História De Repente Vizinhos - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 5
Palavras 1.199
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 15 - Capítulo 14


- Está preparada para enfrentar a fera? – Tiago estendeu a mão para pegar a dela assim que se encontraram no corredor.

Ela estranhou essa atitude já que não tinha mais ninguém ali para ver, mas a entregou mesmo assim. Gostava da sensação de tocá-lo, se sentia segura. Seguiram pelo elevador falando amenidades e assim que entraram no carro ela ligou o som bem alto, relembrando seus tempo de cantoria, andava tão atacada com seus processos e problemas que tinha deixado esse costume de lado.

- Seja bem vinda a minha casa que pode considerar como sua também – Marta os recebeu com o maior sorriso do mundo.

- Muito obrigada! – Julia estava uma pilha de nervos, não bastasse a situação em si teve que aturar os surtos de Tiago a noite inteira explanando todas as possíveis formas que daria errado e seriam descobertos.

- Esse é meu pai Paulo – Tiago apresentou a seu pai – Pai, essa é a Julia minha namorada, mas acredito que minha mãe já tenho contado tudo sobre a gente.

- Contou sim, mas só coisas boas – ele disse estendendo a mão para ela – Então encantadora Julia, fiquei sabendo pelo meu filho que é advogada.

- Sim, sim. Meu irmão abriu uma empresa por aqui e eu acabei me bandeando para o lado dele e abandonando a profissão da família – ela falou sorrindo, gostou do jeito acolhedor dele.

- O Tiago também não quis seguir os passos da família, mas devo dizer em defesa dele que é o melhor no que faz – falou todo orgulhoso.

- Pai coruja! – Marta falou voltando a atenção para ela de novo – Nina, vem cá! A namorada do Tiago chegou! Nina trabalha com a gente desde antes dele nascer. É mais da família que muita gente que se diz da família.

Uma senhora apareceu na sala enxugando as mãos em seu avental, era tratada como alguém da família, mas vivia enfornada na cozinha, fazia as comidas mais deliciosas que alguém já provou na vida. Até foi convidada por Otávio para fazer parte de sua equipe culinária, mas seria incapaz de abandonar a família que acolheu.

- Minha nossa senhora da Conceição! Você é tão linda! – ela falou abraçando-a forte – Sabia que é a primeira menina que ele traz aqui? E olha que falta de tentativa por parte da Marta que não foi.

- Nina, assim vou ficar sem graça! – ele agarrou-a forte. Ela era sua segunda mãe e ele amava receber dengo dela – Voltou de viagem e nem foi me visitar! O que temos de delicioso para comer?

- Interesseiro! Só vem atrás de mim por comida – ela deu um tapinha nele – Fiz umas coisinhas básicas.

- O básico dela nunca é básico – Tiago cochichou para Julia.

Seguiram para o jardim da casa que era de tirar o folego, parecia que ela estava em uma cena de novela, ela estava acostumada com um cenário totalmente diferente. Comeram doces e tortas deliciosas e depois Marta surgiu com vários álbuns de fotos de Tiago quando criança e adolescente, o que gerou uma onda de riso em todos, menos em Tiago que estava vermelho de vergonha.

Fotos no banho, sujo de bolo, lama, fotos na puberdade com a cara cheia de espinhas, tinham fotos para todos os gostos, Marta contava o contexto de cada uma com os olhos cheios de lagrimas, Julia sentiu um pouco de inveja. Queria que sua família fosse assim, unida e amorosa, a única pessoa que fazia isso por ela sua mãe e não a tinha mais em sua vida.

- Mas e você, querida. Conte-me um pouco sobre sua família – Nina falou tempos depois. Tiago parou de olhar a foto que estava em sua mão, também queria saber mais dela, já havia insistido horrores, mas ela era muito discreta quanto a sua família.

- Ah, não tem muito o que falar – ela começou sem graça – Meus pais tiveram quatro filhos, eu sou a mais nova, minha mãe morreu seis anos atrás vítima de câncer. Eu tinha uma irmã gêmea, Ana, mas ela morreu em um acidente de carro há vários anos também. Então me sobraram meus dois irmãos e meu pai. Dos três eu me dou melhor com o Juliano, acabamos nos tornando sócios com o tempo, meu pai e meu irmão mais velhos são complicados, papai ficou bastante amargurado desde a morte da Ana e da mamãe e o Max faz tudo para seguir seus passos. Eu... não gosto muito de falar sobre eles, infelizmente não temos a mesma relação linda que vocês.

- Eu sinto muito, querida – Marta tocou em sua mão como forma de conforto – Todo mundo deveria amar e cuidar da família. É o nosso bem mais precioso.

Nina começou uma rodada de histórias constrangedoras e engraçadas de Tiago mais novo para que Julia se animasse um pouco e tempo depois já estavam todos rindo novamente. Eles eram incríveis e vibrantes, claro que Marta fazia questão de colocar criança no meio de todas as conversas possíveis. Julia ria muito já que a reação de Tiago era um revirar de olhos e uma careta engraçada.

Horas depois Juliano ligou pedindo ajuda com um processo, era mais experiente e pegava as principais causas, mas sempre recorria a sua irmã para tirar dúvidas e pedir conselhos, confiava no juízo de valor dela, por isso se davam tão bem. Julia se despediu de todos que ficaram muito tristes com sua partida e deu um breve abraço em Tiago quando ouviu Marta falar:

- Vocês são muito lindos juntos, mas não vi um beijo ainda, nem na despedida – Marta falou em tom desconfiado.

- MÃE! – Tiago a repreendeu totalmente sem graça – Não somos adolescentes para ficar grudados o tempo todo e também estamos na frente de vocês.

- Besteira! Você sabe muito bem que não ligo para essas coisas – Marta falou empurrando-o para mais perto de Julia – Vai, dá um beijo nela para eu ver.

- Assim eu vou ficar sem graça – Julia estava vermelha como tomate. Não havia planejado sair beijando ele por ai, ainda mais na frente da família.

- Vai logo! Que namoro é esse sem beijo? Vocês são namorados mesmo, né? – Marta continuou pressionando e para dar veracidade a história eles acabaram cedendo.

Tiago se aproximou todo sem graça e deu um selinho rápido nela. Só o tocar de lábios já foi o suficiente para fazer o coração de ambos acelerar. Ao se afastarem Marta estava fazendo cara feia de braços cruzados, então eles se aproximaram mais um vez, dessa vez dando um beijo de verdade, intenso e demorado. Tão demorado que só perceberam quando Nina interrompeu chegando com uma vasilha cheia de coisas para Julia levar para casa.

Despediu-se novamente de todos e seguiu para o taxi, estava totalmente aérea e nervosa. Jamais imaginou que fosse ser tão estranho darem um beijo, tentou se distrair, focar no processo, nas conversas bobas do irmão, mas não conseguia tirar o beijo de sua mente. Ao voltar para o prédio seguiu direto para seu apartamento, não sabia com que cara veria Tiago estando tão mexida com algo que ele deve ter achado super normal. Se jogou na cama e fechou os olhos para dormir, precisava tirar isso da mente.


Notas Finais


Oi, amores!!!!

Cheguei kkkkkkkkk Já cheguei avisando que amo a dona Marta kkkk S2

Me contem o que acharam kkkkkk Compartilhem, votem, comentemmmmmmmmmmmm kkkk

Mais uma vez, muito obrigada por todos os lindos comentários! S2 Tento responder todos S2

Xero e até quarta! S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...