História DayNight - O Conto do Dia e da Noite - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Mina, Momo, Sana, Tzuyu
Tags Dahmo, Michaeng, saida, Satzu
Visualizações 32
Palavras 627
Terminada Não
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello, galera! Pois então, eu não ia postar essa história até terminar Código Lucy, mas como estou com uma certa dificuldade em desenvolver o que eu quero lá, decidi postar logo essa daqui hehe

Não sei ainda se essa será um short ou long fic, já tenho quase que a história toda montada na cabeça, mas isso vai depender do desenvolvimento dos eventos.

Espero que gostem, e peço desculpas por qualquer erro.

Capítulo 1 - Prólogo


Poderíamos começar essa história com um "era um vez", mas não creio que seria uma forma propicia de iniciar esta história que vos conto. Conto, isso, essa é a palavra, "conto". Conto este que vos conto bem longe de onde a história se passou, anos e anos nos separando, culturas tão diferentes e ainda tão humanas, pois o humano nos une. E é a história de um ser humano peculiar, digamos assim, que vou lhes contar neste "conto".

Myoui Mirai fora um camponês simples, que vivia com sua mulher, Myoui Sakura, humildemente no campo, no antigo Japão. O casal possuía uma bondade sem tamanha, e uma lealdade admirável, tanto que nem mesmo os charmes de uma bela feiticeira foram o capazes de fazer Mirai trair sua esposa. Para ele, o amor que sentia pela esposa e sua filha era mais poderoso do qualquer desejo carnal.

Aborrecida com aquele "não" - do qual estava longe de estar habituada - a feiticeira explodiu de ódio, queimando toda a plantação de arroz que a família tinha, e não contente com estrago financeiro que causara ao pobre casal, amaldiçoou a pequena filha deles, Myoui Mina, de apenas dois anos.

A garota estaria condenada a uma vida sem sono, para assistir o sofrimento humano em cada segundo de sua vida, e brincando com a situação do casal que havia envenenado, disse que lhes daria um presente: já que não tiveram a chance de ter um filho homem antes de morrer, ela lhes daria aquela oportunidade. Mina teria sua forma natural feminina durante o dia, porém, ao sol encontrar descanso, a garota se tornaria um rapaz, mantendo sua forma masculina até o amanhecer do dia.

O casal abraçou a filha com carinho, assistindo a mesma se transformar em um belo rapazinho ainda na frente de seus olhos. Eles amavam aquela criança demais, e não se importavam com sexo da mesma, se a vida não fosse tão injusta e complicada. Chorando e abraçando o pequeno garotinho, o veneno por fim fez seu efeito, e o casal morreu em meio as cinzas de sua casa, agora já consumida pelo fogo.

Os monges, ao saberem do incêndio, se puseram a prestar ajuda ao casal junto a alguns aldeões, porém, ao chegarem lá, só acharam uma garotinha dormindo nos braços de seus pais já mortos. Comovidos com aquela cena, os monges decidiram adotar a criança, porém, assim que o sol se pôs naquele dia, descobriram que aquela não era uma criança comum. Ao se se impressionarem com tal situação, a feiticeira apareceu para o grupo de monges, explicando o que ocorrera com a menina, agora menino. A mesma fez questão de rir mais uma vez do sucesso de sua vingança, e evaporou logo em seguida, contente com o seu trabalho.

Anos se passaram e Mina cresceu uma jovem linda, assim como Kento, sua forma masculina, se tornou um belo rapaz. Como não se lembrava como não era ter dois gêneros em horários diferentes, Mina e Kento não estranhavam seus corpos, estando em paz e harmonia com seus dois corpos. Porém, graças à rotina diferencial do dia e da noite, Kento e Mina possuíam comportamentos levemente diferentes, mesmo que ainda seguros de serem a mesma pessoa.

 

Assim que fizera vinte anos, a garota teve sua cidade atacada por alguns bárbaros, destruindo tudo que ela já conhecia. Os monges foram capazes de salvar apenas alguns poucos aldeões, e a procura de paz, viajaram pelo mar para uma ilha entre Japão e Coreia. Um dos monges já havia visitado a pequena vila esquecida pelo mundo, uma vila de paz que abrigava pessoas de toda a Ásia e até mesmo ocidente. Uma bandeira branca entre as guerras e jarros de sangue.

É nessa cidade, caros amigos, que nosso conto se passa.

 


Notas Finais


Obrigada você quem leu o prólogo, já já posto o primeiro capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...