História De Repente Casamos! - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Hermione Granger, Romance, Romione, Rony Weasley
Visualizações 85
Palavras 1.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, angels! ❤
Mais um capítulo de DRC! Querem saber como o Roniquinho ficou depois das lágrimas do capítulo passado? Claro que querem!!!
Então vamos logo pro capítulo? Vamos!!!
Desculpem-me os erros ortográficos.
Boa leitura 😊

Capítulo 9 - Capítulo 9


Assim que Rony acordou, ele notou que a porta de seu quarto estava entreaberta. Permaneceu deitado e pouco tempo depois ele viu Hermione indo espioná-lo. Assim que ela o viu acordado sorriu e adentrou o quarto com James no colo.

— Que bom que acordou! Estávamos esperando você acordar pra te mostrar isso. — ela dissera e abaixara-se para colocar James no chão e Rony se sentara em sua cama — Chame ele, Ron! Vai lá com seu padrinho, James! Chame ele!

— Vem, James. — Rony dissera esticando os braços para o afilhado.

James dera apenas três pequenos passinhos na direção do ruivo, que foram o suficiente para uma explosão de alegria e gritinhos eufóricos vindos de Hermione. Rony também ficara animado e rapidamente tomou o menino nos braços e ergueu-o no alto. Uma luz parecia ter se acendido no rosto do ruivo, e depois da noite passada era bom ver uma coisa daquelas. Hermione caminhou até os dois e sentou-se na cama também.

Rony estava entretido brincando com James quando Hermione começou a falar.

— Você está melhor? — ela perguntou e ele colocou James sentado em seu colo.

— Estou sim, obrigado.                                     

— Não precisa agradecer.

— Não queria ter chorado na sua frente... Parecer um bebê chorão idiota daquele jeito...

— Não tem nada de bebê chorão, Ron. Não vi nada além de um homem! Um homem com sentimentos. Chorar não te faz um idiota, te faz um ser humano. É bom colocar as mágoas pra fora, ou afogá-las como os trouxas costumam dizer.

— É, foi bom mesmo. Obrigado pelo apoio, eu não tinha chorado ainda... Desde o...

— Eu sei. Você e essa mania de se manter um trasgo por fora! Não faça mais isso, Ron. Se preocupar demais com quem você é por fora acaba estragando quem você é por dentro.

— Vou guardar esse conselho.

— Guarde mesmo, pois mesmo que eu tente, é em você que esse pequeno aí vai se espelhar. Você agora é a figura masculina mais importante e presente na vida dele, então ensine-o. Mostre a ele que demonstrar sentimentos é uma atitude louvável.

— Às vezes eu tenho medo, Hermione. Medo de não ser para James o que ele merece!

— E você acha que eu também não tenho esse medo? Eu sempre quis ser a melhor em tudo como você mesmo diz, e eu sempre tive certeza que eu era... Mas agora, James é a minha maior responsabilidade e minha única prioridade. Se algum dia eu quis ser a melhor em tudo, com certeza não chega aos pés de quanto eu quero ser a melhor agora. A melhor para o James! Não sei se consigo sempre, mas eu tento. E sei que isso já vale muito.

— Você consegue Hermione. O tempo inteiro! 

— E você também consegue Ron. Ficar inseguro é normal, mas não deixe de tentar. Você não pode fraquejar, não pode me deixar sozinha nessa!

— E eu não vou deixar. Nem você e o James muito menos!

— Ótimo! — ela suspirou agradecida — Sempre que precisar de alguém pra conversar ou apenas secar as suas lágrimas eu estarei aqui, um apoiando o outro ok? Só assim conseguiremos manter a harmonia pelo James.

— Você também... Para o que precisar eu estarei aqui por vocês dois! — ele dissera colocando James sentado no colo de Hermione.

— Ok. E sempre que a vontade de desistir aparecer, lembre-se disso aqui... — então ela erguera James de modo que a barriguinha dele ficasse na altura de seus lábios, os encostou na barriga do menino e assoprou, fazendo um barulho esquisito e James gargalhou alto com a cócega que sentiu — Esse sorriso te manterá firme e forte!

— Com certeza! — ele deu um sorriso de canto ao observar Hermione que continuou fazendo aquela brincadeira com James que gargalhava cada vez mais alto.

— Você não acha que esse é o som mais maravilhoso do mundo agora? — ela perguntou parando a brincadeira e colocando o afilhado sentado em seu colo — Às vezes eu fico esperando o dia todo só pra chegar em casar e ouvir essa risada gostosa! — e então ela abraçou James e o encheu de beijos.

— Eu também fico! O ponto alto do meu dia é vê-lo adormecer nos meus braços.

— Já disse que você está deixando ele muito mal acostumado com isso! 

Desde que estavam dividindo as tarefas Rony tomara para si o dever de colocar James pra dormir a noite. Antes de dividirem as tarefas era sempre Hermione que o fazia, mas agora quase sempre era o ruivo que o fazia ninar. Hermione reclamava por ele sempre pegar o menino no colo e balançá-lo até pegar no sono. Ela acreditava que ele já estava ficando grandinho e que devia aprender a adormecer sozinho, mas Rony não queria parar com aquele costume de jeito nenhum.

— Você também pega ele no colo! — acusou-a.

— Só de vez em quando! Logo você não vai mais aguentar segurar ele e aí eu quero ver o chororô que vai ser.

— Pare de ser chata, vai. Pelo menos hoje, Hermione.

— Tudo bem, então serei mandona! Essa casa está precisando mudar um pouco os ares. Quero mudar algumas coisas nela, ok? Está bem pra você?

— Eu não ligo muito pra decoração de casa, então sinta-se a vontade pra fazer o que quiser!

— Ótimo! Quero trocar alguns móveis, quem sabe fazer uma reforma na cozinha e no banheiro e também pintar os cômodos. Obviamente você vai me ajudar em tudo! Vamos começar pintando o quarto de James, ok? 

— E como vamos fazer tudo isso aqui? A queridinha do ministro pode usar magia aqui? 

— Claro que não! — ela revirou os olhos, odiava quando Rony dizia que ela era a "queridinha do ministro".

— E como vamos fazer tudo isso sem usar magia? — Rony dissera pegando sua varinha que estava em cima de sua mesinha de cabeceira e analisou-a.

— Expelliarmus! — Hermione sacara sua varinha tão rapidamente que Rony nem sabia dizer onde ela havia guardado-a, e em milésimos sua varinha já estava nas mãos dela também — Não vamos usar magia. Confiscarei isso aqui por hoje!

— Então como vamos fazer tudo isso? — ela guardou as duas varinhas em suas vestes.

— Não vamos fazer tudo hoje!

— Então por que você pegou a minha varinha? — estava indignado.

— Porque vamos começar pelo quarto do James, hoje. Só isso. Vamos pintar o quarto dele hoje, eu comprei a tinta.

— Vamos pintar o quarto dele manualmente? — Rony preguiçoso como era já se desanimara.

— Vamos! Então se levanta logo, coloque uma roupa velha e desça pra tomarmos café e colocarmos a mão na massa logo! — então ela tirara James de seu colo e o colocou sentado na cama do ruivo, levantou-se e saiu do quarto completamente animada.

— Ah, James... Sua madrinha é louca sabia? — Rony pegara o pequeno e beijara sua bochecha gorducha — E mesmo assim a gente não consegue viver sem ela! 


Notas Finais


Eles já não conseguem mais viver sem ela! ❤❤ Rony já disse isso pro Potter pai, agora tem que dizer pro Potter filho: Não duraríamos dois sem ela! ❤ haha
Espero que tenham gostado! 😊
Beijinhos da tia Ginny 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...