1. Spirit Fanfics >
  2. De Onde Vem o Amor - XiuChen >
  3. Look ahead, what is the situation? Besides your embarrassed

História De Onde Vem o Amor - XiuChen - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece e eu apareci com mais um cap.

Pode ser que não esteja muito bom, pois estou com um bloqueio muito grande nessa reta final da fic. Mas se acalmem que ainda tem muita coisas por vir.

Good leitura

Capítulo 16 - Look ahead, what is the situation? Besides your embarrassed


Fanfic / Fanfiction De Onde Vem o Amor - XiuChen - Capítulo 16 - Look ahead, what is the situation? Besides your embarrassed

Amizades muitas vezes pode te tornar tudo o que você nunca imaginou. Pode te trazer uma alegria imensa ou te afundar em uma tremenda tristeza. A amizade pode te levar a fazer coisas imagináveis, e pode te fazer falar coisas que muitas vezes você não sabia que estava dentro de si. A amizade te trás um sentimento bonito e te faz se sentir amado. A amizade pode ser tudo e muitas vezes nada.

Fazer amigos é uma das coisas que muitas pessoas assemelham ou quase isso com ganhar na loteria. Pois veja bem, você está a primeira vez em uma escola diferente, em um bairro diferente ou até em um país diferente a primeira coisa em sua mente é arranjar um amigo para poder ir com você conhecer a escola, conhecer o bairros e os pontos turísticos do país. Ter uma amizade é muito boa, você conta segredos, conta seus sonhos e nada melhor que uma amigo para estar com você nos melhores e piores momentos da sua vida.

Entretanto, ao olhar para chen que está todo feliz com Youngjae ao seu lado eu não me sinto nada feliz. Não sinto vontade que ele faça uma amigo e não mesmo com Youngjae, nem a pau. Estou incomodado pela tamanha e incompreensível forma como Chen se dar bem com todos ali presentes.
E o mais curioso era porquê diacho Yongjae não saiu de perto do meu homem.

Pera!

Eu disse mesmo que Chen é o meu homem?

Ciúmes realmente é uma coisa poderosa, faz a gente falar coisas e reagir de um modo nada legal. E é por isso que estou indo agora em direção aos dois. Yongjae está todo sorridente para Chen que o retribui da mesma maneira. Ambos estão jogando sinuca e Luhan e Sehun estão ganhando. Enquanto Baek e Chan estão na cesta de basquete e Kyung e Kai estão dando uns amassos.

Lay e Suho foram na cozinha trazer algo para comer, Mark e Bambam estão jogando e Jackson e jin-Young estão batendo um papo. Olho para JB e o mesmo está dando um gole em sua cerveja e Yugyeom está ao seu lado, algumas vezes cochicha algo e olha o celular.

- Como vocês souberam que estamos aqui? - Pergunto ao me aproximar de Youngjae e Chen.

-Uma foto no insta me mostrou seu amigo cara de bebê, ali. - Apontou para Luhan.

- Que foto é essa?

Yongjae retira seu celular do bolso e a após desbloquear o aparelho entra no aplicativo instagram, apos rolar por muito tempo finalmente aparece a foto de um cara que não faço ideia de quem seja e ao fundo uma cara borrada mais reconhecível de Luhan. E após ver a foto ele entra nos comentários e lá está uma pergunta de Youngjae, que questiona onde é a festa e de quem, recebendo em baixo sua resposta com tantos emojis que logo decidi ignorar o restantes dos comentários.

- Mas o que está fazendo aqui? Veio a procura de quem? - Pergunto aínda curioso.

- Você é claro, senti saudade. - Ele fala em tom manhoso. Passando as mãos no meu rosto e depois puxando minhas bochechas.

- Sai. - Esbravejo.

- Por que não me apresentou ao Chen? - Ele olha de soslaio ao garoto que brinca agora de dardos com Soo e Kai. É um milagre os dois terem se soltado.

- Por que eu apresentaria ele a você? - A vontade de rir é grande no quanto eu tô vendo que Yongjae está interessado em Chen, mas a vontade de soca-lo é ainda maior.

- De todos os seus amigos, o Chen me chamou mais atenção. - Olhamos para o ser que brincava tranquilamente com os meninos. Sorria e comentava algo com Soo ao seu lado. - Ele tem um sorriso lindo.

- Mas não é pro seu bico. - Digo em um tom um pouco alterado. - Ele é de família, não é qualquer um. - Tento passar despercebido minha irritação ou ciúme.

- Eu sou de família. - Ele diz colocando a mão no peito. - Eu só me envolvo com caras de família.

Mesmo irritado com as intenções de Youngjae eu não pude deixar de notar que era a primeira vez que o mesmo se interessava por alguém. Young é do tipo que sai para beber, enche a cara em um nível que só Deus. Mas eu nunca o vi pegando alguém a não ser pelo dia que nos envolvemos e isso aconteceu apenas uma vez.

Quando eu estava em um dia dos meus surtos e queria beber, andei sem rumo atrás de algum lugar que eu pudesse beber e que eu não conhecesse ninguém, e ao chegar ao perto de uma loja de conveniência me deparei com Youngjae mais pra do que pra . Ele estava muito bêbado e sozinho. Ele sentou no meio fio da calçada e ficava resmungando algo que eu não entendia. Então ele me viu e sorriu. E com a mão que ele segurava sua garrafa de soju ele me chamou.

- É você mesmo o pequeno. - Ele gritou. - Vem aqui e me faça um favor.

Me aproximei dele e fiquei de cócoras para eu poder ficar de frente para ele. Me apoiei com a mão no chão e ficamos nos encarando por um tempo.

— Você não vai dizer nada? — Perguntei pelo silêncio que ficou entre nós.

— Eu preciso que você compre algo pra mim, ali! — Apontou para a loja de conveniência. — Preciso... — Ele estava com ânsia de vômito e quase não conseguia falar. — Preciso que você compre algo de remédio para passar essa vontade que tô de vomitar.

— Que tal parar de beber primeiro? — Perguntei ao tentar retirar a garrafa de sua mão.

— Eu ainda vou beber, só preciso de um daqueles comprimidos de engov ou qual é mesmo o nome do outro? Eu esqueci. Só traz por favor.

Ele enfiou a mão em um dos bolsos de sua jaqueta jeans e retirou umas notas amassadas. Pegou a minha mão e a virou o palmo para cima. Colocou o dinheiro e com nossas mãos juntas ele fechou.

—Só traga por favor.

Então foi aí que começou nossa amizade eu comprando um remédio para passar enjoo. E depois a noite foi confusa, mas bebemos e não ficamos nessa noite, foi em outra, a noite que eu simplesmente gosto de ignorar.

Agora eu estou aqui com ele em uma festa e pela primeira vez estamos interessado no mesmo cara.

Quando Suho e Lay voltaram com salgadinhos, pizzas e refrigerantes sentamos em um formato de círculo. Chen sentou ao meu lado esquerdo e no meu direito Yugyeom, no lado esquerdo de Chen ficou Youngjae, Luhan, Sehun, Baek com Chanyeol, seguido por Kai e Soo ao lado de Soo Jb e ao lado dele Jackson com Jin-Young. Suho e Lay sentaram-se ao lado de jin e por fim Mark e Bambam até chegar novamente em Yugyeom.

E não demorou muito até começar o burburinho e risadas pelo local, conversas variadas percorria pelo círculo e eu que estava entre Yugyeom e Chen me sentia deslocado sem saber como iniciar um assunto, mas antes que eu pudesse sequer abrir a boca Youngjae foi ligeiro e entrou em um assunto com Chen me fazendo sentir as bochechas queimarem de um ciúme que eu não sabia que existia ali.

— Quando você irá a minha loja novamente? — Yugyeom perguntou se virando para mim e me dando um sorriso bonito. — Depois daquele dia não nos falamos mais.

— Desculpe. — Falei sem ao menos saber o porquê de me desculpar. — Eu só não tive um tempo para falar com você. — Lancei um olhar para JB que já nos encarava.

Era sinistro o quanto o olhar de uma pessoa parece te perfurar por inteiro. JB é um cara muito bonito, no estilo badboy, usando cores escuras seus cabelos todo para trás e com seus brincos de argolas pequenos balançando. Nós coreanos temos olhos puxados, mas JB é um nível que deixa tudo aínda mais sinistro, mesmo sabendo que é um olhar ruim para mim tenho que admitir que deixou ele muito sexy.

Ele nos encarava de uma forma bruta, e assim que seguia os segundos não demorou até Yugeom olhar para onde eu olhava.

— Eu sei que ele gosta de mim. — Ele disse me fazendo olha-lo pela primeira vez surpreso.

— Sério? — Falei em um tom meio alto pela surpresa.

— Sério! Somos amigos à muito tempo e eu o conheço muito bem. Mas é que tem um problema. — Ele disse receoso.

— E o que seria?

— Eu estou interessado em outra pessoa.

Eu sabia, é claro que sabia! Mas como dizer isso a uma pessoa? Eu deveria ser sincero, certo? É o correto a se fazer mas ao mesmo tempo sinto que deveria deixar isso rolar. Meu olhar cai em Youngjae e Chen juntos. O sorriso de Jae está de orelha a orelha, seu semblante está sereno e meu peito se aperta na imagem em que vejo, pois Jongdae está do mesmo jeito sorrindo e conversando como se fossem amigos a anos.

— JB me disse que falou com você no banheiro. — Ele pegou uma fatia de pizza e deu uma mordida. — Ele meio que é protetor demais e ciumento. Não ligue para ele, é sempre assim.

— Então isso já aconteceu antes? — faço o mesmo e pego uma fatia de pizza.

— Não, você é o primeiro. É que eu nunca falei assim de alguém, então ele ficou surpreso e muito chateado.

— Por que você fala nessa naturalidade? Não é ruim estar nessa situação? — Pergunto curioso ao ver que Yugeom fala tranquilamente no que está acontecendo.

— Eu sempre deixei claro minha amizade com ele. E eu não sinto nada por ele a não ser essa grande amizade. E ele entende, mas é difícil para ele me ver falando de outro cara, mas ainda sim ajo desse jeito para certificar que eu não sinto nada por ele.

— Isso é pesado.

— É mesmo. Mas se nas palavras não resolvem ter a que ser nas ações.

— Pessoal que tal irmos em um almoço amanhã? — Sugeriu Youngjae chamando a atenção de todos.

— Não vejo porque não! — Kai responde recebendo o apoio do namorado.

— Por mim também. — Dessa vez Lay falou recebendo um beijo na bochecha de Suho.

A noite seguiu com boas gargalhadas e muitas conversas, mesmo estando um pouco absorto na entrosação de Chen e Jae consegui me livrar um pouco do incômodo que eu sentia sempre que ouvia suas risadas exageradas.

Então tivemos que ir embora para casa, Lay expulsou todos os convidados e dessa vez consegui fazer Luhan me levar para casa. Mesmo recebendo um olhar tristinho de Chan eu disse que na próxima ele que me levaria.

Chegando em casa eu corri para o quarto, retirei a roupa e me tranquei no banheiro. A água escorria por meu corpo relaxando cada músculo e, pude ficar pensando em tudo e em nada ao mesmo tempo.

É difícil lidar com o que estou sentindo, a princípio Chen vivia em um livro era simplesmente um personagem de um livro. Hoje ele está aqui ao meu lado, me fazendo sentir coisas que eu nunca senti com outra pessoal com a qual eu me envolvi. Me fazendo sentir ciúmes, me fazendo sentir a vontade ser tocado e ser beijado.

Eu nunca senti um arrepio bom por ser tocado por alguém, na maioria das vezes eu estava bêbado e fazia as coisas com tudo girando. Eu nunca apreciei realmente um beijo, eu nunca senti na vontade de querer um toque de alguém. E agora Chen me faz sentir tudo isso e me faz sentir magoado e retraído por tudo o que estou sentindo.

Assim que saio do box envolvo a toalha e vou para o quarto vejo Chen já adormecido.

Pelo visto a noite foi longa para ele.

                                 X

É óbvio que Chen ficou receoso era a primeira vez dele em um almoço com amigos fora de um livro. Suas mãos eram passadas em suas calças a cada nano segundo. Sua perna balançava sem parar e olhava a janela a cada minuto.

— Será que eles vão demorar muito, hyung? — Perguntou pela décima vez. — Eles estao demorando muito.

— Você sabe que ele sempre se atrasa, Chen. Fique tranquilo, eles nao se esqueceram da gente.

E logo após dizer isso ouvimos o som da buzina do carro Chanyeol. Pela promessa que fiz a ele ontem eu mandei mensagem pedindo que ele nos levasse e ouvir sua risada do outro lado da linha me fez ficar feliz pelo simples gesto.

Descemos as escadas juntos e deparamos com meus pais na sala.

— Vão sair de novo? — Meu pai perguntou ao ver nós dois arrumados.

— Estamos indo em um almoço com alguns amigos. — Respondi. — Aliás, Pai! Você poderia me dar algum dinheiro? Estou com pouco, gastei quase tudo com as roupas pra Jongdae.

— Pegue meu cartão de crédito na carteira em cima da bancada. — Ele apontou para o lugar e peguei. — Por que não disse que ele precisava de roupas? Eu teria lhe dado o cartão.

— Não tem problema, appa. Já foi, obrigado.

— Cuidado na rua meninos. — Minha mãe falou levantando-se do sofá e nos dando um beijo em nossa testa.

Entramos no carro e seguimos em um silêncio confortável, Baek colocou uma música e Chen como da outra vez observava cada predio que deixavamos para trás.

— Que restaurante Youngjae sugeriu? — Quebrei o silêncio que reinava dentro do carro.

— Um chamado Yang Good. — Chanyoel falou me olhando do retrovisor. — É um restaurante que oferece todo tipo de comida, coreana, japonesa, grega, italiana...

— Já entendemos. — Interrompi Chan.

Estacionamos o carro em uma vaga proxima a uma praça e atravessamos para entrar no restaurante, logo de cara se via que o local era rústico, com tons pastéis de um bege ao marrom. As mesas eram de ferro com a parte de cima em mármore, as cadeiras eram acolchoadas em uma cor camurça. Na entrada havia uma atendente, demos os nossos nomes e assim que passamos pela bancada aonde ficava a atendente podíamos logo de cara ver nossos amigos. O lugar estava razoávelmente cheio e em um canto um mesa separada para o nosso grupo.

Seguimos a moça e logo nos sentamos, cumprimentamos os rapazes na mesa e vi cada casal ja com um cardápio.

— Até que fim vocês chegaram! — Youngjae declarou após nos sentarmos.

— Antes tarde do que nunca. — contrapus.

Eu sabia que ao aceitar o convite para o almoço com Youngjae eu estaria ajudando ele a se aproximar de Chen o que é uma burrada, mas aqui estou eu vendo o próprio sentar-se ao lado de Chen.

E definitivamente tinha algo errado, pois ver sua aproximação assim me traz um sensação horrível. Minha maior vontade no momento é dar um soco nele. Entretanto tal caso mostrará desconforto tanto para Jongdae quanto aos amigos a mesa.

Respiro fundo uma, duas, três vezes até que a sensação ruim ameniza.

Sentar ao lado de Jongdae foi o menor dos problemas, mas ajudá-lo em tudo está começando a me irritar a um nível que eu nem conhecia ter.

- Hyung... - Jongdae me chamou olhando o cardápio. - Posso pedir bife?

- Pode pedir o que quiser Jongdae. - minha voz sai macia até demais. Olho para Luhan que está tentando conter um sorriso. Youngjae está revirando os olhos e os outros estão em seus próprios mundinhos.

- Ebaa, obrigado hyung.

Coisa fofa do caralho.

Se controla Min, já é desconfortável o suficiente saber que eles sabem que sou apaixonado por um cara que saiu de um livro.

E assim seguiu todo o almoço, comigo tendo ciúmes de Chen, este que estava muito feliz na companhia dos amigos e de Youngjae. 


Notas Finais


Até a próxima.
*--*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...