1. Spirit Fanfics >
  2. Date >
  3. Eleven

História Date - Capítulo 12


Escrita por: nabelatrix

Capítulo 12 - Eleven


Fanfic / Fanfiction Date - Capítulo 12 - Eleven

- Identificação? - um dos seguranças perguntou brincando. Eles já te conheciam de tempos, já que você sempre estava com os meninos - Mas ele, quem é?

- Tsukishima Kei - o loiro falou confuso, não entendia os seguranças na casa de Kuroo.

- Kenma deve estar muito de cara - você disse ao entrar no local. Pelo menos trinta pessoas estavam naquela casa.

A casa em si era grande. Kenma fazia bastante sucesso em suas streams de jogos e vlogs. Já Kuroo acabara de terminar a faculdade e agora fazia mestrado, enquanto trabalhava para um laboratório renomado, por conta de suas excelentes notas na faculdade.

- Tá, mas os seguranças? - Kei perguntou ainda confuso.

- Ah! Por causa do Bo, né. - você falou como se fosse óbvio.

- Bokuto? - ele perguntou apertando os olhos.

- Sim. Ele é famoso, achei que você soubesse - você falou andando entre algumas pessoas - Por que você joga vôlei e tal…

- O que isso tem a ver? - ele continuava confuso.

- Porque ele é o ace da seleção de volêi - você parou para encarar Kei - do Japão.

Os olhos de Tsukishima se arregalaram. Apesar de achá-lo familiar, Kei não sabia exatamente de onde. E como Bokuto estava com o cabelo para baixo na balada, ele não o havia reconhecido. 

Para não chamar a atenção dos paparazzi, Bokuto geralmente usava o cabelo para baixo ou óculos escuros, que evitavam o reconhecimento imediato. E aparentemente era eficaz, já que havia funcionado com Kei.

- Você tá me dizendo que aquela pessoa - Tsukishima apontou para o ace, que dançava em cima de uma mesa com Kuroo - Aquela pessoa ali, é Bokuto Koutaro?

Você riu com a expressão incrédula do maior. Bokuto e Kuroo tentavam fazer movimentos parecidos, mas sem o mínimo de sincronia. Akaashi pedia para Bokuto descer da mesa, enquanto outras pessoas tentavam imitar os garotos.

- Sim. E o Akaashi é o assessor dele - você apontou para o moreno que tentava puxar Bokuto para baixo.

- Mas isso dá certo? Tipo, ser namorado e assessor? - Kei perguntou ingenuamente.

- Eles não namoram - você estava se divertindo com as expressões que Kei fazia. 

- Como assim?! - ele exclamou alto. Após um momento assimilando as informações, ele continuou - Só falta você me dizer que Kuroo e Kenma também não namoram!

Você apenas levantou as sobrancelhas, fazendo com que Kei soltasse um suspiro em derrota. Você riu.

- Eles não namoram? - o loiro insistiu, achando que você poderia estar mentindo.

- Quem não namora? - Kenma se aproximou, mexendo em algo em seu celular.

- Você e o Kuroo! - Tsukishima exclamou, fazendo com que o menor arregalasse os olhos, bloqueando instantaneamente o celular e encarando Kei.

- P-porque você acharia isso? - Kenma gaguejou um pouco, ficando levemente vermelho.

Tsukishima olhou para você, em busca de apoio.

- Eu sei - você concordou com o mais alto, fazendo Kenma arregalar mais ainda os olhos.

- Sabem o que? - ele parecia desesperado por uma resposta.

- Se você não sabe, não vai ser a gente quem vai contar - você entrelaçou sua mão ao braço de Kei - Vamos.

Kenma apenas os observou se afastando, tentando juntar as peças do quebra-cabeça.

- Mas você vê mesmo? - Kei perguntou.

- Sim. Mas acho que nem Kuroo nem Bokuto vêem - você apontou para os dois em cima da mesa.

- TSUKKI! - Kuroo gritou, fazendo todos da festa olharem para vocês. Kei apenas acenou com a cabeça.

- (S/N)! - Bokuto desceu rapidamente da mesa, vindo ao seu encontro. Te levantando no ar, ele a girou, fazendo você gargalhar.

- Tudo bem? - você perguntou quando ele te pôs no chão.

- Tudo ótimo - ele sorriu largamente, mas Akaashi não tinha a mesma expressão.

- Faz uns dez minutos que tô pedindo pra ele descer - ele falou sério.

- Mas eu quero me divertir! E aqui só tem amigos… - Bokuto fez bico.

- Mas e se uma foto vaza, Bokuto-san! Você sabe que é perigoso… - Akaashi tentava não magoar o amigo, que já fazia expressão de choro.

- Você nunca deixa eu me divertir - ele se escorou em Kuroo, que passou a mão pelas costas do amigo, consolando-o - Você é chato!

Você percebeu na hora como Akaashi ficara chateado, a expressão séria se tornou triste.

- Desculpa - ele murmurou antes de se afastar bruscamente.

- Caralho hein Koutaro - você o repreendeu assim que Akaashi saiu.

- O que? 

Você apenas balançou a cabeça, puxando Kei pelo braço até a cozinha.

- Viu como eles parecem um casal, até brigam como um - Kei falou abrindo o freezer, em busca de gelo.

- Mas você percebeu como Bokuto não percebe as coisas? Não acho que ele não sinta o mesmo, mas com certeza não tem ideia do que Akaashi sente.

- Tipo, como alguém não percebe que tem alguém apaixonado por ele? - Kei falou colocando gelo em dois copos - Tipo… é tão óbvio!

Você assimilou as palavras que ele acabará de dizer. Óbvio. Será que seus sentimentos eram óbvios para ele?

- Que foi? - ele perguntou te encarando. Você tinha parado de prestar atenção no que ele dizia.

- Ah… tava pensando - você falou entregando a garrafa de rum para o loiro.

- Em que? - ele colocava a mesma quantidade nos dois copos.

- Se eu ficar perto de você, o sinal do celular é melhor? - ele franziu as sobrancelhas - Tipo uma antena.

Você levantou a mão, fazendo menção a altura dele. Ganhou uma revirada de olhos em resposta.

- Qual é! Foi engraçado - você cutucou a cintura dele, fazendo-o contrair o corpo.

- Eu nem sei por que eu pergunto - ele preencheu os copos com Coca-Cola e te entregou um.

Colocando as coisas na geladeira, você o observava até ser interrompida por Kenma.

- Akaashi tá lá fora chorando e eu não sei o que dizer pra ele, porque ele não me diz o motivo - Kenma agora segurava uma bebida azul.

- Eu vô lá - você tomou um gole generoso da sua bebida, enquanto seguia o caminho indicado por Kenma.

Akaashi estava sentado no chão, pernas encolhidas em direção ao peito, rosto molhado.

Assim que se abaixou, envolveu o amigo em um abraço, fazendo com que ele voltasse a chorar. Kenma observava de longe.

- Você sabe que ele não tá falando sério, né? - você disse passando a mão pelo cabelo de Akaashi.

- Mas ele tá certo, eu sou chato! - Akaashi disse entre soluços. Apesar de não demonstrar, ele era extremamente sensível.

- Tá, mas imagina se você não fosse - você ainda o abraçava - Imagina a vida dele.

- Ia ser bem mais divertida - ele fungou o nariz.

- Ele provavelmente ia estar morto - você afastou o corpo de Akaashi - E se não estivesse, com certeza não seria parte da seleção, já que ele tem ideias "geniais" a cada dez segundos.

Akaashi limpava o rosto com as costas da mão.

- Você tá considerando o pensamento do Bokuto Bêbado. O mesmo Bokuto que apostou que conseguia andar na água.

Akaashi soltou risinhos baixos.

- E depois falou que tava se afogando e quando você entrou pra salvar ele, o lago dava pé - você concluiu, fazendo Kenma, que observava de longe, rir.

Akaashi levantou o rosto e você sentou à frente dele. Analisando suas expressões, você soltou um suspiro.

- E ele gosta de você, Akaashi. Se não gostasse, não era seu amigo desde sempre - você olhou dentro dos olhos do amigo - Ele gosta de você, mesmo.

Olhando para Kenma, que segurava o copo com uma mão e o canudo com outra, você se pronunciou.

- Tá na hora dos dois tomarem uma iniciativa, porque se depender do Kuroo e do Bokuto… - você levantou, bebendo mais um gole de sua bebida.

- Do que você tá falando? - Kenma perguntou fingindo desentendimento.

- Vocês sabem exatamente do que eu tô falando - você disse entrando na casa, deixando os dois pensativos.

Lá dentro, você cumprimentou algumas pessoas e conversou com outras, mas nenhuma delas era quem você procurava.

Seus olhos atravessaram o cômodo, encontrando aquele por quem buscava. Ele escutava alguma besteira que Kuroo falava, sorrindo de leve. Correndo os olhos pelo lugar, seus olhares se encontraram.

Um sorriso maroto se formou nos cantos de seus lábios, e sua cabeça se moveu voluntariamente para o lado, como um pedido para o garoto te seguir.

Sem pensar duas vezes, Tsukishima murmurou algo a Kuroo, que a princípio não entendeu o motivo da pressa, o que foi solucionado assim que viu o amigo indo atrás de você.

Andando pelos corredores, você olhou para trás, tendo certeza que Tsukki a seguia. Fazendo o caminho para o andar de cima, você soltava risinhos baixos. Kei a seguia, alienado às suas intenções.

Quando achou o banheiro, deixou a porta aberta ao entrar, um convite para aquele que a seguia.

Ao entrar no cômodo, o loiro não pensou duas vezes, trancando a porta atrás de si.

Virando-se, Kei olhou de cima para você, que corria os olhos pelo corpo do maior. Com passos firmes, ele caminhou até você, impedindo que qualquer coisa fosse dita.

Com as mãos em sua cintura, o loiro depositou beijos suaves em seu pescoço, fazendo com que leves gemidos escapassem de seus lábios.

Correndo a mão por sua nuca, Tsukishima puxou seu cabelo com delicadeza, curvando sua cabeça para trás. 

O momento foi interrompido por batidas calmas na porta, uma voz baixa chamou por alguém.

- Kuroo? - a voz de Kenma era questionadora.

- Não, (S/N) - você tentava afastar Kei, que continuava beijando seu pescoço. Você sorria com a ousadia do loiro.

- Kuroo sumiu… - Kenma parecia incomodado e levemente bêbado - É que tem dois caras que não tão na lista na frente, mas juram que foram convidados. Já tem tanta gente aqui que eu nem ligo… mas tem o Koutaro, né. Você conhece? Acho que era Hinata e Kage-alguma-coisa…

Tsukishima interrompeu os beijos para te encarar sério, com uma expressão de "eu avisei que você não devia ter chamado".

- Não - ele mexeu a boca, sem deixar que o som saísse. Você sorriu, gostava de contrariar o loiro.

- São amigos do Kei! - quando você disse isso, Kei soltou um longo suspiro, pegando o óculos da bancada. Você pulou do lugar e abriu a porta com um sorriso, surpreendendo Kenma, que ficou mais surpreso ainda por ver Tsukishima saindo do banheiro também.

Kenma queria perguntar mil coisas, mas ficou calado, segundo vocês até a porta de entrada. Vocês se depararam com Hinata batendo um super papo com os seguranças, enquanto Kageyama parecia prestes a ir embora.

- Pode deixar eles entrarem, garotos - você disse aos seguranças - São meus amigos.

- Tá bem, mas sem fotos hein! - um dos seguranças falou sério.

Hinata e Kageyama assentiram, seguindo vocês pra dentro da casa.

- Por que não pode tirar foto? - Kageyama perguntou confuso.

- Tem um amigo nosso que é- 

- MEU DEUS É O BOKUTO KOUTARO! - Hinata congelou no lugar, apontando para o garoto.

Kageyama seguiu a direção que Hinata apontava, seus olhos esbugalhando assim que encontraram o jogador.

Você achava engraçado, pois às vezes esquecia que Koutaro era famoso.

Hinata chacoalhava Kageyama, tentando ressuscitar o amigo do transe.

- Vamos lá, eu apresento vocês - você disse caminhando até Bokuto, que virava um copo de tequila. 

Os garotos da Karasuno seguiam atrás de você, meio animados e meio nervosos. Você cutucou as costas do jogador.

- Bo, esses aqui são Hinata Shoyo e Kageyama Tobio - você abriu espaço para os dois, que apenas o encaravam abismados.

- HEY! Peraí - Ele se virou e entregou dois copos pequenos com tequila para os recém chegados - SAÚDE!

Bokuto virou mais um shot e, logo em seguida, olhou para os dois, esperando que virassem a bebida. Kageyama analisava o pequeno copo, mas, assim que viu Hinata virando o dele, tomou a bebida sem pensar duas vezes.

Fazendo caretas, os garotos devolveram os copinhos a Bokuto, que sorria em aprovação.

- Gostei deles! - ele disse colocando os copos na mesa - Bokuto Koutaro.

- É ELE MESMO - Hinata falou saltando em volta de Kageyama - SOU UM GRANDE FÃ!

- Vocês são de onde mesmo? - Bokuto sorria, apesar de bêbado, continuava carismático.

- Amigos do Kei - você respondeu.

- "Amigos" é uma palavra meio forte - Tsukishima terminou o copo que segurava.

- Amigos do Tsukki?! Então são meus amigos também - Bo sorriu abraçando os meninos.

- Tsukki? Você conhecia Bokuto Koutaro e não apresentou pra gente? - Kageyama franziu o cenho. Tsukki apenas o olhou de canto e se afastou, puxando você junto.

Kei andou até a sala, procurando um lugar para sentar.

- Eu queria fazer mais um copo pra mim - você disse, tentando superar o volume da música que tocava. Kei estendeu o copo dele para você, pedindo um refil também.

- Eu vou sentar ali - ele apontou para um sofá vazio no meio da sala. Você concordou com a cabeça e foi até a cozinha.

Voltando à sala, você percebeu que Bokuto, Hinata e Kageyama conversavam baixo sobre alguma coisa.

- Tão cochichando o que? - você os surpreendeu, fazendo com que os três pulassem para trás.

Hinata e Kageyama se entreolharam, enquanto Bokuto apenas apontou para a sala, onde Tsukishima conversava com uma garota. Uma garota que corria a mão pela perna dele.

Você não tinha direito de sentir ciúmes, afinal nem namoravam. Ele podia ficar com quem ele quisesse. Mas por que a sua mão direita tremia de vontade de jogar a bebida na cara daquela menina?

Hinata e Kageyama alternavam olhares entre você e os dois no sofá. Para eles, vocês namoravam. Então isso queria dizer que jogar uma bebida nela seria aceitável, já que vocês namoravam, certo? Não era por ciúme que você estava pisando forte no caminho até eles, certo? Era apenas o seu trabalho.

Certo?

Enquanto você se aproximava, escutou Tsukishima dizendo:

- Já pedi para tirar a mão daí - ele pegava a mão dela e afastava, mas a garota insistia.

- E você é quem? - você perguntou sorrindo, entregando a bebida para Kei. O mesmo se assustou com sua aparição repentina.

- Uma amiga da faculdade - Kei se antecipou, ainda tentando retirar a mão da garota de cima de si.

- Amiga? Amigos não faziam o que a gente fazia no banheiro da faculdade.

Ela tinha sorte que violência era crime.

- Ah! Então você entende? - você levantou uma sobrancelha, ainda sorrindo.

- Entendo o que? - ela perguntou correndo a mão pela perna dele.

- Que vocês faziam. Faziam - você forçou o final da palavra - no passado. 

Seu sorriso desapareceu e a menina apertou os olhos.

- Quem você pensa que é? - ela perguntou levantando o tom de voz.

- Eu sou quem você nunca vai ser - você disse a matando com o olhar - E eu sugiro que você tire a mão dele.

Kei estava se divertindo. Estava surpreso com sua atitude, é claro, mas também estava gostando. Ou melhor, estava achando atraente.

- Ou você vai fazer o que? - ela levantou, mostrando que era claramente mais alta que você.

- Eu vô te deitar na paulada - você se aproximou da ruiva - Você é alta mas não é duas, vagabunda.

- Tá bom, meu pinscher raivoso - Kei gentilmente pegou seu pulso, puxando-a para seu colo. O ato inesperado a fez arregalar um pouco os olhos, mas a vontade de bater na ruiva era maior.

- Eu vou arrancar a tinta desse cabelo no soco - você tentou levantar, mas Tsukishima a afundou mais em seu colo.

- Eu sei - ele afastou o cabelo de sua nuca e depositou um beijo na mesma, fazendo seu corpo inteiro estremecer - Você fica tão gata quando tá brava…

Os beijos continuaram, fazendo com que você desistisse da resistência.

- Você tem sorte, se meu namorado não fosse tão forte - você tentou escapar mais uma vez, sem sucesso - Eu já tinha te destruído.

- Namorado? - ela pareceu chocada - Vocês namoram?

- Por que eu ia ficar com ciúmes de alguém que nem é meu namorado? - você falou mais para você mesma do que para ela.

- Desculpa, eu não sabia que ele tava namorando - a menina disse se curvando.

- Agora sabe - ele posicionou o queixo em seu ombro.

A garota, claramente envergonhada, se afastou. Você a seguiu com o olhar, até ela sumir do cômodo.

- Pinscher, é? - você virou o olhar para Kei, que tentou segurar a risada, mas não conseguiu - Vai se foder!

Sorrindo, você tentou sair do colo dele, mas foi impedida por seus braços.

- Onde você pensa que vai? - ele perguntou mordendo sua nuca de leve, fazendo com que arrepios percorressem seu corpo.

- Já tá assim, é - você perguntou virando o rosto para encará-lo.

- Assim como? - ele levantou o olhar lentamente. Ali estava: o olhar sedutor e intimidador.

- Assanhadinho - você deixou um sorriso maroto escapar.

- Eu sou assim sempre, você que não percebe - ele reclinou-se no sofá, percorrendo as mãos por toda sua cintura antes de afastá-las.

- Já vi que vou ter que dirigir hoje - levantou-se e encarou Tsukki - Mas a ruivinha sabe dançar assim?

Você começou a fazer movimentos um tanto quanto ridículos, arrancando risadas de Kei. Juntando-se aos movimentos bizarros, Bokuto tentava seduzir o loiro, que balançava a cabeça enquanto apertava a barriga.

- Perdeu, (S/N)-san - Bokuto corria as mãos dos pés até a cintura - Impossível resistir a isso aqui.

- Tá bom - você sorriu perversa para Bokuto - Então o Akaashi é meu.

Você saiu correndo e gritando o nome de Akaashi, enquanto Bokuto a seguia, gritando “NÃÃÃOO”.

Passando pelo corredor, você avistou um Akaashi assustado e confuso pelas gritarias. Correndo até ele, você tentou o abraçar, mas Bokuto a segurou antes que completasse o ato. Puxando-a para trás de si, Bokuto abraçou Akaashi, que corou instantaneamente.

- ELE É MEU! - Koutaro virou para te encarar, não soltando o moreno - Vai lá com o Tsukki.

- Ué, achei que queria o Kei - você cruzou os braços, levantando as sobrancelhas em tom de provocação.

- Não lembro, não fiz. É o Akaashi, sempre - Bokuto mostrou a língua.

- B-Bokuto-san… Seu o que? - Keiji estava confuso e extremamente vermelho.

- Meu na- - Bokuto se interrompeu no momento que percebeu o que iria falar.

- E meu trabalho aqui está feito - você se virou, sorrindo marotamente pela situação que havia causado.

Saindo da cozinha, você esbarrou em um Kenma muito bêbado.

- Eu odeio ele - o loiro disse terminando a bebida que carregava em seu copo - Eu… odeio.

- E eu presumo que “ele” seja Kuroo - você ajeitou uma mecha de cabelo atrás da orelha dele.

- Por que ele é assim? - Kenma tirou o celular do bolso e te entregou - Cuida.

Todas as vezes que Kenma ficava bêbado, era obrigatório que a internet fosse tirada do alcance dele. Da última vez que Kenma bêbado fora deixado a sós com o celular, criou uma briga desnecessária com outro streamer. Com um único tweet, a briga durou cerca de um mês já que, mesmo não tendo mencionado o nome do streamer diretamente, todos sabiam de quem ele falara.

- O que ele fez agora? - você guardou o celular de Kenma em seu bolso da calça.

- Faz meia hora que não vejo ele - Kenma olhou para seu copo vazio - Vem fazer mais um copo comigo.

Segunda regra de Kenma bêbado: não tente controlá-lo demais. Ele sabe seus limites e fica extremamente irritado quando alguém tenta regra-lo. Se ele acha que pode beber mais, deixe.

- Certeza tá com alguma vagabunda - ele falou para dentro, mas você ouviu.

- Ken- 

- Você acha que existe alguma chance de o Akaashi querer me dar um beijo? - Bokuto te interrompeu sussurrando isso no seu ouvido. Kenma não percebeu, pois estava pegando mirtilos da geladeira.

- Bo, quando você quer uma resposta, o que você faz? - você encostou as costas na bancada ao lado do fogão. O tom foi alto o suficiente para Kenma virar a atenção para vocês.

Bokuto tentava achar a resposta da pergunta, quando Kenma respondeu. Ele já havia escutado essas palavras saírem de sua boca o suficiente para sabê-las de cor.

- Você pergunta - o tom de Kenma foi repreensivo, mas para si mesmo.

Tanto Bokuto quanto Kenma ficaram pensativos, até Bokuto virar bruscamente na intenção de encontrar Akaashi. O ato fez com que Koutaro esbarrasse em uma menina que passava, fazendo com que a bebida que ela carregava se espalhasse pela camiseta do menino.

- Me desculpa, Bokuto-san! - ela levou a mão até a boca. Bokuto se desculpou também, já que a culpa era dele. Nesse momento, Akaashi entrara na cozinha.

- AGAASHEEE - Bokuto choramingou apontando para a blusa molhada.

- Meu Deus, Bokuto-san! - Akasshi se aproximou - Vamos pegar uma camiseta do Kuroo.

- Como que eu vou perguntar se não consigo achar a desgraça - Kenma perguntou depois dos meninos saírem em direção ao quarto. Kenma era extremamente reservado, mas conseguia se abrir com você. E você também sabia que podia contar com ele.

Nesse momento, Poker Face da Lady Gaga começou a tocar e um sorriso enorme se alastrou pelo rosto de Kenma. Ele pegou sua mão e te arrastou para a sala, onde vocês começaram a dançar com outras pessoas. Você dançava ao redor de Kenma, que ria com seus movimentos. Posicionando seu indicador nos lábios de Kenma, você cantou um pedaço da música, o que fez com que Kozume a puxasse pela cintura para perto de si. Com os corpos colados, vocês desceram até o chão cantando.

Uma vez de pé, você ficou de costas para Kenma, que com as mãos em sua cintura, continuava os movimentos sincronizados. Quase no final da música, você encontrou o olhar de Tsukishima, que já estava terminando sua bebida. Ele não parecia bravo, mas também não parecia muito contente em te ver rebolando para Kenma. Se aproveitando disso, você colou o corpo ainda mais no garoto que, notando a expressão de Kei, fez questão de puxar seu cabelo e sorrir para o loiro.

Regra número três de Kenma bêbado: não o contrarie. Se você mostrar que está insatisfeito com algo, ele torna a sua vida um inferno. Quando Tsukishima fechou o rosto para vocês, Kenma viu ali uma forma de entretenimento gratuito. Tomando um gole de sua bebida azul, Kozume a virou, fazendo você quase encostar os seus lábios nos dele.

- Ele deve tá me odiando agora - Kenma levantou seu queixo com o indicador - Uma pena ele não saber que eu tô adorando.

Um sorriso malicioso surgiu no canto de sua boca. Você balançou a cabeça, sorrindo junto com o loiro. Com a mão livre em sua cintura, o loiro terminava de cantar a música. Você sentiu outro corpo encostando em suas costas, fazendo com que você virasse a cabeça.

- Teru! - você virou para encará-lo - Não sabia que você tava aqui.

- Acabei de chegar e já tô adorando a festa - ele colocou uma mão em sua cintura, enquanto a outra alcançava o rosto de Kenma.

Terushima era o clássico “atira para todo lado". Se você bobeasse, acordava em sua cama pela manhã. Foi assim que Kenma o havia apresentado para você. Como resposta, Terushima apenas disse “é verdade”.

- Ouvi dizer que o senhor Oikawa já era - ele aproximou mais os corpos.

- As notícias correm tão rápido assim? - você segurava a cintura dele.

- A gente podia fazer um negocinho hoje, né? - Terushima alternou olhares entre você e Kenma.

- Negocinho? - Kenma apertou os olhos.

- É - Terushima sorriu maliciosamente, deixando claro que o negocinho era sexo. Kenma riu de leve.

- Não custa tentar - ele deu de ombros e colocou a língua para fora - Vai dizer que nunca quiseram saber qual é a sensação.

Ele se referia ao seu piercing. Você e Kenma gargalharam, fazendo Terushima sorrir e piscar para Kenma. Você olhou para Kei, que tentava claramente manter a calma.

- Talvez na próxima - você saiu do meio daquele sanduíche. Kenma também pensou em parar, mas Terushima o puxou para mais uma dança. Apesar de fazer tudo aquilo com você, Kenma era extremamente tímido perto de outras pessoas. E com Terushima não era diferente.

- E você, gatinho? - Terushima afastou uma mecha do rosto de Kenma, segurando firma a cintura do mesmo - Cadê seu cão de guarda?

- Cão de guarda? - Kenma perguntou um pouco vermelho, por conta da proximidade de Terushima.

- Sr. Tetsuro - ele olhou ao redor, como se procurasse o moreno.

- Ah… não sei - Kenma abaixou a cabeça, deixando evidente sua inquietação.

- Se eu fosse ele, não te deixaria sozinho nenhum minuto - Terushima levantou o rosto do menor. Kenma corou intensamente, fazendo o loiro sorrir de canto, achando fofo o nervosismo. Passando o polegar pelos lábios de Kenma, Yuji aproximou mais os corpos.

E foi nesse momento que Kuroo entrou no cômodo.

Você não havia visto toda essa cena, pois estava caminhando até Tsukishima. Apenas viu o olhar de Kuroo se tornar enfurecido e seus passos apressados até os meninos. Vendo a cena, Tsukishima se levantou rapidamente, percebendo ali que estava bêbado.

Virando seu olhar para os dois meninos, você percebeu o que estava acontecendo. Tsukishima se aproximou de você, apoiando a mão em seu ombro.

- O que você acha que tá fazendo, Terushima? - Kuroo afastou o loiro do menor, fazendo algumas pessoas se afastarem.

- Dançando - Terushima disse sarcasticamente - E você? Acha que tá fazendo o que?

- Protegendo o Kenma! - o moreno disse como se fosse óbvio.

- Não sabia que ele precisava ser salvo. Desculpa Kenma, se te incomodei - Terushima pediu sinceramente.

- Quem tem que pedir desculpas é o Kuroo - Kenma disse baixo.

- O que Ko? - Kuroo levantou o rosto do menor. Algumas lágrimas se formavam em seus olhos, mas nenhuma escorreu.

- Eu disse que você é quem tinha que pedir desculpas - ele estava claramente chateado. Não pela interrupção, mas pelo fato de ele ter sumido.

- O que? Pedir desculpas por quê? Ele quem tava todo em cima de você! - Kuroo parecia confuso.

- Talvez isso não tivesse acontecido se você estivesse aqui - Terushima passou a mão pelo cabelo - Conta pra gente, onde você tava Tetsuro?

Kuroo hesitou em contar a verdade. Não eram necessárias palavras, já que seu pescoço estava vermelho. Mas Kenma queria ouvir da boca dele.

- O gato comeu sua língua? Ou foi gata? - Terushima provocou - Engraçado... Te vejo por aí, Ken.

Terushima piscou para Kenma e se afastou. Kuroo tentou falar com Kenma, mas o mesmo correu para o andar de cima, sendo seguido pelo moreno.

- Achei que ia ter que entrar numa briga - Kei suspirou - Eu acabei de perceber que não tô sóbrio o suficiente para isso.

Você sorriu, vendo que o maior não só apoiava a mão ali, mas tentava manter o equilíbrio.

- E não gostei de você rebolando pra outro - o olhar de Kei ficou sério - Só pode fazer aquilo comigo.

- Ou o que? - você gostava de provocar o maior.

- Só comigo - ele segurou seu rosto com uma mão. Ali estava: o olhar dominador. Você sorriu maliciosamente, puxando o maior para a cozinha.

Calmamente, Kei levantou seu corpo, posicionando-o na bancada ao lado do fogão. Você retirou os óculos dele, permitindo que suas mãos percorressem livremente o rosto garoto.

Um beijo calmo lentamente se tornou exasperado, desejando conhecer cada canto de sua boca. Suas mãos agarraram o pescoço do loiro, implorando por mais.

Entrelaçando suas pernas no quadril de Tsukishima, você o trouxe para mais perto, sentindo o membro rígido do loiro.

Com a respiração ofegante, você separou o beijo, puxando o pescoço de Kei ao encontro de sua boca. Deixando leves marcas no lugar, ele sussurrou seu nome lentamente, fazendo com que arrepios percorressem seu corpo.

- Você não quer… - ele afastou seus rostos - ir embora?

Um sorriso se formou no canto de seus lábios e você concordou com a cabeça.

 


Notas Finais


VOLTEI!
Desculpa a demora, mas ta aí.
Vou tentar postar mais enquanto o Narutinho ta pequeno.
Obrigada por me acompanharem , vocês são uns nenês ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...