1. Spirit Fanfics >
  2. Deadly smile >
  3. As you wish

História Deadly smile - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


po faz tempo, bem desculpe pela demora. espero que gostem do cap, eu nunca escrevi um hentai então desculpe se não pude detalhar bem. bom e isso comentem o que acharam! vejo vocês no próximo cap daqui a alguns anos. falouuuu

Capítulo 8 - As you wish


Na quele momento o corpo de Alastor moveu-se sozinho quase como um instinto primitivo escondido sorrateiramente no canto mais obscuro de suas funções. O mesmo levou Charlie ate seu quarto e a deitou levemente, o que surpreendeu a pequena de certa forma, esperava que o mesmo agisse de forma agressiva e apressada jogando-a na cama e rasgando sua roupa de forma apressada. Mas o que se deparou a agradou muito mais, ele estava sendo cuidadoso...desabotoou a camisa de Charlie meticulosamente, arrancando um risinho da loira.

O demônio do radio arqueou seu olhar para fita-la sem intender

-“o que lhe diverte darling?”

Perguntou ele com uma voz arrastada e provocativa ao qual fez Charlie se arrepiar

-“eu achei fofo o fato de você se preocupar em não destruir minhas roupas...” ela respondeu beijando-o levemente

“ah...seus lábios são doces, mas isto não me incomoda de forma alguma...”

Pensou Alastor separando-se de Charlie

-“gostaria que eu as rasgasse então?” perguntou ele dando leves beijos no pescoço da loira e algumas mordiscadas.

A mesma mordeu o lábio aproveitando cada toque que Alastor a proporcionava sussurrando em sua orelha

-“não me importo se você for bruto comigo...” ela respondeu e forma franca e isto era tudo que Alastor precisava

-“como desejar...”

Em questão de segundos as garras do demônio do radio cresceram de forma mediana e retalharam tanto a blusa quanto o sutiã de Charlie em míseros segundos deixado os seios da mesma a mostra. Alastor não permitiu que ela tivesse tempo para processar o que ocorrera e abocanhara o seio da mesma ansioso e feroz, o que causou um gemido alto por parte da menina ecoando por todo o quarto. Isso fez lembrar o demônio do radio, precisava lançar um feitiço ante ruído...mesmo que metade do hotel estivesse em coma não queria correr o risco de algum pervertido curioso escutar o que faziam. Então com uma das mãos livres estalou os dedos sem deixar de dar atenção a Charlie. Quando concluiu o feitiço imediatamente usou sua mão para apertar o seio direito da mesma em quanto abocanhava e dava leves lambidas no esquerdo. Por mais surpreendente que fosse Alastor tinha um prévio conhecimento sobre sexo, não que ele ligasse para isso, na verdade ele não tinha nenhum interesse em tal pratica carnal. mas em sua vida passada já usara de seu charme algumas vezes para enganar algumas jovens senhoritas, Depois do ato o mesmo se aproveitava de sua vulnerabilidade e as assassinava a sangue frio em quanto as mesmas dormiam...

 Mas ele nunca pensou que faria isso de forma sincera com alguém um dia...a sensação também era diferente, ele se sentia energético e queria de certa forma agrada-la. De forma rápida o mesmo retirou a calça de Charlie colocando sua calcinha para o lado usando uma de suas garras delicadamente. Seu sorriso se alargou ao sentir a umidade da intimidade da mesma, lambendo-a lentamente a provocando.

-“parece que esta gostando Darling...me pergunto o quanto posso provoca-la”

E essas palavras foram o suficientes para fazer uma corrente elétrica percorrer o corpo da menina. Charlie corou fortemente ao sentir a língua do maior em contato com sua intimidade, ele a lambeu de forma lenta provocando o máximo que podia, ele realmente era sádico...gostava de ver o corpo de Charlie tendo espasmos clamando por mais, a ponto que nem a menina resistiu e começou a implorar para ele continuar.

-“Al não me provoca...ah...eu preciso...”

Disse ela pausadamente entre os gemidos, Alastor arqueou uma sobrancelha ironicamente em quanto utilizava um dos dedos para masturba-la.

-“precisa? O que precisa de mim princesa...e só dizer”

Sua voz embebida de libido era sarcástica, ele não podia resistir em brincar com charlotte da quela forma. Era simplesmente excitante ver suas reações.

-“por favor...me de...mais”

Disse ela com dificuldades, o demônio do radio não podia estar mais satisfeito. Utilizou mais dois de seus dedos fazendo-os vibrar em uma velocidade impressionante dentro de Charlie, a mesma não aguentou e virou a cabeça para trás a afundando no travesseiro. Alastor não parou por ai, com a mão livre agarrou o seio da mesma e o apertou com brutalidade em quanto apreciava os gemidos ou melhor os gritos de Charlie que ecoavam por todo cômodo.

Depois de algum tempo quando retirou seus dedos os lambeu de forma erótica frente a Charlie aproveitando sucintamente o gosto da mesma.

-“você realmente e deliciosa querida”

A mesma ofegante sorriu com dificuldade e envolveu seus braços no pescoço do mesmo o puxando para um beijo intenso. Alastor sentiu a língua da menina invadir sua boca e começar uma dança frenética ao qual ele havia adorado, aquilo realmente era único. Charlie o empurrou jogando-o contra o colchão, agora era sua vez...ela ainda tinha um filete de saliva em sua boca ao qual se desfez ao lamber seus próprios lábios. A mesma retirou o cinto da calça do demônio do radio e o despiu, o sorriso da mesma alargou-se e sentiu seu corpo estremecer.

-“uau..” ela contemplou –“você certamente esta animado”

Sua frase soou o mais incisiva possível carregada por desejo, o que inusitadamente provocou um calor enorme no interior de Alastor. Esta sensação se proliferou ainda mais ao sentir Charlie abocanhar seu membro ansiosamente, apertou com força o lençol de sua cama apreciando deliberadamente o ato da menina. A mesma lambeu seu membro de cima a baixo, de forma lenta e rápida, ele pode ate mesmo sentir o hálito quente de Charlie sobre sua pele aumentando ainda mais o prazer que sentira. O corpo de Charlie ficou ainda mais quente e sua intimidade ainda mais húmida, ela o queria desesperadamente...

Felizmente não precisou esperar muito, Alastor avançou para cima da mesma segurando seus pulsos contra a cama, em seus olhos haviam ponteiros no lugar das pupilas. Charlie sabia bem o que aquilo significava e não resistiu, invés disso mordeu seu lábio com força o fazendo sangrar, sabia que aquilo o deixaria ainda mais louco o que certamente foi um acerto. O mesmo a beijou de forma voraz mordendo seus lábios ainda mais, aproveitando avidamente o gosto do sangue da menina.

-“Al...” a mesma gemeu seu nome entre os beijos –“me faça sua...ah...preciso...preciso de você...”

Então em uma reação quase instantânea ele posicionou seu membro frente e intimidade da mesma e a penetrou de uma vez só. Charlie gritou ao sentir o mesmo avançar por completo, agarrou as costas de Alastor com força rasgando a pele do mesmo com suas unhas, o que o fez ficar ainda mais bruto. Começou a estocar para dentro da menina de forma rápida não dando nem ao menos tempo para ela respirar, o demônio do radio sem mais se segurar mordeu o pescoço de Charlie cravando seus dentes afiados em sua pele. Apreciou cada gota...mas o que o fez perder a razão completamente era o fato que Charlie retribuirá o ato mordendo o pescoço do mesmo com brutalidade bebendo de seu sangue e espalhando ainda mais por seus lábios. O mesmo a envolveu eu seus braços e ergueu o suficiente para senta-la em seu colo, O demônio do radio aumentou o ritmo da estocadas gravemente fazendo os olhos da menina se revirarem em extasse. Alastor a beijou de forma necessitada e animalesca sentindo a mistura do sangue de ambos na boca da menina, aquilo era excruciante! Queria ira além precisava de cada vez mais disso.

Cravou uma de suas garras no torço de Charlie sentindo o sangue dela escorrer por seus dedos, a mesma gemeu de dor mas não se importou o gosto do sangue dele em seus lábios anestesiou tudo...era agridoce de fato, um sabor tão viciante que a fez desejar por mais instantaneamente. Sem notar sua forma demoníaca ficara exposta, talvez como um afeito do sangue de Alastor...Charlie inconscientemente começou a cavalgar no membro do mesmo eufórica, oh...ela queria assumir o controle? Ele pensou, o mesmo rugiu como uma fera e a agarrou pelas nádegas levantando-a para fora da cama. O demônio do radio a colocou por cima de uma estante no canto do quarto, segurou seu rosto fazendo-a encara-lo em quanto continuava o ritmo das estocadas.

-“você e minha...” ele rugiu –“seja obediente”

Rosnou a ultima parte próximo ao ouvido dela excitando-a ainda mais, sabia bem que ele gostava de ser dominador. Isso era uma característica mais do que clara do demônio sorridente, então uma ideia maquiavélica surgiu em sua mente deturpada pelo prazer.

-“e se eu não me comportar?” perguntou ela sarcasticamente mordiscando uma das orelhas dele –“vai me punir?”

Oh aquilo foi como musica para ele, o mesmo sorrindo amplamente fez um corte superficial a altura de seu pescoço e clavícula. o sangue espalhou-se rapidamente e invadiu os sentidos de Charlie como uma droga devastadora.

Quando ela instintivamente avançou para lamber cada gota do sangue de Alastor o mesmo a negara, colocando suas mãos sobre o pescoço da mesma e impedindo de chegar mais perto. Ao mesmo tempo ele aproximou seu rosto para fazer com que o cheiro de seu sangue a provocasse ainda mais.

-“oh...não não querida...você não o terá”

Sua voz soou distorcida por sua forma demoníaca, ele passou sua língua por seus lábios arrancando suspiros necessitados de Charlotte. Claramente ele pode notar que seu sangue causara dependência na mesma, usa-lo dessa forma o agradava imensamente ainda mais quando viu no olhar de Charlie uma suplica ao qual o fez derreter por completo. Estava estampado em seus belos olhos negros o quanto queria aquilo...para sua infelicidade Alastor negou isto a ela ate o ultimo minuto.

Aquilo estava chegando a um ponto ao qual ela não aguentava mais, chamas surgiram em sua volta e ela conseguiu se desprender do aperto de Alastor cravando seus dentes em sua pele deixando o sangue espirrar por todo o cômodo. O liquido escarlate refletiu-se sobre o suor no corpo do demônio do radio dando a ele uma visão ainda mais imponente, mas nada se comparava como Charlie estava agora...aquilo era belo aos olhos de Alastor, ela estava selvagem de fato. Ele não incomodou-se com o calor das chamas que emergiram por causa de Charlie, na verdade aquilo o excitara ainda mais bombando com ainda mais brutalidade para dentro dela.

Charlotte cruzou suas pernas em volta da cintura do mesmo, e depois de apreciar cada gota do sangue de Alastor o beijou com ainda mais desejo. Ele sentiu a intimidade da mesma se apertar gravemente contra seu membro...ele sabia o que viria, por isso fez questão de leva-la de volta para a cama caindo com ela sobre o colchão continuando o ritmo de suas investidas. Ele também já estava quase em seu limite...seu corpo gritava para ele continuar e ir ate o fim, mas sua mente rugia dizendo para sair de dentro dela antes que chegasse ao clímax.

Quando ele fez a breve menção de que retiraria seu membro sentiu as pernas de Charlotte o apertarem ainda mais. Ela realmente não queria que ele saísse agora...queria senti-lo por completo mesmo que não estivesse pensando direito por conta do prazer. Mas ele era mais forte e conseguiu se libertar do enclausuro de Charlie, derramando tudo por cima da mesma que também chegou ao seu ponto máximo.

Alastor estava tão ofegante quanto Charlie, ele caiu ao seu lado com o corpo molhado de suor e sangue. Arfava com dificuldade ao lado da menina, o mesmo encarou o semblante esgotado da menor com certo carinho. Ele a puxou para mais perto de si a passou seus braços em volta dela, aquilo foi intenso...

-“um espetáculo entanto princesa...” ele admitira beijando a testa da mesma

Ela sorriu cansada e apreciou o toque dos lábios dele

-“isso foi incrível...”disse deslumbrada –“Al...”

O chamou

-“sim?” ele sentiu a mão da mesma sobre seu rosto delicadamente

-“fique comigo...pra sempre”

Aquilo não era um pedido certamente, e isso fez o coração de Alastor saltar. Palavras tão sinceras como estas saídas da boca de um ser angelical como Charlie realmente eram como um soco na boca do estomago. Como poderia negar? Já decidira entregar-se a estes sentimentos estranhos de qualquer forma, deixaria que ela o mostrasse este amor ao qual ele nunca havia se interessado ate conhece-la.

-“ as you wish...” ele a apertou ainda mais contra seu peito –“este pecador lhe pertence darling.”

Ela sorriu amplamente sentindo o sono domina-la, suas pálpebras estavam ficado cada vez mais pesadas. Se aninhou confortavelmente em Alastor e disse em quase um sussurro antes de adormecer.

-“eu te amo...”

Claro os sentidos de Alastor não o deixavam enganar, ele ouviu claramente o que a mesma disse. Ficou relativamente sem palavras agradecendo mentalmente ela ter dormido, afinal como responderia isto?

Mas estranhamente sentiu-se satisfeito depois que o choque passou, então apenas se deixou levar e adormeceu junto a ela. Aquilo era novo...mas instigante.

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...