História Dear Dom - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Personagens Originais
Tags Bts, Daddy Kink, Dom, Jungkook, Sub
Visualizações 40
Palavras 2.219
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ultimo de hoje😉

Capítulo 3 - 3 parte 1


-ooh por favor Daddy!-eu o sentia indo cada vez mais fundo sem piedade.

-o que foi uh? Você gosta de me desafiar não é? Então agora aguenta.

O cinto bate em minha bunda mais uma vez e eu grito com a ardência gostosa.

Queria poder mexer meus braços ou pernas mas o Daddy havia me prendido de barriga para baixo e com as pernas abertas.

-Quem é o seu dono s/n?- segura meus cabelos e se enterra em mim ficando imóvel por alguns segundos enquanto eu choramingava.

-v-você Dada- disse baixinho.

Minha garganta ardia assim como minha pele onde as cintadas atingiram.

-eu não ouvi- saiu de mim completamente apenas para se enterrar de novo.

-VOCÊ É O MEU DONO SENHOR- gritei e ele voltou a me foder com força.

Minhas unhas machucavam as palmas de minhas mãos de tanto que eu as precionava.

Ja seria meu terceiro orgasmo, meu corpo estava exausto, mas eu havia desrespeitado meu senhor.

Os gemidos roucos dele ecoavam pelo quarto junto com os meus choramingos e soluços, demorei pra perceber que chorava mas tamanho era o prazer que eu sentia que me deixava alheia ao resto das coisas.

Só o que me importava era meu Daddy me fodendo com força me ensinando a ser uma boa garota.

Tinhamos ido ao munch, daddy mandou eu ficar com os subs dos meus tios mas eu não quis.

Eu olhei nos olhos dele e disse não.

Daddy não iria deixar passar sem me punir.

Sinto suas mãos em meu quadril apertando e se impulsionando para poder entrar e sair de mim com mqis força.

Eu sentia o suor em meu corpo, sentia meus pulsos e tornozelos começarem a doer de verdade.

-daddy...- senti mais uma cintada, dessa vez na outra nádega e escondi o rosto no colchão abafando o grito.

Eu deveria estar odiando isso, mas sinto meu corpo responder a isso de forma tão prazerosa que não consigo achar forças para fazer com que ele pare.

-minha putinha gosta de apanhar- ele disse e deferiu um tapa em minha coxa me fazendo estremecer e concordar com a cabeça.

-eu gosto senhor- solucei me desfazendo em seu membro pela terceira vez seguida.

Jungkook geme arrastado apertando mais seus dígitos em minha cintura e começando a diminuir o ritmo das estocadas me fazendo gemer manhosa.

-você é minha vai me obedecer entendeu?- perguntou estocando lentamente mas ainda assim com força e eu me arrepiei.

-entendi senhor!

-boa garota- acelerou os movimentos mais uma vez e eu me permiti gritar o quanto era bom o sentir enquanto meu Daddy se desfazia dentro de mim.

Assim que a extensão de Jungkook deixou meu corpo eu tentei respirar o mais fundo que conseguia no momento.

Eu estava mole.

Daddy soltou meus braços e pernas mas eu permaneci do mesmo jeito que ele me deixou.

-levanda baby, precisamos de um banho- mandou e eu fechei os olhos com força.

-e-eu não consigo Dada... Me desculpa- pedi e então Jungkook se ajoelhou na cama e me virou de barriga para cima.

Ele parecia preocupado, tirou minha coleira e deixou em algum canto sem nem mesmo se importar.

-Sarang senta e respira fundo ta bom?- ele me puxou para cima me deixando sentada por alguns segundos e realmente, respirar fundo sem a coleira estava sendo mais fácil.

-melhor?- perguntou depois de algum tempo e eu assenti- você não se lembra da sua palavra de segurança?- perguntou e eu franzi o cenho.

-lembro, Dada- minha garganta parecia estar machucada.

-e por que você não usa?

-porque só devo usar quando o senhor ultrapassar meus limites Daddy.

-eu claramente acabei de fazer isso e você não disse nada s/n- ele não parecia bravo, parecia desapontado.

-me perdoa Dada- pedi na hora, não quero desapontar meu Dom.

-perdoar você? Oh meu bem quem tem que pedir desculpas sou eu... Você claramente não sabe dos limites do seu corpo Sarang- senti seus braços me envolverem e seus lábios beijavam minha testa.- me desculpe meu bebê- pediu e eu me aconcheguei.

-não se desculpe Daddy, eu gostei.

Ele riu soprado e me apertou mais.

-eu estou falando sério s/n, preciso que você me diga na hora quando sentir que não consegue mais.

-eu prometo que vou usar minha palavra quando for necessário daqui pra frente Daddy.

Ele segura meu rosto com as mãos e me beija com sutileza deixando sua língua passear pela minha boca com calma.

-vem, vamos tomar um banho.

Deixei que Jungkook me levasse até o banheiro no colo e me colocasse sentada no vaso enquanto a banheira enchia e ele arrumava a bagunça do nosso quarto.

Conforme meu corpo foi esfriando eu pude sentir as dores no meu quadril aumentando e uma ardência em minha intimidade.

Meus pulsos e tornozelos estavam um tanto roxos mas nada terrível e, para a minha tristeza sumiríam em alguns dias.

Eu gosto das marcas das tornozeleiras e algemas, gosto de olhar para elas e lembrar da expressão de Jungkook ao me prender.

Quando ele volta a banheira ja está cheia e então ele desliga a torneira logo me ajudando a entrar debaixo da água com ele.

Ele lava meus cabelos com cuidado redobrado pro shampoo não cair em meus olhos, lava cada centímetro do meu corpo com calma e depois que termina apenas me abraça.

Ficamos ali até a agua começar a esfriar um pouco e nossos dedos começaram a ficar enrugadinhos.

Assim que saímos do banho eu já me sentia melhor, daddy me fez deitar na cama - que agora tinha lençois cheirosos- e passou loção de camomila por todas as partes de meu corpo aliviando a ardência por causa do cinto.

Me vestiu com uma de suas camisas e uma calcinha que não me apertava e penteou meus cabelos antes de deitarmos.

Já abraçados debaixo das cobertas, eu brincava com os dedos dele enquanto o sono não vinha.

-anjo?

-sim dada?

-amanhã a governanta nova chega- Jungkook disse calmo como sempre fazia quando queria me explicar algo.

-ja acabou o tempo da ahjumma aqui Dada?- pergunto um tanto triste, eu gostava dessa ahjumma.

-sim bebê.

-espero que a próxima ahjumma seja legal como essa.-suspiro.

-eu acho que você vai se dar bem com ela, e ela vai estar mais para "unnie" do que "ahjumma" meu bem.

Franzi o cenho.

-uma unnie?

-sim... Ela é filha de um dos médicos la do hospital e precisava de um emprego então eu resolvi ajudar... Você vai ter uma amiga um pouco mais velha que você.

Sorri com a ideia.

-vai ser legal, obrigada Daddy- bocejo e sinto seus labios em minhas bochechas.

-por nada bebê, durma bem, eu te amo.

{°°}

Acordei no outro dia sozinha na cama, Jungkook ja havia ido trabalhar.

Sentei na cama e senti meu corpo doer, talvez eu realmente devesse ter usado minha palavra ontem.

Na mesinha tinha um comprimido que Dada semore deixava pela manha depois de noites assim e junto um copo com água e um bilhete.

"Seja boazinha com sua nova unnie, eu volto no final do dia.
Daddy ama você."

Sorri.

-eu te amo também Dada.

Tomei meu analgésico e me vesti com uma roupa confortável.

Uma saia rodada azul bebê e minha blusa de mangas compridas branca.

Não era uma blusa qualquer.

"JJK" estava estampado em dourado na frente dela.

O primeiro presente que o Dada me deu.

Saí do quarto e fui direto ora cozinha onde ja ouvia movimentação.

Cheguei e vi a moça de frente para o fogão, iria me apresentar mas ela jogou a frigideira na pia.

Estava irritada.

-b-bom dia- eu murmurei atraindo a atenção dela.

Ela se vira e me encara de cima a baixo com uma feição enojada.

-é por causa disso que Kookie não se rende?

Fiquei desconfortável, o "isso" seria eu?

Kookie?

Quem é essa garota?

-o que você...?

-VOCÊ? QUE FALTA DE RESPEITO É ESSA? NAO PERCEBE QUE EU SOU MAIS VELHA QUE VOCÊ GAROTA?

-m-me desculpe... Unnie.

-além de tudo é gaga... Coma e saia da minha frente sua coisinha chata.- ela mandou e voltou a lavar a louça.

Senti meus olhos arderem e fiz como ela mandou.

No fim eu sempre faço o que mandam, eu sou assim.

Só quero que meu Daddy chegue logo.

Assim que eu terminei meu café voltei para o quarto e me deitei na cama.

Podia ouvir a garota para lá e para cá resmungando sobre ter que fazer as coisas para mim.

Meu estomago roncou pela décima vez as duas da tarde, ela ainda não havia me chamado para o almoço.

Desci as escadas e cheguei na cozinha onde ela mexia no celular.

-u-unnie?- chamei e parecia que eu ia vomitar acido ao pronunciar a palavra pra ela.

-que?

-nós não vamos comer?

-pra que garota? Quer ficar mais gorda? Se eu fosse você tomava cuidado, assim o senhor Jeon vai te deixar.

Senti aquelas palavras me acertarem em cheio.

Ele me deixaria? Eu estava sim mais pesada.

Não disse mais nada, apenas voltei ao quarto e deixei que as lagrimas saíssem... Ela tinha razão.

Se eu não cuidar do meu corpo meu Dom não vai me querer.

Acabei dormindo e só acordei ao sentir uma mão acariciando meus cabelos.

-Dada?- chamei grogue ao ver Jungkook sorrindo para mim.

-oi meu amor!

-Dada- Choraminguei e o puxei para um abraço apertado.

-hey meu anjo o que foi?- ele me abraçava de volta.

Eu não tinha coragem de falar.

-só estou com saudades.

-você está carente bebê?- perguntou e eu assenti.- vem, que tal comer alguma coisa? Sua unnie me disse que você não quis almoçar hoje... Eu sei que pode ser complicado pra você essas trocas de governanta mas você entende por que o Daddy faz isso não é?

Eu estremeci, foi isso que ela disse?

-ela ainda está aqui?

-sim, está la em baixo fazendo um lanche pra você ja que ficou preocupada que você não comeu.

-Daddy eu não quero ir.

-s/n por favor... Eu estou te pedindo, vem.

Concordei, acabei de ser punida noite passada por desobediência, não queria ser punida hoje novamente.

Chegando na cozinha não pude evitar de esconder meu corpo atrás do do Daddy.

-ah você está aí, eu disse que deveris ter almoçado não disse?! Por favor come alguma coisa.

Fiquei a encarando de olhos arregalados, não tinha como ser a mesma pessoa de antes.

-e-eu...

-olha eu sei que você não gostou de mim... Mas eu estou disposta a esquecer sobre mais cedo se você estiver disposta a se empenhar pra me aceitar... E aí o que acha?-  a garota pergunta e estende a mao para mim.

Jungkook me olha desconfiado.

-o que aconteceu mais cedo?

Dei de ombros.

-bom... S/N não gostou muito de me ter aqui e me disse algumas coisas que bem... Como eu disse estou disposta a esquecer.

-eu o que?- não consegui segurar e agora Daddy me encarava serio.

-você fez o que?

-nada Dada!

-olha senhor Jeon, não brigue com ela ok? Eu ja disse que está tudo certo... Bom eu ja vou indo, até amanhã.

Jungkook me encarou até ouvir a porta fechar.

-Daddy eu...

-Não s/n eu contratei a garota por que ela precisa do dinheiro e você a trata mal? O que aconteceu com você?

-mas Dada eu...

-sem Dada! Eu não acredito nisso.

Meus olhos se encheram de lágrimas novamente.

Não sei o que aquela garota quer de mim mas eu definitivamente não gostei dela.

Voltei a subir as escadas e a me deitar.

Senti uma leve tontura mas não me importei.

Não jantei também e logo Jungkook estava deitando na cama.

Deitamos um para cada lado pela primeira vez em meses e pela primeira vez meu Daddy não disse que me amava antes de dormir.

Nos próximos dias as coisas aconteceram assim.

Eu não aguentava mais aquela garota, nem mesmo deixava mais o meu quarto, vez ou outra ela me forçava a comer alguma coisa mas eu não queria engordar para o Daddy não me deixar.

Ela seguia inventando historias para Jungkook que cada vez mais ficava chateado comigo.

No final da semana eu podia sentir minhas saias mais frouxas e isso foi animador, Dada não me deixaria afinal.

Eu evitei qualquer tipo de contato com ela hoje, ela não teria do que reclamar para Jungkook.

Fui uma garota muito boa e eu sinto a falta do meu Dada me dando carinhos.

Quando ouvi Jungkook la em baixo ja era noite, tarde da noite, e mesmo assim corri para vê-lo, estava mais animada hoje.

-eu não sei mais o que fazer senhor Jeon... Me desculpe- ouvi a voz dela dizer e congelei em meu lugar.

-eu que pesso desculpas por ela agir assim...  Uma hora ela vai te aceitar aqui -ouço ele dizer e então o chamo.

-Daddy?

A garota me encara fulminante quando ele se vira também.

-você ja pode ir, obrigado- Jungkook disse para ela que recolheu suas coisas e saiu.

-daddy?

-Não fala comigo s/n... Eu não achei que você fosse me desapontar tanto por ciúmes... Por que disse aquilo tudo pra garota?

-mas Daddy eu não sei do que o senhor está falando.

-não se faça s/n! E já está tarde... Vá dormir.

-dada- Choramingo.

-eu vou dormir no outro quarto.

-Jungkookie não, por favor conversa comigo.

-eu não consigo agora s/n... Vai dormir.

Ele sobe as escadas e eu subo atrás a tempo de o ver fechando a porta do quarto de brinquedos.

Deixo as lagrimas molharem meu rosto e sigo para o nosso quarto deitando na cama e me encolhendo.

Doía o peso da decepção de meu Dom.

Doía demais, mas o fato de não ter culpa e ele acreditar que eu tenho... Isso dói mais.

Não consegui pregar os olhos sem meu Daddy, ja havia cansado de chorar.

Eu preciso de Jungkook.

Sai do quarto parando na porta do quarto de brinquedos.

-Daddy?- chamei e não obtive resposta de primeira.

-Daddy, por favor...

-vai dorm...

-ROXO- gritei o mais alto que consegui e senti as lagrimas escorrendo mais uma vez.

-o que?- ele disse e pude notar que estava mais perto da porta.

-Roxo dada.

-s/n...

-O SENHOR ME PROMETEU UM ANO ATRÁS QUE QUANDO EU NAO AGUENTASSE MAIS, SE EU DISSESSE MINHA PALAVRA O SENHOR IRIA PARAR, E EU PROMETI ONTEM QUE IRIA USAR ELA QUANDO NÃO AGUENTASSE MAIS...então por favor Dada... Roxo.

Continua?












Notas Finais


Até mais❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...