1. Spirit Fanfics >
  2. Dear Alpha - Kim Taehyung >
  3. X. Eu finalmente vou te encontrar pt.2

História Dear Alpha - Kim Taehyung - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Heheeee consegui postar dois capítulos no dia! Que vitória! Mas ainda há muito o que fazer. Nesse momento vou colocar a fanfic em revisão pra dar uma repaginada no nosso " visual ", tenho certeza que vocês vão amar!!

Boa leitura❤

Capítulo 10 - X. Eu finalmente vou te encontrar pt.2


Fanfic / Fanfiction Dear Alpha - Kim Taehyung - Capítulo 10 - X. Eu finalmente vou te encontrar pt.2

[ New York - 2050, 05:00 p.m ]


| Kim Taehyung - 2 dias atrás |


- Vamos, Taehyung! Você tem um encontro em uma hora e você ainda nem tomou banho!! - brigo comigo mesmo enquanto estava deitando em minha cama olhando para o teto e pra piorar, pensando nela.


Namjoon me disse que tem a teoria de que ela é minha alma gêmea, mas... poxa ela é tão perfeita, fora que ainda tem minha esposa, que ainda está desaparecida...


- Merda, por que diabos eu fui aceitar sair com a Alysson? - resmungo enquanto passo a mão pelo meu rosto.


Inconscientemente começo a me lembrar de meus momentos com a garota na qual ainda não sei o nome, me lembro da forma como ela ria, da forma como ela tornava tudo mais divertido apenas com um comentário ou a forma como ela me dava força... eu sei, mas não consigo admitir que essa garota me torna mil vezes mais forte do que até mesmo minha esposa tornava.


" Taehyung!!! Para de jogar água em mim!! " Sorrio ao me lembrar da garota reclamar enquanto ria.


- Que sorte a minha por você não ser feita de açúcar! - repito o que eu disse no sonho enquanto ria abobado ao me lembrar da carinha que ela fizera ao ouvir isso.


" Você é engraçadão mesmo hein? Caralho " Gargalho, quase me sentindo inserido no sonho novamente.


Esse foi um dos melhores sonhos que eu tivera com ela. Me lembro que estávamos na jacuzzi daqui de minha casa e ela estava entrando muito devagar já que dizia que desmaiaria se entrasse rápido do tanto que a água estava quente, e quanto mais eu jogava água nela, mais ela ria e não entrava na jacuzzi.


Bons momentos como este se tornavam recorrentes quando ela estava por perto. Espero que o dia de hoje passe mais rápido para eu poder sonhar com ela novamente.


Com esse pensamento em mente, adquiri forças para ir para esse encontro logo para assim dormir logo também.


Tomo um banho rápido e visto minha blusa social branca com meu terno preto já que Alysson detestava meu estilo colorido.


Coloco alguns aneis e meus brincos e pego a chave do carro para ir logo.



[ ... ]


06:10 p.m



- Meu Deus, eu estava MUITO ansiosa pra sair com você!! Nunca viemos para um lugar público e bonito como este! - tagarelava a loira à minha frente.


Pode parecer maldoso levando em conta que Alysson estava extremamente empolgada e eu não estava nem prestando atenção nas quinhentas palavras que ela dizia em um segundo.


A verdade é que eu não gosto nem um pouco dela. Alysson e uma garota muito obcecada e eu acabei aceitando sair ou ter qualquer relação com ela para que a mesma pare de deixar seu posto na empresa para ir até minha sala ficar de papo furado comigo e me atrapalhar.


Eu me sinto babaca por estar fazendo isso, mas eu não vejo outra opção. Eu sei que eu poderia demití-la, mas querendo ou não, Alysson é uma ótima estilista, tanto que se ela sair da Gucci existem mais 6 empresas prontas para recebê-la. Eu não seria louco de tirá-la de meus negócios.


- Vestido bonito. - é a única coisa que consigo pensar em dizer.


- Achou? Foi eu mesma que fiz! - se gaba e eu rio sem humor. - Eu estava indecisa entre esse e outro, mas minha empregada me ajudou a escolher.


- Ela tem bom gosto. - Alysson me olha com um certo nojo.


- Akirah apenas sabe apreciar arte de verdade. - leva um garfo de comida à sua boca enquanto revirava os olhos. Por um segundo, senti meu coração pulsar forte, minhas pernas ficarem bambas e minhas orelhas se moverem ansiosamente assim como minha cauda.


- Pode repetir o nome dela? 


- Akirah. Conhece? - sinto minhas bochechas corarem, por que estava tendo essa reação?


Akirah... eu já ouvi isso em algum lugar.


- N-não, não conheço. - bebo mais um gole do suco de uva.



[ ... ]


08:00 p.m



- Por favor, Tae... fica mais um pouco... - suplica Alysson enquanto me beijava e rebolava em meu colo. - Você pode dormir aqui em casa...


- Alysson...não dá...sério - digo pausadamente por conta dos lábios que se enconstavam freneticamente.


Eu naturalmente sentiria vontade de transar se uma garota fizesse em mim o que ela está fazendo agora, mas tudo o que eu quero é sair daqui logo.


- Taehyung, não esconda de mim, eu sei que você quer tanto quanto eu.


Não, eu não quero.


- Não, Alysson, eu não tô no clima. - digo incomodado já que a mesma começou a chupar partes do meu pescoço.


- Não é o que seu volume está dizendo... - sussurra em meu ouvido.


É oficial, eu odeio ter um pau.


- Tudo bem, você venceu! - digo tomando seus lábios para mim.



[ ... ]



Estávamos em seu quarto agora, fazendo exatamente o que ela queria, mas eu resolvi me questionar no pior momento.


" Você quer isso mesmo? ", " Você de verdade está fazendo a coisa certa? ", " É em Alysson que você está pensando? " dizia meu lado racional.


A verdade é que:


Não, não quero isso com Alysson;

Não, não estou fazendo a coisa certa;

E... não, não é em Alysson que estou pensando para que ao menos eu não broxe.


A verdade é que eu não consigo de forma alguma me esquecer do corpo perfeitamente desenhado por anjos de minha garota. Não consigo me esquecer de todos nossos beijos, dos seus toques ou da forma tão esbelta que se contorcia diante de mim. E não era ela ali, e talvez nunca será.


- O que aconteceu? - Alysson indaga abaixo de mim com uma expressão frustrada.


- Eu disse pra você... eu não estou no clima. - reforço olhando em seus olhos e então saio de cima dela, começando a colocar minhas roupas.


- Há algo de errado comigo? 


- Não. - minto. - Sou eu que não quero mais.


- Como assim?


- Não podemos continuar isso. - anuncio calçando meus sapatos.


- E por que não? - ri sem humor.


- Porque eu me apaixonei por alguém. - a respondo quando me levanto, já pegando minhas chaves, carteira e celular. - Eu não consigo não pensar nela quando me relaciono com alguém... isso é errado e eu acho que você merece algo melhor.


- É sua decisão final? - indaga de olhos marejados.


- É sim. - nos olhamos por um tempo. - Sinto muito... tenha uma boa noite.


Não esperei por mais nada e saí de seu quarto, indo até a porta e saindo daquela casa.



[ ... ]


09:10 p.m



Depois que tomei meu banho, escovei meus dentes e acompanhado de um chá de camomila, tomei meu remédio para que eu durma logo e fique melhor.



[ ... ]



- Deixa ela em paz... por favor! - suplico entre soluços. - Não mata ela...


- Quem disse que será ela a morrer? Eu quero fazê-la sofrer e a morte é uma bênção para muitos.


Eu mordia meus lábios para conter meu desespero. Eu me sentia fraco, tanto que mal conseguia revidar e sair daquela cadeira na qual estara amarrado.


- Tae... - diz meu nome ansiosa quando finalmente me encontra.


Eu queria gritar, reagir, mas estava tudo correndo muito rápido, tanto que quando me dei conta eu estava jogado no chão em meio ao fogo de mãos dadas com Akirah, rezando para que saíssemos vivos.


- AKIRAH!!!! - ouço alguém gritar seu nome. - TAEHYUNG!!!!! - eu e ela trocamos os últimos olhares até definitivamente desmaiarmos.



[ ... ]


01:30 a.m



Acordo em meio aos meus próprios gritos, chorando, sentindo minha pele corroer por inteira. O pânico tomava conta de mim e mesmo depois de acordar, aquilo doía.


- Onde você está? - eu dizia à toda hora.


Por conta do calor e da agonia, tiro minha blusa e quando me olho no grande espelho de frente à minha cama, percebo meu corpo inteiro em um aspecto queimado, quase como se eu fosse a própria chama.l


Eu preciso ir ao hospital agora.


Eu me sentia tonto por conta dos remédios, eu cambaleava enquanto cruzava o pequeno caminho até o elevador de meu apartamento, tendo em mãos minha carteira e meu celular apenas.


Quando cheguei ao térreo, fui o mais rapido que consegui para o hospital, que era apenas duas quadras de distância de meu prédio. 


O frio batia em minha pele sensibilizada e quase me derrubava por conta da fraqueza, eu me tremia incansavelmente. 


Quando finalmente me encontrei na porta do hospital, tudo ficou preto por um segundo ou dois.


- Taehyung!!! Sr. Kim!! - uma voz familiar me chamava várias vezes enquanto eu tentava abrir meus olhos pra ver quem era.


- Oi Namjoon... - tento forçar um sorriso.


- TRAGAM UMA MACA! - ele grita sentado no chão ao meu lado. - Você pode me ouvir? Me ver?


- Sim, mas... - suspiro com dificuldade. - não consigo respirar bem.


- Relaxa, vamos cuidar de você!


Senti meu corpo ser levitado e posto em um local mais macio que o chão, em seguida me colocaram uma máscara de oxigênio.


Era uma sensação estranha, eu não conseguia ficar acordado que logo no segundo seguinte eu já apagava e tudo o que eu conseguia ver, era o teto mudar rapidamente várias vezes.



[ ... ]



- Se sente melhor? - se aproxima uma enfermeira quando eu abro meus olhos.


- Sim, bem melhor. - rio um pouco.


- Namjoon pediu para eu acompanhá-lo ao quarto onde você vai tomar o banho gelado. - mostra um saco transparente que tem em sua mão, onde havia um tecido verde. - Colocará essas roupas quando terminar.


- Tudo bem...


Me levanto com um pouco de dificuldade e acompanhado da enfermeira vou para o banheiro onde uma banheira de água gelada me aguardava.


- Não precisa ter pressa, fique aí até o ardor acabar. Estarei aqui fora se precisar de qualquer coisa e coloque suas roupas no saco, está bem? - ela estava quase fechando a porta.


- Espera! - a interrompo. - Pode chamar Namjoon pra mim, por favor?


- Ele está cuidando de outra paciente no momento...


- Então dê um recado à ele. - ela assente. - Diga à ele que eu topo. - ela faz uma cara confusa. - Ele vai entender... pode fazer isso, por favor?


- Claro! 


- Obrigado! - ela sai e fecha a porta.


Devagarosamente eu entro na banheira e sinto uma dor desgraçada, como se apagassem uma fogueira... mas a fogueira no caso seria eu.


Mas agora que me acostumei com essa sensação, meus pensamentos foram invadidos por uma única pergunta:


" Será que ela está bem? "


Céus... será que ela...? Não! Eu não posso pensar negativo! Foi apenas um sonho, não é?


Não é...?


Depois de alguns minutos ali, me vesti como fora solicitado e coloquei minhas roupas na sacola transparente, saindo do banheiro um pouco mais recuperado.


A enfermeira simpática pegou minhas roupas e começou a caminhar comigo pelos corredores, até chegarmos à Namjoon, que conversava com uma garota de cabelos cacheados na porta de um dos quartos.


- Aqui está! Entregue! - ela diz com um sorriso no rosto.


- Sr. Kim, se sente melhor? - ele pergunta um pouco preocupado.


- Me sinto bem, mas quando é que você vai parar de ser formal comigo? Nos conhecemos há anos!!


- Estou na minha área profissional, então é necessário. - reviro os olhos.


- Pode entrar com ele. - Namjoon diz para a enfermeira, que logo abre a porta para mim.


- Você ficará aqui esta noite... se sente melhor mesmo? 


- Sim, aquela banheira realmente me aliviou. - digo sorrindo e me sentando em uma cama vazia já que a outra estava ocupada por alguém que ainda não olhei.


- Qualquer coisa me chame, certo? - a enfermeira diz já se afastando.


- Certo, obrigado.


Ela saiu do quarto e então ficou apenas eu e a pessoa ao meu lado... que situação desconfortável.


- Uh... isso tá feio - digo olhando para meu braço, na tentativa de puxar assunto e acabar com aquele silêncio esquisito.


- Você está bem? - indaga uma voz doce, branda e feminina.


- Bom, estou bem mas isso arde demais. - rimos sem humor. - queimadura de segundo grau não é brincadeira mesmo.


- Como as fez? 


Céus, que voz...


- Estranho demais... você não entenderia. E as suas? Como as fez? - eu a olho e senti meu coração ir para a garganta.


De alguma forma e por algum motivo desconhecido por mim, meu corpo reagiu àquela feição de uma forma muito estranha, quase como uma ansiedade repentina porém com uma sensação acolhedora no coração.


- ... estranho demais, você não entenderia. - rimos e percebemos Namjoon, a garota que conversava com ele, um enfermeiro e uma enfermeira entrarem no quarto em seguida.


- Céus, dois dos meus pacientes favoritos! Quem diria! - Namjoon exclama empolgado.


- Sempre soube que me ama! - brinco.


- Não se empolgue, Senhor Kim! - eles riem e eu novamente reviro os olhos.


Enquanto o enfermeiro aplicava a agulha com o soro homogêneo aos medicamentos, eu olhava para a garota ao meu lado ainda sentindo minhas bochechas ficarem rubras e meus batimentos se acelerarem.



[ ... ]


03:30 a.m



Eu me sentia muito cansado, tanto por conta dos medicamentos em excesso que eu tomei para dormir, quanto por conta dos outros medicamentos no soro que provavelmente aumentavam o sono, mas quem disse que minha cabeça me permitia relaxar?


Eu via a garota ao meu lado encarar o teto provavelmente agoniada com algo... e de certa forma, eu senti vontade de ajudá-la ou pelo menos distraí-la...


Eu sempre vinha aqui para conversar com Namjoon sobre meus sonhos lúcidos até demais e algumas vezes sobre minha saúde, então eu conhecia esse lugar como a palma de minha mão. Minha mente se clareia quando me lembro do jardim que tem no fundo do prédio... talvez isso a distraia!


- Sem sono? - indago e nos olhamos por alguns segundos.



| Tempos atuais |

12:10 p.m



Ainda obedecendo às ordens de Namjoon que diziam que eu deveria ficar afastado do trabalho para eu poder ficar de repouso, resolvo buscar Yeontan, meu cachorro, na casa de Jungkook, meu melhor amigo.


Ele estava lá já que eu havia mandado uma mensagem para ele pedindo para que o buscasse... Deus livre do meu filho ficar sem companhia em casa.


Jungkook e eu não morávamos longe um do outro já que ele me ama muito e não consegue passar um dia sem me ver... certo, talvez seja o contrário, mas quem liga?


- Tae!! - ele vibra quando me vê. Viu? Ele me ama! 


- Jeonggukie!!! - o chamo pelo apelido que eu mesmo criei e o abraço calorosamente.


Jungkook e eu éramos amigos virtuais antes de ele vir para Nova York. Nos conhecemos por conta dos jogos da Skyscraper, nos quais sou viciado.


- Você está melhor? Fiquei preocupado contigo... - diz me dando espaço para entrar em sua casa.


- Estou melhor sim, as queimaduras até sararam! - sorrio para ele. - Tannie!!! - chamo pelo meu filho, que vem correndo de um cômodo até meus braços. - Papai veio te buscar!! - digo o enchendo de beijos, odeio ficar longe de Yeontan. - Ele se comportou? - pergunto olhando para o moreno atrás de mim.


- Sim!! Ele...


- Ei, mas espera! - o interrompo e dou uma cheiradinha na pelugem de Yeontan. - Que cheiro é esse? 


- Cheiro de que? - indaga enquanto eu tento descobrir onde estava mais forte, me levando até o quarto de Jungkook, mais especificamente para a cama do mesmo. O olho malicioso.


- Jeonggukie... - mudo meu tom de voz para brincar com ele quando percebi que era o cheiro de uma garota. Ele fica corado. - Inaugurou sua casa, Jeonggukie?


- Tae... - choraminga escondendo o rosto com as mãos e eu gargalho.


- Relaxa, eu sou seu melhor amigo! - me sento na cama e coloco Tannie no chão. - Agora me conta, quem é a sortuda?


- A melhor amiga da garota que você vai conhecer hoje à noite. Ela vai estar lá então você aproveita pra descobrir quem é. - diz se sentando do meu lado.


- Poxa, ainda tem isso! - vibro - Estou animado e com uma sensação boa sobre hoje! 


- É, né? Pra conhecer garotas você está sempre animado! - rio.


- Não é isso! Eu só estou feliz porque eu vou conhecer alguém novo, vou ter mais um motivo para que Alysson se afaste de mim de vez e ainda vou superar a suposta morte da minha esposa! Stonks!


- Me pergunto como que você lida tão bem com o sumiço da Katerin...


- Eu ainda penso nela, Jeon... mas se passou um ano, eu preciso tocar minha vida! E aliás, se Katerin fugiu é porque ela não me ama mais, se morreu... eu não posso fazer mais nada. Meu luto acabou quando eu conheci a garota com quem eu ando sonhado!


- Ela é tão importante assim?


- Muito! Eu espero encontrá-la um dia...


- Relaxa, você vai! - diz tocando meu ombro e sorrindo gentilmente.



[ ... ]


07:40 p.m



Eu estava colocando minha roupa preferida, uma blusa de seda preta com detalhes dourados, minha calça de couro preta, sapatos sociais e um blaser branco com detalhes perolados. 


Realcei os cachos de meus cabelos com um creme, coloquei meus brincos e aneis favoritos e também passei uma colônia que tem um cheiro herbal que faz eu me sentir um grande gostoso.


Não me aguentei e acabei tirando algumas fotos, afinal não é todo dia que a autoestima chega grita pelo seu nome, certo? Mas enquanto eu tirava minhas fotos, recebi uma ligação de Namjoon.


- Oie!! - o cumprimento animado.


- Como você está, Tae?


- Estou ótimo e indo para um encontro às cegas neste momento! - digo procurando minhas chaves e meu celular, mas então me lembro que meu celular está na minha orelha então reviro os olhos.


- Você não tem jeito mesmo! - diz rindo. - Liguei pra saber se eu entendi bem o recado que você pediu para aquela enfermeira me dar... você aceita mesmo fazer o teste da hipnose?


- Sim!


- Pode ser que não dê certo... foi apenas um palpite meu.


- Eu faço de tudo para encontrá-la, não se esqueça disso! - anuncio já descendo as escadas e indo para a porta principal.


- Só estou dizendo para que você tenha em mente que pode não dar certo e não se frustrar se isso acontecer...


- Namjoon, vai dar certo, ok? Agora preciso ir. Muito obrigado por tudo!


- Imagina! Bom encontro!


Eu sei que vai dar certo, eu tenho a sensação que tudo ficará bem e que no final de tudo...


...eu finalmente vou te encontrar.




Notas Finais


ta aí outro capítulo gostoso de se escrever!

Bom, pessoal, tenho um presente pra quem tem spotify! Estou disponibilizando o link para a playlist da fanfic! Funcionará da seguinte forma: à cada capítulo, eu vou adicionando uma música lá para vocês ouvirem, algumas vão ser citadas na fanfic e outras não. Vocês podem ouvir a música quando quiserem, seja na hora em que a música for citada ( pra dar aquela engajada boa na história ) ou em um outro momento de sua preferência.

link dear alpha soundtrack: https://open.spotify.com/playlist/2pYV7uq8sjQcIgKq7e200Z?si=3bB0VyH8R0GIu51AxQx75w


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...