História De Geração a Geração sempre Winchester - Capítulo 67


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Crowley, Dean Winchester, Personagens Originais, Ruby, Sam Winchester
Visualizações 18
Palavras 665
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora.
Semana de enem e fogo.bjo.

Capítulo 67 - Era uma vez.pt1


Fanfic / Fanfiction De Geração a Geração sempre Winchester - Capítulo 67 - Era uma vez.pt1

“Os homens discutiam sobre o material escolhido para a construção da casa.

O mais gordo reclama da madeira escolhida,ele achava melhor utilizar o material da loja de concreto.

Ele coçou sua barba ruiva enquanto o irmão ligava a caminhonete.

Então ele escutou um barulho enorme e os gritos dos seus outros irmãos.

Ele se escondeu atrás do carro.Ele estava com medo.

Ele arriscou espiar,e foi aí que ele desmaiou.Não antes de ver seus dentes afiados e seu olhar vazio.A tatuagem do coyote aquele que caça o papa léguas foi a última coisa que ele viu”.



Matt dirigia o carro,Mel e Henry estavam atrás.Eles mal se encaravam.

Matt tinha o olhar fixo na estrada.

Era minha primeira caçada.Eu estava animada.

-pode ser um lobisomem Matt?.

Tentei puxar assunto com ele.

-se for temos que ser rápidos,a última lua é amanhã o que garante transformação deles. Ou isso ..teremos que esperar o mês todo.

-minha primeira caçada,estou tão animada.

-tente não morrer.-Matt deu um sorriso debochado.-como eu viveria sem você?.

-uma declaração?.

-um pouco..por?.

-nada.

-nada?você é convencida garota.Quando você me beijou não pensava assim..

-você quem me beijou seu idiota.

-os pombinhos estão animados-Mel sorriu

-vocês não?-Matt levantou a sobrancelha-o que Henry fez para você?

-nada..-Ela falava sem jeito.

-se fizer algo para ela Henry..-apontei o dedo.

-vai me bater prima?.

-não,agradecer...essa garota precisa de um homem.

-cala boca Lissa-Mel falou irritada-você está bem animada..santo Matt.

-quem?-dei a língua-eu preciso de um homem..e o Matt..bem ele é o Matt.

-sim eu sou o Matt..o amor da vida dela..

Lissa e Henry gargalhavam.

Ficamos o restante do caminho em silêncio.


(...)


Matt parecia preocupado com minha atuação como uma agente falsa do FBI.

Entramos no hospital e fomos falar com Toddy o irmão sobrevivente.Matt conversava com ele.

Uma moça sendo atendida me chamou atenção.Ela estava desesperada.Por impulso me aproximei dela.

Ela estava tão assustada...

-sou agente Sting do Fbi.

Sentei do lado dela.

-FBI?.

-Quer me falar o que aconteceu?.Qual seu nome?.

-Ella-ela fungou-foi a minha madrasta...ela me acorrentou,esta louca...ela me bateu.Se meu pai não chegasse em casa…

-tudo bem Ella..vai ficar tudo bem.Ela falou algo?.

-só disse que eu deveria limpar a casa..que..

-tudo vai ficar bem Ella.

Seria a Cinderela?.

(...)


Nos encontramos no hotel.

Mel e Henry estavam envergonhados.Alguma coisa tinha acontecido com eles .Ela me contaria no tempo certo.

-descobriram algo?-Matt olhava para Henry.

-uma idosa foi atacada por um homem com tatuagem de coyote.Foi bem estranho,parece que ele foi pego na frente da escola da neta da idosa..

-está me dizendo que é tipo um conto de fadas?-Mel sentou do meu lado.

-como assim?-sorri.

-os três porquinhos,chapeuzinho vermelho e cinderela..

-mas essa histórias tem final feliz-Matt colocou a mão na cabeça.

-não as histórias originais,antes da Disney estragar tudo…-dei de ombros-as histórias dos irmãos Grimm são bem mais sombrias-dei um sorrisinho.

-de onde vem essa maldade toda Melissa?.-Matt me encarou divertido.

-você não sabe como posso ser cruel Matt..

-podemos procurar pistas-Henry sugeriu-e Mel vem comigo.

-porque?-ela corou.

-para variar..que tem?-Henry deu de ombros.


(...)


Henry e Mel iriam até o hospital falar com os sobreviventes.Tínhamos dois sobreviventes no hospital.Todos atacados no mesmo dia.

Matt sugeriu que fossemos até a casa da idosa atacada porque seria importante saber o que aconteceu,já que ela se recusava a ficar no hospital.

A casa era afastada da estrada.Andei em silêncio ao lado de Matt.

Ele caminhava distraído do meu lado.

-você bebeu toda a água-suspirei-diga logo que está perdido Matt.

-eu não estou.

-estou morrendo de fome.

Ele me ignorou.

Avistamos uma pequena casa logo a frente.

Matt caminhou até a porta batendo logo em seguida.Uma senhora atendeu a porta.

Ela era idosa e arrastava a perna.A senhora se apoiava na bengala.

Ela abriu um sorriso enquanto nos olhava.

-desculpe senhora..sabe onde mora a senhora Thomas?.Eu sou Matt e essa minha amiga Lissa.

-sim,ela mora a uns quatro quilômetros daqui…-sorriu-essa hora é bem perigoso estar na rua queridos.Não querem entrar e comer algo?vocês parecem cansados..

Matt concordou com a idosa.

Que mal teria fazer um parada?.

Entramos na casa,a senhora esperava com uma mesa enorme repleta de doces e bolos.

-estão perdidos?-ela me serviu de bolo.

-não somos da cidade..-Matt falava de boca cheia-estamos..

-depois você me conta querido Coma o que quiser.

Matt comeu como uma criança feliz.

Eu não sei porque não confiava nela. Foi então que confirmei minhas suspeitas.

Me senti cair em sono profundo.

Quando encontrei o chão,Matt já estava adormecido.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...