você seria capaz do mesmo, e eu estava certo, você foi capaz de não apenas amar a mim mais ao lobo também… Acho que ele nunca soube o que era isso, ser amado, ser querido por alguém; Mas eu sabia que era perigoso, você não seria uma criança para sempre, eu sabia que ele poderia um dia não ver você mais como um filhote… Deveria ter te afastado antes”.

“Chega” ela se ajoelhou na frente dele “Várias famílias me recusaram, foi o lobisomem entre todos os outros bruxos que me deu uma chance” a bruxa pegou a mão dele “Eu amo você, isso inclui todas as partes, dos roncos ao lobo, entendeu?”

“Você realmente tinha que tocar nesse assunto?” ele riu.

Alguém bateu na porta, Dumbledore entrou na sala.

“Ah você o trouxe de volta. Bem, eu preciso infelizmente interrompê-los, são notícias das quais vocês devem saber”

 

Artêmis havia acabado de conversar com Prof McGonagall quando avistou as cabeças ruivas correndo no corredor, a professora olhou com desaprovação para os alunos.

“Sem correria aqui Weasley’s” ela disse no mesmo instante“Eu entendo a situação, mas espero que não se repita mais Srt Lupin” e dito isso ela voltou a sua sala.

“Você vai embora também?” Jorge perguntou.

“O que a Professora Minerva queria?” disse ao mesmo tempo Fred.

“Calma meninos” ela tocou os ombros deles “Eu não me demiti, vou acompanhar Remo agora, mas estarei aqui o ano que vêm… Agradeceria muito se dissessem aos outros”ela sorriu “Eu fico encantada que gostem tanto assim de mim”

Os dois ficaram sem graça.

“Todos queriam saber e nós achamos melhor vir logo” Fred começou.

“Nada demais” Jorge disse passando a mão no cabelo.

“Bem, o que me lembra, eu devolvi algumas das bombas de bosta que havia confiscado de vocês...  Não acharia mal algum se algumas aparecerem na porta de Snape” ela piscou para eles.“Aliás acho que já larguei alguma com pirraça pela manhã, eu acho que ele entendeu bem o recado”

Os dois sorriram, ela se virou para ir embora quando as mãos deles tocaram seus ombros.

“Vai haver a Copa Mundial de Quadribol agora no verão…” um deles disse sem que a bruxa conseguisse distinguir quem.

“Vocês vão?” ela perguntou.

“Papai geralmente arranja entradas no ministério” eles disseram se entreolharam “Você poderia vir conosco, sabe Gui provavelmente também vai, você disse que queria vê-lo…”

“Eu aceito, mas…” ela sorriu “Diga a Sr Weasley que ele não precisa me arranjar entradas” e dito isso ela beijou a testa dos dois e saiu correndo “Preciso realmente ir”

Os dois ficaram parados no corredor por alguns instantes.

“Não devíamos ter falado de Gui”

“Não devíamos”


 


Notas Finais


Vou explicar ainda por que Artêmis não consegue correr sem sentir dor.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...