História De repente dois de mim - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Comedia, Drama, Jimin, Romance
Visualizações 44
Palavras 2.584
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal..
Como estão?? Espero que bem.. 😀
Mais um capítulo para vocês..
Espero seus comentários.. 😉

AH, GOSTARIA DE CONVIDAR VOCÊ PARA LER MINHA OUTRA FIC QUE AINDA ESTÁ EM ANDAMENTO (ninguém sabe aonde isso vai parar) Então... é uma trama com muitos segredos e eu sei que VOCÊ vai descobrir todos eles! 😉💜
Link nas notas finais, espero você lá! 💚 Preciso de apoio! 🤗

Voltando para está fic! Espero que gostem do capítulo hot (hihihi)
Desculpem qualquer erro..
Boa leitura!!

Capítulo 15 - Addicted to sex


Fanfic / Fanfiction De repente dois de mim - Capítulo 15 - Addicted to sex

Leiam as notas iniciais, obrigada! ;)

______'s pov

Sai do salão atordoada. Não acredito que o meu cabelo está azul. Como vou aparecer assim? Só se eu lançar uma moda. Mas que ideia mais estapafúrdia! ______, concentre-se! Isso não pode ter sido feito casualmente ou sem querer! Quem poderia ter trocado os frascos?! Aish!

- Oh, meu Deus! - dei de cara com Kang Diah no corredor. - O que aconteceu com você, senhorita Kim? - irrelevante responder. - Nossa, que desastre! - ela levou uma mão a bochecha fingindo se importar. - Sabia que se pintar o cabelo rapidamente você pode acabar ficando careca?

Sorri sem animação. Se eu puder apostar... Aposto que tem um dedo dela nisso tudo. Espera! Ela estava no salão! Foi ela com certeza!

- Não é um desastre, pois estou lançando uma tendência. - disse de maneira audaciosa e ela prendeu o sorriso. - Querida. Eu sou um ícone de beleza e moda. - sorri. - Acha mesmo que ficou tão mal? - passei a mão pelo cabelo. - Eu queria agradecer a quem me ajudou a chegar nesta fórmula... Porque eu confesso que nunca pensaria em pintar dessa cor.

- Está tudo numa boa, mesmo? - ela franziu o cenho e seu semblante era de desapontamento.

- Ah, claro que sim. - sorri cínica. - Com licença, Diah. - passei por ela e segui pelo corredor.

Ah, foi ela! Eu tenho certeza. Mas ela que me aguarde!

(...)

Passei um lenço em volta do cabelo e me sentia uma detetive seguindo Kang Diah pelo resort. Ela entrou na sauna e eu sorri maquiavélica.

- Você me paga, lindinha. - sussurrei para mim mesma e passei pela porta de madeira corrida.

Ali, na antessala, as pessoas trocavam sua roupas e se enrolavam na toalha para entrar na sauna. Com a minha sorte, somente Kang Diah estava ali, hoje.

Aproximei-me do painel de temperatura da sauna que fica ali, na antessala. Diah já se encontrava na sauna e eu espero que ela aproveite bastante.

Ah! Espera! Não posso dissecar essa mulher! Ou fazer ela se desidratar! Ela pode morrer!

Desgraçada! Você não é tão oferecida! Então, vou deixar você se mostrando para o hotel inteiro!

Peguei as roupas dela e sai da antessala... Agora... Tenho que me livrar dessa prova. Olhei em volta e avistei a lata de lixo. Sorri maquiavélica e me aproximei da lata, jogando a roupa lá dentro.

(...)

Fui direto para o meu quarto, cobrindo o meu cabelo com o lenço. Só vou conseguir voltar ao normal, na sexta. Antes do leilão, na sexta.

Aish!!

Para variar, Taehyung estava no meu quarto outra vez.

- Como você entrou aqui? - disse batendo a porta com força e me aproximei dele que estava sentado na beirada da cama. - Você tenta mesmo me controlar, não é? Eu poderia sei lá... Estar aqui em algum momento indecente e você entrando nos lugares sem ser convidado.

- Que lenço é esse? - retrucou ele sem me dar atenção.

- Não é nada. É um lenço qualquer. - dei de ombros e ele se levantou.

- Um lenço qualquer? - disse ele incrédulo levando a mão ao lenço, mas eu bati na mão dele e começamos uma guerra de tapas na mão um do outro. - Aish!!

- Pare com isso! Aish! - esbravejei, mas ele acabou retirando o lenço.

- O seu cabelo está mesmo azul?! - disse ele chocado. - Está azul ou estou com com aquela doença que me torna incapaz de reconhecer certas cores?

- Daltônico? - arqueei uma sobrancelha. - Provavelmente. - sorri cínica.

- Você para de graça, ouviu?! - disse ele ríspido. - Espero que dê um jeito nesse cabelo até sexta!

- Não se preocupe. - deu de ombros, puxando o lenço das mãos dele. - Eu farei isso. Agora, será que pode me dizer o que você está fazendo no meu quarto? - bati o pé no chão.

- Fique de olhos em Yuta... - começou ele. - Ele tem agido estranho ultimamente.

- Ele tem agido diferente sim, mas não acho que seja estranho. - elevei os ombros. - Gosto bem mais dele agora.

Taehyung deu de ombros.

- E aquela tal de Kang Diah está zanzando pelo resort sem roupas.. - a minha boca se entreabriu e fingi choque ao saber disso.

- Como assim? - cobri a minha boca com a mão.

- É... Só de toalha e nada mais. - ele suspirou. - E não queremos outro escândalo.

Balancei a cabeça positivamente.

- Deveria dizer isso para Hon Yuta e não para mim. - disse amarga.

- Por alguma razão.. - ele elevou a mão direita e fechou-a em punho. - .. eu tenho uma vontade grande de te esganar quando você tenta me afrontar.

- Ainda não sabe o motivo? - disse cínica. - Você está usando a mim, sugiro que dá próxima vez, você seduza o ricaço.

Taehyung me deu um tapa na cara... Abri a minha boca e corri minha mão rapidamente para a minha bochecha ao encará-lo de volta. Tae travou o maxilar e respirou fundo ao de dirigir para a porta e deixar o meu quarto.

Jimin's pov

Avistei Kang Diah correndo pelo corredor só de toalha. Estreitei os olhos e entrei no meu quarto antes que ela me veja e invente moda.

- Parece que está assustado. - disse Jungkook sem tirar os olhos do celular.

Ele estava sentado na cama e encostado à cabeceira.

- Estava me escondendo. - dei de ombros e me aproximei dele. - O leilão já é daqui cinco dias. - Jungkook me encarou.

- Estamos indo bem. - disse ele como se estiver no automático.

- Praticamente quatro, não é? Já passa das três da tarde. - conclui óbvio.

- Você está preocupado por quê?

- Cara, fala sério... - sentei-me na beirada da cama. - E não é para estar?

- Temos tido muita sorte, fica frio. - disse Jungkook com descaso.

- Esse seu descaso com a vida me deixa com vontade de socar você!

- Eu só sigo o fluxo, Jimin. - ele riu.

Sorri e olhei em volta.

- Cadê o Jin?

- Essa é uma boa pergunta.

(...)

Bati a porta do quarto de ______ e ouvi um "Pode entrar" abafado. Abri a porta e a avistei sentada sobre a cama, com as pernas esticadas e as costas apoiadas a cabeça. Assim que me viu correu a mão pelo rosto e sorriu timidamente quando eu me aproximei.

- Ah, não sabia que viria aqui. - disse ela passando a mão novamente sobre o olho.

- E você estava chorando? - deitei na cama ao lado dela e me apoiei nos cotovelos.

- Não, meus olhos só estão suados. - disse ela em tom jocoso e eu sorri.

- Gostei do visual. - apontei brevemente para os cabelos azuis dela, estava de barriga para o colchão. - Por que está triste? É por causa do cabelo? - ela negou com a cabeça.

- Não estou assim por causa do cabelo. - _______ passou a mão pelo rosto novamente. Seu nariz estava um pouco avermelhado. - Mas um pouco é por causa do cabelo, sim. - ela riu sem animação, um riso breve.

- O que está de deixando magoada?

- Eu queria... que fossemos como antigamente, sabe? Meu irmão e eu. - ela encarou as mãos sobre o colo. - Éramos tão unidos. Eu podia contar com ele para tudo.

- As pessoas mudam mesmo. - disse sem animação. - Ele só tem interesses diferentes dos seus, eu acho.

- As coisas eram para ser mais fáceis. - _______ olhou para mim. - Eu sempre me esforço demais para ser perfeita... E agradar todo mundo.

- Você não tem que ser perfeita. - sorri para ela. - Eu sempre quis me casar com uma garota humana. E humanos cometem erros, às vezes... - disse triste ao olhar para a confusão que estou metido até o pescoço. - Como cair em armadilhas e mentiras.

- Você tem segredos para mim?

Engoli em seco e me arrastei para me sentar ao lado dela. Apoiei minhas costas a cabeceira.

- Pergunte o que quiser e eu responderei. - disse sem a encarar. - Por quê? - virei o meu rosto para o lado e a encarei.

- Foi só uma pergunta.

- _______, não importa o que aconteça... - ela me encarava curiosa. - Sempre se lembre das palavras que vou dizer agora. - segurei a mão dela. - Não podemos controlar o destino e evidentemente não o entendemos. - fiz uma breve pausa. - Eu confesso que... se não fosse por ele, não teria conheci você. E não vou me arrepender das coisas erradas que fiz para chegar a este momento. - acariciei a mão dela. - E meus sentimentos são sinceros. Lembre-se disso.

- Lembrarei. - ______ comprimiu os lábios. - Agora... eu estou aqui, alheia a minha própria vida e com o cabelo azul. - sorri. - Meu maior sonho. - ela sorriu.

- Ah, eu sempre quis ter uma Smurfette... - _______ riu e passou uma de suas pernas pelas minhas, se sentando no meu colo, corri uma de minhas mãos pelo rosto dela e nós beijamos. Um beijo casto. - Eu tenho tanta sorte. - disse afastando a cabeça um pouco para trás e minhas mãos estavam na base das costas dela.

- Eu que tenho sorte. - disse ela passando a mão pelo meu rosto. - Sorte de você ter mudado, sorte de você...

- De eu amar você. - completei o que ela ia dizer. - Eu amo você. É loucura, eu sei.. - sorri sem humor.

- Não é loucura. - disse ela estreitando os olhos. - Já nos conhecemos há algum tempo.

- Você é tão bonita. - sussurrei.

- Eu te amo. - ela sussurrou de volta para mim.

- Você é meu vício.

_______ selou nossos lábios... Nossas línguas dançavam em uma dança que só elas conheciam... Toda a adrenalina corria pelo meu corpo. Puxei a camiseta preta dela para cima e nos afastamos para que tirássemos ela. ______ estava sem sutiã e eu abocanhei o seio esquerdo dela.

Depositei beijos subindo para o pescoço dela...

- Aaaawn.. - ela gemeu e puxou a minha cabeça para cima, para ter livre acesso a minha boca.

______ puxou a minha camisa para fora do meu corpo passando pela cabeça e desceu distribuindo beijos pelo meu peitoral. Ela estava sentada sobre o meu colo e fazia uma leve pressão em meu membro já pulsante por ela.

Corri minhas mãos pela cintura dela e as subi para os seus seios, onde apertei de leve. Depositei beijos quentes na base de seu pescoço e ela mexeu seu quadril, me exitando ainda mais.

- Você me deixa louco. - disse a encarando e ela mordeu o lábio inferior e beijou meus lábios brevemente.

Suas mãos desceram para a minha calça. Ao alcançar minha calça, abriu e ela puxou meu membro para fora e correu suas mãos por ele.

- Eu já estou muito excitada com isso. - disse ela correndo a mão em um vai e vem para cima e para baixo em meu pênis.

- Aaaawn.. - abri a boca e deixei um gemido escapulir. ______ passou a perna, saindo do meu colo e se inclinou para frente correndo a língua pela minha glande. E sem demora, começou a me chupar gostoso... - Aaaawn. - eu a desejava com todo o meu corpo, com todo o meu coração. - Que boquinha gostosa. - disse a incentivando e ela continuou mais rapidamente. - Aaaawn.. - mordi o lábio inferior e corri minhas mãos pela bunda dela, ainda coberta pelo short.

Fiz com que ela parasse e a deitei na cama... Tirei minha calça e a cueca. Me aproximei dela e nossos lábios estavam colados. Corri a minha mão para baixo, adentrando por dentro do short dela e alcançando sua intimidade...

- Aaaawn. - ela gemeu com o meu toque. Comecei a masturbá-la, correndo meus dedos pelos seu clitóris... - Aaaawn. - roubava os gemidos dela com nossos lábios colados em um beijo quente. E a masturbava com meus dedos com agilidade.

- Você pode gozar assim. - sussurei entre os lábios dela. - Goza para mim, _______.

- Aaaaaaa.. - ela moveu o quadril para cima e eu corri mais rápido meus dedos sobre o clitóris dela. - Aaaawn..

Nossas respirações era descompassada. E o corpo de ______ se estremeceu com o orgasmo. Selei nossos lábios em um beijo estalado e puxei a minha mão até meus lábios, onde chupei meus dedos brevemente.

Tirei o short e a calcinha dela me encaixei entre as pernas dela. Beijei o interior de sua coxa.

- Molhadinha. - sussurei e corri minha língua pelos grandes lábios de sua vagina.

- Aaaawn... - ela gemeu e moveu o quadril. - aaaaa. - corri a minha língua pelo clitóris dela e ______ arqueou o corpo para trás. Segurava firme em suas coxas - AAAAAAAA!!! - parei e a encarei, pelo seu grito.

- Você está bem? - disse ofegante.

- Continuaaaaa! - ela me encarou com reprovação por eu ter parado e eu continuei a masturbá-la. - Aaaaaaaa.. Aaaawn.. aaaaaa.. - suas mãos foram em meus cabelos e ela os segurou com força ao gozar na minha boca.

Subi e beijei sua linda boca, para que ela pudesse sentir sei gosto também e roçei meu membro na entrada da vagina dela... _______ segurou firme em meus braços.

- Eu vou meter com força, okay. - disse o fegante e ela afirmou com a cabeça.

- Aaaawn.. - ela gemeu entre meus lábios pela sensação que eu causei a ela ao roçar meu pênis na entrada da vagina dela e sem mais delongas a invadi com tudo. - AAAAAA.. aaaawn.. - comecei em um ritmo forte. - Vai! Aaaaa.. - metia com força. Tinhamos necessidade um do outro.. ______ corria as unhas pelas minhas costas e nós nos explodimos em prazer ao atingir nosso orgasmo ao mesmo tempo.

Alguns dias depois...

Yuta's pov

Um barulho chato me fazia despertar. Tirei o braço da garota da noite anterior de cima de mim e puxei o meu celular.

- Alô? - disse com a voz sonolenta.

- Alô?! - disse meu pai em tom irritado. - Escuta aqui seu verme! - ele gritou do outro lado da linha. - Você não está na ilha, não é?

- Eu estou na ilha. - menti.

- Oh, é mesmo! - ele riu debochado. - Isso explica a fatura de seu cartão ao alugar um quarto de motel em Incheon.

- Roubaram o meu cartão. - disse cínico. - Eu não sei de nada disso... De motel.. Ah. - olhei para a garota nua ao meu lado. - Eu juro.

- Pare de mentir, verme! - esbravejou ele do outro lado da linha.

- Se tem tanta certeza que estou mentindo, por que está me perguntando, Abeoji?

- Vou chegar sexta-feira na ilha, muleque, e se eu não encontrar você lá, saberá do que eu sou capaz! - disse e desligou o telefone.

- Ai, meu Deus! - olhei para o meu celular. - Sexta-feira é amanhã! - dei um pulo da cama e comecei a procurar a minha roupa. Tenho que ir para lá. Meu pai é louco e pode inventar de me deserdar! 

Leiam as notas finais, obrigada! ;)


Notas Finais


https://www.spiritfanfiction.com/historia/sos--no-one-knows-where-this-will-stop-13135625
Deem muito amor é essa fic! 👆

Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... Agora é que a cobra vai fumar.. Muhahahahahahahaha.
Obrigada por ler até aqui! 💖

O que acharam deste capítulo??
Deixem comentários.. sua opinião é muito importante para mim.. 😊😊
Vejo vocês em breve..
XX #Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...