1. Spirit Fanfics >
  2. Dattebayo () >
  3. 6B Encontram os pais

História Dattebayo () - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


(Um detalhe interessante que eu gosto de por nas ficks com múltiplos narradores assim é que posso por o ponto de vista deles, e nem sempre estão certos. Cabe a vc leitor ver o ponto de vista e tirar suas conclusões. Você pode ate discordar deles. Era para ter essa aparte em FB no cap anterior, mas a transição estava ficando muito ruim então fiz o Mitsuke contar, ate por que estava mudando de time sem fazer a narrativa dele. Por que estava muito sem idéias do que o fazer falar. Bjs.)

Capítulo 13 - 6B Encontram os pais


Fanfic / Fanfiction Dattebayo () - Capítulo 13 - 6B Encontram os pais

Tudo estava muito interessante mesmo.

Meu pai... Ou melhor criador, já havia me contado sobre a existência de jutsus temporais, mas nada de um nível tão grande como este que enfrentávamos. No máximo vi pessoas capazes de fazer o tempo ser parado brevemente e ainda em um local especifico como se criassem bolhas temporais e neste espaço pudesse controlar tudo, nunca imaginei que alguém um dia pudesse transitar entre ele assim. É ate... assustador.
 

Mas estes dias ele havia me chamado para falar justamente disto o que me fazia entender que ele de alguma forma já sabia que isso iria ocorrer comigo. Pensava se ele tinha algum envolvimento ou se isso era o tipo de viagem no tempo que precisa acontecer para o fluxo temporal seguir naturalmente. O problema era que tudo a minha volta indicava o oposto..........

Mas como não tinha certeza de nada achei melhor ficar quieto; afinal o grupo ainda não tinha aceitado o fato de eu ser filho de um inimigo de Konoha como o Oroshimaru havia sido.

                                                                   Então apenas fiquei ouvindo suas explicações.
 

Boruto corria para tantos lados que ate aprecia que tinha mais de um dele ali.

Ele foi tentar ver o que ouve com o amigo e logo voltou para apartar a briga que começava. ― Vocês são dementes! Calma! ― Ele berra e por incrível que parece isso é o suficiente para todos pararem e o olharem.

― Você pode se explicar? ― Aquela pergunta do Sasuke criança mais pareceu uma ordem e ele meio que fica o olhando por um tempo com se tentasse reconhecer o mestre que tanto admirava naquele guri da sua idade. ― Fala de uma vez! Que palhaçada toda é essa?

― Nós não podemos falar com vocês. P-por f-favor saia daqui. ― O Lee era uma fofura quando ficava assim.                  Mas ele é totalmente ignorado pelo Uchiha pai.

― Não da mais para esconder. Viemos do futuro agora vão embora antes que saibam alem do que podem e estraguem o seu próprio futuro. ― Este Shiki era um ser curioso que ainda não tinha conseguido conhecer direito.

Como ele conseguia ter um teikeitouta de uma linhagem tão restrita assim?

De onde ele veio?

Quem são seus pais?

― Nós não vamos a lugar algum ate entender o que esta acontecendo aqui! Como assim são do futuro? Quem trouxe vocês aqui? Também estamos envolvidos nisso por que? ― Essa eu não sabia quem era...

Tinha tantos adultos que eu não sabia quem eram.
Imagina saber quem eram na juventude?

Espera.

Deixa eu tentar identificar todos os que estavam ali pelo menos.
 

O senhor hokague é aquele loiro inconfundível ali olhando o Boruto com a maior cara de espanto de todos da roda.

Acho que ele teve um infarto.

                                                               Alguém chama um medico?

A senhora Ushiha era aquela moça ali, aquele cabelo era inconfundível e eu não entendi a reação dela. Ela ta com medo? Se segurando para não esboçar uma reação? Tentando entender ou procurando alguém?

Agora e dos outros times? Como eu...?

Eu nem sei que... Espera! O Sensei da academia deles tinha sido do time da mãe do Boruto certo? E o chefe de policia era deste time também então... Cadê... espera eu já acho.            Ali! Um cachorinho muito fofo! E o de óculos é o sensei. Falta ela. Deve ser aquele ali.

Eita!                        Já tinha isso tudo de peito?               Parabéns senhor Hokage.

Ok. Aquele cara animado conversando com a garota que falou aquela frase é o pai do Lee não tenho duvidas sobre isso. Então por eliminação essa garota que falou agora era do time dele, e o outro Hiuga também.                   Pronto consegui!           Achei todos!
 

O time Inoshikasho era fácil nem vou comentar isso.

Fui ate eles ver se o integrante Nara ainda respirava. ― Ele vai ficar bem. Ela só agiu por susto por que o Shikadai começou a sumir.

― Então aquele cara é filho do Shikamaru? ― Toda loira é burra? Juro que pensei que fosse mito.

― Não é óbvio. ― Tentei disfarçar com um sorriso o quanto achava ela retardada, mas não funcionou; ela ficou bem irritada comigo.

― Então ela... ― O redondo olha pra Chocho com uma cara que eu podia jurar que era amor. Incesto isso?          Pode produção? Eu entendi certo? Ou ele só ta feliz mesmo?

E com isso eu prefiro me afastar e tentar entender como eles haviam chego ate aqui.

 

Então vou apenas explicar o que conseguir ir entendendo.

Tudo bem?



 

A verdade é que assim que o Sasuke viu a Sarada ele não pode esquecer aquilo; afinal de contas ele viu seus olhos e este símbolo da família nas constas ajudava um pouco mais.

Eu já tinha ouvido falar de tudo o que este homem fez, meu pai foi bem detalhista neste ponto; o assunto Sasuke era algo que o agradava bastante, chegava a ser bem irritante.

Então mesmo com a fumaça que os dois usaram para tentar o despistar ele os seguiu, coisa que não foi difícil, mas teve de se afastar assim que o Kakashi junto de Shikaku apareceram para nos levar ate a sala do Hokague desta época. Entretanto todos estavam tão focados naquele enorme grupo de crianças que mal o perceberam na janela, e assim este pode ouvir a explicação de Shikadai e se espantou em saber da existência de Sarada.

Mas ainda me nego a imaginar que Kakashi nosso sexto Hokage havia deixado ele ouvir tudo atoa, afinal ele estava de guarda.
 

Mas quando o melhor amigo do Boruto começou a desaparecer sem um mero aviso a coisa ficou seria de verdade.

Todos entraram em um verdadeiro pânico.

Foi como se só tivessem levado o nosso risco de vida a serio naquele momento. Como se a ficha só tivesse caído assim, na marra.
Mas não posso negar que eu também era um destes, afinal por conta da conversa com meu criador achava que estivéssemos seguros.
 

― Eu to sim... ― Ele realmente mentia muito mal. Afinal a voz dele estava muito fraca e extremamente tremula. ― Não esta doendo. Foi... estranho.

― Droga! Como assim ele quase desapareceu? O que vamos fazer? ― o Boruto era o mais em pânico ali, enquanto os colegas de time dele pareciam ter travado.

A morena foi a mais inteligente em desacordar o pai que claramente era a causa daquilo. O choque de ver o próprio filho deve ter feito ele pensar coisas que fariam Shikadai não existir.
Interessante.

E preocupante.

Mas ele não ficaria desacordado para sempre e o olhos verdes ali iria desaparecer cedo ou tarde. O que eles iriam fazer para impedir isso? O que o Boruto faria para impedir o melhor amigo de desaparecer?
Isso era o que mais me interessava.
 

Mas todos estavam surtando com isso: os pais tentavam entender essa coisa de viagem no tempo e os filhos tentavam não comentar nada que estragasse a linha temporal; e em algum momento que eu não me dei conta a Sakura, a mãe da Sarada começa a contar o que ouve para que eles chegassem ate ali.

― Eu percebi que o Sasuke estava muito alterado e ele tinha saído do ponto de encontro do nada e não havia voltado. E como isso não era normal dele eu e o Naruto fomos o procurar... E ele estava completamente transtornado quando o encontramos. ― Ela tentava parecer convicta, mas estava tremula. Creio que no fundo nem mesmo o grupo que veio comigo do futuro acreditava que aquilo era real. ― Com isso a Ino que passava ouviu a conversa como uma fofoqueira, achando que era algo entre eu e o Sasuke e descobriu tudo; acredito que em seguida ela foi comentar com Shikamaru e o Chouju e eles deram uma investigada resolvendo ir contar aos demais.

― Bem! Não foi por fofoca não. Mas... Foi o Chouji quem chamou a todos. ― A própria Ino pontua bem irritada com o jeito da Sakura e eu estranho isso, afinal elas sempre pareceram muito amigas e ligadas, tinha ate fotos delas em suas casas juntas quando eram menores que isso. ― Achei que deveríamos ser muito importantes no futuro para enviar algo assim ao passado. ― Ela continua a falar seria, mas não podíamos dizer nada mesmo que tivéssemos muita vontade.

E logo o chefe de policia começa a dizer que tudo isso era lógico, pois este iria ser o Hokage, e todos temos de segurar nossas reações.

 

― Temos que dar um jeito nisso. Quando ele acordar temos que conversar com ele. Não podemos deixar que ele pense ou planeje algo que faça o Shikadai não existir. ― Era realmente muito bom ficar vendo o Boruto.

Ele sempre falava a coisa certa.

E fazia com que todos a sua volta seguissem as suas idéias.

Era de fato um líder nato e muito inteligente.

― Mas o que podemos fazer?

― Vamos conversar com ele Chocho. Sua atitude rápida foi ótima, mas este é o único jeito. Acho que conhecemos ele o suficiente... Isso vai ser muito estranho, mas é o jeito. ― Ele fala respirando pesado, claramente temendo muito perder o melhor amigo.

Ninguém conseguia prever o que iria acontecer com cada um ali, a reação de seus pais iria definir suas vidas.

Se existiriam ou se seriam apenas modificados.

 

Mas quando ele acorda sua reação surpreende a todos.

― Shikamaru você esta bem? ― O roliço pergunta todo preocupado com o amigo e logo todos voltam a dar a tenção a ele que apenas olha em volta confuso antes de responder o amigo afobado.

― Estou sim. Não é a primeira vês que um Achimishi me atropela. ― Pareceu que ele tentou fazer uma piada, mas ele não usou nenhuma entonação ou ao menos sorriu, então a coisa ficou apenas como um fato mesmo. ― Mas... se tudo é real devíamos fazer como combinamos. Não?

― Ai! Com o susto ate esqueci do combinado. ― A moça do time do pai do metal fala. Eu realmente não sei o nome dela.

― Qual combinado? ― Como sempre o Boruto toma a frente em perguntar. E eu fico olhando o senhor Hokage que continuava sem reação.
Acho que tínhamos mesmo que chamar aquela ambulância.

― Não falarmos diretamente com os próprios filhos e manter o assunto no inimigo para não acabarem pegando alguma informação que mudasse tudo. Como por ex: saber que será o que almeja e por conta disso relaxar e ai não conseguir. ― O próprio Shikamaru é quem explica a idéia, e ele parecia realmente a seguir evitando olhar para o lado que o filho havia corrido.

E enquanto eles se concentraram em suas curiosidades e seus dramas eu me focava no que realmente importava ali.
Como voltar para casa.

Afinal não poderíamos ficar ali, e a cada segundo ali o risco de alterar o futuro aumentava; e mesmo que eu não demonstrasse como os demais, também tinha medo do que poderia ocorrer comigo. Se bem que meu pai me criaria de qualquer forma...

Ele tinha mania de fazer experiências e eu era apenas mais uma.
 

Parei em um canto mais afastado de todos e resolvi caminhar por aquela casa e pensar um pouco mais.

Meu pai tinha me ensinando a conseguir me concentrar em minhas memórias como se pudesse re assistir minha própria vida e assim analisar detalhes que havia deixado passar. Parei minha memória me concentrado ao máximo no homem que havia nos trazido ate ali.

Sua pele era levemente morena, mas não chegava ao tom chocolate 50% cacau da Chocho; ele tinha manchas nela como se descascasse e ainda era muito seca como se não se hidratasse devidamente. De fato o cara estava só o pó.

Era magro como se não comesse direito e mesmo assim tinha todo este poder.

Me lembrou ate as descrições do corpo real do Nagato... Estava mais pra cadáver do que alguém vivo.

Seus cabelos eram muito longos, mas não por moda, era por descuido e falta de uma tesoura e um pente.

Nem sequer estavam presos.

Estava todo imundo e ensebado, e com isso ficava juntinho.
Dava nojo.
 

Aquelas unhas imundas e manchadas de sujeiras, todas quebradas sem corte e longas. Ate um mendigo cagado se vestia melhor que ele. Afinal aquilo não eram roupas. Era um amontoado de tecidos amarrados no corpo de qualquer jeito.

E acho que por conta disso deixei passar a única coisa que deveria ter relatado ao Hokage atual; ele carregava uma pequena tartaruga, mas não consegui saber se aquilo era um artefato ou um animal de verdade, podia ser ate mesmo uma invocação.
E algo me dizia que aquilo era a chave de tudo.
 


Notas Finais


(Como o Mitsuke ainda tem aquele lance de estar aprendendo a sentir ele seria muito parecido com o Sai e acaba servindo apenas para eu narrar questões lógicas sem muito sentimentos por isso vou por essas partes nos próximos narradores.)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...