História De repente... Girl! - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Chen, Comedia, De Repente Girl, Exo, Hunhan, Kai, Kaisoo, Kris, Kristao, Kyungsoo, Lay, Luhan, Romance, Sehun, Suho, Sulay, Tao, Taoris, Xiuchen, Xiumin
Visualizações 685
Palavras 3.095
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - Não importa quanto tempo passe.


Fanfic / Fanfiction De repente... Girl! - Capítulo 24 - Não importa quanto tempo passe.

Fiquei fitando o celular um bom tempo até criar coragem e pegá-lo. Coloquei nos contatos e respirei fundo antes de começar a digitar uma mensagem.

Whatsapp Sehun

Eu sinto muito.

*Ele apagou e digitou várias vezes*

Sente?

Deve ter sido muito engraçado me ver cada vez mais apaixonado por você
quando na verdade você nem era você.

Aposto como você sente muito, Luhan, ou é Lucille?

Eu nem sei mais quem é você.

Vamos conversar, por favor.

Estamos conversando.

Você mentiu para mim.

Me deixou amar você quando na verdade você só estava
fingindo ser outra pessoa.

Amar?

*Minha respiração ficou descompensada*

Sehun

Por favor

Eu não queria que isso acontecesse

Eu não acredito mais em nenhuma palavra que sai da sua boca

*Senti minhas vistas ficarem embaçadas, bloqueei a tela do celular e escorei na cabeceira da cama, os cotovelos sobre os joelhos e desabei completamente*

Whatsapp off

Baek: Luh eu sinto muito. – Ele murmurou, estava sentado na cama.

Luhan: Sente, claro que sente. – Afirmei entre soluços. – Ele me odeia Baekhyun.

Kris: Soo está ai. – Chegou no nosso quarto escorando no batente da porta. – Quer falar com você. – Assenti, enxuguei as lágrimas e fui até a sala. Desci as escadas lentamente e o vi sentado no sofá mexendo no celular, engoli em seco com medo dele brigar comigo.

Soo: Eu não vou brigar com você. – Murmurou ainda olhando o celular. – Senta ai, eu não mordo. – Bloqueou o celular e me olhou. Terminei de descer as escadas e sentei no puff. – Luhan, sente do meu lado. – Mordi os lábios, mas fiz o que ele pediu. – Eu desconfiei, no inicio e depois do trabalho eu andava meio desconfiado. – Ele passou a língua nos lábios. – Por causa do Kai. – Me olhou.

Luhan: Como assim? – Murmurei.

Soo: Eu reconheceria aqueles olhos em qualquer lugar, Luhan. – Mexi os dedos sobre meu colo. – Mas eu pensei que seria loucura, eu estava muito apaixonado, estava vendo coisa onde não tinha. O tempo passou e veio o trabalho, no ensaio ele estava tão próximo, meu coração acelerou e eu desconfiei de novo. – Suspirou. – A partir dali eu já sabia que era ele. – Me olhou. – O cheiro, os lábios, os olhos.

Luhan: Porque não disse nada?

Soo: Para que? Vocês iam me dizer? – Suspirei. – Eu não estou com raiva, ok? – O olhei. – Eu soube por causa do Kai, só por causa dele. Depois eu peguei uma foto do Kris e uma da Kristal, só que estava muito diferente então, para mim, era só o Kai que estava vestido de menina, eu não sabia dos outros. Talvez ele estivesse vestido daquela maneira porque queria morar aqui e vocês não puderam ficar, não sei, eu não pensei o porquê dele estar vestido daquele jeito. – Olhou o celular. – Que doideira, Suho se apaixonou pelo Lay e pela Layla. – Riu e seu celular começou a tocar, vi a foto da Manu, mas ele deixou tocando. – Eu não estou chateado nem com raiva por você mentir para mim, mas não significa que os outros não estão, entende o que eu quero dizer?

Luhan: Sehun.

Soo: É... Luhan eu não me envolvi com nenhum de vocês, acho que por isso não estou com tanta raiva, mas você se envolveu com ele, não tiro a razão dele, de nenhum deles.

Lay: Ele está com raiva? – Ele apareceu ali.

Soo: Está. – Tamborilou os dedos nas costas do celular. – Eu não sei se Chanyeol esta com raiva, na verdade ele sumiu. – Mordeu os lábios olhando para a mesinha. – Querem um conselho? – Assentimos. – Esqueçam eles.

[...]

Eu estava completamente destruído e nem sabia explicar o porquê, eu queria ele ali comigo, eu sei que errei, deixei me envolver com ele, eu deveria ter evitado e agora sinto um enorme vazio, principalmente quando ele disse que me amava, eu estou me sentindo horrível, sem sombra de dúvidas.

Luhan: Você falou com ele? – Perguntei assim que ele chegou na sala.

Lay: Sim. – Me entregou o celular e eu olhei a conversa.

Whatsapp Suho

Eu sinto muito se te machuquei

Eu nunca quis fazer isso com você

Mas descobri que era apaixonado pelas minhas duas partes e eu sinceramente não consegui me segurar

Não deveríamos nos envolver

Mas eu não pude evitar

Lay

Eu te amo, muito, me deixa conversar com você, por favor?

Se me ama como diz

Esquece que eu existo

Whatsapp off

Olhei para ele e ele fitava a mesinha de centro.

Lay: Ele está certo, eu o machuquei, deveríamos ter parado isso quando... – Suspirou. – ...deixa para lá. – Sorriu forçado.

Kris: Notícias do Xiumin? – Perguntou enquanto descia as escadas.

Luhan: Não.

Chanyeol Pov’s

Xiumin: Anda, vem, vou te levar para casa. – Levantou, já era dez da manhã.

Chany: E você vai para onde?

Xiumin: Na casa de uns amigos. – Levantei.

Chany: Eu vou com você.

Xiumin: Chanyeol...

Chany: Por favor. – Ele suspirou, abaixou para pegar o capacete e me olhou.

Xiumin: Ok. – Se virou, jogou as duas garrafas de cerveja e a de vodka no lixo que tinha ali e caminhou para a entrada do terraço. Fui logo atrás, não demorou para estarmos perto da moto dele, nada discreta, vamos ressaltar. – Você avisou seus pais?

Chany: Estão viajando. – Ele assentiu.

Era uma Yamaha Aprilia RS5-1, preta, dois ferros de dentro era dourados e o nome “Yamaha” era dourado também, umas partes eram preto fosco, as outras, preto brilhante.

Xiumin: Toma. – Me deu o capacete e subiu na moto, eu tinha emprestado meu blazer para ele. Ele ligou a moto e o ronco potente ecoou pela rua vazia. Sua bolsa estava pendurada em um braço, ele estava com a peruca novamente. Subi na moto e ele me olhou por cima do ombro, assenti e lancei meus braços em volta da cintura dele, então ele deu partida.

Primeiro ele parou no centro, descemos da moto após ele estacionar e ele entrou em uma loja de roupas, foi na seção masculina e saiu pegando uma camisa, uma calça, cueca, tênis, jaqueta, meias e por fim parou no caixa.

— Mais alguma coisa? – Ele negou com a cabeça. – Esse valor pode ser parcelado em 3x sem juros. – Ele entregou o cartão para ela. – Vai parcelar? – Ele negou e ela colocou o valor, arregalei os olhos olhando a tela do computador e só ai entendi porque ela o olhava estranho. – Débito? – Ele assentiu e não demorou para a transação ser aceita. Ele pegou a sacola e saiu andando.

Chany: Hã... obrigado. – Ela sorriu e eu sai da loja, ele já estava do outro lado da rua. Entrou em uma loja de acessórios para motos e parou em frente a prateleira de capacete. – Você não tem outro capacete?

Xiumin: Está em casa. – Ele olhou os do topo, ou seja, os mais caros. Levantou o braço e pegou um preto, pagou e saiu da loja. Quando Sai da loja, ele já estava em cima da moto. Me entregou o capacete novo e eu lhe devolvi o seu.

Então ele pilotou até a saída da cidade e parou em um posto.

Xiumin: Abastece para mim. – Jogou a chave para mim e foi em direção ao banheiro, antes parou na loja de conveniência e comprou algo que eu não vi o que era, então entrou no banheiro.

Eu abasteci, levei a moto para perto da parede do posto e sentei no chão esperando, peguei meu celular no bolso e mandei uma mensagem para a minha tia avisando que estava na casa de um amigo, ela assentiu e eu bloqueei a tela. Ele saiu do banheiro com a calça jeans preta com uma corrente pendurada, a camisa branca e a jaqueta. Seus cabelos estavam molhados. Olhei a sacola e o vestido, a peruca, a bolsa e os saltos estavam dentro. Ele jogou o vestido no lixo e deixou só a peruca, a bolsa e o salto na sacola.

Xiumin: Você quer usar o banheiro?

Chany: Não.

Xiumin: Ok. – Passou a mão no cabelo e foi até o rapaz para pagar o combustível.

[...]

Ele subiu uma rua e parou em frente a um condomínio muito luxuoso. Viajamos 2 horas e eu não sabia mais onde eu estava. Ele parou a moto, desci e tirei o capacete, ele continuou em cima, agora mexia no celular.

Xiumin: Você está bem?

Chany: Quero usar o banheiro.

Xiumin: Babaca. – Ri e ele sorriu voltando a mexer no celular.

Chany: Foram duas horas, ta? – Deitei minha cabeça em seu ombro e olhei seu celular nada discreto também.

Whatsapp on

Oi

Me diz que não errei de endereço e que vocês continuam morando no mesmo lugar

Está aqui na cidade?

Só acredito vendo

Libera minha entrada então.

Whatsapp off

Carros entravam e saiam pela cancela e a entrada era muito bonita, duas colunas grandes e uma placa grande com o nome do condomínio.

Xiumin: Eu já volto. – Assenti e ele desceu da moto, foi até a entrada de pedestres e falou com o porteiro, em seguida voltou. Um dos guardas o olhou e assentiu, abriu a cancela e ele subiu na moto, depois eu subi e ele deu partida entrando no condomínio.

Parou em frente a uma casa enorme cinza bem claro, quase branco. Descemos e um garotinho abriu a porta, saltitante ele veio correndo para os braços do Xiumin.

— Titio Mini. – Xiumin o pegou no colo.

Xiumin: Ei garotão, vejo que está 'banguelo. – Ele sorriu revelando a janelinha. – Parece o seu pai quando era mais novo, não escovava os dentes direito e ficava com cáries. – Ri.

— Muito engraçado, Minseok. – Um garoto loiro apareceu na porta. – Lembrou que tem amigos? – Xiumin riu e caminhou para a entrada da casa, me entregou o capacete dele e eu o segui.

Xiumin: É bom te ver também, Mark.

Mark: Não vem com “é bom te ver também, Mark” saiba que estou de relações cortadas com você. – Entrou na casa e nós entramos logo atrás.

— Você está, mas eu não. Sai da frente, finalmente, huh? – Um garoto moreno desceu as escadas e empurrou Mark, em seguida abraçou Xiumin.

Papai ta sufocanu! – O garotinho gritou.

— Essa gritaria toda com certeza Minseok assumiu que sempre quis ser menina. – Um chinês desceu as escadas.

Xiumin: Engraçadinho.

Mark: Quem é seu amigo? – Sorriu.

Xiumin: Chanyeol esse é Mark e esses são Jackson e Jinyoung, maridos dele.

Chany: Perdão? – Ele sorriu.

Xiumin: E esse baixinho aqui é o Yugyeom, filho deles.

[...]

Eu nunca pensei que presenciaria um casamento com três pessoas, eles tinham uma sintonia incrível apesar de se zoarem grande parte do tempo. Os três tinham 24 anos e pareciam ter bem menos, normalmente ficavam brincando o tempo todo um com o outro.

Mark: Como está o Chen? E o namoro?

Xiumin: Está bem.

Jack: Com essa sua empolgação deve estar uma bosta. – Afirmou girando um iphone no dedo.

Eu giro cadernos, o máximo é um prato de plástico no dedo, ele já gira um iphone. Xiumin começou a contar tudo para eles e eu prestei total atenção já que não sabia de nada sobre essa coisa de ser menina.

Jack: Vocês são idiotas? – Perguntou quando ele terminou.

Mark: Adolescentes apaixonados. – Corrigiu. – Adolescentes costumam fazer bobagens, tipo se vestir de menina para conquistar o garoto que gosta.

Jack: Não me lembro de ser tapado assim quando era adolescente. – Mark deu um beliscão na coxa dele.

Yug: Tampando. – Repetiu e Mark arregalou os olhos. – Tampando! – Gritou levantando os bracinhos para cima.

Mark: Ai eu não acredito. – Afirmou raivoso. – Eu vou te matar. – Ele pegou a almofada e começou a bater em Jackson.

Jack: Ai espera, espera, você quer ficar viúvo? Jin! – Gritou e o moreno só o olhou de canto de olho.

Jin: Quem é Jin? – Ri.

Chany: Porque você não vem visitá-los? – Ele me olhou.

Xiumin: Conheci-os quando tinha 13 anos e eles 17, foi em um chá de bebê de uma amiga da família. – A gritaria continuou, um tentando falar mais alto que o outro. – As vezes fico sem tempo.  Os outros não conhecem eles, já falei deles para eles, mas nunca chegaram a vê-los.

Chany: Nunca pensei que veria um relacionamento a três.

Xiumin: Toda forma de amor é válida. – Sorriu e eu olhei Jin em pé segurando Mark pela cintura enquanto gritava, Mark sufocando Jackson com a almofada enquanto gritava mais alto que Jin, Jackson gritando também e Yugyeom no chão batendo palminhas e soltando risadinhas altas.

Acabei sorrindo olhando aquela família meio... louca.

[...]

Xiumin: Fico feliz que tenha vindo. – Franzi o cenho e sentei na cama.

Chany: Planejou isso?

Xiumin: Sim.

Chany: Queria mesmo que eu viesse? Por quê?

Xiumin: Pra te mostrar que só porque Baek é homem não significa que você não pode amá-lo. – Suspirou largando o celular em cima do criado mudo e me olhou. – Jackson odiava Mark porque ele era homem, ele era homofóbico, Mark odiava o Jin porque ele apoiava Jackson.

Chany: Apoiava? – Ele sentou do meu lado.

Xiumin: Eles três cresceram juntos. – Se curvou apoiando os cotovelos nos joelhos. – Mark nunca gostou do Jackson dessa forma, mas ele era bissexual e Jackson não gostava disso, então preferia manter distancia quando soube, mas Jin defendia o Jackson, falava que só porque ele era homofóbico não significava que ele não gostava do Mark, ele não gostava da pessoa que o Mark era. Entende a diferença? – Assenti. – Mark ficava com raiva porque Jin falava essas coisas, defendia o Jackson e na cabeça do Mark, Jin nunca ficava do lado dele. Os três seguiram caminhos diferentes, Mark voltou para cá para fazer faculdade, Jackson voltou para a China e Jin ficou na Coreia. – Fitou o chão. – Isso eles tinham 18 anos, um ano depois que eu os conheci. Então Jackson se casou. – Arregalei os olhos. – Mark estava em um relacionamento com uma menina, Jin se casou um ano antes de Jackson e os três nunca mais se viram, isso em um curto tempo de 2 anos. Jackson se casou com 19 e Jin com 18, novos não? – Assenti. – Negócios de família, mas Jackson amava a esposa, agora Jin... – Fez uma careta. – Então, com 20 anos Jin descobriu que ia ser pai, com 21 o filho nasceu, que é o Yugyeom. O parto foi complicado, Yugyeom não queria nascer, mas estava na hora, ela estava sentindo muita dor, ela não resistiu, Chanyeol. – Sentei em pernas de índio e virei para ele. – Jin criou Yugyeom até os 22 anos, criou sozinho com a ajuda dos pais e coisa e tal. Com 22 anos, Jackson se divorciou da mulher, ela traiu ele, foi um divorcio amigável, com 20 anos Mark não estava mais namorando e isso causou muita complicação na família dele porque a menina era boa, veio de família boa, os pais ficaram com raiva dele porque ele se assumiu dizendo que era bissexual, então foi deserdado e nunca mais falou com os pais. – Arregalei os olhos. – Ele morou na rua, em pensão, trabalhava de atendente de loja de roupa, atendente em loja de café, ele passou por muitos empregos, isso para se sustentar. – Suspirou. – Jin o procurou, por quê? Não sei, ele diz que sentia falta do amigo, isso os três estavam com 22 anos, um ano depois do nascimento de Yugyeom. Jin o encontrou trabalhando em uma lojinha de frutas, Mark não queria papo com ele, não por causa do motivo dos desentendimentos e sim por vergonha, Jin estava com seu carro, sua casa, estava ótimo, diferente dele. Mark mandou ele embora, terminou a faculdade no mesmo ano e encontrou Jackson quando foi fazer uma entrevista de Estágio. Jackson estava lá para uma reunião com o presidente da empresa, advinha de quem era a empresa?

Chany: Não imagino.

Xiumin: Dos pais da falecida esposa do Jin, então quem estava lá?

Chany: Jin.

Xiumin: Sim, os três se encontraram por acaso no elevador. O clima ficou meio estranho, meio? Muito estranho, quero dizer. Ninguém trocou nenhuma palavra, mas o primeiro a falar foi Jackson.

Chany: O que ele disse?

Xiumin: Sinto muito pelos seus pais.

Chany: Mark falou com ele?

Xiumin: Não... Sairam do elevador e seguiram caminhos diferentes, mas Jin foi atrás do Mark depois, eles conversaram e ele acabou o convencendo de conversar com Jackson, combinaram de se encontrar no hotel em que Jack estava hospedado. Então depois que Yugyeom dormiu no colo do Mark, Jin se aproximou para pegar ele, mas Yugyeom grudou no Mark de um jeito que não queria soltar, ele começou a chorar porque não queria ir embora, enfim, foi uma confusão. Então, ele dormiu de novo e ninguém pôde ir embora, eles dormiram no sofá e Jackson cedeu a cama para Jin dormir com Yugyeom. Mas Yugyeom não queria dormir com Jin, ele queria dormir com os três. – Ri e ele sorriu. – Depois que Yugyeom dormiu pela terceira vez, Mark foi levantar da cama para voltar para o sofá e Jin o parou, perguntou para onde ele ele ia e a resposta foi a seguinte “não quero causar desconforto” e olhou para Jackson, então Jackson o beijou, depois perguntou “ainda acha que causou alguma coisa?”

Chany: E Jin?

Xiumin: Dormiu no meio do beijo. – Rimos. – Depois daquilo começaram a se encontrar com frequência e quando assumiram o relacionamento, os pais de Jin e Jack os deserdaram, mas os ex sogros de Jin tinham um afeto tão grande por ele que para eles o importante era que o genro fosse feliz depois da morte da filha, então a empresa continuou sendo administrada por Jin. Nunca mais falaram com os pais, não quiseram casar, achavam perda de tempo, Mark e Jack conseguiram ótimos empregos e hoje moram todos aqui, nunca mais foram na Coreia já que os pais da falecida esposa de Jin sempre moraram aqui, eles não tinham o porquê ir lá. Hoje estão com seus 24 anos e Yugyeom com 3 aninhos. – Me olhou. – O que quis te mostrar vindo aqui é que quando você ama alguém, por mais que diga que não, vai vir a tona, seja num encontro, esbarrando com ela no elevador, tomando um café, não importa, se você ama e seu coração é dela, não importa quantas vezes você diga que não, você vai encontrar com ela no futuro. Não importa se você diz que não gosta dele, Chanyeol, não importa quantas vezes você diga que não gosta de homens, você não teria se apaixonado por ele vestido de menina, não importa se você não sabia, porque seu coração sabia quem ele era, mas quem não sabia era ele. – Tocou a cabeça com o indicador e deu duas batidinhas leves. – Se vestir de menina só fez seu coração convencer o seu cérebro de que era ele e mais ninguém.

Continua...


Notas Finais


Só queria dizer que o próximo capitulo é o último.


Joguei e sai correndo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...