História Dead Roses - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Colegial, Drama, Romance
Visualizações 2
Palavras 1.764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Postar essa fanfic ainda é uma incerteza pra mim, mas agora é tarde
Eu sempre gostei muito de ler e escrever, e a inspiração para essa fanfic veio de dois livros: Simon vs a Agenda Homo Sapiens e Garota em pedaços (recomendo muito, ícones de livro)
Como é o primeiro capítulo, fiz ele mais curto
Espero que gostem e é isto

Capítulo 1 - Capítulo um


 As mãos estavam suadas, a pele pálida e o cabelo bagunçado pelo vento frio. Flores eram a única fonte de cor que se podia ver em meio a manhã nublada e o calor do verão já havia ido embora.

 Jeongguk respirava com um certo pesar e cogitou a ideia de voltar para casa diversas vezes, pensou até em desistir e ir para outro país. Canadá é uma boa opção, pensou logo sendo interrompido pela lembrança de SunHea, que provavelmente o bateria ao saber de seus míseros pensamentos.

 Ainda hesitante, cruzou o portão de ferro de seu novo colégio. Ele podia parecer dramático pelo exagero de pensamentos quando se trata apenas de um colégio, até ele pensava isso, mas seus traumas e medos o atormentam e seguem como uma sombra.

 Encarava o chão como se o mesmo fosse a coisa mais interessante do universo. “As risadas eram para ele? Os cochichos eram por ele? Estavam apontando para ele? Estavam encarando ele?” Perguntas e mais perguntas rondavam por sua cabeça. Continuou caminhando em direção a porta quando acabou por ver um garoto de cabelos roxos tentando pegar alguns papéis que dançavam no ar. Pensou em ajuda-lo, mas desistiu com medo e voltou a andar em direção a porta.

 Adentrou a construção e logo voltou a ter as mesmas sensações que tinha meses atrás. O cheiro dos perfumes se misturando, causando um odor ruim, porém suportável. O som de todas as vozes tendo conversas paralelas. Não sentiria falta daquilo nunca. Seguiu caminho olhando para as portas tentando encontrar a secretária, parando a frente de uma porta de madeira quando encontrou a mesma.

 Entrou no cômodo que era, de fato, mais silencioso e agradável que o outro lado da porta. Se dirigiu até o grande balcão e encontrou um garoto que aparentava ter sua idade arrumando alguns papéis.

 — Oi! Posso ajudar? — sorriu, seu cabelo era loiro, mas não parecia ser natural.

 — Sou o aluno novo, Jeon Jeongguk. — respondeu enquanto brincava com a ponta de seus dedos tentando se distrair.

 — Ah, sim — disse o garoto, juntando alguns papéis seguinte a fala. — Esse são os seus horário de aula, sua sala está marcada aqui — pegou uma caneta e circulou a informação. — Você precisa assinar sua folha de transferência! — disse e saiu abrindo as gavetas a procura da folha de transferência, Jeongguk ficou confuso, afinal, não havia sido transferido.

 A porta foi aberta novamente.

 — Jin, me ajuda, por favor! — o mesmo garoto de cabelos roxos que antes tentava pegar os papéis estava ali.

 — Deixe-me adivinhar, perdeu os horários? — o loiro questionou em um tom de deboche.

 — Você me conhece tão bem, perdi sim — respondeu o de cabelos roxos, sorrindo para o loiro em seguida.

 — Jeongguk? — chamou o loiro percebendo o semblante confuso de Jeongguk.

 — O-oi — respondeu.

 — Desculpa, não me apresentei — o loiro comentou, sorrindo em seguida. — Sou Kim Seokjin e esse ao seu lado é Kim Namjoon. — Jeongguk encarou ambos, recebendo sorrisos como resposta. — Também estudo aqui, mas ajudo na secretária antes da aula começar.

 — Ele é o senhor inteligente — comentou Namjoon, recebendo um tapa fraco de Seokjin em seguida.

 — Prazer em conhecer vocês — Jeongguk fez uma pequena reverência, se virando para a porta ao ouvir a mesma ser aberta pela segunda vez.

 — Aluno transferido — um garoto, dessa vez com cabelos vermelhos, disse. Todos aqui tem cabelo colorido? Pensou Jeongguk.

 Seokjin abriu a boca para falar algo enquanto olhava para a folha de transferência, lendo o nome e concluindo que Jeongguk não era o aluno transferido.

 — Claro, aqui está, assine aqui — Seokjin disse e indicou com a caneta. — Esse é seu horário de aulas — Entregou a folha para o garoto. — Sua sala está... circulada. — o garoto não esperou Seokjin terminar e saiu pela porta, sorrindo para Jeongguk antes de cruzar a mesma.

 — Que mal educado! — Namjoon proferiu. — Mas é bonito — deu de ombros e observou Seokjin o entregar a folha de papel que continha os horários.

 — Namjoon! — Seokjin riu e se dirigiu a Jeongguk. — Achei que você era o transferido Jeongguk, me desculpe pelo erro. Pode ir para a sua sala! — Namjoon e Seokjin acenaram para Jeongguk e o observaram saindo pela porta.

 — Ele é tímido. — Namjoon disse após um pequeno silêncio dominar o local.

 Jeongguk saiu pela porta e após segundos ouviu o sinal agudo e alto ecoar por cada milímetro daquele colégio, se perdendo em meio a um mar de pessoas enquanto tentava encontrar a sua sala.

 Os corredores começaram a ficar vazios e Jeongguk ainda não havia encontrado sua sala. Jurava ter olhado todas as portas atentamente de cada andar daquele colégio, porém não encontrou sua sala.

 Começou a caminhar pelo segundo andar pela segunda vez naquela manhã e sentiu uma mão em seu ombro.

 — Ali — um garoto um pouco mais baixo que Jeongguk leu o papel e indicou a sala, Jeongguk pensou em agradecer, mas o garoto já havia saído.

 Puxou a alça da mochila que machucava seu ombro por conta do peso e entrou na sala, se sentando na última carteira, entre a grande janela e um armário. Colocou os fones de ouvido e começou a escutar música, sem se importar se poderia ou não. Aquilo era como o calmante de Jeongguk, música o acalmava.

 Respirou fundo ao ver a professora entrar na sala. Jeongguk queria apenas passar o dia de olhos fechados ouvindo música, mas agora não podia.

 O dia visivelmente seria longo.

[...]

 Jeongguk suspirou.

 Ouviu mais uma vez o sinal e observou os alunos saindo da sala. Era o intervalo. Pensou em ficar na sala, porém um aluno o avisou que era proibido e acabou por sair.

 Os alunos saiam de suas respectivas salas eufóricos, como se fossem presidiários que haviam cumprido toda a pena. Jeongguk seguiu andando pelo corredor, vez ou outra sendo empurrado, porém em algum momento sentiu um empurrão forte demais, aparentava ser proposital. Jeongguk foi empurrado com tamanha força que caiu para o lado, batendo a cabeça na maçaneta de alguma porta.

 Fechou os olhos e levantou tomado por ódio, era seu primeiro dia ali e já pensara em desistir mais de sete vezes. Sentiu algo escorrer pela sua testa e colocou a mão no local, olhando para a mesma com sangue em seguida.

 — Só pode ser brincadeira — bufou.

 Colocou a mão no ferimento e desceu as escadas, indo para a enfermaria que havia visto enquanto procurava sua sala.

 Abriu a porta do local com cautela e se deparou com um ambiente totalmente claro, exceto pelos cabelos laranjas que se moviam pela sala.

 — Olá! Fez isso em alguma briga? — o garoto com cabelo laranja questionou sorrindo, indicando para Jeongguk se sentar em uma das macas.

 — N-não, eu só cai e bati a cabeça na porta — Jeongguk falou baixo sentiu seu rosto corar ao ver o garoto chegar perto demais para ver o ferimento.

 — É, você vai morrer. — o garoto riu ao ver a expressão de Jeongguk e seu rosto pálido. — Calma, é brincadeira, você parecia tenso — sorriu, pegando um pedaço de algodão para limpar o sangue. — Sou Hoseok, Jung Hoseok, e você pequeno?

 — Jeon Jeongguk — respondeu simplista, fazendo algumas caretas ao sentir Hoseok limpar seu machucado.

 — Parece ser novo, está no primeiro ano? — Hoseok perguntou tentando distrair Jeongguk.

 — Segundo, é meu primeiro dia aqui. Comecei com sorte, não acha? —disse a última frase com uma ironia clara, arrancando uma risada de Hoseok.

 — Hobi a gente trouxe comida! — Namjoon e Seokjin entraram na sala, encarando Jeongguk.

 — Eu já falei para vocês que não podem entrar assim — Hoseok falou, terminando de colocar o curativo em Jeongguk.

 — Oque fizeram com o meu bebê? — Seokjin disse enquanto caminhava na direção de Jeongguk, segurando as bochechas do mesmo, o assustando um pouco pelo toque repentino.

 — Jin você conheceu ele hoje. — Namjoon disse em um quase sussurro, se sentando na maca a frente da qual Jeongguk estava sentado.

 — Se conhecem? — Hoseok perguntou se sentando ao lado de Namjoon.

 — Conhecemos ele hoje, na secretária, é o aluno novo. — Seokjin respondeu após se certificar que Jeongguk não tinha mais nenhum machucado e se sentou ao lado do mesmo. — Fique aqui com a gente durante o intervalo! — Foi o único pedido de Seokjin.

 E Jeongguk ficou.

 Se achava um fraco por confiar rápido demais nos outros sabendo que sempre sairia mal no final.

 Sempre sairia machucado ou humilhado, ou os dois como na última vez.

 Memórias de seu passado deviam lhe ensinar a não confiar mais nas pessoas, deviam lhe ensinar que as pessoas são como cubos mágicos: você não sabe a real aparência até monta-lo completamente. As pessoas são assim, Jeongguk sempre teve esse pensamento. Mas por algum motivo se sentia seguro ali, rindo com os outros. Parecia estar em um clichê de livro.

 Talvez sua vida realmente desse um livro.

[...]

 Pela última vez naquele dia, ouviu o sinal agudo ecoar pela escola, Jeongguk juntou os materiais na mochila e colocou os fones de ouvido, olhou para a janela e viu a copa das árvores se mexendo fortemente, a chuva caia em grande quantidade e velocidade, um temporal estava chegando.

 Colocou a alça da mochila no ombro e saiu descendo as escadas, se sentando em um banco próximo a entrada disposto a esperar a chuva passar. Haviam muitas pessoas ali, provavelmente com o mesmo pensamento.

 Algumas foram embora após trinta minutos.

 Outras foram embora após uma hora.

 Após duas horas e meia haviam apenas cinco pessoas ali além de Jeongguk, que quase dormia com a cabeça apoiada na parede.

 — Você parece cansado, vá para sua casa. — rosa, seus cabelos eram rosas, a cor combinava com o garoto. Jeongguk passou a encarar o garoto de cabelo rosa que estendia um guarda-chuva em sua direção.

 — Mas você- — Jeongguk foi interrompido.

 — Você está aqui a quase três horas, eu tenho carona, posso te procurar amanhã e ai você me devolve o guarda-chuva — disse o de cabelos rosas e colocou o guarda-chuva na mão de Jeongguk. — Tchau. — dirigiu um sorriso para Jeongguk e subiu as escadas.

 Jeongguk estava confuso e cansado, cansado até demais, então abriu o guarda-chuva e seguiu caminho para o apartamento onde morava.

 Porque aquelas pessoas pareciam ser tão gentis?


Notas Finais


Eu já escrevi e reescrevi esse capítulo mais de cinco vezes e ainda acho que ele não está bom o suficiente.
Depois de três meses planejando essa fanfic, decidi começar ela, espero que gostem e se quiserem tacar pedras em mim podem tacar, meio jeito de escrever ainda não é bom o suficiente.
Obrigada por ler até aqui~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...