História Dead Memories - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Drama, Romance, Taekook, Vkook, Yaoi
Visualizações 7
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Repostando~~

Capítulo 1 - First Contact


Bom, eu prometo que essa será minha última carta para você... Eu sei que você não está lendo, você nem ao menos está aqui, e você sempre esteve comigo.


Eu tenho escrito todos os dias para você, sobre como minha rotina tem sido, desde que você se foi, mas, eu percebi que esse meu presente não tem valido nada, tem sido vazio, como uma respiração de um cadáver.


Eu notei que eu tenho me importado mais com o que já passou, pois o meu, digo, nosso passado, é mais interessante, mais importante, e mais vivo, do que meu presente, porque quando você morreu, eu também morri, junto a você, a diferença é que eu não fui enterrado.


Você certamente lembrava de cada momento que nós vivemos, eu lembro de cada minuto, cada sentimento, cada batimento cardíaco acelerado, cada beijo. Eu lembro de tudo, mesmo, mas eu vou escrever aqui, nesta última carta, cada uma das nossas primeiras experiências juntos, até nosso último segundo. Vai ser uma longa carta, eu sei, mas eu vou relembrar pela última vez dessas lembranças. Talvez eu lembre disso tudo e em seguida esqueça e siga em frente, ou talvez eu também vá pelo mesmo caminho que você foi.


Lembra da primeira vez que nos vimos? Nosso primeiro contato? Desde aquele momento, eu tenho certeza que nossos destinos foram selados juntos.


Eu estava naquele parque vazio, obviamente, sozinho, como eu sempre estive, antes de você chegar.


E eu estava tão triste naquele dia, tão melancólico e abatido. E olha que eu tinha apenas 14 anos, e odiava até o nome que meus pais me deram. Um revoltado, que se finge de durão e é coberto de cicatrizes, um completo perdedor.


 E então, eu, perdido em toda a droga que estava vivendo, nem notei quando um garoto se sentou no balanço vazio que havia ao meu lado. Você era tão sorridente e alegre, e você decidiu falar logo comigo, a incorporação de características totalmente opostas às suas, éramos como yin e yang.


"Hey, você, o que está fazendo aqui sozinho?"


Foi o quê você me disse, e eu era tão insuportavelmente entorpecido naquela época que eu te ignorei naquela hora, pois eu não aceitava que alguém pedisse satisfação da MINHA vida, mas hoje, hoje eu sei que você perguntou aquilo, apenas porque você realmente se importava comigo. Lembra de quantas vezes eu já te pedi perdão por esse dia? Até hoje em dia eu me arrependo, e daria tudo que eu tenho para te ter do meu lado "me pedindo satisfações da minha vida".


E você era tão insistente, que novamente você me chamou, não parecendo notar que eu havia te ignorado de propósito.


"Hey... Você está bem?"


É, isso também me surpreendeu, já que eu não estava acostumado com pessoas me perguntado coisas assim, principalmente desconhecidos. Era para eu ter ficado feliz com isso, mas ao invés disso, eu senti ódio, eu me irritei com você, por me perguntar aquilo, e eu te ignorei, novamente, como o idiota orgulhoso que eu era.


Sinceramente, eu te agradeço até hoje, por ter insistido tanto e ter sido tão paciente comigo naquela época, pois até mesmo eu havia desistido de mim.


"Seu nome é Taehyung, né?"


Você me perguntou, ignorando a minha ignorância. E mais uma vez, eu me irritei com você naquele dia, pois, como eu disse, eu odiava meu nome naquele tempo.


Hoje eu acho engraçado a maneira com a qual você lidava com as coisas, com as minhas ignorâncias, minha indiferença e tudo mais. Eu realmente considero meu eu antigo, insuportável, e você me amou de tal maneira, que você aguentou o pior de mim, e trouxe um lado de mim, que eu nunca tinha visto.


"Sou Jeon Jungkook."


Você não tem ideia do quanto eu me surpreendia e me irritava com como você mantinha um sorriso, mesmo quando eu te tratava com indiferença, mas há algum tempo atrás, eu percebi que na verdade, essa raiva, era inveja, pois com qualquer abalo nas águas, eu já saía correndo e reclamando de tudo e nunca enfrentava nada, como um covarde.


Eu ignorei você, mais uma vez, e você me surpreendeu mais uma vez também, quando você riu para mim da minha resposta muda de "eu não ligo", quando na verdade você deveria se irritar e ir embora, como todos antes fizeram.


"Eu ouvi dizer que... Você prefere que te chamem de V, né?"


Eu entendi, após relembrar várias vezes desses momentos, que você perguntava as coisas, mas não esperava uma resposta, você apenas queria me distrair da merda que você sabia que eu estava vivendo. Foi isso que você me disse pouco tempo antes de tudo isso acabar.


"Você é um vândalo, o V faz sentido, sabe? Não me mate, eu estou brincando."


Você murmurou risonho, quando eu te olhei de um modo cortante. Eu queria tanto te ouvir rir de novo, você não tem ideia de como eu sinto falta disso, como eu sinto sua falta.


"V, eu não tenho ideia de porquê você não gosta do seu nome, mas ainda assim, eu vou entender você."


"Você deve estar se irritando já comigo, mas eu acho que não ligo, pois eu quero falar com você, mesmo com você não me respondendo, eu sei que você está ouvindo."


"Hey, V! Você iria preferir viver para sempre, ou você acredita que seria melhor viver o suficiente apenas para se tornar eterno? Eu realmente escolheria a segunda opção, pois eu não suportaria ver todos que eu amo indo embora, e eu continuaria ali, vivendo de um modo vazio que conta apenas com uma respiração e pensamentos melancólicos de memórias de pessoas que não vão voltar."


Foram essas coisas que você falou naquele dia, e você não tem ideia de como nessa última parte, você descreveu o que eu vivo hoje, você preveu o meu futuro, o meu lastimável e miserável futuro solitário.


Você falou tantas coisas naquele dia, e nós ficamos daquele modo durante toda a tarde, você ficou ali comigo, falando "sozinho", me contando várias coisas, sem esperar que eu fizesse qualquer comentário, e no fundo, eu estava feliz por isso, pois todos olhavam para mim, querendo saber o que tinha de errado comigo, e sempre me perguntando várias coisas que eu não queria responder.


Jeon Jungkook, você não sabia naquela época, que aquela tinha sido a primeira vez que alguém havia tentado ter contato comigo em vários anos. Foi o nosso primeiro contato, e no fim do dia quando você se despediu, eu senti meu coração bater de novo.


"Cara, já faz quatro horas que estamos aqui. Eu já vou indo, ok? Eu gostei de passar esse tempo com você. Eu tenho que voltar para... A casa de um amigo, te encontro aqui amanhã, certo? Certo!"


Você disse, se levantando do balanço ao meu lado, e parou na minha frente, e eu não ousei encarar seu rosto sorridente, pois eu tinha medo dos olhares das pessoas.


"Tchau, Jeon..."


Eu murmurei, quando você já estava longe. Eu não era de falar tanto, na verdade, eu nunca falava nada que não fosse um "foda-se", nem gostava de ter contato nenhum com ninguém... E mal sabia eu, que você mudaria até isso em mim.


Eu finalizo esse capítulo da carta, te agradecendo, por você não ter desistido de mim, e ter iluminado a escuridão da minha alma com os seus sorrisos. Por ter preenchido meus ouvidos, que antes ouviam apenas meus próprios murmúrios, com suas risadas e suas histórias. E por ter preenchido, não apenas aquele lugar vazio ao meu lado, mas também o buraco do meu coração e mente, e ter cancelado a condenação da minha alma, pois eu não queria viver, e com o passar dos dias, você apareceu sempre lá, no balanço ao meu lado, e você me deu vontade de viver, e eu me levantava da cama, apenas para te encontrar, pois eu não queria abrir meus olhos, pelo contrário, eu queria que eles ficassem fechados para sempre, mas, você, você os abriu, e me fez ver o quanto eu estava sendo ingrato.



Notas Finais


❤🙆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...