História De outra vida - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony, Mitologia Egípcia
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Egito Antigo, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Mitologia Egípcia
Visualizações 459
Palavras 1.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey pessoinhas!
Qualquer erro...
Boa leitura!

Capítulo 10 - The Life


Tempos atuais...

Fairhope, Alabama 

No carro, Lauren estava nervosa, seu nervosismo estava me deixando nervosa também. Decide deixar as coisas claras.

- Lauren, não sei o que vocês estão pensando que eu vou fazer, mas não precisa ir comigo se não quiser e isso não vai afetar em nada o trabalho de vocês.

- O que exatamente vamos fazer?

- Bom... EU vim até aqui para isso, saber o que tem para fazer aqui nessa cidade.

- Mas comigo?

- Você é a pessoa que mais conversei aqui, não vejo outra pessoa para fazer isso. Eu não vou fazer nada com você, fique tranquila.

- EU sei que não, só estou nervosa.

- Não fique. Só vamos jantar e logo estará em casa. Tão inteira quanto agora.

- Eu sei, confio em você. Já passou.

- Que bom. Agora me diga para onde podemos ir.

- Tem um restaurante no centro, ele não tem comidas chiques, mas meu pai sempre nos leva quando sobra algum.

- Parece ótimo, não gosto de comidas estranhas mesmo.

Ela sorriu e eu dei partida no carro. Logo estávamos no restaurante, simples como ela falou, mas eu poderia escolher tudo naquele cardápio, pois tudo me agradava, estar com ela era estar com alguém que eu conhecia a séculos. As vezes, seu jeito de mexer no cabelo ou de ficar vermelha quando eu a elogiava era muito familiares.

- Eu tenho que conhecer você de algum lugar, Lauren.

- Quando nos tocamos, senti algo estranho.

- Eu também.

Ficamos em silencio por um instante e nossa sobremesa chegou. A saboreamos e eu não conseguia parar de olhar pra ela.

- E seus filhos?

- A menina é minha princesa, ela é muito parecida comigo e nos damos tão bem. Eu devo trazer ela na próxima vez que vier aqui. O garoto é muito obcecado pela Kaya. Não gosta muito de ficar comigo, mas meu amor pelos dois é igual, só entendo melhor. E não me julgue, eu tentei, fomos a psicólogos juntos, fiz tudo que ele quis e nada adiantou. Foi então que percebi que quando só um tenta não faz diferença, ele não me quer por perto e eu tento respeitar ele ao máximo.

- Isso deve ser difícil. A sua esposa não fala nada sobre isso.

- ela não liga muito pra isso. Agora deixa o cartão dela um dia bloqueado para você ver o escando que da.

- Ela aparece muito no reality das Kardashians.

- Vocês realmente assistem mesmo esses programas?

- Nossa cidade não tem muitos entretimentos, realmente, eu fico impressionada com a quantia de dinheiro que elas ganham sem precisar fazer absolutamente nada. Esses dias a Kim ficou exausta enquanto escolhia a mansão dela? Como assim? – Eu gargalhei. – Quem me dera ficar cansada por isso. Você já cansou escolhendo uma mansão?

- Vou defender ela, cansa um pouco.

- Me poupe.

- Sério. O dia que você escolher a sua vai ver.

- Nunca vou chegar tão alto assim.

- Não seja pessimista.

- É realismo. – Ela limpou a boca e eu aproveitei para tirar uma foto dela. – Hey!

- Você é linda demais, Lauren. Preciso de um estimulo quando estiver no furacão que é minha vida em Miami. – Ela ficou me encarando por um bom tempo e depois respirou fundo.

- Sua esposa também é linda, deve ter um monte de fotos dela e isso deve ser o suficiente, não?

- Irritei você?

- Não! Mas você teve todo um discurso dentro do carro e agora fotos e elogios. Apreenda-se ao fato de que não importa quem você seja, nunca serei a outra de ninguém.

- Uau... Eu nunca te proporia isso, Lauren. Eu não entendo muito o que estou sentindo e o que está acontecendo, mas eu nunca rebaixaria você desta forma.

- Melhor mesmo que deixemos as coisas bem claras.

- Mas isso não me impede de estar atraída por você. – Ela franziu o cenho em raiva e eu deu os ombros. – Não vou te agarrar a força, mas sabemos que está rolando alguma coisa e que temos um conexão.

- Eu já sofri pelo que pensei ser conexão ou amor... ou paixão. Eu me ferrei demais por isso, não vou me deixar derrotar de novo. Pessoas casadas são as primeiras fora da minha lista, Camila. Sinto muito se tem esperança de algo, pois não vai rolar.

- Eu já entendi, só deixei claro meu lado também. – Ficamos em silencio novamente, desta vez o silencio era mais pesado. – Isso vai nos impedir de sermos amigas?

- Depende de você. – Sorri e ergui minhas mãos em rendição. Ela relutou um pouco, mas sorriu depois. – Não é por conta da conversa, mas eu preciso ir pra casa. Amanha acordo cedo.

- Amanha vou passar o dia em casa, assistir filmes e relaxar. Nem lembro quando tive esse tempo para mim. Eu vou a mina as seis da tarde para uma reunião com o engenheiro, se você... Quiser me acompanhar depois, nos filmes e comer besteiras, vou ficar feliz.

- Você é realmente empenhada.

- Eu não passarei dos limites. – Sorri de lado e ela ficou me encarando por um pouco.

- Vou pensar. Amanhã respondo.

Do restaurante ao carro, do carro a casa dela, ela ficou pensativa e calada. Desceu rápido do carro e eu tive que correr para alcança-la.

- Nem um abraço de despedida?

- Camila!

- O que? Amigas se abraçam! – Falei cruzando os braços e ela negou, se aproximando e fazendo com que abrisse meus braços para aconchegá-la. Eu nunca reparei em abraços, mas nesse eu poderia morar para sempre.

Ela começou o abraço tensa e depois foi relaxando, nem sei  quanto tempo ficamos assim, mas se ela não me soltasse, ficaria ate amanhecer com ela.

- Preciso ir. Obrigada por tudo, pelo jantar, por ser sincera e por me respeitar.

- Nos vemos amanhã.

Beijei a mão dela e ela sorriu, entrando no portão e olhando para trás antes de fechar a porta. Me escorei no carro e fiquei pensando... O que está acontecendo comigo?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...