1. Spirit Fanfics >
  2. Dear future husband (Jeon Jungkook) >
  3. Sozinho?

História Dear future husband (Jeon Jungkook) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Meus planos para essa história eram totalmente diferentes, mas não sei como isso saiu da minha cabeça! Eu não faço roteiro ou coisa assim, então o que estiver na minha cabeça, passa para os meus dedos e assim sai a história. Espero que estejam gostando ♡

Capítulo 9 - Sozinho?


O café da manhã foi rápido, pelo menos para você, que comeu o mais rápido que podia, mas tomando cuidado para não engasgar. 

- Não como tão rápido, você pode engasgar.

- O que eu mais quero é terminar esse café e sumir daqui.

- E para onde vai?

- Para o meu quarto.

- Nosso quarto. Aqui não têm mais quartos para você. 

- Tem o que eu passei a noite.

- Aquele quarto é para hóspedes, não para a dona da casa.

- Não sou dona da casa.

- Virou a partir a momento que se casou comigo. O que é meu, é seu também. 

- Não quero dormir no mesmo quarto em que você dorme.

- Sinto muito, mas não temos outros quartos disponíveis para você. 

- Mas o quarto-.

- Não, S/N. - Ele fala com a voz um pouco mais grossa.

- Você falou diferente. 

- Não falei.

- Falou sim! É assim que começa, não é? - Você se levanta da cadeira.

- Senta aí,  S/N! - Ele aumenta o tom de voz e sente uma forte dor de cabeça, colocando as mãos sobre a mesma.

- Está  começando. Você vai fazer o mesmo de ontem, não é? - Você diz em tom alto.

- Senta na poha da cadeira, S/N! - Ele se levanta e arremessa a cadeira onde estava sentado, longe.

- Você é maluco. - Com medo do que ele podia fazer, você saiu correndo, mas teve o braço agarrado por Jungkook.

- Você não vai à lugar nenhum, amorzinho. - Ele prende sua cintura junto a dele, segura firme sua nuca e começa um beijo. 

Tentou, mas conseguiu se soltar dos braços dele, que insistiam em te envolver.

As mãos de Jungkook desceram até sua bunda, onde sentiu um aperto forte.

- Para! - Você morde o lábio dele e consegue se soltar.

- Desgraçada! Não devia ter feito isso, S/N. - Ele cerra os pulsos e te lança um olhar flamejante, cheio de ódio. 

- Se encostar em mim, eu juro que nunca vou te perdoar. - Você dá passos para trás. 

- Eu não consigo controlar! Minha cabeça dói, dói muito. - Ele coloca as duas mãos sobre a cabeça e se ajoelha sentindo uma intensa dor.

- O que você tem?

- Eu não sei, mas preciso da sua ajuda. - Ele te olha com os olhos carregados de lágrimas, como se fosse uma criança que acabou de se machucar brincando e veio pedir ajuda à mãe para tratar o curativo. 

- Como eu vou te ajudar? - Você se ajoelha e enxuga as lágrimas dele.

- Ficando comigo. Por favor, não me deixe sozinho. - Ele te abraça, te deixando surpresa. 

- Tudo bem, eu vou tentar te ajudar. 

- Obrigado, amor. - Ele deita a cabeça sobre seu ombro, fazendo você sentir a respiração dele em seu pescoço. 

- Que tal me contar o que aconteceu para você ficar assim?

- Não quero falar sobre isso agora. - Ele diz como uma criança emburrada.

- Então toma um banho e depois a gente conversa.

- Toma banho comigo? Prometo que não te faço mal. 

- É melhor não. 

- Por favor, eu te imploro. 

- Está bem, mas você não pode fazer nada comigo lá, ok?

- Prometo que não vou te machucar.

- Ok. Vamos logo.

Você se levantou e Jungkook fez o mesmo. Foram até o quarto de vocês, onde havia um banheiro.

Ainda envergonhado, Jungkook tirou as roupas e entrou embaixo do chuveiro, esperando que você fizesse o mesmo. 

- Você não vem? - Ele pergunta cobrindo as partes íntimas, o que não adiantou muito.

- Vou, só estou com vergonha de...

- Tirar a roupa na minha frente? Eu viro se costas se quiser. - Ele vira as costas para você. 

- Obrigada. - Você começa a se despir. 

Totalmente sem roupas, você vai para debaixo do chuveiro, com Jungkook ainda de costas.

- Já posso me virar? - Ele pergunta. 

- Pode, mas não olha para baixo.

- Está bem. - Ele se vira.

- Vai ser um banho rápido, então trate de se lavar logo.

- Quero tomar banho com você. - Ele puxa sua cintura, juntando seus corpos.

- Você disse que não encostaria em mim. 

- Eu disse que não te machucaria, mas ficar sem te tocar é uma tortura. - Ele sela seus lábios e começa um beijo lento e intenso, onde mãos bobas se faziam presentes.

- Jungkook, para. - Você se afasta ofegante.

- Tudo bem, eu paro.

- É melhor eu ir.

- Não, por favor. - Ele junta seus corpos novamente, mas dessa vez, em um abraço. - Desculpe por ter te tocado sem sua permissão. Prometo que não faço mais isso. - Ele aperta ainda mais o abraço. - Não me deixe aqui sozinho.

- Sozinho? Por que tem tanto medo de ficar sozinho?

- Eu sempre fui sozinho. Meus pais me abandonaram quando eu era criança e então fui para um orfanato, onde morei por vários anos.

- Achei você tivesse herdado uma grande herança.

- Na verdade não. Tudo o que eu tenho, veio do meu trabalho.

- Tão novo e com uma fortuna não grande?

- Acho que pelo menos nisso eu dei sorte. 

- E o resto? Por que não namorava ou tinha algum relacionamento com alguém?

- Porque a única que eu queria era você. 

- Nós mal nos conhecemos, Jungkook.

- Eu te conheço muito bem, amor. Desde que te vi pela primeira vez, não tirei os olhos de você. 

- Achei que tivesse me visto pela primeira vez naquele restaurante.

- Não. Nós estudamos juntos do 4° ao 9° ano, S/N.

- E como não lembro de você?

- Eu era o mais isolado, não falava com ninguém e era centrado nos estudos, pelo menos era o que parecia. A única coisa boa naquele orfanato era a minha madrinha,  que me colocou na escola onde estudei com você. 

- Então você era o garoto estranho que as minhas amigas falavam. 

- É, eu ficava te observando durante a aula e acho que elas perceberam. 

- Você mudou muito.

- Eu sei, mas queria ter mudado para melhor.

- Ainda não me explicou sobre as vozes. 

- Uma noite no orfanato, eu acordei para beber água e vi minha madrinha conversando com um homem na cozinha. Curioso, eu me escondi e tentei ouvir a conversa, mas quando eu menos esperava, ele cravou uma faca no coração dela. Meu ódio foi tão grande que não aguentei e peguei outra faca na gaveta, enfiando ela nas costas daquele desgraçado. 

- Jungkook...- Você aperta o abraço. - Não devia ter feito isso. 

- Eu sei, mas ele me tirou a única pessoa que me deu amor nesse mundo, S/N! Eu amava ela e ele arrancou ela de mim! - Lágrimas escorrem pelo rosto do maior.

- Calma, eu tô aqui. - Uma lágrima acaba escorrendo pelo seu rosto.

- Por favor, não me deixe sozinho. Você é a única pessoa que me restou. - Ele desaba em lágrimas no seu ombro.





Notas Finais


Cara, eu chorei escrevendo isso...
Tô passada comigo mesma ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...