História Dear best friend - Capítulo 84


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Tags Escolar, Originais
Visualizações 82
Palavras 1.875
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hello bolinhos, turu bom com vocês?

Primeiramente eu queria me desculpar por não ter postado nada na terça, porque dessa vez foi de propósito mesmo 😅.

Segundamente (eu acho que essa palavra não existe, mas foda-se), eu queria avisar q agr vou postar só nas quintas. Por que? Porque eu quero passar de ano 😂 (rindo de nervoso).

Me perdoem, okay? É que está sendo quase impossível focar nos meus estudos e ainda assim, escrever alguma coisa que preste. Pra vocês terem uma ideia, eu teria que tirar 12 em filosofia nesse bimestre pra passar na matéria, o que todos sabemos que é impossível. Graças ao bom Jesus, no final do ano eu posso recuperar as notas de todas as matérias que eu fiquei com vermelho.

Eu realmente relaxei nesse ano e meu boletim dos 2 primeiros bimestres parece uma hemorragia, então eu vou me dedicar mais aos meus estudos, até porque falta praticamente um ano pra mim me livrar da escola e eu sinceramente não quero passar mais 2 naquele inferno.

Espero que me entendam...

Se quiserem conversar comigo, me chamem aí e eu passo meu whats pra vocês, okay? Se não quiserem, tudo bem... Eu nem vou chorar, tá?

Conversem comigo, eu sou legal.

Agora vamos logo pro capítulo. Me desculpem se tiver algum erro...

Capítulo 84 - Eu te odeio


POV Annie ON

- Eu ainda não acredito que tu fez isso - Lea disse e eu revirei os olhos por já ser a quarta ou quinta vez que ela fala a mesma coisa.

- E qual o problema? Dei mesmo, dei muito e se reclamar, dou de novo - falei causando uma gargalhada nela.

- Espera - parou por um instante e me olhou com os olhos arregalados - mas e o Jones?

- Olha, não me leve a mal. Ele é bonitinho e educado, mas não faz o meu tipo - falei dando de ombros.

- Por que não termina com ele então? - arqueou a sobrancelha, me fazendo soltar um longo suspiro.

- É complicado - volto a andar, não querendo dar muitos detalhes. Não que eu não confie nela, mas isso é algo da vida pessoal dele, eu é que não vou sair por aí contando pra todo mundo.

Entramos na sala de aula e nos sentamos nas últimas cadeiras. A aula de biologia com o Sr. Huskins era sempre um tédio, tanto que eu me esforçava ao máximo pra não dormir. Bea e Fred entraram alguns minutos depois e se sentaram nas carteiras próximas à minha e à de Lea.

(...)

Eu estava quase dormindo, minhas pálpebras pareciam pesar uma tonelada e cada piscada que eu dava era um sonho diferente (tudo bem, talvez eu esteja exagerando mesmo). Quando finalmente comecei a cogitar a ideia de me debruçar sobre a carteira e dormir, Beatrice se vira e coloca uma folha de papel perfeitamente dobrada em cima do meu caderno. A encaro com a sobrancelha arqueada e ela indica o papel com a cabeça, antes de se virar para a frente.

Pego a folha e a desdobro, tomando o máximo de cuidado pra não fazer barulho.

"Tem planos pra hoje depois da escola?", era o que tinha escrito no papel em letra bastão. Sorri negando com a cabeça e tratei de pegar uma caneta para respondê-la.

"Infelizmente sim, mas a noite estarei livre pra ser toda sua", escrevi e dobrei o papel novamente, antes de passá-lo para ela, de forma disfarçada. Vi a garota desdobrar a folha e soltar um pequeno riso nasal, antes de pegar sua caneta, escrever algo e me passar o papel novamente.

"Estava pensando em fazer drama por você não ter a tarde livre, mas desisti quando li o 'a noite serei toda sua'. E já que é assim, esteja pronta às 19:00. Vou passar na sua casa pra te buscar e nós vamos à algum lugar especial.

Ps: Nada de motel e nada de sexo, não se preocupe."

Soltei um pequeno riso ao ler o que ela havia escrito e lhe mandei minha resposta:" Que pena, já estava até pensando na minha escolha de langerie pra nossa noite. Onde vamos?", lhe devolvi a folha.

- Está com algum problema, senhorita Morgado? - o professor perguntou assim que ela se virou pra pegar o papel da minha mão. Bea o escondeu no bolso da calça e se ajeitou na cadeira.

- Além de eu não entender uma palavra sequer do que você diz e passar a aula inteira morrendo de sono por ter que ficar escutando essa sua voz chata? - perguntou sarcástica - não senhor, nenhum problema - o homem bufou irritado e voltou sua atenção para o quadro, explicando o que havia escrito ali.

Alguns segundos depois, Bea me passou o papel novamente. "Preto. Eu gosto e faz um contraste legal com a sua pele, além de é claro, te deixar mais gostosa do que já é. Onde vamos? Boa pergunta... Já ouviu falar na palavra SURPRESA?", revirei os olhos ao ler aquilo. Ela sabe que eu detesto ficar curiosa e mesmo assim, faz isso. Amasso a folha de papel e acerto a bolinha em sua cabeça, escutando seu riso abafado.

POV. Beatrice ON

Ela estava brava, ou melhor, furiosa. Sei o quanto Annie detesta ficar curiosa sobre algo, mas quem disse que eu me importo?

A aula de biologia seguiu com base em um monte de baboseiras, nas quais eu nem me dei ao trabalho de prestar um centésimo da minha preciosa atenção. Eu estava mais intereasada em pensar num lugar pra levar a Ann. Não que seja extremamente difícil pensar em algo, mas a questão, é que eu realmente quero que seja especial, tipo algo que ela se lembre, mesmo se por obra do destino, a gente se separar de novo. Não que estejamos juntas novamente, mas... Ah, acho que vocês entenderam pelo menos dez por cento do que eu falei, não é?

- Alô? Terra chamando Beatrice, será que dá pra voltar de saturno? - Alan perguntou balançando a mão em frente ao meu rosto.

- O que foi?

- O sinal já tocou e você continua aí, caçando moscas no teto - ele revirou os olhos - no que tanto pensa?

- Nada muito importante - dei de ombros pegando minha mochila - quando vamos falar com seu pai?

- Hoje a tarde - disse convicto.

- Ótimo - sorri feliz por ele. Já estava mais do que na hora desse magrelo enfrentar meu tio - se a Annie perguntar, diga que estou na sala de música - avisei antes de iniciar meu caminho até lá.

(...)

Annie não me procurou no intervalo e nem durante as duas últimas aulas. O resultado disso, foi eu "viajando" na aula de física por simplismente não entender nada.

- Beatrice, está conseguindo acompanhar? - a professora perguntou. Ela é um amor de pessoa e sempre me pergunta se eu entendo ou não a matéria.

- Claro que estou entendendo, senhorita Adams - menti não querendo que ela recomeçasse a aula inteira, porque eu não iria entender nada do mesmo jeito.

Foquei meus olhos no quadro, apenas pra fingir que estava entendendo algo, enquanto na verdade meus pensamentos estavam flutuando por aí. Eu tinha apenas duas perguntas em mente.

Quando foi mesmo que Annie começou a matar aulas por livre e espontânea vontade? E onde foi que eu coloquei meus fones de ouvido?

- A data da feira de ciências já está marcada, então vocês podem me entregar o relatório das experiências na semana que vem, okay? - foi a única coisa que escutei a professora dizer.

Ótimo, agora brotou uma feira de ciências que eu nem sabia que iria ter. Não sei nem que experiência vou fazer e também não sei escrever relatórios. Vou me ferrar bonito pra fazer esse trabalho.

O sinal tocou e eu juntei minhas coisas pra sair da sala. Ainda estava achando estranho o fato de Annie não ter aparecido, mas fazer o que? Ela já é bem graninha e não precisa de alguém que cuide da vida dela.

- Cadê a Annie? - Lea brotou ao meu lado, me perguntando como se eu tivesse a obrigação de saber onde a garota estava.

- O que te faz pensar que eu sei onde ela está? - arqueei a sobrancelha e ela deu de ombros.

- Pensei que soubesse, por que vocês estão... Bem íntimas né? - disse num tom malicioso e eu não pude evitar de rir.

- Se estão procurando a Annie, eu vi ela indo pro treino de futebol depois do intervalo - Fred falou se aproximando e eu revirei os olhos internamente.

- Uh, melhor eu falar com ela depois então - Lea disse com o olhar cravado em meu rosto - vejo vocês amanhã - acenou enquanto saía.

- O que aconteceu? - o garoto já mandou a pergunta na lata.

- Do que você está falando?

- É que a Annie estava esquisita quando trombei com ela pelos corredores - explicou.

- Ah, não sei - dei de ombros como quem não quer nada.

- Okay, eu já estou indo também então - batemos um high-five e ele se foi.

Agora eu estava dividida entre ir atrás da Ann ou ir embora e deixar ela lá com seu "namorado". Era difícil escolher entre um e o outro, porque ao mesmo tempo que eu não queria dar uma de desesperada, ciumenta e possessiva, eu também não queria pagar de quem não se importa.

Acabei me decidindo por ir atrás dela mesmo, porque não queria que ela ficasse brava comigo. Eu tinha planos pra essa noite e não podia me dar ao luxo de arruiná-los eu mesma.

Não precisei nem chegar no campo, porque a garota estava encostada na parede do lado de fora do vestiário masculino, conversando com o Jones, ou melhor, rindo de algo que ele havia falado. Seu sorriso era tão lindo e contagiante, que deveria ser um crime ela sorrir assim. O garoto virou sua cabeça rapidamente para me encarar e depois se virou para Ann, disse algo e entrou no vestiário. Aproveitei a deixa e me aproximei dela.

- Oi - falei parando ao seu lado.

- Oi - ela disse simples, focando sua atenção em seu celular.

- Você poderia parar de me ignorar por favor? - ela bufou irritada e bloqueou a tela, guardando o objeto em sua mochila.

- O que você quer? - questionou cruzando os braços.

- Quero que não fique brava comigo - Ann revirou os olhos e soltou um risinho - eu tô falando sério. Por que odeia tanto surpresas?

- Porque eu não suporto ficar curiosa - revirou os olhos - satisfeita? Agora eu vou embora, com licença.

Annie passou por mim entrando no corredor que separava o vestiário masculino do feminino, suspirei e a segui. Segurei seu pulso assim que a alcancei, fazendo-a se virar e me encarar.

- O que foi agora? - perguntou irritada.

Tirei a mochila de suas mãos e pensei seu corpo contra a parede. Suas mãos pousaram em meu abdômen tentando me empurrar, mas não me movi um milímetro sequer.

- Me solta, Beatrice - ela indagou me empurrando.

- Quer mesmo que eu te solte? - sussurrei com os lábios a centímetros dos seus. O olhar da garota se desviou do meu e desceu para os meus lábios, onde se fixou por breves segundos, voltando aos meus olhos em seguida - me diz Annie - aproximei nossos rostos ainda mais, quase encostando nossos lábios - você quer que eu me afaste, hum? - roçei meus lábios nos seus vendo-a fechar os olhos e suspirar.

Annie já não tentava me empurrar e agora suas mãos estavam apenas pousadas sobre meu abdômen. Roçei nossos lábios novamente e me afastei um pouco, sorrindo ao percebê-la se inclinar para alcançar os meus. Ela selou nossos lábios em um beijo calmo, mas não demorou muito pra sua língua invadir minha boca e explorá-la. Nos separamos apenas quando o ar começou a faltar.

- Eu te odeio - Annie murmurou encostando a cabeça em meu peito e me fazendo soltar um pequeno riso.

- Eu sei - sussurrei fazendo carinho em seus cabelos - te vejo as sete? - perguntei me afastando minimamente e a vi revirar os olhos - ei, não fica assim - acariciei sua bochecha e ela suspirou.

- Tá - disse por fim me fazendo sorrir.

- Tchau - lhe dei um selinho e me afastei completamente de seu corpo, antes de traçar meu caminho pra fora daquela escola.


Notas Finais


Não se esqueçam de comentar por favor.

Bjs da tia panda.

😘 😘 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...