História De repente dois de mim - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Comedia, Drama, Jimin, Romance
Visualizações 46
Palavras 2.978
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal..
Como estão?? Espero que bem.. 😀
Mais um capítulo para vocês..
Espero seus comentários.. 😉
Desculpem qualquer erro..
Boa leitura!!

Capítulo 16 - Oh, my God!


Fanfic / Fanfiction De repente dois de mim - Capítulo 16 - Oh, my God!

Jungkook's pov

Vinha da piscina, nos últimos dias estou nadando pela manhã. Tenho que praticar uma atividade, Hu Di Ah tem exigido muito do meu corpinho. Foi o único jeito de distrai-la e graças a Deus, ela não fala nada do Hon Yuta ou que ele não é Hon Yuta.

Avistei Jimin se aproximando do balcão de entrada do hotel... Estreitei os olhos e levei a mão a nuca, correndo meus dedos violentamente por ali.

O que ele está fazendo?

- Yuta! - chamei a atenção dele, pois não posso falar 'Jimin' e ele me encarou com desdém. - O que está fazendo aqui?

Ele voltou sua atenção ao recepcionista e me ignorou totalmente.

- Só um minuto, senhor Hon. - disse o recepcionista ao telefone.

O que está acontecendo?!

- Achei que ia ficar no quarto até a hora do leilão. - disse sem saber o que dizer e Jimin me encarou friamente.

- Desculpe, você quem é?

Foi aí que a ficha caiu.

Ah!!! Não acredito. Estou diante do verdadeiro Hon Yuta. Como isso é possível?

- Ah, ninguém. - ri de nervoso e ele fechou a cara e estreitou os olhos. - Eu sou sobrinho de Hu Di Ah. - ele franziu o cenho.

- Ah?! Sobrinho? - ele arqueou uma sobrancelha, incrédulo.

- Pois é. - elevei amabas as sobrancelhas. - Eu aparento ter mais idade. - disse entredentes. - Mas sou bem jovem... Jovem como um virgem tocado pela primeira vez. - balancei a cabeça positivamente. - Foi piada. 

Ele me encarava sem entender de que eu estava falando. E obviamente ele é mais esperto do que aparenta porque Yuta não parece estar acreditando no meu discurso.

- Oh! - ele arregalou os olhos. - Você é virgem?

- O quê?! - grui agitado. - Não. - dei um tapa no ar. - Não. - suspirei. - O outro de você com certeza ainda é. - sussurei para mim mesmo.

- O que disse? - ele ficou de orelha em pé.

- Está nervoso? - sorri sem graça.

- Quem está nervoso? - Yuta retrucou. - Você está nervoso? - indagou apontando para mim. Neguei com a cabeça, mas isso não é verdade. - Achei que tinha sido uma piada. - disse ele com repugnância. 

- Hum?! - estou pela primeira vez preocupado. 

- Ou está insinuando que eu sou virgem?

Neguei com a cabeça.

- Eu não ousaria. - disse com um fio de voz.

- Eu fiquei dez anos sem fazer sexo. - arregalei os olhos pela revelação dele.

- Ahh.. - comprimi os lábios. - Eu não acredito, desculpe. - sorri tímido. 

- É verdade. - ele garantiu com veemência. - Do zero até os dez anos de idade. - como a conversa veio parar em sexo? - Depois nunca mais parei. - ele elevou os olhos.

- Que sorte que sua. - sorri simplista de modo cínico.

- Senhor Hon? - disse o recepcionista.

- Com licença. - disse ele se afastando, voltando para o balcão.

- Senhor Hon, em que posso ajudar? - disse o recepcionista o encarando cara a cara e eu dei um passo para trás.

- Chave do quarto. - disse Hon Yuta amargo. - Rápido!

Arregalei os olhos e dei outro passo para trás. Sai correndo para o quarto... assim que sai do saguão.

Meu Deus!!! Meu Deus!!! Meu Deus!!!

Subi as escadas correndo e cheguei a cobertura bufando. Corri pelo corredor como quem vai tirar o pai da forca e passei apressado pela porta. Apoiei as minhas costas à porta, depois de fechá-la e avistei Jin e Jimin que vestia uma camisa branca.

- O que foi? - disse Jin virando a cabeça de lado.

Elevei o dedo indicador pedindo um minuto de tempo para que eu pudesse me recuperar... Respirei fundo e os dois me encarava mais curiosos e preocupados. Minha respiração era pesada e eu levei a mão ao peito, tentando me recuperar.

- Você está bem? - disse Jimin se aproximando com uma cara preocupada.

- Eu vou falar rápido. - engoli em seco e puxei o ar para meus pulmões. - HonYutaestáláembaixoeestásubindo!

Os dois arregalaram os olhos.

- O quê? - Jin se aproximou cruzando os braços. - O que você disse?

- HonYutaestáláembaixoeestásubindo!

Os dois me encaravam com cara de paspalhos!

- Não,.. - começou Jimin encarando Jin. - .. assim não dá para começar uma conversa decente!

Coloquei as duas mãos, uma de cada lado no braço de Jimin e ele arregalou os olhos me encarando, surpreso.

- HonYutaestáláembaixoeestásubindo! - o chacoalhei de leve. 

A boca dele se abriu.

- O quê?! Não é possível. - finalmente ele entendeu o que eu disse! O que é? Eu não estou falando escandinavo, não! - Mas isso é terrível. - disse ele fingindo estar preocupado e eu engoli em seco, descontente.

- Você não entendeu nada do que eu falei, não é? - desci os meus braços.

- Não. - disse ele com cara de pateta. - Mas achei que talvez assim você se acalmasse e falasse no nosso idioma.

- E eu não estou falando no nosso idioma? - disse chocado arregalando os olhos.

- Quer, por favor, falar logo de uma vez! - esbravejou Jin colocando a mão no quadril.

- HOM YUTA ESTÁ LÁ EMBAIXO E ESTÁ SUBINDO! - vociferrei irritado. - ENTENDERAM AGORA! 

- Hon Yuta está lá embaixo e está subindo? - disse Jin duvidando de minhas palavras e encarou Jimin a seu lado. Dei um tapa em minha própria testa. 

São... loucos? Sim, são loucos! Loucos! 

- Annyeong!! - estalei os dedos chamando-os para a real. - O verdadeiro está lá em baixo!

- AAAAAAAA!!!!!! - Jin gritou e eu levei um susto, não esperava por isso. 

- E eu sou de mentira? - Jimin arqueou uma sobrancelha parecendo ofendido. - Ah, droga! 

- Isso ia dar merda! Eu disse! Eu disse! - esbravejou Jin. 

Começamos a correr praticamente em círculos dentro do quarto. Não sabíamos o que fazer. Parecíamos galinhas decapitadas que correm em círculos e falávamos ao mesmo tempo, um jogando a culpa no outro.

Ajeitamos o que pudemos em cinco segundos, coisas que não fazemos nem com um longo tempo que é nós dado... Isso é bem engraçado, diria.

- O que vamos fazer? - disse Jimin aflito.

- Vamos embora daqui naquele barco clandestino! - disse agitado. - Rápido! - os chamei em um gesto com minha mão. - Não há tempo a perder!

_______'s pov

Passava pelo saguão para ir para o salão e Hon Yuta arregalou os olhos para mim. Olhei em volta confusa, mas não tinha mais ninguém ali, só eu e ele olhava para mim espantado.

- O que foi? - estreitei os olhos. - Eu estou suja? - corri as mãos pelo meu nariz e rosto.

- O seu cabelo está azul. - ele disse embasbacado.

O quê?!

- Ah, sim... Eu tenho uma hora no salão agora. - sorri sem graça. - Está tudo bem? - perguntei preocupada.

- Não entendi sua pergunta. - disse ele ríspido. - Espero que consiga tingir o cabelo de volta, porque você está ridícula e casar com uma mulher de cabelos azuis e demais para mim!

A minha boca estava entreaberta, não parece o mesmo Yuta que dias atrás disse que me amava.

- O quê? - disse confusa. - Você disse que não estava tão ruim. - corri a mão pelo cabelo.

- Eu disse? - ele riu. - Quando? Escuta _______... Vamos nos casar, mas confesso que não suporto olhar para a sua cara de sonsa. - abri a minha boca em um perfeito 'o'. - Eu vou tomar um banho. - ele seguiu sentido ao elevador e eu o segui com os olhos.

- Meu Deus! - sussurei para mim. - O que foi isso?!

Yoongi's pov

Sai do meu quarto e dei de cara com Jimin e seus amigos.

- Bom dia. - disse e eles responderam ao mesmo tempo.

Passaram por mim e correram para as escadas, eles usavam roupas claras.. No mínimo eu achei aquilo estranho, mas cada um com suas maluquices.

Entrei no elevador e apertei o botão do térreo. O hotel do meu pai só tem três andares, porém ele é bem comprido e acomoda muitos quartos. É um verdadeiro paraíso aqui na ilha. Sorri e a porta do elevador se abriu, dei de cara com o Jimin e recolhi o sorriso. Franzi o cenho e ele sorriu para mim...

- Olá, Yoongi.

- Ah... - olhei em volta saindo do elevador. - Mas eu... - apontei para o elevador sem querer apontar para o elevador de fato. - Você é...? O que...? Como que..?

- Está tudo bem? - disse ele com o cenho franzido diante de minha atitude.

O que ele quer? Me deixar louco?! Ele estava lá em cima e agora está aqui. Como?!

- Como chegou aqui tão rápido? - corri os olhos pelas roupas dele, e ele usava um paletó em tom azulado e a blusa debaixo era preta. - E quando foi que trocou de roupa? - arregalei um pouco os olhos.

- Você está doido ou o quê? - ele bateu a mão no meu ombro e então a ficha caiu.

Merda!

Estou diante de Hon Yuta, o verdadeiro e não a cópia cuspida! Isso só pode ser brincadeira!

- Yuta. - disse com desdém apontando brevemente para ele.

- Claro que sou eu. - ele riu de mim. - O quê? - continuou tentando não rir. - Eu acabei de chegar para o leilão mais tarde. - a minha boca se entreabriu. - Não se divertir muito sem mim, não é?

- Yuta. - disse com um fio de voz. - Nossa! - sorri de nervoso. - É você mesmo! - disse entredentes.

- Eu mesmo. - disse ele. - Quem pensou que eu fosse? - ele disse com o cenho franzido. - Olha, eu preciso subir e tomar um banho, trocar de roupa. - ele meneou seu corpo para o lado do elevador. - Nós falamos depois.

Ele entrou no elevador e rapidamente as portas se fecharam. Levei a mão a cabeça e olhei em volta. Jimin, Jungkook e Jin correndo ao deixar a porta das escadas.

Jimin's pov

Corríamos para fora do hotel e passamos em frente ao salão. ______ disse que teria uma hora marcada às sete.

- Esperem. - disse parando e Jin e Jungkook me encararam. - Preciso me despedir.

- Você está de brincadeira, não é? - disse Jungkook. - Um louco pode acabar com a nossa vida se descobrir isso e você quer ir se despedir?

- Vai lá. - disse Jin condescendente.

- O quê?! - Jungkook encarou Jin chocado.

Sorri para os dois.

Me afastei deles e entrei no salão a procura dela. ______ estava com uma touca na cabeça e se levantou ao me ver através do espelho. _______ se virou e se aproximou de mim, seu semblante era confuso, sua boca se abriu para dizer algo mas eu fui mais rápido.

- Desculpe. - respirei fundo e passei a língua pelos lábios, umedecendo-os. - Por tudo.

Ela olhou em volta e me puxou para o canto, segurando em meu braço.

- O que acha que está fazendo? - ______ franziu o cenho. - Você não pode fazer isso. - começou ela e eu tenho a sensação de que ela já se encontrou com Yuta. - Você me deixa muito confusa.

- Você é como a luz para o pobre eu. - Deus sabe o quão pobre sou. - E eu te amo. - ela me encarava com reservas, não sei o que aconteceu, mas também não importa. - Não se esqueça disso! - a beijei docemente. Um beijo de despedida. - Eu estou indo. - disse ao descolarar nossos lábios e sorri simples.

Meneei para sair, mas ela segurou em minha mão, com isso voltei um passo para ela.

- Por que parece que está se despedindo? - disse ela com o cenho franzido e um olhar penetrante que me fez encolher por dentro. Nunca mais a veria novamente e meu coração se apertou. - Yuta? - e então ela me chamou para a realidade. - O que foi?

Não quero mais viver essa mentira.

Tenho que ir.

- Porque eu estou indo. - sorri. - Voltando para o hotel. - menti e ela sorriu simplista. - A gente se vê. - soltei a mão dela e caminhei deixando o salão.

Ao deixar o salão, corri até os meninos, nos afastamos com rápidez, dali voltando para a frente do hotel onde pegariamos um táxi e Min Yoongi gritou:

- Parem!! - olhamos para trás e lá estava ele correndo até nós como se tivesse em uma maratona. - O que pensam que estão fazendo? - disse ele afoito.

- Deixe-nos ir. - disse Jungkook entredentes.

- Vocês chegaram até aqui e vão embora? - disse ele sério. - E a caridade?

- É exatamente por isso que vamos. - disse sério. - Para evitar um desastre. Você já tem o Yuta verdadeiro, não precisa mais de mim. - completei categórico.

- Sim, talvez saiba que seu amigo está aqui. - disse Jin prendendo a total atenção de Mim Yoongi. - Hon Yuta.

- Eu o vi. - para minha surpresa ele disse. - Mas.. - ele me encarou. - Você tem certeza que vai deixar _______ nas mãos dele? - respirei fundo. - Ele vai maltratá-la. - fechei as mãos em punhos. - Humilhá-la. - Yoongi fez uma pausa dramática. - Você sabe que vai.

- Eu não quero isso, mas também não posso fazer nada. - disse com um nó em meu peito.

- Você pode ir para o leilão e dizer toda a verdade. - disse Yoongi e eu abri a boca sem entender o que de fato ele quer.

- Mas e a caridade? - disse Jungkook confuso e confesso que eu também estava. - Vai estragar tudo?

- Dizer que não é Hon Yuta. - Yoongi manteve seus olhos em mim sem dar importância ao que Jungkook disse.

- Não posso fazer isso. - franzi o cenho. - ______ vai me odiar.

- Ela talvez fique confusa no começo, mas entre vocês há uma grande diferença e ela vai saber disso no final. - disse Yoongi apressadamente. - Eu prometo que não vou deixar vocês serem responsabilizados por isso. - ele encarou Jungkook. - E isso é pelo bem da caridade.

- O que você pretende de verdade. - disse Jin preocupado.

- As pessoas precisam saber que Hon Yuta não liga para as crianças pobres na África e nem em nenhum outro lugar! - disse Yoongi indignado. - E eu quero que todos vejam Hon Yuta de verdade. - ele parecia sincero. - Só assim o pai dele vai mandá-lo para os quintos dos internos de uma vez! - engoli em seco. - Mas se vocês forem embora... Denunciarei a polícia está farsa! - ele bateu o pé no chão para parecer mais determinado do que foi.

- Você não tem provas. - disse Jungkook com um sorriso debochado.

- Você acha que eu não tenho? - Yoongi riu debochado. - E quanto ao jantar? Hem? Fotos! Eu tenho fotos e Hon Yuta estava bem longe daqui. Será moleza provar isso.

- Você quer armar um escândalo? - estreitei os olhos. - É isso mesmo?

- Não. - disse ele me encarando. - Vocês não precisam estar necessariamente no mesmo lugar. - virei a cabeça de lado, sem o compreender. - Vamos prender o verdadeiro Yuta...

- Você e mais quem? - questionou Jungkook o interrompendo.

- NÓS. - esbravejou Yoongi. - Nós vamos prender Yuta no quarto e você.. - ele apontou para mim. - .. vai dizer que foi pago por ele... - continuou ele mais do que depressa. - ... para vir aqui e se fazer passar pelo herdeiro.

- Mas isso não é verdade! - retruquei.

- E daí! - Yoongi dei de ombros. - Quem se importa? O que importa é que você esteve aqui todo esse tempo enquanto ele ficou vagabundando por aí.

- Vamos embora, Jimin! - disse Jungkook aflito. - Vamos!! - ele puxou o meu braço e eu o encarei de soslaio.

Engoli em seco. Parte de mim quer ir e outra parte não quer deixar as coisas assim como estão.

- Você vai mesmo deixar a mulher que disse que gosta nas mãos de um cara como o Yuta? - disse Yoongi com um olhar penetrante para mim.

Não posso fazer isso! Jurei que quando visse Hon Yuta na minha frente...eu o daria um belo de um soco. Mas e agora! Se eu continuar, todos vão saber e ______ jamais vai me perdoar.

- Jin? - encarei Jin ao meu lado, na esperança de ele dizer o que fazer a seguir.

Jin levou a mão em meu ombro e me olhou de modo penetrante.

- Estaremos como você o que decidir. - disse ele sério.

Encarei Yoongi.

- Se eu ficar e fazer o que está me pedindo. - encarei atentamente Yoongi. - Nós vamos voltar para casa sem problemas com a justiça?

- Eu prometo. - disse ele.

- Mesmo que ______ me odeie, posso livrá-la para sempre. - corri os olhos pelos três ali. - Eu fingi ser aquele herdeiro e acho que o certo a fazer é falar a verdade.

- Jimin! - Jungkook me segurou pelo braço. - Na-na-na-não! - ele balançou a cabeça desgovernadamente de um lado para o outro. - Eu já disse que não! - esbravejou. - Ela nunca,.. ouviu bem? Nunca irá te perdoar!

- Eu sei disso. - disse amargo. - Mas pelo menos... - sorri simples. - .. eu a livrarei de ser infeliz com Hon Yuta. 


Notas Finais


Então??
O que acharam deste capítulo??
Deixem comentários.. sua opinião é muito importante para mim.. 😊😊
Vejo vocês em breve..
XX #Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...