1. Spirit Fanfics >
  2. De trouxa para bruxa. Mais uma em Hogawarts >
  3. Visitas, Mas cartas misteriosas e mentiras.

História De trouxa para bruxa. Mais uma em Hogawarts - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Visitas, Mas cartas misteriosas e mentiras.


Fanfic / Fanfiction De trouxa para bruxa. Mais uma em Hogawarts - Capítulo 7 - Visitas, Mas cartas misteriosas e mentiras.

ו°•°•CAPÍTULO 7•°•°•°•×

Já se passaram algumas semanas, e para minha sorte...Max não se ocupa mais comigo. Não sei o que aconteceu para esse acontecimento repentino, talvez é vergonha...Não sei dizer.

Bom...Só sei que as meninas estão enchendo meus ouvidos com sandices...Falando sobre os garotos em geral, seus crushs em geral...Reviro os olhos de tédio com esse assunto. Nunca nenhum garoto gostou de mim e eu nunca tive tempo para pensar em apaixonites.

"Mas fala aí Brenda...De quem você gosta?" Perguntou Ster Willys. 

Logo depois as meninas começaram a me olhar...Me pressionando para eu falar uma coisa que eu nem se quer sabia responder.

"É! Quem é? Quem é?" Pergunta Alyssa

"Meu Deus gente...Não sou apaixonada por ninguém..." Falo dando um tapa na testa como se fosse a coisa mais óbvia.

"Ahãm...Sei!" Diz Sayri cruzando os braços e dando um sorriso malicioso.

"É sério Brenda! Conta logo quem é seu Crush!" Diz Vicky animada.

Percebo que não vou sair dali se não arrumar uma estratégia bem rápido. 

"Ah...Ok! Vou contar! Mas depois disso...Não quero ninguém pegando no meu pé." Falo revirando os olhos impaciente.

As meninas estão prontas para ouvir minha resposta...Estão anciosas e com os olhos brilhando na minha direção.

"É...É..." Falo pensativa enquanto olho para os lados para ver qualquer garoto para botar em minha mentira. 

"Conta logo!" Diz Samy mais animada.

"É ele!" Digo apontando para qualquer direção e fechando os olhos.

"Victor Marteen?" Diz Alyssa surpresa.

Elas gritam e pulam de felicidade, como se eu tivesse as convidado para serem damas de honra no meu casamento. 

Olho para Victor que está jogando no celular com Nathan e Rael. Nem acredito que o meti nisso. Apoio a cabeça na cadeira. 

"Ei...Não fica assim...Só queríamos saber quem é o sortudo." Diz Samy rindo.

"Não...Não é isso." Falo entre dentes.

Depois de uma aula do professor Snape...Vou ao encontro de Victor que está irritado e segurando com força seu caderno de anotações. 

"O que foi que houve?" Pergunto. 

"Parece que esse professor tem talento pra humilhar a gente!" Diz irritado.

"Hum...Pensei que como aluno veterano...Você já tinha se acostumado com tudo isso." Falo rodando a mão para generalizar o local.

"E o pior! Aula de História de Magia é uma droga!" Diz.

"Ei! Também não é preciso exagerar né? Vai reclamar até das cadeiras também?" Digo indignada.

Ele ri. Sinto algo estranho...Minhas bochechas ficam quentes....Estão vermelhas. 

"Se fosse possível...Eu mandaria essa disciplina fora daqui." Diz revirando os olhos e depois abaixando a cabeça. "Nunca sou bom...Não como eu queria que eu fosse."

"Se você não fosse tão reclamão...Eu iria te ajudar." Digo virando as costas.

"Ei! Peraí! Peraí! Tá bom tá bom! Sério? Você me ajuda?" Diz com brilho nos olhos. 

"Se você reclamar menos..." Digo me virando em sua direção. 

"E...será que você pode me ajudar em Trato com Criaturas Mágicas também?" Diz fazendo um sinal de pedido com as mãos e dando um sorriso idiota.

"Aí você já está abusando não?" Digo cruzando os braços e inclinando uma das sobrancelhas.

"Ahhh...Por favor! Por favor! Por favor!" Suplica fazendo uma voz mais leve.

"Ok!ok! Calma afobado!" Falo rindo.

"Obrigado!" Diz alargando o sorriso.

"Na sala de aula eu te dou uma aula prática...Até mesmo na biblioteca. Vou te abrigar a ler!" Digo cutucando sua cabeça. 

"Ah não! Ler não! Isso é chato!" Diz

"Meu filho...É isso ou vai continuar sendo ruim nessas matérias." 

"Ah...Blz então..." Diz de caris baixo.

"Só não faz o dramático! Faça esse favor!" Digo.

Ele ri, sinto minhas bochechas vermelhas mais uma vez. Ele se despede e vai para o Salão Principal para lanchar.

Enquanto isso... Sinto alguma coisa ir contra minha cabeça. Mas uma bolinha de papel que haviam jogado em mim. Olho para todos os cantos para ver se encontro alguém para tirar satisfação, mas não vejo ninguém. 

Dentro do papel, está escrito:

Não goste dele...Você vai se machucar.

Estou explodindo de raiva. Alguém estava brincando com a minha cara...Só pode! Sinto alguém tocar meu ombro, estou pronta para dar um soco seja quem for...Mas quando me viro e paro uns 5 segundos para analisar o rosto, é apenas Hermione que agora está com as mãos na frente do rosto para se proteger. 

"Hermione! Desculpa!...Eu pensava que fosse outra pessoa! Me desculpe mesmo!" Digo fazendo um gesto de desculpas. 

"Não se preocupe...Só tomei um susto." Diz dando um sorriso sem graça. "Bem...Em quem exatamente você queria dar um golpe fatal por aqui?" Completa.

"Em uma pessoa que não sei nem quem é..." É o que consigo responder. "Alguém está me mandando "cartas" anônimas."

"Hum...Seja quem for...Não tem nenhum conhecimento sobre o que as garotas gostam." Diz. "Rony por exemplo..." 

"Não acho isso." Digo.

"E porquê você acha isso?" Pergunta. 

"Olá!" Grita Rony nos dando um susto.

"Há! Qual é seu problema?!" Fala Hermione brava.

Rony apenas observa Hernione sorrindo...Tenho até palpites do que ele possa ter.

"Porque você está me olhando?" Pergunta ela o encarando.

"Porque você é bonita." Diz ele sorrindo docimente.

"Pois é...Já vou indo!" Falo carrendo em direção ao Salão. 

Hermione protesta e fala para eu ficar, depois desiste e diz para Rony irem para o Salão também atrás de Harry. Enquanto me afasto, rio bastante.

 De tarde...Está na hora de eu ensinar Victor. Vamos para a biblioteca e enquanto caminhamos pelos corredores,para meu desgosto, damos de encontro com Max que nos encara sério e depois vai para o outro lado.

"Nossa...As vezes eu me pergunto o que esse garoto tem." Diz Victor.

"Bem! Viemos aqui para estudar...Então comece lendo o básico." Digo dando uma pilha de livros grossos para ele.

"Isso é necessário?" Fala com um tom cansado...Sendo que ele ainda nem leu uma página.

Reviro os olhos e aponto para a cadeira para ele se sentar. Ele resmunga mas obedece depois. Se não fosse os livros...Ele seria uma causa perdida. Perdo a paciência facilmente com ele...Ele prefere fazer piadinhas do que estudar...Acabo me deixando levar e fico rindo de suas piadas e brincadeiras. Acho que ninguém havia rido tanto delas quanto eu. Ele fica rindo, ambos temos risadas estéricas. São risadas tão altas que a senhora Pince diz para fazermos silêncio. 

Observo Victor que agora está tentando fazer um feitiço que ele já estava tentando há dias. 

"Haaaaaa...Eu não consigo fazer essa..." 

"Meça as palavras! Você consegue se tentar de novo!" Digo voraz.

Minha voz sai tão potente que ele se assusta. Ele tenta de novo...E consegue. Fazemos um toque com as mãos em vitória.

"Eu sabia que você conseguiria!" Falo.

"Valeu mesmo Brenda." Ri.

Isso me faz corar e viro o rosto para o lado me perguntando o que está acontecendo comigo. 

"Blz então...Tchau. Obrigado de novo." 

Ele acena e eu aceno de volta. Acho que virei sua professora de reforço por um tempo.

"O que está havendo comigo?" Penso tocando no meu coração que está acelerando.

Quando todas as aulas acabam...Está no finalzinho da tarde. Meu pensamento vai parar no grifo. Eu ainda continuo o visitando sempre...Ele sempre está de bom humor e sempre escuta tudo o que conto. Parece que ele se preocupa comigo...Na semana passada, ralei o joelho por ficar pulando de pedra em pedra no pequeno córrego que tem onde ele mora. Mas parece que ficou com raiva, pois depois rugiu alto em minha cara. 

"Hora de visitar o grifo." Digo indo em direção a saída. 

Eu poderia usar a vassoura...Mas seria arriscado demais. Iriam me bombardear de perguntas que eu seria obrigada responder para a direção. Prefiro manter o grifo em segredo...Eu simplismente acho que ele quer assim também. 

Quando eu chego no local, ouço o rugido dele e vou ao seu encontro...Ele mora dentro de uma cratera onde esconde um lugar secreto muito bonito. Ele está sentado olhando para mim e depois levanta sua asa direita me amostrando o que tem atrás dela...Um coelinho pequenininho de cor branca está dormindo ali.

"Wooonnn que fofinho!" Digo indo em direção ao coelho que ainda é um filhote, tão pequeno e frágil. "Eu ainda não tenho um mascote...Já tentei vários animais...Mas não tive sorte." Falo. 

O coelinho abre os olhinhos e depois de dar um bocejo preguiçoso vem em minha direção e eu o levo até meu colo. O grifo grune e inclina a cabeça. 

"Mas...Ele não tem uma família?" Pergunto. 

O grifo balança a cabeça em negação e faz um expressão triste. Não sei exatamente o que aconteceu...Ou a família do coelho o abandonou ou aconteceu um coisa ainda pior...

"Ahh...Pobrezinho..." Digo acariciando a cabeça do coelinho. "Parece que nós três temos alguma coisa em comum."

O grifo balança suas penas para se ajeitar e depois olha para o coelho e para mim.

"Bom...O que acha de eu chamá-lo de...." penso. "Bola de Neve?" Completo sorrindo.

O grifo grune em aprovação.

"Peraí...Você ainda não tem um nome." Falo. "Humm..." 

O grifo grune e fica agitado...Como se quisesse falar alguma coisa. 

"Calma...Você pode me entender por completo mais eu não te entendo." Falo jogando os braços para cima. "O jeito é inventarmos um nome para você." 

Ele parece indignado...Tanto que ruge na minha cara que até assusta o Bola de Neve. Depois vira a cabeça para o outro lado com se estivesse me evitando.

"Acho que você vai gostar desse nome...Que tal Mavey?" Falo me levantando.

Ele se agita. Roda em volta de mim e parece até feliz...

"Eu só estava com esse nome na cabeça...Era um apelido que minha mãe dava pro meu pai. Agora que estou vendo bem...É bem estranho não acha?" Digo coçando a cabeça pensativa.

Ele ruge voltando para sua indignação de antes.

"Tá bom tá bom...Você que manda!" Falo rindo. "Inclusive...Nem te contei...Acabei botando um amigo meu numa pequena mentira." Digo mais séria. 

Ele se senta e me encara sério. Como meu avô fazia antes comigo quando eu fazia alguma traquinagem. 

Quando eu conto o motivo ele se agita e depois vira as costas bravo. 

"Ah qual é? Se eu não fizesse isso elas nunca largariam do meu pé! Não me jugue!" Falo indignada. 

Ele só faz virar a cabeça me evitando toda vez que me viro para a direção que ele está. 

"Bom...Até que ele é bonitinho." Provoco rindo.

Quando digo isso...Ele se vira na minha direção, se agita e ruge bem forte que meus cabelos voam.

"Há! Tava brincando! Tava brincando!" Falo gargalhando. 

Ele fica sério mas depois parece rir de um jeito bem estranho. Ele me pega pelo uniforme e me coloca em sua costa. Não me incomodo...Já estou acostumada. 

Voamos pelas nuvens, estou segurando Bola de Neve pelos braços que está bem acordado aproveitando a brisa do vento. Levanto uma das mãos para tocar numa nuvem. O Sol já está se pondo e a noite vem bem devagar...Dessa vez, quem nos acompanha são outras criaturas mágicas...Mas que não são feitas de carne,osso,pena ou escamas...São feitas apenas de pontos brilhantes, estrelas. Elas são uma mistura de animais com outros que eu nunca tinha visto antes. Eles voam em nossa volta e depois desaparecem magicamente quando vamos para baixo acima de um rio. 

Aparecem ao nosso lado, duas criaturas feitas com as águas dos rios...São baleias com asas de boborletas. Elas fazem um barulho leve como se fossem golfinhos. Elas pulam na água e fazem espirrar no meu rosto. Mavey ri...Seu riso é estrondoso e me faz rir também. O único que não foi ensopado pelas baleias borboletas foi Bola de Neve. Quando passamos em meio a floresta onde foi feita uma fogueira que agora já está apagada, as baleias borboletas desaparecem em meio a água e surge da fogueira apagada um enorme dragão de fogo de uma faisquinha. Ele voa ao céu e solta com a chama de seu corpo, fogos de artifício de várias cores e formas e depois desaparece quando o vento fica mais forte e o apaga. Dessa vamos quase aterrisando, quase tocando o chão que começa a tremer, racha e uma de suas montanhas toma a forma de um urso que começa a rugir e depois faz uma reverência para nós que  fazemos igual e depois disso deita sobre o solo e faz parte dele mais uma vez. 

"Uau...Como tudo isso acontece?..." pergunto maravilhada. 

Mavey aterrissa um pouco longe da escola...Para ninguém perceber sua presença, como todos os dias.

"Mavey...Obrigada por me fazer companhia...Eu nunca tive ninguém para compartilhar momentos assim sabe?" Falo encostando a cabeça na dele e fechando meus olhos.

Ele sabe do que estou falando...Nunca tive nenhuma figura paterna de verdade para brincar ou conversar. Vovô me amava...Eu sei disso...Mas ele sempre esteva viajando para outros lugares e dificilmente ficava comigo. Meus tios já tinham suas filhas para cuidar...Sempre nos dias dos pais na minha antiga escola, eu fazia cartões e apresentações...Mas depois me lembrava que eu não tinha pai e guardava tudo numa caixa em baixo da cama...Ela até hoje está lá... Na minha outra casa. 

Abraço Mavey...Ele Parece não ter nem família. Ele sempre está sozinho...Então com certeza ele deve me entender um pouco mais. Sim alguma coisa molhar meu cabelo...Olho para Mavey que está com os olhos com lágrimas brilhantes brotando em seus olhos. 

"Não fica assim...Eu nunca vou te abondonar." Falo sorrindo, agora com lágrimas nos olhos também. 

Ele se prepara para voar e aceno enquanto me afasto dele. Vejo ele lá longe e desparecendo entre as nuvens que a lua ilumina no céu. Vou para o dormitório e deixo Bola de Neve dormindo em cima da minha cama mesmo...Já que ele não tem onde ficar...Acho melhor assim também e vejo que ele também acha isso...Ambos nos sentimos seguros com a presença um do outro.

No dia seguinte...Apresento o Bola de Neve para todos que conheço e parece que eles acham ele muito legal e maneiro porque não é de frescura e brinca com tudo o que vê. Os meninos lhe dão cenoura e Victor até o coloca em seu colo e fica brincando com ele...Mas Bola de Neve vem para mim todo o tempo. 

"Ele é bem apegado a você." Fala rindo.

"Melhor assim...Não vou precisar ter ciúmes dele" Respondo abraçando Bola de Neve e encarando Victor que gargalha. 

Minhas bochechas ficam vermelhas...Mas do que já estavam. Não sei o que está acontecendo comigo desde ontem...Eu nunca senti meu coração acelerado desse jeito rebelde. 

Mas algumas semanas se passam e depois de mais uma...Já completo dois meses aqui. 

A professora Vector, de Aritmancia...Nos mandou fazer um trabalho sobre Gráficos Numéricos em dupla...Para minha sorte...Minha dupla é Victor que é um gênio nessa matéria, mas que EU sou péssima. Como eu o ajudo em três matérias que eles acha difícil, ele me ajuda em Aritmancia. Não é preciso esquentar a cabeça com isso...Se eu era meio ruim em Matemática...Lógico que Aritmancia não ia ser minha melhor matéria. 

Mas quando eu analiso todas as contas de Victor, vejo que algumas estão erradas e ele se enfurece de um jeito engraçado.

"Acho que mesmo na Aritmancia...Eu ainda te ensino." Falo gargalhando.

"Hum!" Grune mas depois ri junto comigo.

Seu sorriso é o mais lindo que eu já vi...Acordo de novo para a realidade e bato em minha testa.

"Que?! O que você está pensando Brenda! Você não tem tempo para apaixonites toscas!" Penso ficando vermelha.

"Tá tudo bem?" Pergunta Victor levantando uma sobrancelha. 

"Sim sim! Tudo ótimo!" Falo abrindo um sorriso torto. 

Ele dá em ombros e depois volta a fazer os cálculos. Suspiro aliviada...Mas não sei o porquê! 

Quando já entregamos o trabalho e ganhamos pontos para nossas casas...Vou para a biblioteca. Olho para todos os cantos...Não vejo a senhorita Pince por aqui. Fico confusa...Ela nunca deixa seus livros sozinhos. Deve ter sido de emergência. Dou em ombros e vou em direção às prateleiras de livros de Aritmancia. Preciso melhorar meu raciocínio nessa matéria. 

Não é que eu acho tudo o que envolve matemática chato...É que eu nunca fui com a cara disso mesmo. Pego uns livros mais os deixo de lado depois de uma hora. Uma música vem em minha mente e começo a cantá-la:

"You do it for him, and you would do it again..." Canto. 

"You do it for her, that is to say, you'll do it for him..." canta uma outra voz.

Me assusto e depois tiro os livros da pratileira que estão tapando minha visão para o outro lado. Encontro o olhar de Max. 

"Oque você está fazendo aqui?!" Falo com um olhar frio e desafiador.

"Nada...Só segui você até aqui..." diz dando em ombros. "Olha...Eu queria me desculpar." 

Não falo nada... Não consigo confiar nele tão facilmente. Aquilo só podia ser uma armadilha.

"Me poupe dessa falsidade! Você com certeza está aprontando!" Grito.

Ele sai de onde está para vim ao meu encontro...Ouço seus suspiros, como se estivesse cansado. 

"Sério...Eu não sabia que tinha aquelas fotos dentro daquela caixa." Diz se aproximando. 

Quanto mais ele tenta se aproximar... Mas eu me afasto dele. Ele desiste. 

"Só me dá uma chance de me desculpar...Por favor..." Diz olhando para baixo para esconder a vergonha.

"Ata...O que você vai fazer? Ficar cantando pra mim até a Sra. Pince nos ralhar?" Cruzo os braços insatisfeita. 

"Você pode me acompanhar se quiser." Fala dando um sorriso besta e colocando o celular em cima da mesa. "Vi que você é fã de Steven Universe...Podemos cantar juntos." 

Hesito por um momento...Mas algo me faz ceder, então assento com a cabeça. 

"Confia em mim..." Diz estendendo a mão. 

"Você já quer demais!" Falo dando um tapinha em sua mão que abaixa imediatamente. 

A música começa a tocar e ele começa, depois eu continuo e quando nos damos conta...Já estamos cantando juntos. 

"You might not believe it...You might not believe it..." Cantamos em uníssono. 

Não sei quantas músicas são exatamente...Só sei que rimos quando falamos alguma palavra em inglês errada. Jogamos feitiços nos livros que começam a flutuar. 

Ouvimos passos vindo em direção a porta da biblioteca. Max toma minha mão e nos escondemos atrás de uma pilha de livros encarando a música é os feitiços. A senhora Pince olha observadoramente para todos os cantos...Max faz um sinal lavando o dedo até a boca para eu ficar parada e em silêncio. Quando ela vira de costas, ele me conduz rapidamente até a saída. 

Inspiro e expiro várias vezes para recuperar o fôlego...Ainda sinto a mão de Max na minha. 

"Há!" Digo surpresa e tirando a mão de Max da minha rapidamente. 

Ele parece estar envergonhado, apenas me despeço dele e saio correndo. Quando já está tarde...Vou para meu dormitório e vejo uma caixa de presente em cima de minha escrivaninha. Dá para ver que ela foi improvisada...Mas ainda é linda mesmo assim. Bola de Neve vem animado em minha direção, não gosta de ficar sozinho por muito tempo. A caixa é de papelão que foi pintado todo de azul claro e sua fita é prateada...A mesma que eu deixei para trás. Eu a abro e me deparo com a fotos que um mês atrás as tinha visto na lama e borradas...Como era possível terem sido restauradas. Sorrio alegremente...

"Max...Você mudou mesmo...." Digo emocionada. 


CONTINUA...











Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...