História De um jeito diferente! - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley
Tags Aventura, Fantasia, Harry Potter, Magia, Suspense
Visualizações 171
Palavras 2.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, sei que estou bem sumida e nem tem desculpas para isso.
Segue mais um capítulo, assim que der posto outro.
Beijos.

Capítulo 13 - É um menino.


Pov Narrador:

 

    Gina repousava sua cabeça nos ombros de Harry enquanto sentia o leve balançar do trem, via a paisagem rural ficando para trás estava sentindo cada vez mais cheiro de casa. Não conseguia esconder o quanto estava ansiosa para saber se o bebê que crescia dentro de si era menino ou menina. Em sua mente ela já tinha desenhado um mini Potter tão ou mais arteiro que o pai, teria cabelos brancos mais cedo mais valeria a pena. Tinha a plena certeza que Harry estava redondamente enganado e que era um menino, mas que Harry merecia ter uma menina, isso ele merecia sem dúvidas, o futuro estava muito incertos para eles. Ao mesmo tempo que Gina gostaria de se entregar aos sentimentos, se entregar a Harry e vê se estava vivendo uma história de amor verdadeira, ela tinha receio. Agora tinha um outro ser que dependia dela, da sua força e da sua maturidade, nem de longe ela era aquela menininha que suspirava pelo moreno de olhos verdes e aguardava ansiosa o dia em que ele lhe olharia de verdade, como a mulher que ela é, não estava pronta para uma decepção, não estava pronta para ser fraca. Sabia muito bem do caráter de Harry, não tinha dúvidas que ele a apoiaria e assumiria a criança mas tinha dúvidas sobre o quanto os sentimentos dele por ela eram realmente reais e não só obrigações. E quando o frenesi passasse, será que ele ainda estaria feliz com ela? Estava perdida em pensamentos quando sentiu uma mão maliciosa andar por suas pernas, olhou em volta e só tinha ela e Harry, Weasley e Potter, ruiva e moreno.

— Lança um feitiço nessa cabine. — Ela solicitou maliciosa. Não importa o quanto tivesse dúvida sobre o que estavam vivendo, eles dois juntos, o sexo o encaixe do corpo. Ainda era a maior e mais louca certeza que tinha, e toda vez que encontrava os olhos dele e não via mais o verde e sim os olhos negros carregados de desejo, olhos que poderiam devorar sua alma, essa certeza se reafirmava. Nada combinava mais que uma ruiva com um Potter.

— Quase me matou de tantas saudades — Harry falou delicado enquanto puxava o vestido da menina para cima, dando de cara com seus seios que estavam aparentemente maiores e o relevo na barriga. Aquele volume que ele esperou tanto para ver, demorou alguns minutos analisando aquilo, se sentiu orgulhoso, feliz, encarou os olhos azuis da ruiva que amava, ama e foi um idiota de não ter percebido antes, idiota de ser um completo babaca e deixar sua garota ter dúvidas, era Gina, só podia ser ela. Só com Gina ele foi Harry em todos os sentidos, queria Gina, queria ter filhos com ela. Sim, filhos no plural. Ele queria com a Weasley todo o clichê possível, casa cheia, ela era vida, que pulsava tão viva quanto seus cabelos sedosos e com cheiro de morango, abaixou beijando a barriga dela.

— Eu sou o homem mais feliz do mundo. Ele ou ela, planejado ou não, sempre vai ser o acontecimento mais marcante de toda a minha vida. Eu te amo. — A última frase saiu como um sussurro, uma confissão.

Viu quando os olhos dela lacrimejaram, ela estava emocionada, era tudo tão bom que era difícil acreditar que estava acontecendo, Harry foi delicado ao secar a lágrima solitária que caiu.

— Deixa ser eu para você como é você para mim.

— Mas alguns meses Potter. Preciso me sentir segura completamente. Não posso ser egoísta e viver um amor que eu sempre sonhei sem pensar nas consequências, sem ter os pés no chão.

— Quero te dar o tempo necessário para se sentir segura. Mas sempre em todos os momentos se sinta flutuando comigo, ruiva. — Harry finalizou a conversa com um beijo avassalador, cheio de saudades. Quando o ar se fez necessário ele desceu beijos pelo pescoço da Weasley, se demorando em chupões e mordidas, “Merlin por que ela tem que ser tão perfeita”, eram os únicos pensamentos dele. Tirou o sutiã com cuidado e constatou um fato, os seios dela estavam maiores, maiores e mais apetitosos. Massageou eles com cuidado, e desejou fazer mais filhos com Gina, seria sempre prazeroso, mordiscou, lambeu, sugou tirou gemidos dela, sua mão livre desceu até a calcinha da ruiva que estava encharcada, sorriu com o fato.

—Eu amo te deixar molhadinha— Sussurou e em resposta sentiu quando a vagina se contraiu na sua mão.

— Não goze agora, querida, goze quando minha boca estiver lá. — Falando isso deu uma palmadinha na sua intimidade e tirou as mãos, fazendo a menina protestar. Tirou a calcinha com um único puxão e se afastou para encarar aquela beleza, a mulher que carregava seu filho. Foi tirando as roupas enquanto acompanhava uma Gina impaciente, que colocou as próprias mãos em seu centro, se contorcendo para tentar se aliviar um pouco. 

— Não seja má. — Ele disse se tocando e quando não aguentou mais, se abaixou e abocanhou a vagina úmida de prazer.

Sugou o que pôde, e quando seu prazer começou a doer em si, ele percebeu que não aguentaria apenas se tocando, se preparou e penetrou a ruiva, forte e fundo,  como eles gostavam. Corpos iguais se conectando do jeito que eles gostavam.

— Minha ruiva.— Ele constatou e ela gozou em prazer, ela não reafirmou mas Harry também não precisava dessa confirmação agora, não com ela entregue a ele, gozando em seus braços, tendo se entregado única e exclusivamente a ele.

Beijou a Weasley de forma carinhosa enquanto esperavam tudo se normalizar.

Sentiram o parar do trem, Gina colocou o fino casaco enquanto Harry pegava as malas.

— Estou ansiosa para saber qual de nós dois está certo com relação ao sexo do neném.

— Estou ansioso para não morrer.— Harry falou e Gina riu, Rony e Hermione entraram na cabine apenas para pegar as malas.

— Acho melhor colocar um lenço nesse pescoço, cunhadinha. — Gina disse para Hermione, enquanto via a Castanha ficar vermelha de vergonha.

— Precisa marcar a minha irmã? — Harry perguntou com certa fúria.

— Precisava engravidar a minha? — Rony perguntou em tom de desafio.

— Ok, foi justo.

— Vamos? — Gina pediu ansiosa.

O caminho para sair do expresso de Hogwarts nunca pareceu tão longo para Harry Potter, colocou os pés para fora do vagão e sentiu um alívio quando viu seus pais, quando pensou em abraçar sua mãe foi atacado por uma azaração, e antes que pudesse pensar em revidar, outras foram sendo jogadas, uma a uma já não sabia mais o que estava sentindo. Até que ouviu a voz da sua ruiva berrar um feitiço estuporante.

— Querem deixar o pai do meu filho vivo? 

Lilian se aproximou do filho revertendo todas as azarações, quando Harry conseguiu pôr fim respirar encarou cinco Weasley com expressões nada felizes.

— Olha eu posso explicar.

— Acho que não precisamos saber como você engravidou nossa irmã, Potter. — Fred falou para logo depois explodirem em uma gargalhada.

— Harry foi apenas para aliviar a tensão. — Jorge falou e Harry lhe encarou com raiva.

— Gina, apesar da irresponsabilidade esperamos que vocês se acertem e a criança venha com saúde. Nos vemos no Natal. A propósito, mamãe mandou a poção, coloque um fio de cabelo nela e veja de qual cor vai ficar- Gui falou lhe estendendo uma poção transparente.

— Azul menino e rosa menina— Afirmou Carlinhos de forma óbvia.

— Mamãe pediu para você avisar assim que souber o resultado, ela precisa tricotar o suéter, e é bom já saber o nome. —Percy alertou e Gina concordou.

— Como seus irmãos são espirituosos, não é mesmo? Socos, berradores, azarações. Está faltando algo? 

— Vai realmente se perguntar isso? — Rony falou rindo da cara do amigo.

— Vamos para casa? — Thiago chamou todos.

— Claro, vamos. — Rony falou passando os braços em volta de Hermione.

— Quem chamou você? — Thiago perguntou.

— Eu, Gina, Draco e Ast vamos para lá todo ano— Rony respondeu de forma óbvia.

— Todo ano você não era namorado da minha filha, todo ano você não havia traído minha confiança.— Thiago falou e Lilian lhe deu um tapa.

— Pare de ser chato, Potter— Ela disse lhe encarando manhosa, fazendo com que ele ficasse sem alternativa a não ser se render à ela.

— Draco e Ast cadê? — Gina perguntou olhando para os lados.

— Sirius quer que eles fiquem em baixo das vistas dele. — Thiago falou e todos gargalharam sem parar.

— Pobre Draco. — Hermione constatou e quando olhou para o lado viu seu padrinho e Tonks, ela já apresentava um bom relevo na barriga e Hermione estava muito feliz por eles, sempre foi bem apegada ao seu padrinho e tinha a plena certeza que ele merecia viver uma felicidade dessa, correu para abraçar ele como fazia desde muito pequena.

— Parabéns, um meninão. 

— Para cuidar da minha menininha.— Remus falou apertando a ponta do nariz de Hermione mania que ele tinha desde que essa era pequena.

— É mais fácil eu tomar conta dele.

— Mas pelo visto a mocinha não está sabendo se cuidar, já que tão nova arrumou um namorado.— Ele falou olhando Rony com uma cara nada boa.

— Mais um— Rony falou exausto.

— Você são três e eu, sete. Sete Weasley, ruivos e furiosos.

— Vamos para casa.— Lilian chamou.

— E Rony, não se deixe intimidar por esse velho lobo, hoje ele só late mas não morde.— Tonks falou tirando risadas de todos.

— Querida, por favor! — Remus pediu em um choramingo.

— Podem ir, eu e Gina vamos a outro lugar antes. Pai trouxe o carro? — Harry pediu e Thiago lhe lançou as chaves.

— Bom, eu iria recomendar juízo mas o que mais pode acontecer?— Lilian falou divertida.

 

(...)

 

— Onde vamos? — Gina perguntava pela quinta vez dentro do carro.

— Nossa mocinha, você está muito impaciente. Aguarde uns minutos, por favor.

— Você não deveria deixar a mãe do seu filho curiosa, pode fazer mal para o bebê.

— Nossa que ruiva chantagista.— Harry observou em quanto parava o carro em frente à uma bela casa. Não era uma mansão, não que Harry não pudesse pagar, mas uma mansão nunca seria o lar de Gina Weasley a ruiva era simples, gostava de lugares aconchegantes e aquele era perfeito, aconchegante, acolhedor, seguro, o lar deles. Harry olhou para Gina que tinha a expressão maravilhada.

— Ainda não acredito que você a comprou.

— É onde eu imagino a nossa vida, não o começo. O começo foi em Hogsmead, no meu quarto, o começo foi em Hogwarts em cada lugar que eu te fiz minha. Aqui eu imagino nossa família crescer, imagino que teremos brigas e reconciliações, imagino a gente no quintal ensinando nossos filhos a jogarem quadribol, eu imagino que vamos divergir pela criação deles, que você vai me responsabilizar pelas marotagens, e que vai tentar me convencer de que nossa filha com trinta anos pode namorar. É aqui que eu quero que nossa história esteja e ao seu lado que eu quero essa história. Não precisa dizer sim agora, eu vou esperar o tempo que você pediu. Mas pense que não é de momento, eu não quero você apenas por um desejo louco de posse, eu quero você porquê em algum lugar está escrito que devemos ficar juntos e eu fui idiota de mais para perceber. Eu te amo com todas as letras, ruiva. — Harry falou para uma Gina emocionada, ela nada falou e naquele momento mais uma vez foi o suficiente. Harry a pegou nos braços para que juntos pudessem conhecer a casa.

 

(...) 

Mansão Black:

Já era a quinta vez que Sirius levantava da Cama para andar pelo quarto.

— Você vai fazer um buraco no chão, cachorro — Marlene falou entediada.

— Por que Monstro não pode vigiar Astória em todos os momentos.

— Por que ela e Draco precisam de privacidade.

— E eu preciso não infartar.

— Você já colocou os dois em quartos separador.

— Mas era só o que me faltava os dois no mesmo quarto.

— Aí Sirius, já vi que nesse quarto hoje o cachorro não late. Vou descer e preparar algo para comer, chame Astória e Draco. — Astória pediu e Sirius aceitou, já estava muito incomodado de estar ali sem saber o que Ast e Draco estariam fazendo, andou até o quarto da sua filha e preferia não ter feito esse trajeto, nada havia preparado o seu pobre coração para aquela cena, Draco e sua princesinha davam um belo amasso e Astória estava sem a blusa.

— Estupefaça— Sirius gritou a plenos pulmões fazendo Draco voar.

— Pai.

— O que está acontecendo aqui? — Marlene perguntou.

— Eles estavam, estavam... você sabe.— Sirius falou em choque.

— Sério, estavam transando de portas abertas?

— Mãe.

— Marlene.

— Não estávamos transando. Cheguei aqui e Ast estava trocando de roupa ela me puxou e me deu um beijo eu só retribui. Se alguém teve seu corpo abusado nessa história, esse alguém sou eu.— Draco falou por fim, colocando a mão na cabeça onde havia sido machucado devido à queda.

— Nossa que namorado mais corajoso o meu.— Astória falou por fim.

— Seu pai me estuporou por um beijo. Por outra coisa ele lançaria uma maldição da morte sem pensar duas vezes.

— Papai achei que tinha levado na boa meu namoro.

— Achou mesmo Ast, sério? — Marlene perguntou rindo.

— Vamos tomar café antes que eu devolva essa doninha aos pedaços para o loiro aguado. — Sirius falou por fim.

 

Mansão Potter:

— Preparada Gina? —Hermione perguntou.

Estava toda a família Potter, junto à Rony e Gina para saberem finalmente qual era o sexo do neném.

— Ansiosa— Gina falou cortando um fio do cabelo, olhou para Harry que a encorajou. Ela mergulhou delicadamente o fio de cabelo na poção, mexeu por alguns segundos e logo o líquido ficou azul, todos choravam emocionados.

— É um menino, eu sabia. — Gina falou chorosa enquanto Harry a abraçava.

— Você estava certa, ruiva. Mas o próximo vem a nossa menina.

— Mas essa criança nem nasceu e você já está querendo engravidar minha irmã novamente. Sério? — Rony perguntou furioso.

— São alguns planos. E nem adianta me olhar de cara feia, finalmente sei qual é o sexo do bebê, nem a fúria dos seus irmãos consegue tirar minha felicidade. — Harry falou abraçando Gina e lhe dando um beijo leve.

— Já pensou em um nome? — Lilian perguntou.

— Pensei, e acho que Harry vai concordar comigo. Em todos os momentos algo me dizia que seria um menino, e eu sempre o via como um bom maroto, encrenqueiro e que vai me dar boa dose de cabelos brancos. Então nada mais justo que o nome do meu filho faça jus ao que eu acredito que ele vai ser, por isso ele vai se chamar James Sirius. James Sirius Weasley Potter. 

— Thiago estava emocionado com a homenagem.

— Com esses nomes e sobrenomes, podemos esperar coisas grandiosas desse bebê. — Lilian falou também emocionada.

— Que Merlin dê paciência a Minerva. — Hermione falou fazendo todos rirem.


Notas Finais


Beijos! 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...