História De todos os meus amores - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlison, Niall Horan, One Direction, Zayn Malik
Visualizações 250
Palavras 1.751
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem estar demorando a postar, a história está quase chegando ao fim. Os próximos capítulos serão voltados pro desenrolar do triângulo amoroso. Eu espero que vocês gostem.
Boa leitura <3

Escrevi esse capítulo ouvindo “Spaces” repetidas vezes, porque FOUR é meu álbum favorito dos meninos.

Capítulo 29 - 5 meses e 28 dias antes.


Acordo atordoada, primeiro me dou conta de que acordei, depois de alguns segundos abro um dos olhos para checar que aquilo tudo aconteceu. Meu braço tateia pela cama e sinto algo quente ao meu lado. Harry. Respiro fundo contente por ele ainda estar ali.
- Bom dia. - sua voz mais rouca que o normal me assusta e eu tenho um sobressalto.
- Bom dia. - tento sorrir pra amenizar o nervosismo.
- Você é muito linda dormindo, sabia? - ele fala dando um lindo sorriso torto.
- Pare, não sou. Quanto tempo você está acordado?
- Uns quarenta minutos mais ou menos, não quis me mexer pra não acordar você.
Corei de vergonha, espero que eu não ronque e nem fale enquanto durmo.

A manhã com Harry foi tranquila. Fiquei com vergonha quando tive que me sentar à mesa com Eleanor e Louis, eles ficaram com um sorrisinho no rosto quando nos viram descer juntos do quarto. Eu tive que vestir a mesma roupa de ontem, usar salto às 9 da manhã não é uma coisa muito comum, a não ser que você seja uma mulher muito elegante o que não é meu caso.

Próximo ao almoço, Harry me levou para casa de Mick pra que eu pudesse pegar uma troca de roupa depois de implorar mil vezes pra que passássemos o domingo juntos. Enquanto ele dobrava no quarteirão olhei de relance e vi um carro branco estacionado na porta de casa. Esse carro parece com o... é igual ao... Ai meu Deus!
- Harry, pare, pare, pare. - gritei.
- Puta merda, Lisie o que foi? - Harry me olhou atônito.
- Eu... esse... - tentei falar mas não saía nada.
Na mesma hora David saiu de dentro da casa, e veio em nossa direção.
- Entendi. - murmurou Harry.
Meu coração está pra sair pela boca, a qualquer momento eu vou ter um infarto. Sério, isso não poderia estar acontecendo. Saí rapidamente do carro antes mesmo que David chegasse até a mim.
- Oi. - sorri amarelo. - Como você trouxe seu carro?
- Lisie, aonde você estava? - seu rosto doce estava preenchido por um vermelho desconhecido - Eu estou aqui desde às 7h, mandei mil mensagens, liguei pro seu celular um milhão de vezes. Aonde você estava? E que diabos de roupa é essa? - ele apontou pro meu vestido colado.
Não consigo mentir. Se eu falar alguma mentira aqui com certeza ele vai desconfiar, respirei fundo algumas vezes e enquanto me preparava pra falar a verdade, ouvi uma batida de porta vinda do carro de Harry.
- Saímos ontem à noite. Eu, ela, Mick, Gemma e alguns amigos. Ela dormiu na casa da Eleanor, namorada do meu amigo, então como eu passei por lá e a trouxe. - Harry explicou enquanto passava por nós dois.
Olhando pro lado meio virada de costas para David, gesticulei um “obrigada” com a boca e ele deu de ombros. Olhei em seu rosto e vi que existia algo... mágoa talvez.
David respirou fundo enquanto ajeitava seus cabelos loiros que caíam na testa.
- Porque ele trouxe você? 
- Ele já explicou. - olhei para um ponto fixo em cima de seu ombro. - Preciso entrar.
David apertou os olhos com força e suspirou fundo novamente.
Caminhei em silêncio, dando um passo de cada vez por cada degrau da escada. Espiei discretamente a cozinha pra ver se tinha algum sinal de Harry, mas até agora nada.

- Eu passei na entrevista de emprego, se você quer saber. - David falou enquanto deitava na minha cama.
Não me animei, não estou animada. Rapidamente passa pela minha cabeça a ideia de que eu passarei um bom tempo sem vê-lo quando eu voltar para casa e isso me deixa contente. Me recomponho dessa ideia idiota e invento rapidamente uma cara de surpresa.
- Que bom, David! - bati palmas - fico muito feliz por você, muito mesmo.
- Obrigado. - ele sorriu cheio de vida. - Você pode tentar um emprego nas férias de verão.
- Ah, não... tudo bem! Ainda tenho mais alguns períodos até precisar arrumar um estágio remunerado. 
Vasculhei minha mala rosa a procura de uma camiseta e um short. Acabo optando por um vestido folgado de alcinha. 
- Você quem sabe. Mas posso tentar arrumar alguma coisa pra você quando me firmar de vez na empresa. 
Por um momento achei legal da parte dele falar isso. 
- Claro que você não vai ter um cargo grande já que não tem experiência e não sabe fazer muita coisa. - ele deu de ombros.
Meu sorriso de aprovação logo se desfez. David é assim mesmo, quando ele consegue algo, ele sempre arruma um jeito de me mostrar o quanto que ele é superior a mim, a todo mundo.

Tomei um banho rápido no banheiro do quarto de Gemma, já que David se recusava a sair do “meu” quarto alegando que nós já namoramos a um bom tempo e eu deveria ter mais liberdade com ele e blá-blá-blá. David nunca me viu nua, mas Harry sim. E ele gostou do que viu. Meu coração está despedaçado desde que vi o olhar dele na porta, preciso encontrá-lo. 
- Lisie. - Mick apareceu no corredor enquanto eu caminhava de volta para o quarto. - Será que... será que podemos conversar?
Assenti. Enquanto caminhava para segui-lo ele virou rapidamente e eu quase trombei com ele.
- Agora não, quando seu namorado babaca for embora.
Concordei com a cabeça e voltei pra onde eu estava indo, em outra ocasião eu o repreenderia por chamar David assim. Mas hoje não.

Quando voltei pro quarto, sentei-me na ponta da cama e coloquei meu celular pra carregar. Assim que o aparelho ligou, olhei a caixa de mensagem e tinham mais de 50 perdidas. A maioria de David, Mick, Gemma e havia uma de Harry de alguns minutos atrás. 
“Ele ainda está aí?” era o que dizia na mensagem. Olhei pra David me certificando de que ele ainda dormia pra que eu pudesse responder. Digitei um “sim” e enviei. Depois comecei a digitar uma nova mensagem quando vi que aparecia na conversa “escrevendo” meu coração estava acelerado, coloquei a mão no peito com medo de que David ouvisse. Mas então Harry parou de digitar e não houve resposta alguma, olhei pra tela por mais cinco minutos esperando que ele respondesse, mas até agora não vinha nada. Comecei então a digitar uma nova mensagem: “Me desculpe, eu não queria ter deixado você nessa situação. Me perdoe.” completei com um emoji triste. 
A mensagem foi lida, porém não houve resposta. Seja lá qual for o motivo pelo qual ele não respondeu, espero que não seja o que eu estou pensando. Nathalie...
Segundos depois meu celular vibra na minha mão: “Quero ver você. Estou indo.” era o que tinha escrito. Meu corpo se inflamou de alegria, dei pulinhos da cama e bati palmas dando gritos quando me lembrei que David também estava ali. Ai meu Deus como vou fazer isso? Começo a fazer um rabo de cavalo desajeitado, mas me dou conta que estou sem elástico nas mãos. Solta os cabelos e os deixo caindo pelos meus ombros. Estou extremamente ansiosa e nervosa com o que pode acontecer. 
Exatamente dez minutos depois meu celular vibra novamente “estou aqui”. Olho novamente pra David e ele agora está com o rosto sem expressão nenhuma, uma respiração pesada e tranquila. 
Saí do quarto como uma fugitiva prestes a cometer a maior fuga de sua vida. Talvez seja mais ou menos isso se levarmos pro lado filosófico da situação, eu estou não só fugindo de David, mas meu amor por ele tem cada vez mais ido embora. Amor? Não sei se ele existiu. Afasto esses pensamentos enquanto desço as escadas, Gemma está na sala assistindo TV, penso em inúmeras desculpas para dar enquanto passo pra fora. Faço a única coisa que me passou pela cabeça no momento, saio sem dizer nada e não olho pra trás pra me certificar de que ela está me observando. 
O vento frio me atinge como uma faca, mas é rapidamente substituído pelo calor quando vejo o carro de Harry com os vidros abaixado. Entro meio desengonçada me sentando no banco do carona, Harry rapidamente liga o aquecedor.
Olho pro seu perfil lindo, uma linha tênue entre a paixão e a tristeza surge em seu olhar fixo num ponto distante de mim. Permaneço imóvel refreando a louca vontade de tocar o traço duro e grosseiro da sua mandíbula.
- Você sabe o quanto essa noite foi especial pra mim? - ele falou sem me olhar - Não foi minha primeira vez, mas foi a primeira vez que eu fiz amor na minha vida. 
Respirei fundo com aquela revelação. O ar parecia estar poluído com algum tipo de gás tóxico pois entrou queimando minhas narinas e meus pulmões.
- Eu... eu não consigo nem explicar pra você o que senti em saber que você ainda não tinha sido tocada por ninguém e o quanto eu me sinto honrado de ter sido o primeiro homem a fazer isso com você. - ele parecia estar distante.
- Eu quero que você seja o único. - falei baixinho mais pra mim do que pra ele. Mas ele não deixou essa escapar.
- Você o que? - seu olhar esverdeado me dilacerou. Quase nunca estou preparada pra esse mar verde. - Eu preciso que você me fale.
Inspiro com força. Passo delicadamente a língua pelos lábios procurando manter a calma e não deixar a boca ficar mais seca.
- Harry, você é o primeiro e único homem da minha vida.
Essas palavras trazem um gosto adocicado na minha língua. É bom conseguir falar isso em voz alta, é algo satisfatório conseguir botar pra fora o que eu sempre escondi durante muito tempo.
Suas mãos chegam até minha cintura e ele me puxa para seu colo, seus lábios estão quentes quando tocam os meus e rapidamente me acendem por completa. Harry deita o banco todo pra trás o que me causa um sobressalto, mas rapidamente me recomponho.
Não sei por quanto tempo ficamos ali nos beijando, nem por quanto tempo iríamos continuar com isso. Esqueci completamente da situação que nós estávamos e me entreguei completamente pro amor da minha vida. Ele me abraçou com força, as batidas do seu coração fixas no meu ouvido, sua respiração fixa na minha cabeça. E assim eu tive a certeza de que, de alguma forma, tudo vai ficar bem, independente das circunstâncias.


Notas Finais


Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...