História Dear Best Friend - 2 Temporada - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bissexualidade, Drama, Homossexualidade, Lgbt, Yaoi, Yuri
Visualizações 84
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey bolinhos, turu bom?

Acharam que eu não ia postar, né? Mas aqui estou eu, para a felicidade de vocês.

Já aviso que se tiver erro eu dou um jeito de arrumar depois, okay?

Capítulo 3 - Cap. 3


Fanfic / Fanfiction Dear Best Friend - 2 Temporada - Capítulo 3 - Cap. 3

POV. Annie ON

  O quarto estava praticamente pegando fogo e eu não sabia em que momento o aquecimento global resolveu se instalar aqui dentro.

  Os lábios de minha namorada apossaram-se de meu pescoço, deixando beijos, chupões e mordidas pelo local, enquanto minha única preocupação era conseguir me livrar de sua camiseta.

  Alguns minutos se passaram e finalmente estávamos livres dos panos que antes cobriam nossos corpos.

  - Pensei que íamos fazer amor – digo divertida ao vê-la ir direto para seu objetivo.

  - Você me ama? – pergunta em meio a trilha de beijos que faz em minha barriga.

  - É claro que eu te amo – respondo convicta, sentindo-a sorrir contra a minha pele.

  - Eu também te amo – diz deixando uma leve mordida na parte interna da minha coxa – sendo assim, independente de como fizermos, estaremos fazendo amor – conclui e é a minha vez de sorrir.

  Sinto sua respiração bater contra meu centro encharcado e mordo o lábio anciosa pelo que está por vir, mas antes que Bea possa fazer alguma coisa, escutamos a porta do quarto sendo arranhada e olhamos para ela de súbito assustadas, ouvindo o choro de Snow soar do outro lado. Só então percebemos que o mundo parecia estar caindo lá fora.

  Beatrice bufa irritada e murmura uma reclamação antes de se levantar e procurar sua cueca pelo quarto. Imito sua ação e me visto, já sabendo que não continuaríamos aquilo hoje.

  Abro a porta e a pequena bola de pelos entra correndo e pula na cama, aconchegando-se em meio aos lençóis. Suspiro um pouco chateada e torno a fechar a porta antes de voltar para a cama. Beatrice sai do banheiro alguns minutos depois, bufando enquanto tenta enxugar as mãos na camiseta.

(...)

  Estou quase pronta para ir ao trabalho, falta apenas meu par de scarpins pretos, os quais por sinal não estou achando. Que estranho, eu tinha certeza de que o havia deixado no closet.

  - Amor – chamo e Beatrice logo coloca a sua cabeça para dentro do quarto, fazendo um som nasal para que eu prossiga – sabe onde estão meus scarpins pretos? – pergunto vendo-a fazer uma cara esquisita – o que foi?

  - Primeiro respira fundo – ela diz entrando no quarto – eu não vou dizer que vi o Snow arrastando uma coisa preta lá pra baixo a quinze minutos e que aquilo possivelmente eram seus sapatos.

  Respiro fundo tentando conter a raiva que cresce dentro de mim. Elimino o ar de meus pulmões e sorrio enquanto passo por ela e saio atrás do  bendito filhote, encontro-o roendo meus lindos scarpins e prendo a respiração para não gritar. Meus lindos e indefesos scarpins novos estavam arruinados graças ao belo filhote de chou chou e eu estava chorando por dentro. Aqueles scarpins haviam me custado uma fortuna e agora – uma semana depois que os comprei – não passavam de lixo.

  - Desculpa, prometo que compro outro idêntico pra você – minha namorada fala e eu apenas nego com a cabeça.

  - Não precisa – me viro para ela sorrindo e volto para o quarto.

  Se eu estou com raiva? É óbvio que sim, aqueles eram meus sapatos favoritos!

  Vou apenas ignorar que meus bebeês não tinham nem uma semana de uso e foram cruelmente dilacerados sem que ninguém pudesse salvá-los, e terminar de me arrumar antes que me atrase para ir ao trabalho.

  - Você está mesmo de boa com isso? – Bea pergunta assim que volto à cozinha.

  - Estou – coloco minha bolsa sobre o balcão e vou até a cafeteira para pegar uma xícara de café – eram só sapatos, não é? – rio enchendo a xícara.

  - Tem certeza? Eu posso comprar outro par pra você ainda hoje – ela diz se sentando no balcão.

  - Não precisa – digo após beber um generoso gole do líquido presente no recipiente em minhas mãos e me ponho entre suas pernas – eu realmente não quero – lhe dou um selinho e volto a beber meu café enquanto me distancio de seu corpo.

  A mulher me encara desconfiada e eu apenas sorrio enquanto checho se os papéis estão em minha bolsa, felizmente Snow não os procurou ali para destruir. Coloco meu celular dentro da bolsa e a fecho, para em seguida deixar minha xícara – já vazia – na pia.

  - Eu já vou indo – aviso indo em direção à porta.

  Assim que encosto na maçaneta, sindo uma mão em minha cintura. Sorrio e me viro para ela que me encara com a sobrancelha arqueada.

  - Indo sem se despedir? – questiona me fazendo morder meu lábio inferior.

  - Claro que não, amor – ela sorri e sela nossos lábios.

  Sinto minhas costas serem pressionadas à madeira da porta a medida que ela intensifica o beijo. Nossos corpos ficam cada vez mais colados e minhas unhas já maltratam sua nuca, como de costume. Suas mãos apertam minha cintura enquanto uma de suas pernas é posta entre as minhas, pressionando meu centro de prazer e me fazendo gemer em sua boca. Mordo seu lábio obrigando-a a encerrar o beijo.

  Ambas estamos ofegantes devido à intensidade do ato. Respiro fundo tentando me conter para não arrastá-la até nosso quarto e obrigá-la a me foder até amanhã.

  - Eu preciso ir – digo e ela balança a cabeça em concordância, afastando seu corpo do meu.

  Ajeito meus cabelos e minha blusa, antes de deixar um selinho em seus lábios e sair do apartamento.

POV. Beatrice ON

  Não fazia nem quinze minutos desde que Ann havia deixado o apartamento e já havia alguém batendo na porta. Achei que minha namorada tivesse esquecido alguma coisa, mas quando abri a porta não era ela que estava lá.

- O que você está fazendo aqui? – questiono ao me deparar com aquele rosto tão conhecido por mim.

- Ai que falta de educação – a mulher fala me fazendo revirar os olhos – Até parece que não estava sentindo minha falta.

- Você não perde o costume mesmo, não é? – ela sorri para mim e dá de ombros – entra logo – digo dando espaço para que ela entre – pelo amor de Deus Ali, o que tú fez no teu cabelo? – pergunto assim que sentamos no sofá.

- Viu só que legal? Arranquei tudo e colei outro no lugar – reviro os olhos enquanto a mulher gargalha – não tá vendo que eu platinei sua anta? E até que gostei do resultado - disse enrolando uma mecha no dedo.

- Vai se foder. Onde está sua noiva afinal? - questiono dando pela falta de Agatha e vendo-a abrir um sorriso radiante.

- Está na faculdade. Ela tinha prova hoje – explica se acomodando melhor em sua poltrona.

Quem a vê assim toda sorridente, nem imagina que quase morreu pra pedir a outra em casamento...

Rio de meus próprios pensamentos e inicio uma conversa sobre um tema aleatório, antes de Snow aparecer com sua bolinha amarela entre os dentes e roubar toda a atenção da minha prima para ele.


Notas Finais


Peço desculpas à quem estava esperando um hot neste cap, mas eu não podia perder a oportunidade de fazer o Snow atrapalhar logo de cara, já que é como se ele fosse o bebê delas.

Não me matem por favor, eu juro que não vou demorar pra trazer o hot que vocês tanto querem, okay?

Comentem aí porque é importante pra eu saber se vocês estão gostando ou não, tá?

Bjs da tia panda.

😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...