História Dear Babysitter - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Min Suga, Suga, Sugamin, Taehyung, Taekook, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 68
Palavras 4.056
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi alo

Capítulo 5 - Sobre gatos e amores não correspondidos


Fanfic / Fanfiction Dear Babysitter - Capítulo 5 - Sobre gatos e amores não correspondidos

MIN YOONGI

Sábado, 8:30AM

Quando Jimin perguntou se podia me abraçar na hora de dormir e eu aceitei, eu estava pensando que ele apenas colocaria um braço em volta de mim e dormiria tranquilamente.

Eu estava errado.

Acontece que eu mal consegui dormir a noite inteira porque não podia me mexer. É, eu tive a brilhante idéia de deitar de peito para cima – Posição na qual eu não consigo dormir – E Jimin achou que eu era um travesseiro e passou seu braço em cima de minha barriga e suas pernas por cima da minha durante a noite, sem contar que deitou a cabeça em meu peito. De fato, eu não sou um urso de dormir, ou um travesseiro, mas ele estava tão confortável. E eu estava totalmente o contrário, minha postura estava incrivelmente ereta, não conseguia mexer um músculo sequer.

Acho que estava com medo de acordá-lo. Ele parecia dormir bem, e tinha até uma aparência fofa quando dormia. Sua bochecha que estava amassada em meu peito o fazia ter um bico nos lábios, e os cabelos estavam todos bagunçados.

Ajeitei seus fios levemente com as mãos, logo cutucando sua bochecha.

- Yah.. Jimin.. Acorde. – Murmurei, cutucando sua bochecha repetidas vezes.

- Hm.. – Jimin apertou seus olhos, colocando sua mão na frente deles por causa da luz incômoda que entrava por uma fresta na janela.

- Já pode me soltar, agora.. – Soprei uma risada. Jimin parecia não saber onde estava e nem o que estava acontecendo.

- O que está fazendo aqui, Yoongi...? – Jimin sentou-se na cama, esfregando os dois olhos com as costas das mãos. Eu ri.

- Como assim?.. Você me pediu pra vir..

- Não.. Não pedi.. Minha mãe viu você entrar, por acaso?.. – Jimin estava completamente lento, e so me dava vontade de rir bem alto. Eu estava me segurando.

- Claro, eu até a cumprimentei.  – Decidi fazer um jogo com esse Jimin-Zumbi. Eu realmente queria rir dele.

- Whatta fuck.. – Jimin sussurrou para si mesmo, coçando os olhos e bocejando. Eu apenas continuei observando até quando ele se daria conta de que não estava em casa.

3.. 2..1..

- Aish! Yoongi! – Resmungou, agora notando onde ele estava. – Idiota, porque não me falou de uma vez que eu estava na sua casa?

- Foi divertido ver a sua cara de pateta. – Comentei, me levantando e dando risada da carranca que Jimin armou.

Ele saiu do meu quarto antes de mim, provavelmente indo para o quarto de SeungYoon. Concluí que era isso quando eu mesmo saí do quarto e o vi caminhando com meu irmão para o banheiro. SeungYoon enrolava demais para acordar, então estava praticamente pendurado em Jimin, murmurando que estava com frio, e Jimin o respondendo que havia água quente para que ele não o sentisse.

Fui para o andar de baixo, usar o banheiro de lá para lavar meu rosto, escovaria os dentes depois, já que a comida sempre fica com gosto ruim se comermos depois de fazê-lo. E de qualquer forma, eu teria que escovar os dentes de novo após comer.

Caminhei até a cozinha, pegando uma fruta que não precisasse de muita artimanha para ser consumida – Exemplo: Laranja ou tangerina. Elas espalham suco para todo lado, e como eu gosto de comer no sofá, não seria boa idéia sujá-lo. – e me joguei no sofá, ligando a Tv em algum canal aleatório que estava passando desenho animado.

Eu não estava prestando atenção na televisão, já que estava usando o celular. Mas ligá-lá enquanto não havia ninguém para conversar era um modo de não me sentir sozinho. Mesmo que se tivesse alguém para conversar eu continuaria no celular.

Não estava conversando com ninguém, apenas olhando as redes sociais, já que a maioria das pessoas estaria dormindo às oito horas da manhã de sábado. Eu nunca acordo cedo nem mesmo em dias de semana, e mesmo com o horário da escola, eu só levanto se meu pai me acordar. Na verdade, ninguém nesta casa costuma acordar cedo aos sábados, eu nem sei por que estamos todos acordados.  Talvez seja por causa de Jimin.

Ultimamente muita coisa tem acontecido por causa dele.

E falando nele, acaba de descer as escadas junto com SeungYoon. Seus cabelos estavam bagunçados, e sua roupa meio respingada. – Deve ser reflexo de dar banho no meu irmão.

- Bom dia, Hyung. – SeungYoon veio até mim, se aconchegando ao meu lado no sofá. Ele estava vestindo um conjunto de moletom vermelho, seus cabelos estavam molhados e ele cheirava á lavanda e algodão. Perfumes de criança dão vontade de tomar.

- Bom dia, SeungYoon-ah. Bom dia, Jimin. – Olhei para o garoto, parado no pé da escada enquanto esfregava seus olhos. – Ainda está com sono?

- Sim.. Mas preciso ficar acordado para olhar SeungYoon, já que você tem que ir para o curso.. – Bocejou, caminhando para a cozinha e começando a fazer alguma coisa que não pude ver, pois estava atrás do balcão.

- Estou indo tomar banho para ir ao curso. SeungYoon, fique quieto aí. – Levantei e subi as escadas, de volta para o banheiro no final do corredor depois de pegar minha toalha no meu quarto. Tomei banho rápidamente, sem molhar o cabelo, pois já estava desbotando e eu não estava afim de retocar.

Voltei para o meu quarto e troquei de roupa, vestindo rapidamente uma roupa íntima, qualquer bermuda jeans e um moletom de mangas longas cinza. Pensei em procurar meus chinelos, mas estavam no andar de baixo, então apenas liguei meu computador e me sentei na cadeira estofada.

Pluguei meus fones e abri o navegador, assistindo alguns vídeos aleatórios até a hora do curso. Senti minha porta sendo aberta e me virei, Jimin estava lá,ele estava falando algo mas não pude ouvir devido ao fone, e no mesmo instante notei que ele estava começando a brigar comigo. Tirei os fones para poder ouvi-lo.

- O que você ainda está fazendo aqui?! E porque ainda está com essas roupas?! Cadê sua mochila? Rápido, se apresse, vá se arrumar. Você vai se atrasar. – Ele falava rapidamente e gesticulava com as mãos enquanto eu permanecia o encarando com cara de paisagem.

- Você tá parecendo a minha mãe. – Resmunguei, o encarando sem expressão.

- Yoongi, eu pago até uber pra você ir se foder, mas pelo amor de deus, anda logo, você vai se atrasar. – Jimin agora estava com as mãos na cintura, e só agora eu notei que ele segurava uma marmita nas mãos.

- Ei, Jimin. O que é isso? – Perguntei, apontando a vasilha em suas mãos e no mesmo instante Jimin corou, encarando seus pés.

- Eu fiz o seu lanche. – Ele disse tão baixo que se não estivéssemos só nós dois eu não conseguiria ouvir. Sorri com aquilo.

- Você está mesmo parecendo a minha mãe.  Eu não preciso de lanche, não sou mais criança, Jimin.

- Então você não vai comer? – Levantou a cabeça para me encarar com aquela cara de ‘’Eu demorei muito para fazer isso.’’

- Certo, deixe aí. Eu vou comer quando sentir fome. Ok? Deixe aqui. – Apontei para a parte em que havia espaço na minha mesa. Jimin repousou a vasilha ali, juntamente com um hashi de metal.

- Você não vai ir se arrumar? Já disse, vai se atrasar.

- Não preciso, o curso é Online. – Voltei a  prestar atenção no computador, abrindo o site da escola onde disponibilizava o curso online.

- Sério? Min Yoongi? – Jimin estava indignado. – Eu acordei cedo, cortei meu dedinho pra fazer essa comida aí, pra você me dizer que vai ficar em casa? – Sua carranca havia dobrado de tamanho.

- Sim, eu me esqueci de mencionar que o curso era onli- Você cortou seu dedo? – Perguntei, o chamando para perto com um sinal de mão.

- Sim, mas não foi nada demais. – Jimin se aproximou um pouco, levantando seu dedo mindinho e mostrando para mim. Ainda estava vermelho.

- Ah, espera aí. – Me levantei, indo até minha penteadeira, pegando um band-aid ali e aproveitando para colocar meus óculos. Voltei até ele, pedindo que me mostrasse seu dedo ferido outra vez.

- Não precisa disso, nem foi forte, só sangrou um pouco.

- Cala a boca, criança. – Reclamei, enquanto ajeitava o curativo em seu dedo. Dei risada de como sua mão era pequena sob a minha. Era fofo. – Sua mão é muito pequena. – Comentei, assim que terminei de colocar o band-aid.

- Sim, ela é. Mas não significa que ela não tem forças pra dar na sua cara. Eu ainda estou bravo.

- Ah, me desculpe. Eu vou comer tudo, não se preocupe. – Dei risada, Jimin ainda estava com cara de bravo.

- Ah, eu vou ter que sair. Então eu posso deixar o SeungYoon com você?

- Não.

- Por quê?

- Porque você está aqui pra cuidar dele.

- Mas ele é seu irmão!

- Eu estou estudando agora.

- Você só precisa cuidar para que ele não se machuque! Ele pode ficar assistindo TV, eu sei que ele vai se comportar.

- Aonde você vai?

- Preciso ir à minha casa pôr comida pro meu gato. – Explicou-se.

- Desde quando você tem um gato?

- Faz quase um ano.

- E como eu não sabia? – Elevei uma sobrancelha.

- Desde quando isso te importa?

- Eu não acredito. Você deve estar mentindo para poder fugir do trabalho.

- Eu não estou mentindo, realmente tenho um gato!

- Então qual o nome dele?

- Marshmallow.

- Porque esse nome?

- Porque eu gosto muito de How i meet your mother.

- E o que marshmallow tem haver com a minha mãe?

- Não, seu idiota, How i meet your mother, a série.

- Ah, sim.. Mas ainda não acredito. Eu preciso ver uma foto sua com o seu gato. – Provoquei mais, Jimin estava vermelho. Provavelmente muito irritado.

- Espera. – Foi até minha cama, que ainda estava bagunçada, e procurou por seu – de sua mãe – celular debaixo do travesseiro. – Espera. – Disse mais uma vez, provavelmente procurando a foto.

- Tô esperando. – Resmunguei.

- Aqui, senhor Min Yoongi. – Falou com um sorriso forçado. – Eu e meu gato. – Mostrou a foto, era realmente fofa. Jimin dormia com o gato, branco e marrom, não consegui distinguir bem aquela cor. Concordei com a cabeça, Jimin guardou o celular.

- Posso ir, então? – Perguntou depois de um minuto de silêncio.

- Não.

- Yoongi!! – Reclamou, batendo o pé e bufando.

- Porque a sua mãe não põe comida para ele?

- Minha mãe tem alergia á gatos, ela não pode nem mesmo chegar perto deles. E ela trabalha muito, não tem tempo pra por comida pra ele.

- Pode ir, então. – Coloquei os fones outra vez.

- E quanto á SeungYoon? – Perguntou ainda descrente.

- Diga a ele para vir assistir na TV do meu quarto.

- Mas não vai atrapalhar seus estudos?

- Você quer ir ou não?

- Certo, estou indo.

E saiu.

 

 

 

 

 

 

PARK JIMIN, 9:30AM, Sábado.

Depois de conseguir convencer o Yoongi a me deixar sair, tomei um devido banho e troquei de roupas, coloquei  SeungYoon no quarto dele, e o alertei para que não fizesse mais barulho do que a Tv, logo depois saí.

Minha casa é longe da de Yoongi umas sete quadras, mas a do Taehyung é bem ali na esquina, então resolvi passar lá e pegar a bike dele emprestada. Corri um pouquinho até chegar.

Toquei  a campainha umas três vezes, até Taehyung abrir a porta. Ele estava todo bagunçado, com a cara amassada, e não vestia camisa. Devia estar dormindo.

- Bom dia, TaeTae. Tava dormindo? – Sorri gentilmente, Taehyung continuava me olhando com uma cara de paisagem. Esfregou os olhos, parecendo voltar para o seu ser.

- Oi Jimin.. JIMIN! – Exclamou, assim que acordou de verdade. – Onde você tava que eu fui à sua casa e não tinha ninguém? – Perguntou, se jogando no sofá.

- Ah, eu não te avisei? Desculpa. Dormi na casa do Yoongi.

- Mas já estão assim? – Taehyung deu um sorriso malicioso.

- Não, idiota. Os pais dele viajaram.

- Melhor ainda, ai como você é burro, Jimin. – Bufou.

- Já disse que não estou interessado nele, Taehyung. Deixa de ser assim. Eu só trabalho lá.

- Nem um pouco?

- Nem um pouco. – Suspirei.

- O que você veio fazer aqui? – Perguntou, indo para a cozinha, fui atrás dele.

- Vim pegar sua bike pra eu poder ir dar comida ao Marshmallow. – Expliquei.

- Ah, não vai dar. – Comentou, olhando para mim enquanto bebia água.

- Aish, por quê?

- Tenho que ir no mercado. Essa casa ta pobre de comida de verdade, só tem bobagem.

- Não me demoro, falou.

Dito isso, peguei a bike do Taehyung e rumei para a minha casa. Estava vazia e silenciosa, como de costume. Exceto por Marshmallow deitado no sofá. Minha mãe já havia saído para o trabalho, sim, ela trabalha nos fins de semana também, já que esse trabalho novo paga menos que o antigo e ela precisa de dinheiro pra sustentar essa casa.

Chamei o gatinho, que veio até mim, passando pelo meio de minhas pernas. Fiz carinho em sua cabeça e fui até a cozinha, enchendo sua vasilha com ração outra vez, e deixando a vasilha ao lado cheia de água.

Esperei que acabasse de comer e me sentei no chão, pegando o felino e o colocando em cima de minhas pernas, acariciando seu pelo macio. Chequei as horas no celular, e vi que tinha demorado pouco mais de vinte minutos desde que saí da casa de Yoongi. Decidi voltar para a casa do Taehyung e jogar um tempo fora lá, já que não tem nada pra fazer na casa do Yoongi além de brincar com SeungYoon. E aquelas orelhas de gato sempre fazem minha cabeça doer.

Tranquei minha casa depois de me despedir do meu gato e voltei para a casa do Taehyung. Dando várias pedaladas rápidas, já que o meu amigo só sabe andar com a marcha leve, o regulador é muito apertado e eu não consigo mudar.

- TaeTae, estou de volta. – Falei alto, para que ele me ouvisse. Depois de deixar a bicicleta na frente da casa e entrar.

- Que bom que veio rápido. Eu estou bonito? – Taehyung apareceu na escada, com suas roupas frouxas costumeiras.

- Não tem nada de novo no seu look de mendigo suave. E você só vai no mercado, não tem pra quê ou quem se arrumar. Seu encalhado. – Dei de ombros, me jogando no sofá.

-Ah, ta. Falou o filho da Afrodite que pega todo mundo e não está há uns bons anos querendo namorar o Jeongguk  porém na friendzone. – Debochou, se jogando ao meu lado no sofá. Fiquei calado, porque era verdade.

- Tá.  – Assenti com a cabeça. – Tenho que ir agora, você tem que ir no mercado.

Taehyung concordou, eu sabia que essa ida dele ao mercado querendo se arrumar todo tinha alguma coisa. Deve estar apaixonado pelo caixa.

Voltei caminhando para a casa de Yoongi e subi direto para o quarto dele, olhar SeungYoon. Ele estava dormindo outra vez, e Yoongi também estava. Ambos dormindo de forma despreocupada. Os dois dormiam na mesma posição, era até fofo de se ver.

Me aproximei da cama até conseguir pegar o corpo mole de SeungYoon e ajeitá-lo sob meu colo, o levando de volta para o seu quarto. Deitei o pequeno na sua cama e voltei para o quarto de Yoongi, pegando a bagunça de xícaras que estavam ali, as levei de volta para a cozinha. Enquanto as lavava, Yoongi brotou atrás de mim, me dando um susto. Reclamei.

- Você me assustou, avise quando estiver se aproximando. Não aja como uma cobra. – Ri.

- Porque você demorou tanto? – Sua voz estava rouca de sono, o que me causou um leve arrepio. Não sei ao certo o porquê.

- Eu não demorei nem uma hora. – Me virei para ele depois de colocar as xícaras para secar.

- Não se demora nem mesmo vinte minutos só pra colocar comida pra um gato. – Reclamou.

- Minha casa é longe. – Expliquei como se fosse óbvio.

- Okay.. O que a gente vai almoçar? – Sentou-se em um dos bancos do balcão.

- Não sei, quer fazer um miojo daqueles ali? – Apontei as vasilhas de lámen de vários sabores em cima do balcão.

- São apimentados demais para SeungYoon comer. – Explicou. – Não podemos.

- Eu faço outra coisa para ele, coloque água em dois daqueles e quando ficarem prontos me avise, eu vou fazer alguma coisa para o SeungYoon comer.

 

Depois de fazer arroz, purê de batatas e frango, acordei SeungYoon para que ele viesse comer. Yoongi já havia começado a comer seu miojo, mas eu ainda não podia. Estava dando comida para o pequeno, já que ele ainda não conseguia comer bem sozinho.

- Jimin, coma logo. – Yoongi balbuciou, com a boca cheia de macarrão.

- Não posso, SeungYoonie ainda não comeu tudo.

- Seu macarrão vai ficar inchado. – Avisou-me.

- Que seja.. Já estou acabando aqui. – SeungYoon não queria mais, então o tirei da cadeira alta e pedi para que ele fosse lavar suas mãos e escovar os dentes. Ou para que pelo menos tentasse escová-los sozinho.

Quando me virei para pegar meu macarrão, Yoongi tirou a vasilha da mesa, a jogando na lixeira.

- Ei, minha comida! – Reclamei alto. – O que você pensa que est-

- Estava frio e o macarrão estava inchado. Vou fazer outro para você. – Yoongi estava colocando água dentro de outra vasilha de macarrão, e logo depois a colocando no micro-ondas. Cobri meus ouvidos e fechei meus olhos. – O que foi?

- Eu tenho medo desse treco. – Apontei com o queixo para o eletrodoméstico.

Yoongi riu alto.

- Medo? Do micro-ondas? Por quê? – Ainda estava rindo.

- Ele parece que vai explodir a qualquer momento. – Dei graças á deus quando o negócio parou de apitar.

- Parece, mas ele não vai. – Yoongi colocou o macarrão já aberto e temperado na minha frente. – Se apresse e coma.

- Obrigado, hyung. – Peguei meu hashi, pronto para comer.

- O que você disse?

- Obrigado.

- Não, depois do obrigado.

- Hyung.

- Finalmente alguém reconheceu meu posto aqui. – Ergueu seu queixo.

- Só porque você está sendo legal comigo, não se acostume.

 

 

Depois de comer e limpar a cozinha, fomos todos para a sala, e eu comecei a brincar com SeungYoon no chão, enquanto Yoongi assistia a TV, não sei se ele estava nos olhando ou não.

Eu estava deitado no tapete, com as pernas levantadas, segurando a barriga de SeungYoon com os pés, e suas mãos com as minhas, brincando de avião.

- Waah, Yoonie, você está voando alto! – O pequeno dava gargalhadas fofas, que me faziam rir também. Abri meus pés e deixei que o corpo pequeno de SeungYoon caísse sob meu peito, mas não literalmente cair, eu o segurei com minhas mãos, não foi um baque, só um pouso. – SeungYoon-ah, poppo*. – Pedi, e o menor deu um beijinho na ponta de meu nariz. – Wow, você me beijou! – Brinquei, fazendo cócegas no pequeno Min.

- Jimin Appa, você é o melhor. – Falou a voz fofinha.

-Não, não. – Dei risada. – Eu não sou seu Appa, sou seu Hyung. Repita: Jimin Hyung. – O ensinei, esperando que ele repetisse.

- Eu não gosto. – Fez uma careta.

- Do que você não gosta?

- Jimin Hyung.

- Você não gosta de mim? – Dei uma risada sofrida.

- Não, eu gosto do Jimin Appa, não do Jimin Hyung. – Explicou-se.

- Ah sim.. Mas eu não sou seu pai, sinto muito. O seu pai está viajando agora, e eu não acho que ele ia ficar feliz se você chamasse outra pessoa de Appa, entende? – Me sentei no tapete felpudo, com as pernas em forma de borboleta e puxei SeungYoon para se sentar no meio delas, junto com um mini trem de brinquedo que ele tinha nas mãos.

- Entendi. Mas eu gosto muuuito de Jimin Appa. – Deu ênfase no muito.

- Aish, você é muito difícil. – Dei risada, brincando com o cabelo alheio. – OK, você pode me chamar de Appa, mas só até o seu pai voltar se não ele briga comigo.

- Entendido, Jimin Appa.

- Agora faça algo bonitinho para mim.

- Ok. – O pequeno se levantou, colocando as duas mãos ao lado de sua bochecha, em forma de flor.

- Aigoo, você é uma flor? – Sorri. – Aigoo, tão fofinho. – SeungYoon correu até mim, me abraçando, e assim fazendo eu cair deitado no chão outra vez. – Ei, Yoonie, você sabe dançar?

- Dançar? Não.. Você sabe?

- Eu sei um pouco, Quer que eu te ensine? – Fiquei de pé, e o pequeno fez o mesmo. – Veja, repita tudo que eu fizer. Ok? – Comecei a cantar e dançar a música. – Ring Ding Dong, Ring Ding Dong, Ring Din, Ring Din Din. – Olhei para SeungYoon, que imitava meus passos de forma desajeitada e fofa, o peguei no colo, girando-o no ar. – Isso mesmo, uau, você é bom! – Ri, o colocando de volta no chão.

- Yoongi hyung, você não quer dançar com a gente? – O pequeno perguntou para o esverdeado no sofá.

- Eu não sei dançar, Seungyoon-ah. Vocês podiam apenas se sentar aqui e assistir desenhos comigo. – Apontou para a Tv, onde passava o desenho do Pororo.

- Pororo! – SeungYoon se animou, correndo para o sofá e se sentando ao lado esquerdo de Yoongi. Prontamente, me sentei também, ao lado direito, deitando minha cabeça no encosto do sofá e fechando os olhos. Eu estava com sono.

Meu corpo tremeu um pouquinho quando vi a mão de Yoongi repousando em minha coxa. Ele não parecia tê-la colocado ali de propósito já que a mão dele nem se mexia e ele estava realmente concentrado na TV. – Apesar de estar passando Pororo. Ele até dava risadas do desenho.

Me assustei um pouco quando meu – da minha mãe – celular tocou, e levantei as pressas para tirá-lo do bolso e atender. Yoongi se assustou um pouco.

- Hm.. Alô? Kookie-ah? – Sorri um pouco, ouvindo a voz do outro lado da linha.

- Eu vi você entrando na sua casa mais cedo e saindo rapidamente. Aconteceu alguma coisa? Você nunca acorda cedo.

- Ah.. Você estava... Observando a minha casa? – Dei uma leve risada.

- Não, eu por acaso estava saindo quando vi você entrar. Estava indo buscar Naeun na aula de dança.

- Claro, Kookie-ah. É ótimo que você se preocupe com a sua namorada e vá buscá-la depois do treino de dança dela, que fica a dois bairros daqui sendo que a casa dela não é nem uma quadra longe da academia. Mas eu só fui á minha casa alimentar meu gato e voltei para o trabalho. Não precisa se incomodar comigo.  – Suspirei, ouvindo apenas silêncio do outro lado. – Estou desligando, não se esqueça de comer bem, tchau.

Desliguei, enfiando o celular no bolso e voltando a me sentar do lado de Yoongi, suspirei chateado.  Comecei a prestar atenção em Yoongi antes de olhar para a Tv, Ele apenas me encarou e fez uma careta imitando uma vozinha irritante e dizendo ‘’Kookie-yah’’. Revirei os olhos.

- Aish, Yoongi. Me deixa viver em paz. – Encarei a Tv, onde passava o desenho animado.

- Eu deixo, ué. Só não acho que você precise viver em função de uma pessoa que não está nem aí pra você. – Deu risada, em escárnio. – Você fica estressado comigo o tempo inteiro, mas quando esse cara liga seu tom muda na mesma hora. Jimin, você não precisa se machucar por alguém que não olha pra você e continuar agindo como se tudo estivesse bem quando fala com ele.

- Você não tem que se meter nisso, é só um amor não correspondido.

- Amores unilaterais têm prazo de validade.

- E o que você sabe sobre eles pra me dar algum conselho, hm?

- Estou vivendo um.

- Ele também tem um prazo?

- Não acho que eu consiga me livrar dele tão fácil.

- Por quê?

- Mesmo que esteja distante, minha meta é fazer a pessoa que eu amo me amar também, e eu não gosto de desistir fácil.

- Essa é uma pessoa de sorte, mesmo que não veja seu amor, você ainda não desistiu dela. Quem sabe essa pessoa perceba, hyung, ela vai ver que você é uma boa pessoa.  No meu caso, já fazem anos e a minha pessoa não percebe. Eu deveria desistir?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


COMENTA AI VAMO CONVERSA PF NUNCA TE PEDI NADA

*poppo é beijinho


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...