História De Volta Pra Você (jikook) - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Jikook
Visualizações 85
Palavras 1.498
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Policial, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii pessoal, espero que gostem!!
Não se esqueçam de favoritar.❤

Capítulo 13 - Capítulo 12


Lembrança ON

Passaram-se muitas semanas até ele ver Jungkook de novo. Dessa vez, no entanto, só estavam ela e Jisoo no carro, a caminho do almoço, quando o avistaram.

– Ei– ela disse casualmente –, não é aquele cara? O primo do Thaehyng?

– Jungkook? – Jisoo olhou pela janela. – Sim, é ele. Pare o carro. Vamos convidar ele pra almoçar!

– Ficou louca, Jisoo? Ele não vai querer almoçar só com a gente!

Mas era tarde demais. Jisoo havia aberto a janela e o estava chamando. Então, Jimin não teve outra opção além de parar o carro.

– Oi, gente – Jungkook disse ao se aproximar. Ele usava jeans e uma camiseta branca justa que reproduziam o que Jimin podia chamar de perfeita imagem masculina.

Será que ele fica feio de algum jeito? – Ele pensou. Ele é paisagista, está sempre suado e sujo e ainda assim é mais bonito que qualquer coisa que eu já tenha visto. Adoraria…

– Tudo bem por você, Jimin? – Jisoo perguntou, interrompendo seu diálogo interno.

– O quê? Me desculpe, não estava prestando atenção – ele corou, mesmo escondido atrás dos óculos escuros, Jimin tinha certeza de que Jungkook sabia que ele o estava observando.

– Jungkook estava indo almoçar e eu o convidei pra ir com a gente. Tudo bem por você?

– Ah, claro, por favor… entre. – Ele sentiu como se sua língua fosse enrolar e rezou para que suas palavras não soassem estranhas para ninguém. 

– Obrigado – ele disse ao sentar-se no banco de trás.

Ao olhar pelo retrovisor, Jimin o viu secando o rosto com uma bandana vermelha. Ele percebeu que ele o observava e sorriu.

Jisoo, no banco do passageiro, começou a falar sem parar. Jimin queria lembrar a amiga de respirar, mas não havia oportunidade. Ela perguntou a Jungkook sobre seu emprego, e Jimin percebeu como o rosto dele se iluminou ao falar a respeito.

– Um dia, planejo ter meu próprio negócio, minha própria equipe. Vou fazer algumas aulas de paisagismo arquitetônico e design na faculdade da comunidade. Meu chefe, Mitch, vai me ensinar tudo o que sabe. Mas primeiro preciso do diploma da escola.

– Da escola? – Jimin perguntou.

Jungkook  baixou os olhos por um momento e depois encontrou o olhar dele pelo retrovisor.

– Larguei a escola aos dezesseis e comecei a trabalhar. Mas, agora que sei no que desejo trabalhar, vai ser importante ter o diploma da escola pra fazer o curso de design que quero.

– Ah – ele disse, sem graça por ter tocado no assunto.

Ao chegarem à pizzaria favorita deles, Jimin ficou muito admirado quando Jungkook segurou a porta para eles. Ele sabia que não era nada de mais, mas a maioria dos rapazes com quem ele saía não era muito gentil.

– Obrigado – ele disse baixinho ao passar pela porta.

Eles foram até o balcão fazer os pedidos. Primeiro Jisoo, depois Jimin. E foi só quando pegou a carteira que Jimin percebeu que estava sem dinheiro – uma visita ao shopping na tarde anterior e uma blusa linda tinham dado conta do pouco dinheiro que ele tinha. Ele se inclinou sobre o balcão e disse que precisaria cancelar o pedido.

– Sinto muito – ele disse, corando da cabeça aos pés.

– Não se preocupe – Jungkook disse aproximando-se. – Só acrescente mais dois pedaços e uma bebida pra mim. Eu pago – ele disse, piscando para Jimin.

– Não posso aceitar – ele retrucou. – Tá tudo bem, mesmo. Não vou morrer se pular uma refeição de vez em quando.

– Jimin tentava parecer tranquilo, mas tremia apenas de olhar para ele, com aqueles intensos olhos castanhos.

– Ficou louco? – ele disse – Então quero adicionar alguma coisa ao seu pedido!

– E o que isso significa? – ele questionou com as mãos nos quadris, esforçando-se para parecer intimidadora.

Jungkook soltou uma gargalhada. Ele riu mesmo.

– Nada. Fica calmo. Não é difícil te tirar do sério, né? – Jungkook não esperou pela resposta – Você é pequeno, sabe? Um vento forte poderia te carregar – ele disse isso olhando para ele de cima a baixo. De novo. Lentamente.

Agora Jimin estava tremendo de verdade. Ninguém nunca tinha olhado para ele daquele jeito. Era como se ele a tivesse tocado, mas estavam há pelo menos meio metro de distância. Antes que ele pudesse formular uma resposta, ele pegou a comida e foi para onde Jisoo estava: 

– Você vem? – ele perguntou com um sorrisinho.

Jimin voltou a si aos poucos e concordou. Ele foi até a mesa com as pernas bambas.

Com ele? Ele iria para qualquer lugar.


Lembrança OFF

.

.

O hotel era magnífico.

A suíte era um luxo.

O silêncio a estava matando.

Eles chegaram, fizeram o check-in e estavam se acomodando como se fossem dois desconhecidos. Jimin decidiu pedir o almoço no quarto para não correrem o risco de se deparar com alguém. Era covardia, mas no momento isso não parecia algo tão ruim.

O serviço de quarto trouxe a comida, eles se sentaram à pequena mesa de jantar e, enquanto Jimin dava a gorjeta ao entregador, Jisoo se levantou e começou a apertar as mãos, nervosa.

– Poxa vida, Jimin, não aguento isso! Já tem coisa suficiente acontecendo na minha vida pra você me dar esse gelo. Acho injusto que tire conclusões sem me escutar, e tô dizendo, não fiz nada de errado. Precisa acreditar em mim. Mas, se não puder acreditar e as coisas ficarem assim, prefiro ir pra casa e correr o risco do que quer que possa acontecer! Lá, pelo menos entendo sentir que posso ser atacada a qualquer momento.

Isso tirou as armas de Park.

– Você tá certa. Não estou sendo justo. As coisas com Jungkook deveriam ter acabado anos atrás e, agora, precisamos resolver a sua situação com esse maluco. – Ele se largou em uma das cadeiras da mesa de jantar e balançou a cabeça, triste – Me comportei mal, sinto muito. Sei que você tava pensando em mim e fazendo o que parecia melhor. Odeio reagir assim; nem consigo me controlar. É um defeito. – Jimin olhou para Jisoo e deu um sorriso triste. – Sinto muito. Mesmo. Prometo que acabou e que, a partir de agora, podemos voltar a nos concentrar na reunião, ok?

Jisoo ia responder quando seu celular tocou. Olhou para a tela e tomou ar.

– Mandei uma mensagem pro Taemi saber onde estávamos. Deve ser ele com alguma novidade.

Ela pegou o telefone, foi até o quarto e fechou a porta. Não era como se estivesse excluindo Jimin deliberadamente, mas precisava de alguns minutos sozinha para processar o que quer que Taemi fosse dizer.

Sem saber o que fazer, Jimin pegou os talheres e começou a comer seu frango grelhado com salada. Na verdade ele queria ter pedido o maior cheeseburger com bacon que eles tinham, com porção extra de batatas fritas, mas decidiu se controlar, pois tinha que ficar bem na roupa que usaria na reunião.

Era um saco.

Cinco minutos depois, Jisoo voltou.

– Era o Taemi. Não encontraram Todd, o que é estranho porque ele é uma pessoa cheia de rotinas. Jungkook tá observando ele e, por mais que não tenha dito que está sendo seguido, acho que está sim. – Jisoo olhou para a salada. – A gente devia ter pedido os sanduíches! – ela se serviu de uma garfada e suspirou.

Jimin suspirou também. A comida não era o que eles queriam mas estava boa.

– E agora?

– Preciso ir até a delegacia preencher alguns papéis e assinar a ocorrência e outras burocracias. Eu disse que passo lá depois do almoço. – Ela empurrou o frango para o canto do prato e murmurou – Detesto burocracia. Não parece justo que esse cara comece a causar transtornos na minha vida e eu tenha que lidar com tudo.

– Você quer que eu vá com você? – Jimin perguntou, enquanto pegava seu copo d’água.

Jisoo negou:

– Por que você não fica e relaxa um pouco ou vê algumas coisas da reunião? Você sabe que tá louco pra trabalhar.

Jimin odiava ser previsível:

– Vou descer pra fazer um pouco de ginástica e uma massagem. Acho que mereço. Se tivesse pensado nisso antes, com certeza teria pedido o hambúrguer. 

– E teria merecido. Fico feliz que tenha deixado o trabalho de lado pra dedicar um pouco de tempo a mim. Acho que tô te influenciando – Jisoo disse, um pouco mais animada – Eu queria fazer o mesmo, em vez de ir até a delegacia.

– Já sei. Vou fazer ginástica, mas espero você voltar pra fazermos uma massagem juntos. Depois a gente come cheeseburger e milk-shake no jantar!

Jisoo riu.

– Finalmente algo pra esperar com vontade!

– Ah, confesse, você sabe que tem uma parte sua ansiosa pra ir à delegacia e encontrar Taemi – Jimin disse, com um risinho malicioso. – Sei que não é um encontro, mas ao menos terão a chance de se ver e conversar. Talvez, sacar um pouco mais ele, conhecê-lo melhor.

– Por algum motivo acho que isso não seria nem um pouco aceitável.

Jimin encolheu os ombros.

– E desde quando você se preocupa com coisas desse tipo? Talvez algumas perguntas bem colocadas possam ajudar a descobrir mais sobre ele.

Jisoo abriu um sorriso.

– Park Jimin, acho que corrompi você um pouquinho. – Ele abraçou a amiga antes de ir até a porta. – Acho que gosto disso!


Notas Finais


Espero que tenham gostado, comentem o que acharam, talvez eu poste outro capítulo, mais tarde.❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...