História Daughter - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Pearl Jam
Personagens Eddie Vedder, Jeff Ament, Matt Cameron, Mike McCready, Personagens Originais, Stone Gossard
Visualizações 11
Palavras 1.761
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde meninas! Td bem?
Se prepara q agora as coisas vão começar a arder um pouquinho no peito hein? Estão prontas pro começo de uma futura treta?

Então tenham uma boa leitura Kkkkkk

Capítulo 17 - Muitas comparações


Fanfic / Fanfiction Daughter - Capítulo 17 - Muitas comparações

 

Rosimere chegou em sua casa era 23:00. Ela havia chegado sozinha de carro, já que infelizmente o destino não colaborou em trazê-lo para casa. Alem de Mike ter vindo com o carro dele, ele ainda tinha que buscar sua menina da casa de sua irmã, e Rose entendia isso, apesar de ter que ficar sozinha em casa dessa vez.

Colocou seu cachecol no cabideiro sorrindo de orelha a orelha e ligou o aquecedor, já tirando as roupas pesadas do corpo, ficando apenas de camisa e calça leg na casa. Pegou um cobertor quentinho e levou até o sofá, se sentando logo depois para assistir algum filme enroscada no cobertor, desejando de que alguma maneira Mike resolvesse se juntar a ela naquela noite.

Pegou o celular na mão e mandou a mensagem.

 

“Cheguei.”

 

“Chegou bem?” - Respondeu Mike.

 

“Cheguei tranquila apesar do trânsito.”

 

“O que achou da apresentação da nossa filha?”

 

Rose soltou um sorriso bobo no rosto.

 

“Eu nunca pensei que ela mandava tão bem assim no palco. Estou orgulhosa!”

 

“Puxou pra quem né? Rsrsrs…”

 

“Lá vai ele começar a se achar Kkk”

 

“Não posso? Eu sou Mike Mccready, guitarrista do Pearl Jam! Quase 20 anos de carreira e mais 40 de pura gostosura!”

 

Rose riu alto com a mensagem de Mike.

 

“Você não presta Mike, sério…”

 

“Mas então… Eu liguei pra minha irmã e ela disse que a Rayssa está dormindo, e eu não quero atrapalhar o  sono dela. Seria inconveniente se eu fosse ai te ver?”

As borboletas no estômago de Rose voaram novamente.

 

“Desde que você divida o cobertor comigo e me abrace pra me esquentar nesse frio…”

 

“Então prepare tudo porque eu vou me arrumar e ir direto pra ai. Estarei trazendo chocolate pra você, ok?”

 

“Por favor… Eu amo chocolate e você sabe disso!”

 

“Òtimo. Já já estarei ai…”

 

Enquanto isso…

 

Marrie estava na festa na casa de Lian. Ela estava no quinto copo e já estava muito bêbada. O pessoal em volta gritava e festejava ao som alto do ambiente e Marrie já trançava as pernas, rindo e contando piadas com seus amigos totalmente descontraída. No canto da sala em uma rodinha com os integrantes de sua banda, a garota começava a contar sobre a sua felicidade em ver sua mãe e Mike enfim juntos, e que foi muito bom ter conversado com os dois assim que o show acabou. Marrie desabafava como ninguem naquela festa, e por estar bêbada demais, ela não reparava os olhares que um dava para o outro, juntando peça por peça e montando uma teoria em suas cabeças de que talvez o homem que ela queria tanto como pai na verdade seja sim, o próprio pai. Ninguem da sua banda falava nada para Marrie, mas todos desconfiavam.

Lian então se aproximou de Marrie e envolveu seu braço esquerdo em seu pescoço quase tão bêbado quanto.

-Marrie, eu vou apresentar você a alguns amigos meus - Lian apontou para um outro grupinho de amigos - Esses são Gerald, Agatha e claro… A Frances, a clássica filha do Kurt Cobain. Lembra dela?

-Ah, claro que eu lembro - Disse Marrie sorrindo bêbada - Oi galera!

-Oi Marrie - Respondeu Frances dando um gole em sua bebida - Quer um gole?

-O que é?

-Caipirinha de limão - Disse Gerald - A mãe do Lian é Brasileira e ensinou a gente a fazer a bebida. È gostoso.

-Deixa eu provar - Marrie tomou um gole do copo de Frances e sorriu - Muito gostoso!

-E deixa louco rapidinho - Disse Agatha levantando os braços - Já não sinto minhas pernas.

Lian ainda continuou abraçado com Marrie.

-Ela toca tambem.

-Toca o que? - Perguntou Frances curiosa.

Marrie continuou sorrindo.

-Violão e canto.

-Você me lembra alguem - Disse Agatha olhando para Marrie fixamente - Me desculpe em falar mas.. Gente… - A garota pegou o rosto de Marrie e virou em direção ao pessoal - Ela não parece o Mike Mccready?

Frances e Gerald deram uma risada.

-O Nariz é idêntico! - Disse o rapaz.

Frances deu uma leve tossida no meio da risada.

-E o formato do rosto tambem.

Agatha soltou o rosto de Marrie que se sentiu meio incomodada com o comentário deles.

-Você é filha dele?

-Não, eu sou enteada. A minha mãe namora ele.

-Certeza? - Franziu a testa.

-Sim. Eu não conheço o meu pai, ele abandonou minha mãe antes de ela falar sobre a gravidez.

Um olhou para a cara do outro soltando um “Ihhhh” baixinho com a boca e logo riram novamente de tão bêbados que estavam.

-Será que não é ele o pai? - Perguntou Agatha.

Marrie franziu a testa enxergando quase tudo embaçado, mas a pergunta atingiu seu peito estranhamente.

-Como assim?

-Você é muito parecida com ele!

-Todo mundo fala isso.

-Se todo mundo fala, é porque é. Mas vem cá… Deixa eu te falar uma coisa… - Agatha se aproximou de Marrie - Eu não me importaria muito com isso, sabe? Talvez você seja um clone feminino dele e não sabe!

-Quantos anos você tem? - Perguntou Frances.

-16 anos - Respondeu.

-Você é filha da Rosimere De la Vega, não é? - Perguntou Gerald.

-Sim, eu sou…

-Que interessante! Meu pai disse uma vez pra mim que já segurou um serviço de guia turístico da sua mãe enquanto ela passava mal. Ele fala bem dela até hoje. Disse que ela era uma pessoa maravilhosa! Ele até que gostava dela, mas só não veio conversar com ela direito porque falaram que ela estava se envolvendo com algum famoso, mas ele não sabia qual. A Rose tambem não falava nada e então isso passou a ser um mistério.

-Mas você desconfia qual seja? - Perguntou Marrie intrigada.

-Eu não sei, mas meu pai tem vários palpites. Quando ela passou mal, no mesmo lugar onde ela estava havia o Alice in chains, Bon Jovi, Soundgarden e Nirvana… Se não me engano estava o Pearl Jam tambem. Eu não sei dizer bem a real, mas é isso… Ai chega você com essa cara de Mike Mccready…

-Ah, não… Eu acho que se fosse a minha mãe teria falado - Disse Marrie com um sorriso forçado - Ela não mentiria para mim sobre isso…

 

“Eu acho…” Pensou devolvendo a caipirinha na mão de Frances.

 

-Obrigada a bebida - Sorriu forçado.

Lian percebeu o clima estranho de Marrie, e sabia que se continuasse ali o assunto iria ficar mais tenso. A garota já estava começando a ficar incomodada e se ela continuasse ali a festa poderia acabar em briga, ou em coisa pior…

Lian puxou Marrie tranquilamente.

-Vamos lá fora Marrie… Curtir a neve…

Marrie aceitou, mesmo ainda estar encucada com o que disseram.

 

-Está pensativa Marrie - Disse Lian preocupado - Está tudo bem?

Os dois andavam na rua e Marrie ainda continuava a beber cerveja enquanto caminhava no meio do frio.

-Mais ou menos. Eu não me sinto legal quando me comparam com o Mike. Não que eu não goste dele, eu gosto! Mas é que… Eu não gosto que me compaream com ele, e isso foi o que eu mais ouvi durante toda a minha vida.

-Mas você acha que é filha dele?

-Não. Eu confio na minha mãe e eu sei que ela me falaria se fosse. Se ela não disse, eu não sou! È só meu azar mesmo que me fez nascer parecida com ele, só isso! Eu só… - Suspirou - Eu queria conhecer o meu pai, sabe? Eu gostaria de saber que famoso ele é. Minha mãe disse que ele é músico e até agora nada.

-Quer ajuda pra encontrar ele?

-Não. Vai ser perca de tempo fazer isso sem minha mãe. Ele não sabe que eu existo e seria estranho se eu aparecesse sem mais nem menos e dissesse que sou filha dele. Afinal, como foi que o Chris descobriu que você é filho dele?

-Ah, a minha mãe primeiramente me contou quem era, e depois ela me levou pra Seattle. Conversou com o meu pai, depois com o Ben que até então eu não sabia que ela havia se envolvido com ele e enfim… Depois me apresentou.

-E como foi? Ele aceitou ou demorou pra aceitar?

-Ah, ele ficou em choque né? È lógico que eu tambem fiquei quando minha mãe me contou já que eu sempre fui fã do Soundgarden e do Audioslave. Mas com o passar das horas a gente foi meio que se enturmando um com o outro e depois deu tudo certo.

-E a família dele?

-Bom… Digamos que eu e a Vicky não temos uma boa relação por causa disso, sabe? Ela me trata bem, mas sempre tem um clima chato quando estamos no mesmo ambiente. Eu acho que ela deve ter aceitado a realidade porque ela sabe que não compensa brigar por causa de um erro do passado, mas no fundo deve ser bem difícil para ela engolir a história.

-Eu imagino… Descobrir de repente que seu marido é pai de um adolescente não deve ser fácil.

-Não mesmo. Eu entendo ela, e sei que ela não é uma pessoa má! Mas… Eu sei lá…

-Mas fizeram teste de DNA pra comprovar?

-Claro! Foi preciso, afinal, eu poderia ser filho do Ben, né?

Marrie deu uma risadinha.

-Que estranho! Sua mãe se envolveu com os dois?

-È uma longa história… Depois eu conto… Marrie…

Lian parou e começou a andar devagar. Marrie estranhou e parou tambem, e logo depois acompanhando os pequenos passos de Lian.

-O que foi?

-Tem alguem ali…

-Ali a onde?

Lian olhou para uma brecha na parede. Parecia uma entrada sem porta, e Lian poderia jurar que viu alguem espiando os dois. O rapaz fechou as mãos e continuou olhando atentamente.

-Fica atrás de mim, e qualquer coisa, você grita e corre.

-O que?! - Estranhou.

Lian deu uns passos em direção ao lugar. Cada passo que ele dava era um coração que batia forte e uma respiração que acelerava, fazendo com que o medo e mais o extinto de proteção falasse mais alto. Deu alguns passos e assim que se aproximou, um rapaz pulou na sua frente com uma faca na mão e mirou o objeto em sua barriga, mas Lian for esperto e desviou, dando um soco, deixando o rapaz cair no chão nocauteado.

Marrie arregalou os olhos e seus braços tremeram. Ela reconhecia a pessoa que apanhava de Lian naquela hora, e ela sabia que aquele cara era nada mais e nada menos do que o garoto que a esfaqueou a um tempo atrás.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...