1. Spirit Fanfics >
  2. Dear Duke (Imagine - Jungkook) >
  3. Chapter I.

História Dear Duke (Imagine - Jungkook) - Capítulo 2


Escrita por: e Wife_JJK


Notas do Autor


TENHAM UMA ÓTIMA LEITURA!💜

Capítulo 2 - Chapter I.


Fanfic / Fanfiction Dear Duke (Imagine - Jungkook) - Capítulo 2 - Chapter I.

Dear Duke

(Chapter I)

Apesar de você está um tanto desconfortável, com o anúncio repentino, bem como, por está sendo o centro das atenções, de tantas pessoas, desconhecidas para ti, você manteve a compostura, esboçando um sorriso discreto, ainda que fosse forçado, mesmo que ninguém notasse, de fato.

— Felicidades, Marquês. — O moreno que antes estava contigo, fora o primeiro a felicitá-los, levantando a taça de vinho, oferecendo um brinde ao seu casamento.

— Que privilégio, receber a benção de um convidado tão ilustre, quanto Sua Excelência. — O Marquês pronunciou, esbanjando um sorriso, visivelmente satisfeito com o que escutara.

— Quem é ele, meu pai? — Você indagou, quase como um sussurro, uma vez que o seu pai está próximo de ti e o seu noivo está entretido com o convidado.

— Minha filha, esse é o Duque Jeon Jungkook, o mais cobiçado entre as damas e também o mais temível, entre os nobres. — Seu progenitor respondeu, mantendo um tom brando, apesar de estar surpreso, com o fato de você não conhecer, alguém tão importante.

— Então, por que é o Marquês, o meu noivo e não o Duque? — Questionou, visivelmente curiosa, quanto a escolha de pretendentes de seu pai para ti.

— Lee (S/N), você não deve ser tão gananciosa, minha filha. Vossa Excelência, não está ao seu alcance. — O mais velho se pronunciou, mantendo um tom mais severo.

— Por que, meu pai? Conversei com ele, agora a pouco. — Sibilou, um tanto incômoda com as palavras de seu progenitor. Afinal de contas, por que não poderia ser o Duque, no lugar do Marquês? Para ti, ele não parecia alguém tão inalcançável assim, contrariamente, por sua breve conversação, o Duque parecia um bom ouvinte, ainda que não fosse um homem de muitas palavras.

— Não se engane, (S/N). O Duque não é tão simples quanto pensa. Por trás daquela face angelical, há um verdadeiro monstro, de sangue frio. — Dessa vez, o mais velho não mediu as palavras, ao advertir-lhe sobre o moreno - Jungkook.

— Se é no que acredita, não irei discutir com o Senhor, meu pai. Mas, por favor, não exija que eu faça parte de seus julgamentos arbitrários. — Mantendo uma feição mais séria, você se pronunciou, pois nunca fora do seu feitio, julgar uma pessoa, sem sequer conhecê-la adequadamente, assim, como o Lee mais velho, estava fazendo. — Com sua licença, meu pai. — Pronunciou-se cordialmente, logo saindo da vista do mais velho, bem como tomando distância dos convidados, encaminhando-se até a varanda da mansão, onde fora possível vislumbrar, o céu estrelado.

— Não deveria está com o seu noivo, Srta. Lee? — Inesperadamente, aquela voz rouca que você tivera o prazer de ouvir há pouco, se pronunciou, chamando a sua atenção, assustando-a brevemente.

— E a Sua Excelência, não deveria está desfrutando do baile? — Soando um tanto sarcástica, você respondeu o Duque.

— A Srta. não parece ter medo de mim, ainda que saiba quem sou. — Encostando-se na varanda, Jungkook passou a mirá-la, esboçando um discreto sorriso.

— Só descobri há pouco e não o conheço o suficiente, para temê-lo. — Você foi franca em sua resposta, não se importando com o fato de, Jungkook ser um Duque.

— De fato, tem um bom ponto, todavia, justamente por não saber do que sou capaz, a Srta. não deveria temer? — Confrontou-a, agora mantendo um olhar fixo e um tom mais rígido, diferente do tom descontraído de antes.

— Provavelmente, mas esse não é o caso, Duque. — Você piscou para o moreno, logo voltando a mirar a paisagem noturna.

— Devo dizer que a Srta. tem coragem ou talvez, seja apenas inconsequente. — Sibilou, mantendo um semblante estranhamente calmo.

— Talvez. — Não deu muita importância ao que escutara, ainda que tenha sido uma advertência, silenciosa. — Acredito que devo retornar, com sua licença, Duque. — Fez uma breve reverência, em sinal de respeito, logo dando as costas para o moreno, seguindo até o grande salão.

— Que mulher impertinente. Todavia, não deixa de ser intrigante. — O Duque sibilou, mais para si mesmo, não ocultando um mínimo sorriso, ao lembrar de ti.

Retornando ao salão de baile, a primeira coisa que fez, foi procurar o seu noivo - o Marquês - no entanto, você já não o viu presente, de modo que você passou a buscá-lo, nos outros cômodos da mansão, como resultado, você acabou por ouvir sua voz, em um dos cômodos, mas ele não estava sozinho, havia mais alguém, fazendo-a ponderar se deveria interromper a conversação ou não. No entanto, as palavras seguintes do Marquês, fizeram-te ter a certeza de que não deveria importunar.

— Sabe, é uma pena ter que matá-la, logo após o casamento. Não imaginava que a filha do Sr. Lee, seria uma mulher tão bela. — O Marquês comentou, deixando-a imediatamente paralisada. 

— Mas, se o Marquês não matá-la, não poderá tomar posse de suas propriedades. — Um nobre, até então, desconhecido para ti, externou os fatos.

— Infelizmente, no entanto, eu deveria pelo menos, consumar o casamento, seria um desperdício, não provar daquele corpo. — Pronunciou, num tom repleto de malícia, deixando-a ainda mais enojada com as palavras do suposto noivo. Não suportando mais, ouvir tais barbaridades sobre ti, imediatamente você saiu dali, retornando ao salão à procura de seu pai.

Quando finalmente o avistou, decidiu se pronunciar: — Podemos retornar? Estou cansada, meu pai. — Mantendo um tom brando, você pediu.

— Tudo bem, mas deveríamos avisar ao Marquês, primeiro. — Assentiu, mesmo que ainda quisesse permanecer por mais tempo.

— O Marquês está ocupado, não deveríamos importuná-lo, em outro momento, nos desculpamos adequadamente. — Argumentou, tentando convencer o mais velho, de que não faria diferença avisar ou não, afinal de contas, você não tinha planos de encontrá-lo tão cedo, não após o que acabara de escutar.

— Como desejar, minha filha. — Mesmo a contragosto, seu pai assentiu.

Uma vez que chegara em casa, de imediato, você subiu os degraus da extensa escadaria, com certa dificuldade por causa da saia volumosa de seu vestido, logo adentrando o seu quarto, permitindo-se respirar aliviada, por finalmente está distante do Marquês, bem como de sua mansão. No entanto, os pensamentos constantes, impediram-te de descansar. Ter consciência de que seria assassinada pelo seu próprio marido, logo após o seu casamento, não era algo fácil de aceitar, tampouco de lidar, ainda assim, você não é alguém que permitiria que tal coisa, acontecesse contigo.

Seguindo as crenças de seu progenitor, o Marquês é o pretendente mais viável, em sua concepção, no entanto, você conhece as verdadeiras intenções do Kim e também tem consciência de que sendo um Marquês, a sua influência deve ser grande, o que seria um obstáculo para ti, caso quisesse terminar o noivado. Com esse pensamento, só haveria uma solução para ti, encontrar um nobre com um cargo superior ao de Marquês, ou seja, um Duque. Mas a questão é: Quantos Duques você conhece que estão dispostos a casar contigo? De fato, nenhum, com intenções de casamento, no entanto, há apenas um, que do seu ponto de vista, seria o candidato perfeito - o Duque Jeon Jungkook - ainda que de igual maneira, esse pareça o mais inalcançável.

Respirando profundamente, após um bom tempo em silêncio, apenas pensando em uma maneira de escapar de uma morte intencional, finalmente, você havia tomado uma decisão: — Vou casar com o Duque e escapar das garras do Marquês. — Pronunciou convicta, plena de sua decisão, bem como de sua escolha.

— Onde vai tão cedo, minha filha? — O mais velho indagou, ao vê-la prestes a cruzar a porta de saída. 

— Vou ver o meu futuro marido. — Respondeu sorridente, não ocultando o quanto estava satisfeita de sua escolha.

— Dê os meus cumprimentos a ele. — Pronunciou com um sorriso, acreditando que você, estava indo encontrar-se com o Marquês.

— Como quiser, meu pai. — Assentiu, mantendo um tom mais sutil, dando as costas para o mais velho.

— A propósito, minha filha. — Chamou a sua atenção, fazendo-a virar-se para mirá-lo.

— Sim? — Indagou, agora mirando-o.

— Você está divina. — Elogiou-a mais uma vez, ao ver que você está trajando um belíssimo vestido vermelho, com um bordado bem trabalhado, em sua saia volumosa. Cumprimentando com uma maquiagem mais natural.

— Agradeço. — Sorriu sutil, logo saindo da mansão, por fim.

— A Srta. está dizendo que deseja reunir-se com Vossa Excelência, certo? — Pela segunda vez, um dos guardas da mansão do Duque, indagou, ainda não acreditando no que você estava pedindo.

— Exatamente, quero ver o Duque, tenho um assunto urgente a tratar. — Respondeu, mantendo o tom, o mais complacente possível.

— Muito bem, a quem devo anunciar? — Indagou, agora mais convencido de seus palavras.

— Só diga que a mulher de gostos peculiares, quer vê-lo. O Duque vai saber, quem sou. — Um tanto vaga em sua resposta, você pronunciou algo um tanto descabido, pelo menos, para o guarda.

— Então, espere aqui, vou ver se o Duque irá atendê-la. — Pronunciou num tom brando.

— Está bem. — Assentiu, mantendo um semblante suave.

Enquanto isso, o guarda tratou de adentrar a mansão, a fim de anunciá-la:

— Sua Excelência, há um convidado que gostaria de vê-lo.

— Não estou esperando ninguém. Mande embora. — Pronunciou sem dar muita importância.

— É uma mulher, Sua Excelência. — Avisou, agora recebendo a sua atenção.

— Uma mulher? — Indagou, um tanto surpreso, afinal de contas, o Duque jamais recebeu uma mulher em sua propriedade. 

— Exatamente. Ela não disse o nome, apenas que o Duque saberia quem é, quando eu dissesse que ela possui gostos peculiares. — Explicou resumidamente, as suas palavras.

— Mande-a entrar, quero ver o que a noiva do Marquês quer comigo. — O Duque sorriu, de maneira distinta, ao pronunciar.

O Guarda curvou-se brevemente, logo indo até você.

— Ele irá recebê-la. — Avisou num tom cortês. Logo fazendo menção para você acompanhá-lo.

Ao adentrar a mansão, imediatamente, você avistou o Duque, sentado comodamente no estofado. — A que devo a honra de sua visita, futura Marquesa de Kim? — Soando um tanto irônico, o moreno indagou.

— Não me chame assim, Duque. Não tenho planos de casar com o Marquês. — Inesperadamente, você pronunciou, surpreendo o moreno, que de imediato, assumiu uma postura imponente.

— Não? Então, o que a Srta. deseja, ao vir até aqui? — Indagou, mantendo um tom mais sério, a feição mais rígida.

— Vim te fazer uma proposta. — Respondeu, num tom complacente.

— Proposta? Muito bem, sou todo ouvidos. Por favor, sente-se e prossiga. — Fez menção ao estofado a sua frente.

 — Case-se comigo, Duque Jeon Jungkook. — Temendo que as palavras te faltassem, você decidiu ser direta, quanto ao que quer.

— A Srta. é noiva do Marquês Kim Taehyung, por que está me propondo casamento? — Externou a sua dúvida, mantendo a mirada fixa posta sobre ti. 

— Não posso casar com o Marquês. — Um tanto insegura quanto a contar a verdade, você respondeu vagamente.

— Se não explicar a razão, não poderei considerar o seu pedido. — Mantendo um semblante impassível, o Duque proferiu.

Respirando profundamente, você juntou toda a coragem que tinha para se pronunciar: — Ontem, durante o baile, por casualidade, eu escutei uma conversa do Marquês, onde ele estava planejando o meu assassinato, após o casamento. — Mesmo hesitante, quanto a acusar um nobre, você acabou expondo o seu temor. — Particularmente, não queria casar tão cedo, mas essa é a vontade de meu pai e não desejo decepcioná-lo, no entanto, não posso casar com alguém, sabendo que irei ser morta, logo após. — Confessou, tentando inutilmente manter a compostura.

— Por que escolheu a mim? — Quis saber, curioso quanto às suas razões. 

— Não tenho mais ninguém a quem pedir, tampouco posso ir contra um Marquês, sozinha. Não possuo nenhum poder, muito menos influência ou um título. Se eu contasse a alguém os meus motivos, ninguém acreditaria, provavelmente, seria encarcerada por blasfêmia contra um nobre. — Expôs os seus anseios, bem como os seus pensamentos mais profundos.

— Nunca cogitou a ideia de que eu poderia, não acreditar? — Visivelmente intrigado, o Duque indagou.

— Sendo franca, eu ainda ponderei se deveria ou não, vir até aqui, no entanto, lembrei da conversa que tivemos ontem. Por mais que não te conheça, pelo menos sei que Sua Excelência, sabe julgar, quando uma pessoa está sendo sincera ou mentindo, descaradamente. — Sibilou, mantendo um tom mais brando.

— O que eu ganho, casando contigo? — Aliviou um pouco o semblante.

— Todas as minhas propriedades, serão suas. Mas, acredito que o Duque não necessite de posses. Todavia, serei leal a você e cumplirei com todas as minhas obrigações como esposa, no entanto, não irei importuná-lo, caso queira ter alguma aventura. — Argumentou, mantendo-se complacente, mirando-o atentamente.

— Então, você está me prometendo fidelidade, mas não exige que eu seja fiel? — Questionou, um tanto surpreso com as suas palavras.

— Exatamente, contanto que eu possa viver, não me importo com quantas mulheres, deseja ter, também depois de alguns anos, podemos nos divorciar. — Reafirmou o que dissera, involuntariamente, arrancando um riso do Duque.

— Uma proposta um tanto ousada, devo dizer e estranhamente favorável para mim. — Sorriu, de maneira distinta, não desviando o olhar de você. — No entanto… — Inesperadamente, o Duque levantou-se do estofado e ficou a sua frente, aproximando-se de seu ouvido e sussurrando: — Em minha família, nunca houveram antecedentes de divórcios, tampouco traições. — Agora, voltou a mirá-la, permanecendo a sua frente. — Eu aceito casar com você, futura Duquesa de Jeon. — Para a sua surpresa, o Duque curvou-se à sua frente, logo segurando a sua destra, levando até os lábios, deixando um beijo sob o dorso, sem desviar o olhar penetrante de você, por um instante sequer. 


Notas Finais


Dessa vez, o Duque realmente apareceu e pudemos ver, as verdadeiras intenções do Marquês. Quem diria que o casamento, não passava de uma forma de obter lucro? Realmente, que cruel destino a esperava. Todavia, para a sua sorte, o Duque aceitou, no entanto, que proposta descabida foi aquela???

Contem-me o que pensam: #UmaPropostaInusitada

Atualização de Naughty Sweetheart até terça.

Beijos.😘😘
💜💜Amo vocês, meus anjos!💜💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...