História De repente 4 - Capítulo 15


Escrita por: e halfhope

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), Kim Nam-joon / Rap Monster, Para Todos Os Garotos Que Já Amei, Red Velvet
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Min Yoongi (Suga), Wendy
Tags Btsvelvet, Colegial, Escolar, Fluffy, Hoseok, Jhope, Jin, Jinjoy, Joy, Joyhope, Joykook, Jungkook, Namjoon, Namjoy, Redvelvet, Romance, Seokjin, Seungwan, Sooyoung, Suga, Teen, Wendy, Wenga, Yoongi
Visualizações 153
Palavras 1.994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AAAAAAA Oii gente, aqui é a nate, como vocês estão??

Mais uma atualização e SURTOOO Jjdfhskghj espero encontrar vocês nos comentários ;u;

Amo que amo, boa leitura a todos!

Capítulo 15 - Página 14


Fanfic / Fanfiction De repente 4 - Capítulo 15 - Página 14

Apesar de ter dormido profundamente a noite toda, a cabeça de Joy estava pesada quando ela acordou com o barulho do seu despertador. Ficou uns minutos na cama, pensando em uma boa desculpa para convencer sua mãe de faltar. Fazia muito tempo que não faltava na escola, e aquela parecia ser a oportunidade perfeita para poder dormir até mais tarde.

Desceu as escadas devagar, procurando forças o suficiente para encarar sua mãe. A senhora Park tinha o costume de acordar muito cedo, além de trabalhar muito. Talvez por ser um pouco viciada em trabalho, exigia um esforço constante de Joy em relação aos estudos. Poucas coisas tiravam a sua mãe do sério, e preguiça era uma delas.

- Bom dia filha, já ia te acordar. - A mulher de meia idade cumprimentou.

- Posso faltar hoje? - Resolveu receber a bronca antes de tomar café.

- Pelo que eu to vendo você está ótima… - A mais velha aproximou-se e colocou a mão na testa para medir a temperatura. - Não tem febre!

- Mãe, você sempre me ensinou a economizar... E o atestado é de dois dias! - Usou os neurônios que estavam já acordados para montar uma desculpa - Não posso jogar dois dias fora.

- E jogar conteúdo fora, você quer? - A mulher continuou batendo as claras em neve na tigela. - Que eu saiba a semana de provas finais está próxima.

- Eu posso revisar a matéria de ontem hoje de manhã, e estudar a matéria de hoje de manhã a tarde.

- Como você vai pegar a matéria tão rápido? A Seungwan vai passar aqui mais tarde?

- Não, hoje ela vai ficar pra ver o treino de basquete. - Foi inevitável pensar que perderia a oportunidade de ver Jungkook a tarde, mas o sono era maior. - Daí ela me manda foto por telefone.

- Vocês e essas tecnologias, viu… - A mulher descansou o braço e encarou a filha. - Só se você me prometer que vai realmente estudar.

- Prometo sim, mãe! - Jogou um beijo no ar. - O remédio realmente me deixou meio aérea…

- Suba logo antes que eu mude de ideia! - A senhora Park sabia, que se desse corda, a sua filha falaria a manhã inteira, e ela tinha muito serviço a fazer.

- Se precisar de mim... é só chamar! - A garota sorriu ao pegar uma pilha de torradas que estava sobre a mesa. Subiu as escadas saltitante por poder dormir mais um pouco. Jogou-se na cama e tirou mais uma soneca por volta de uma hora.

Ao pegar seu celular para pedir fotos do caderno da amiga, deparou-se com várias mensagens de Seokjin perguntando se ela estava melhor. Suspirando de amores, agradeceu pela atenção. Wendy não demorou muito para enviar as fotos do seu caderno, o que indicava que a aula estava chata o suficiente para ela conseguir mexer no celular.

Ao retirar o caderno da bolsa para começar a anotar a matéria, encontrou o aviãozinho de Namjoon no meio do seu material, assim como o bilhetinho de Hoseok. Era simples, com uma mensagem clichê de ‘’fiz pensando em você’’, mas era impossível não sorrir sozinha com o cuidado do bilhete. Apesar de estar um pouco chateada com a situação, sentia pena do presidente. Ele com certeza fez o bolinho com a melhor das intenções.

Pegou os papéis com delicadeza, e juntou com os seus papéis de carta. Apesar de ser um costume considerado antiquado para alguns, Sooyoung adorava escrever cartas de amor. Não podia evitar a vontade de externalizar todos aqueles sentimentos que saltavam de sua mente.

Curiosamente, não tinha sentido essa vontade nos últimos dias. Sua mente parecia confusa em tentar organizar seus pensamentos depois de tantos acontecimentos. Sentia-se inspirada, mas sem conseguir achar as palavras certas para colocar no papel.

Desta vez, Sooyoung resolveu tentar algo diferente. Sempre escrevia cartas para os outros, e nunca para si mesma. Em pouco tempo, teria se formado no ensino médio. Precisava narrar aquele turbilhão de emoções que estava acontecendo, mesmo que não estivesse inspirada. 

 

“Querida Joy de um futuro não muito distante

Como você se sente agora? A festa da formatura encerrou um ciclo de muitos anos. Aproveitou seus momentos com a Wendy? A partir de agora, não vai ser possível ver sua melhor amiga com tanta frequência.

Com quem você está nesse momento? Aceitou ir ao baile acompanhada com algum dos seus amores? Ou decidiu ir sozinha? A resposta dessas questões não importam. Só espero que você, meu eu do futuro, tenha guardados as mais lindas memórias da juventude. Que pare de reprimir seus próprios sentimentos, e que viva mais intensamente.

Com amor, 

Joy de um passado não tão longe assim.”

 

Após colocar o ponto final naquela carta, sentiu-se reflexiva. Sooyoung chegou a conclusão que tinha que parar de imaginar menos, e realizar mais. Levantou-se da cadeira para espreguiçar seu corpo, que começava a ficar sonolento aquela hora da manhã.

Através da janela de seu quarto, deparou-se com uma silhueta ruiva atravessando a rua. Hoseok com certeza estava com a consciência pesada e estava vindo para pedir perdão. O problema era que sua mãe com certeza iria mandá-lo embora. Quando Joy ficava doente, a senhora Park ficava mais protetora que o normal.

- Ei, Hoseok!! - Joy acenou de longe, para chamar sua atenção.

- Sooyoung?! - O rapaz ficou um pouco surpreso ao se deparar com a morena acenando pra ele em sua janela. Apertou o passo para poder se aproximar dela.- Achei que você não queria me ver nem pintado de ouro.

- Eu não estou brava com você, mas a gente não vai poder se ver hoje. - Ela falou da sacada de seu quarto, que tinha acesso a rua.

- Como assim?! - O garoto piscou. Realmente estava confuso. Primeiro ela disse que não estava brava, e agora que não pode vê-lo.

- Se minha mãe me pegar conversando ao invés de estudar eu estou frita.- tentou resumir sua promessa para poder faltar na aula. - E ela com certeza vai te mandar embora.

Hoseok notou que havia uma escada de emergência que ligava a sacada de Sooyoung a entrada externa da loja. Não era muito difícil escalar  até chegar nos degraus. Deu alguns passo para trás e pegou impulso para agarrar o corrimão. Com o pé esquerdo conseguiu a força o suficiente para subir na escada. Poucos minutos depois, estava na sacada de Sooyoung, que estava espantada com a agilidade.

- Você é muito doido! - Ela gargalhou de forma contida para não chamar atenção - Mas eu adoro pessoas doidas.

Passado o susto, Joy ficou um tempo encarando o rapaz que estava a sua frente, respirando fundo e levemente cansado. Foi impossível não lembrar de Romeu e Julieta e as juras de amor que trocaram na sacada do quarto. Hoseok não era delicado como Romeu, estava longe de ser, mas parecia tão encantador quanto um príncipe clássico.

- Não vai me convidar pra entrar? - Ele respondeu um pouco ofegante pelo esforço.

Sooyoung pegou na mão do ruivo reconhecendo o ato dele e guiou-o pela entrada. O coração da garota apertou-se no peito com medo dele ler a carta que estava na escrivaninha. 

- Ah, você guardou o cartão! -O  rapaz não pode conter o sorriso ao notar que seu bilhetinho estava na mesa dela. - Mesmo depois do mal que ele te fez! Perdão…

- Não se importe com isso! Pelo menos serviu pra eu faltar na aula… - Joy brincou e os dois riram baixinho.

Para o alívio da morena,Hoseok era muito discreto, pois logo desviou o olhar da escrivaninha. Parecia estar admirando o ambiente a sua volta, absorvendo cada detalhe de um lugar tão reservado.

- Ah, aqui é tão bonito que me acalmou. - O clima era de brincadeira, mas como a voz  dele saiu um pouco trêmula, Joy percebeu que ele estava realmente tenso. De maneira involuntária, ela colocou a mão no peito dele, para conferir seus batimentos, que estavam acelerados. O semblante do rapaz se tornou um pouco mais sério e pensativo, os olhos dele foram para a mão da garota em seu tronco, eles pareciam tão próximos ali.

- Eu tenho um pouco de medo de altura… - O presidente justificou-se.

- Por que se arriscou assim? - Questionou preocupada ainda com a mão repousada de forma calma sob ele, Hoseok estava quente.

- Acho que minha vontade de te ver de perto foi maior. - O rapaz colocou sua mão direita sobre a dela. Os olhares se cruzaram, era como se pudessem se entender mesmo que calados. Com a outra mão livre, puxou-a sutilmente para mais perto dele. Ela sentiu o calor dele de mais perto… em sua própria pele, era tão convidativo que Sooyoung atendeu seu convite em silêncio e fechou os olhos.

Como poderia fugir dos encantos dele? Era como se Hoseok tivesse desbravado um mundo perigoso para chegar naquela torre alta onde era o quarto de Sooyoung. Ele a fez se sentir desejada! Os lábios do ruivo eram delicados e intensos, e logo suas bocas uniram-se numa sincronia perfeita. Talvez por ser tão experiente, sabia tocar nos lugares certos, deixando-a totalmente relaxada. 

Ao afrouxar um pouco a perna, sentiu-se fraca. Segurou delicadamente no rosto de Hoseok ainda com os lábios envolvidos com os dele. Cambaleou um pouco para trás e resolveu se apoiar na cama. Foi algo tão natural que ambos nem raciocinaram. O único momento que pararam de se beijar foi quando Hoseok passou a blusa por cima da sua cabeça, estando ele em cima da garota que estava quase que deitada na cama. Joy estava totalmente a mercê de seus instintos.

Talvez beijos realmente fossem capaz de curar qualquer coisa.

Sua clavícula era perfeitamente desenhada, revelando um peitoral delineado. Ainda que não fosse forte e nem musculoso, seu corpo parecia perfeito para ela. O mesmo passou a mão por baixo dos cabelos da morena voltando a beijá-la, Sooyoung se entregou ainda mais ao beijo dele, quando a língua deles entraram em contato, um toque de excitação correu pelos corpos de ambos! A mão do ruivo, que estava na cintura, subiu mais um pouco, até pousar em suas costas. 

- Soo, o almoço está pronto! - A senhora Park gritou da cozinha.

Os dois estavam tão imersos em suas próprias emoções que ficaram desnorteados com aquele aviso. O grito puxou Joy novamente para sua realidade. O que ela estava fazendo?

- D-desculpe, acho que está na hora de eu ir… - O rapaz gaguejou, visivelmente sem graça. Saiu de cima dela e pegou a camisa rapidamente, sem perceber que estava do avesso. A morena não pode conter o riso em ver seu desespero.

- Hoseok, está ao contrário… - Joy falou da cama. Não podia deixar o presidente da escola sair na rua de qualquer jeito.  - Não precisa ter pressa!

- Eu adoraria ficar mais, porém tenho uma reunião daqui a pouco. - Contou a primeira mentira que tinha se passado em sua cabeça. No fundo, Hoseok agradeceu a senhora Park pelo grito. Podia ter cometido um erro e dos grandes. 

- Vamos combinar um dia de você vir cozinhar aqui. - A morena propôs. - Assim que eu estiver curada, claro.

- Eu acho que você está mais que curada. - Hoseok não pode deixar de brincar com aquela situação e ambos riram juntos, ela estava linda com as bochechas ruborizadas! O ruivo era o único homem capaz de despertar sentimentos tão diferentes em uma questão de minutos. 

Despediu-se do rapaz, e acompanhou-o com o olhar, até que ele chegasse em segurança no chão. Antes de ir almoçar, colou a carta dentro da porta de seu armário. Aquele seria um lembrete a si mesma que não iria mais julgar suas próprias emoções.  Não iria se arrepender de nada, principalmente quando o instinto era tão intenso e agradável, como que sentia por Jung Hoseok.

...


Notas Finais


GENTE DO CÉU!!!! Alguém vivo aí???? kkskkskjdkk

E esse beijo? Superou nossas expectativas? Comentem o que acharam do capítulo, vai alegrar a vida de duas autoras sonhadoras ksksk

Beijão e obrigada a todos pelo carinho e pelos 500 favoritos, amamos cada um de vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...