História De repente 36 - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Riverdale
Personagens Alice Cooper, Antoinette "Toni" Topaz, Archibald "Archie" Andrews, Cheryl Blossom, Elizabeth "Betty" Cooper, Ethel Muggs, Forsythe Pendleton "FP" Jones II, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Frederick "Fred" Andrews, Hal Cooper, Hermione Lodge, Hiram Lodge, Jason Blossom, Josephine "Josie" McCoy, Kevin Keller, Penelope Blossom, Polly Cooper, Veronica "Ronnie" Lodge
Tags Bughead, Comedia, Riverdale, Romance
Visualizações 17
Palavras 1.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Capítulo V


  Uma semana havia se passado, durante esse tempo, Jughead e Betty haviam se distanciado bastante. A loira tinha medo de acabar se envolvendo demais com Jughead, afinal, ele sempre foi seu melhor amigo, certo? E, agora, eles estavam casados e tinham três filhos juntos. Aquilo era perigoso para ela e para a sanidade dela. 

 

Pra que sanidade, dá logo pra ele, garota. 

 

O clima entre eles estava terrível, Betty estava evitando Jughead e ele sabia disso. Aquilo estava agoniando o garoto. Ele não entendia o motivo dela estar o evitando. Sabia que ela não queria que eles tivessem uma relação mais intima, aquilo ele respeitava, mas acabar com tudo e conversar só o necessário,-perguntar sobre as crianças e se conseguiu pensar em alguma coisa para voltarem a 2001- ah, aquilo Jughead não permitiria jamais.

 

- Bom dia...- Jughead diz, entrando na cozinha e vendo "seus" filhos sentados enquanto Betty cozinhava alguma coisa. 

 

- Bom dia.-Nathalie, Emma e Hugo responderam ao mesmo tempo enquanto Betty não havia falado nada. 

 

Nathalie estava tensa, sabia que algo de errado havia acontecido com seus pais. Eles não eram assim. 

 

Mas eles não são os seus pais... Quer dizer, eles são, mas estão meio atrasados no tempo.  

 

- Pai, mãe... Preciso conversar com vocês.-Nathalie diz, tomando seu café. 

 

- É algo sobre a escola?-Betty pergunta, colocando panquecas nos pratos de Hugo e Emma. 

 

- Não, depois eu falo, tá?

 

- Tá bom.-Eles respondem. 

 

- Hugo, Emma, quando a tia Toni volta pra escola?-Nathalie pergunta, sorrindo. 

 

- A diretora disse que ela volta até segunda-feira, Nath.-Hugo responde, comendo sua panqueca. 

 

Após todos comerem, Jughead, Betty e Nathalie continuaram na cozinha, já Hugo e Emma foram para sala ver algum desenho. 

 

"Fui colocar na Nickelodeon e quando penso que não, pow, aparece uma muie comendo o pinto do homi" 

 

- Então, o que queria falar com a gente?-Betty pergunta, se sentando ao lado dela, na mesa. 

 

- Vocês vão se divorciar?-A garota foi direta. 

 

Tanto Jughead quando Betty arregalaram os olhos, surpresos com a pergunta de Nathalie. 

 

- O que? Não, é claro que não.-Jughead diz, forçando uma risada. 

 

- Então por que estão tão distantes? Vocês não são assim. Não estão nem ao menos dormindo no mesmo quarto!-A garota demonstrava tristeza; aquilo havia mexido com Betty. Ela estava tão focada em voltar para seu tempo e em evitar Jughead que não tinha pensando nos seus filhos, não tinha pensado se eles ficariam triste com a distância e falta de comunicação entre os pais. 

 

- Seu pai e eu estamos com alguns problemas, mas não vamos nos divorciar, ok? Eu... Eu o amo demais para deixa-lo.- Betty se perguntava como havia dito que o amava com tanta facilidade. Claro que ela já havia dito que amava Jughead, mas era diferente, ela queria demonstrar um amor entre amigos, já agora, queria demonstrar que o amava como marido e parceiro, coisa que ela nunca havia conseguido fazer antes, nem mesmo com seus ex-namorados. 

 

- O que aconteceu?-Nathalie pergunta, preocupada. 

 

- Nada demais.-Jughead interrompe a adolescente.

 

- Tá bom, então... como já me responderam, eu vou sair com Matheo, beleza? Tchauzinho.- Ela se levantou da cadeira. 

 

- Não, não, mocinha. Nós vamos ao supermercado.-Betty responde, sorrindo. 

 

Quando ela decidiu isso, meu pai? 

 

- O que? Por que eu tenho que ir?-Nathalie pergunta, reclamando. Poxa, sua mãe havia acabado com seu encontrinho. 

 

Já não basta empatar a própria foda, Betty? Ah pronto, agora que acabar o encontrinho da filha. Betty tem algo contra sexo ou qualquer coisa que envolva duas pessoas se envolvendo romanticamente, só pode. 

 

- Porque eu estou mandando.

 

Eita, baixou a mãe na Betty. 

 

- Mas, mãe, eu tenho um encontro.-Nathalie diz, choramingando. 

 

- Só desmarcar.-Jughead falou.

 

Jughead, sua filha tem um encontro, vagabundo. Faça alguma coisa, mate o Matheo. 

 

- Mas-Betty interrompeu Nathalie. 

 

- Sem mas, vamos! Vá pegar o cartão de crédito, sabe onde está, não é?-Betty pergunta, esperançosa. Se Nathalie não soubesse, tchauzinho compras. Ela sorriu quando a garota assentiu e foi buscar. 

 

Exato, sem mas, pô 

 

- Você sabe onde tem um supermercado?-Jughead pergunta, arqueando as sobrancelhas. 

 

- Não, mas vamos dar um jeito.-Ela sorri para ele e ele sorri de volta. Parece que as coisas estavam voltando a normal e Jughead agradecia profundamente Nathalie por isso. 

 

Irra, agora, por favor, façam mais filhos. 

 

- Vá chamar Hugo e Emma. Eles estão na sala, eu acho.-Betty diz para Jughead. 

 

- Mãe, é pra pegar a lista de compras?-Nathalie diz, entregando o cartão para ela. 

 

- Sim.-Betty responde e Jughead aparece com as crianças ao seu lado. Betty se aproxima deles e percebe que Jughead estava com uma cara pensativa. 

 

- O que aconteceu, Jug?

 

- Então tudo voltou a ser como antes? Não vai mais me evitar ou ignorar?-Jughead pergunta, sussurrando. 

 

- Não, não vou mais fazer isso, ok?-Os dois sorriram. 

 

Poxa, que fofo. 

 

Após Nathalie chegar com a lista, a família saiu de casa. 

 

- Ué, não vamos de carro?-Hugo pergunta, confuso. 

 

- Ah, é claro.-Jughead sorriu-Onde eu estacionei o carro mesmo? 

 

- Na garagem?-Nathalie diz, indo até a bolsa que Betty carregava e tirando um pequeno controle de dentro da mesma; ela apertou um botão e o grande portão da garagem se abriu, mostrando um carro aí. 

 

- Wow...-Jughead diz, maravilhado com o carro. 

 

Poxa, os olhinhos dele estão brilhando. 

 

- Beleza, vamos entrar.-Betty diz, com medo do que poderia acontecer se Jughead dirigisse aquilo. Jughead sabia dirigir, mas era 2019, não 2001, não sabia se os carros haviam mudado ou não. 

 

Eles entraram no carro e Jughead soltou um gritinho animado. 

 

Ai meus Zeus... 

 

- Vamos ver o que essa belezinha faz.-Jughead sussurra pra si mesmo, ligando o carro. Felizmente a chave do carro já estava dentro do mesmo então eles não precisariam procurar nada. 

 

Ok, esta indo tudo bem, ninguém morreu ainda. 

 

Betty havia colocado o cinco de segurança e o apertava com toda força do mundo enquanto rezava por sua vida e a vida de seus filhos. 

 

Jughead havia conseguido tirar o carro da garagem, aquilo era um avanço enorme. 

 

- Nath, pode nos falar o caminho do supermercado?-Betty diz e Nathalie a olha confusa, porém faz o que a mãe pediu. 

 

-Vou colocar no gps, ok?-Ela mexeu na telinha do carro e do nada uma voz saiu da mesma. 

 

"Vire a esquerda"

 

- Beleza, bora pro supermercado!-Jughead diz, fazendo tudo que o GPS mandava. Ele acelerava o carro de cinco em cinco segundos, estavam indo muito rápido e provavelmente pagariam varias multas extremamente caras. 

 

Quem mais acha que eles vão acabar com o dinheiro da família antes de voltarem pro tempo deles? 

 

- Jughead, vai devagar, por favor!-Betty diz, apavorada, bom, ela não era a única, Nathalie também estava quase infartando. Hugo e Emma apenas gritavam e riam. 

 

Coitadas... 

 

- Por que ir tão devagar?- Ele acelerou mais ainda e do nada ouviram uma sirene de polícia. Jughead olhou pelo retrovisor e uma viatura os seguia. 

 

Ok, eles estavam definitivamente ferrados. 

 

 

 


Notas Finais


AAA, não me matem, sei que demorei pra postar! Como sempre, capítulo não revisado, relevem os erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...