História Dear One - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Tags Bakudeku, Female!midoriya
Visualizações 335
Palavras 3.702
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Shounen, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo Minna, não me taquem pedra rsrs, hoje foi mais um dia que postei seguido desculpem e relaxem por que a fic vai entrar de férias manhã, espero que gostem dessa capitulo, se alguém está lendo a fanfic e gosta podem curtir se quiser, comentem o que acham e podem dar sugestões do que pode acontecer, vai me deixar muito feliz em vê-los participando. Não me abandonem, estou dando meu melhor!
Ps: Se de repente a fanfic não está em seu agrado tudo bem parar de ler, mas por favor não jogue hate ou palavras negativas, eu estou tentando mesmo.
Boa fanfic!

Capítulo 3 - Um Verdadeiro Herói


Fanfic / Fanfiction Dear One - Capítulo 3 - Um Verdadeiro Herói

Autora

            A poeira já havia se abaixado, as perguntas inquietantes sobre a situação de Midoriya já haviam ficado menos corriqueiras e repetitivas, o que deixava o pequeno garoto, agora uma garota, mais aliviado.

            Os alunos da U.A já estavam sendo todos direcionados juntos de seus professores responsáveis até os  dormitórios em que ficariam  em pares até a graduação no colégio. Mães e até mesmo pais, haviam chorado ao deixarem seus filhos soltos e por conta,  mais ainda uma certa mulher desesperada de cabelos verdes que chorara muito ao se despedir do filho.

- Se cuide Izuko.- fungou a onna assim que entregou os materiais do filho ainda vestido roupa escolar masculina.- Lembra do que eu te disse okey? Cuidado por onde anda, não ligue para os comentários maldosos, coma direitinho legumes e acima de tudo, me ligue sempre que puder.

-Hai Okaasan.- a menina riu vendo a mãe nervosa com sua partida.- Arigatou por ter trazido minhas coisas até aqui assim que te liguei, pode deixar que sempre darei notícias.

-Vou estar sempre esperando.- respondeu levantando sua mão e acariciando o rosto de sua agora filha.- Cuide-se bem, lembre-se que te amo muito.

- Eu também  te amo.- sorri calorosamente, acalmando assim o coração agitado de sua mãe.”

            O primeiro ano da sala A caminhava pelos corredores dos dormitórios juntos de seu Sensei, a noite já havia chegado deixando os alunos ainda mais cansados pela correria que haviam enfrentado com suas famílias que haviam vindo deixar seus pertences as pressas,  e  até mesmo os importunando com recomendações.  As meninas e os meninos loucos para caírem na cama o mais rápido possível para dormir.

 O grande super herói Erased Head, explicava durante o percurso desde as regras do lugar até como funcionárias a partir dali suas aulas, principalmente do toque de recolher.

- Não preciso lembra-los de que ao som do toque de recolher, todos deverão ficar em seus quartos e não sair durante a noite.- falou de forma cansada.- Qualquer regra quebrada vocês serão punidos, entendido?

-Hai sensei.- todos disseram exaustos.

            Aisawa sensei logo para no meio do caminho fazendo todos os jovens repetirem o ato realizado, puderam assim perceber que o corredor se dividira em dois lados opostos.

-É aqui que vou deixa-los a partir de agora.- disse o sensei virado para todos e os encarando.- O lado direito fica o dormitório da meninas, e o do lado esquerdo dos meninos.- apontou respectivamente para cada canto.

-Com licença sensei!- levantou a mão Aoyama com seu jeito animado e irritante de sempre.

-Diga Yuga.- respondeu o mais velho.

-O Midoriya-Kun vai ficar com a gente no lado dos meninos?- falou curioso.- Normal?

- Apesar dele estar nessa forma de menina, ele nasceu um menino e cresceu como um, então sim, ai ser algo normal.- disse suspirando.- Eu sei que vai ser estanho tê-lo com vocês, mas vão ter que se acostumar com essa situação.

-Entendi.

-Mais alguma pergunta?- olhou todos em volta.

-Eu!- ergueu a mão Ojiro.- O resto da escola sabe do que aconteceu com Midoriya além de nós?

            Aquelas perguntas haviam voltado, e aquilo já estava deixando Izuko um pouco desconfortável, ele se sentia um alienígena de tanto que as pessoas o analisavam.

-Não senhor Mashirao.- continuou a falar.- Mas não fiquem preocupados, já demos um jeito de esconder o que aconteceu com Izuko, então certifiquem-se de que quando alguém perguntar dele, digam que ele está morando em outro País.

-Hai.- assentiu o aluno.

-Então, não tem ninguém de outra sala nesse andar?- perguntou Jiro colocando a mão no queixo curiosa.- Somos apenas nós?

-Hai.- assentiu.- Esse andar é só para vocês.

            Todos sorriram juntos felizes quando escutaram seu professor falar aquelas palavras, teriam um lugar só para eles, se divertiriam sem se preocuparem com outros!

- Já está na minha hora.- falou olhando o relógio em seu pulso e depois os alunos.- Bem, os nomes dos seus companheiros de quarto estão nas portas, não vai ser difícil se encontrarem por aqui.- assim começou a andar passando pela garotada que abria caminho para si.- Tentem não criar confusão e não quebrem nada.

            Depois de alguns minutos todos viram que o sensei já havia ido embora os deixando ali no corredor sozinhos.  Claro que não demorou para a gritaria de alegria começar,  afinal eles tinham a liberdade que tanto queriam.

            Midoriya comemorava juntos deles de forma alegre, gostava de participar das coisas divertidas, ainda mais felizes dessa maneira.

- Deku-kun o que você pretende fazer?- perguntou Uraraka se aproximando e o olhando feliz, ou melhor, A olhando feliz.

-Eu não sei.- respondeu coçando a cabeça pensativa.- Talvez eu vá treinar um pouco ou ir direto dormir.

-Ah mas já?- respondeu fazendo bico.- Por que não saímos para dar uma volta?- sugeriu animada.

-Arigatou Uraraka-san, mas eu não estou muito a fim de passear.- sorriu sem graça para a amiga.- Gomena.

-Entendo.- assenti compreensiva.

-Hey Mirodiya! Uraraka!- chamou Kirishima se aproximando dos dois que conversavam.

-Oi Kirishima.- cumprimentou a jovem verde  o olhando junto da manipuladora de gravidade.

-E ai, você sabe quando vai voltar ao normal?- perguntou o menino  cruzando os braços.

-Eu não sei.- mentiu sentindo a tristeza da verdade o assombrar, mas ainda sim conseguiu disfarçar para o colega.

-Ora não me diga que pretende ficar assim para sempre.- brincou enquanto ria.- Isso é muito tempo!

            Na mesma hora o jovem Izuko abaixou a cabeça chateado, se lembrando das palavras de All Might mais cedo sobre sua situação, doía de recordar. Kirishima logo percebendo que o colega ficara com um ar abatido, logo tratou de concertar a situação que o mesmo havia criado.

-E-ei , foi só uma piada.- riu outra vez só que envergonhado.- Não se preocupe, tenho certeza que quando acharmos essa heroína outra vez ela vai te transformar de volta.

- Queria que estivesse certo.- comentou o olhando abatido.- Talvez não ocorra algo assim.

-Você não sabe nada dela?- perguntou Uraraka para o amigo com a feição cheia de pena.- Nenhuma pista?

-Nada.- negou com a cabeça.- Estou achando cada vez mais impossível eu voltar ao normal.

-Para com isso, pensamento positivo cara, tudo tem volta e vamos encontrar um jeito de te ajudar.- falou Kirishima batendo uma das mãos em seu ombro para anima-lo.-  Todos nós junto com você vamos busca-la se for necessário, pode contar com seus nakamas .- sorri largo de forma positiva.

            Izuko não pode deixar de abrir um sorriso radiante com as palavras do ruivo, talvez ele estivesse certo, talvez houvesse uma maneira, e além do mais não estava sozinho como pensava que estaria.

-Hai!- disse alegre e sorrindo para o menino.

-Ei pessoal!- chamou Momo fazendo todos, inclusive os três que conversavam a olhar.- Melhor pararmos de bater papo aqui no corredor e guardar nossas coisas nos nossos devidos quartos, afinal o toque de recolher já vai soar.

-Ela tem razão.- comentou Shoji.- Melhor irmos.

            Todos assentiram juntos e foram se dividindo entre em grupos de meninos e meninas, cada um seguindo o devido caminho entre os corredores divergentes.

            Os meninos enquanto caminhavam riam e brincavam juntos, até mesmo Midoriya estava ali conversando animado com Iida e Tokoyami sobre assuntos aleatórios atrás do resto, estavam todos  claramente se divertido juntos, a relação  de Izuko com seus colegas estava a mesma de sempre.

-Ops chegamos.- falou Iida parando junto dos outros em frente a uma porta com seu nome escrito.- Eu fico nesse com você Tokoyami.- olhou para o colega.

-Então somos companheiros de quarto.- falou o hibrido de falcão e homem.- Interessante.

-Acho que o seu deve ser mais adiante Midoriya-kun.- falou o representando de sala olhando a menina verde.- Denki e Kirishima já ficaram no quarto anterior e o resto já de arranjou, acredito que o último deva ser o seu e do Bakugou.

            Só de ouvir aquela frase o ex-menino ficou inquieto, tinha por um breve momento se esquecido de quem era seu companheiro de quarto, como lidaria com aquilo? Ainda mais sendo uma garota, seu corpo estava mais frágil do que antes, se caso Kacchan o atacasse, conseguiria  Izuko usar o One for all? Não tinha parado para pensar naquilo.

-Bem, kombawa Midoriya-kun!- acenou Iida já abrindo a porta do quarto sendo seguido por Tokoyami.- Nós vemos amanhã.

-Kombawa!- a menina de cabelos verdes acenou sorrindo de leve.

-Boa sorte.- desejou o manipulador do dark shadow antes de fechar a porta.

-Vou precisar...- disse baixo antes de voltar a andar.

            Seu amigo estava certo, seu quarto era realmente o último do corredor. Os olhos  verdes da pequena menina logo se focaram na plaquinha  que estava pendurada  ali na porta, seu nome e o de Bakugou estavam escritos juntos, primeiro o de seu ex-amigo e depois o de si próprio.

-Que Kamisama me ajude.- respirou fundo antes de tocar na maçaneta e aos poucos abrir a porta.

            Assim que entrou no quarto fechou-a prontamente atrás de si. Logo que entrara pode ver a figura de Bakugou deitada na cama de baixo de uma beliche todo esparramado, Izuko por um momento se surpreendeu com a rapidez do colega ao chegar no quarto, sequer tinha o visto entrar ali. O outro estava com seus braços atrás da cabeça e de seus olhos fechados com o rosto sereno, pelo menos era o que parecia ser.

            A esverdeada não queria causar barulho para não acorda-lo, seria outra briga caso acontecesse essa infelicidade, então com o maior cuidado ele foi se aproximando se uma escrivaninha que tinha no canto do dormitório e foi colocando sua bolsa ali enquanto a abria com toda calma do mundo.

-Aish okaasan!- comentou baixo enquanto ficava vermelho ao ver roupas de menina guardadas ali, até tinha um uniforme de menina para si. Quando será que a mais velha havia comprado tudo aquilo?

            Sentia-se muito envergonhado em ter aqueles tipos de roupa na sua mochila amarela, mas infelizmente precisava se acostumar com aquilo, era sua nova forma e não podia mudar aquele fato, pelo menos por hora.

            Sem querer no meio de sua vergonha, o mesmo esbarra em uma cadeira fazendo-a ir forte contra a mesa e um som alto ressoar pelo quarto.

-Nem mesmo em uma situação dessas você fica quieto!- a voz de Bakugou soou alto fazendo Izuko se virar e dar de cara com o loiro de olhos abertos e  com a feição furiosa de sempre.

-A-ah G-gomena Kacchan!- disse nervosa e agita pela vergonha.- Não queria acorda-lo.

-Mas acordou!- rosnou se sentando na cama de pernas cruzadas.- Quando dei graças a Kamisama que você tinha sumido...Bum! Você está de volta.

            Midoriya nada disse apenas abaixou a cabeça com certo receio de começar a discutir com o companheiro de quarto, precisava arranjar um jeito de se suportarem, não importava a forma que fosse. Quando a menina de cabelos verdes resolveu abrir a boca, Kacchan se levanta da cama  de repente e começa a andar até si. Aquilo assustou Izuko na hora fazendo-o  recuar alguns passos enquanto seu colega se aproximava com uma feição séria.

-O-o q-que vai fazer?!- perguntou enquanto suas costas batiam contra a porta do quarto.

            O loiro nada respondeu apenas parou frente a frente com a menor,  ambos estavam apenas alguns centímetros de distância um do outro, não chegavam a estar colados, mas era o bastante para tornar Kacchan intimidador.

- Você realmente parece uma mulher.- comentou encarando Deku de cima a baixo, não havia malicia alguma em seu olhar.- Patético.- completou olhando nos olhos da menor.

            A menina apenas olhou para baixo sentindo seu coração saltar contra o peito, tinha medo de que Kacchan o escutasse, estava tão perto dele que sentia receio em fazer qualquer movimento brusco.

-Vai ser bem divertido te zoar dessa maneira.- sorriu largo em deboche.- Duvido que consiga até usar sua individualidade, um toque que você quebra.

-Claro que posso usa-la!- afirmou Izuko olhando para Kacchan com o rosto levemente irritado.- Não me subestime!

-E por que não? Hein?!

            Na mesma hora ela se calou, Bakugou era maior e tão assustador, só a olhando assim só piorava essa sensação, com seu corpo pequeno daquela forma e com as mãos delicadas sabia que não conseguia fazer muita coisa, era capaz de se quebrar inteira se usasse o One for all. Claro que Katsuki sabia que seu tamanho e o medo de usar a individualidade assustavam Midoriya, isso só deixava as coisas mais divertidas para si.

-Com esse  corpinho parece um gato encurralado.- provocou o loiro colocando uma das mãos na maçaneta deixando seu corpo de o de Deku ainda mais grudados, faltava pouco para que os peitos de Izuko colassem em seu peitoral.

            O coração de Deku disparou fazendo a menina ficar mais sufocada com esse sentimento, era tão perto, por um momento não parecia uma ameaça a seus olhos, parecia algo instigante.

            De um modo surpreendente, Bakugou abre a porta do quarto e empurra Izuko para o lado de fora do lugar fazendo a mesma se assustar e arregalar os olhos, o sorriso sarcástico firmava-se ainda mais no rosto de Kacchan ao ver a menina ali confusa.

-Espero que curta passar a noite no corredor.- riu alto.- Esse vai ser seu teste de resistência. Boa noite!

            E sem  mais nada a dizer o loiro fecha a porta com brutalidade logo passando a chave o trancando. Deku não perdeu tempo e logo começou a bater o punho contra a madeira em desespero, implorando para Bakugou parar de brincar com si daquela forma, era cruel o modo que ele a tratou.

-Onegai, não me deixa sozinho!- implorou enquanto batia com a voz mais fraca.

            Mas nada aconteceu, ao fim ela acabou cansando e se afastando do quarto que havia seu nome escrito. Não sabia bem o que fazer, olhou tudo em volta e percebia que mesmo depois daquela gritaria, ninguém acordara,  como única saída em que pensou se afastou dali e seguiu adiante

{...}

            Sua mão logo bateu com cuidado e de forma delicada contra porta do quarto, esperou por alguns minutos assim, logo a mesma foi aberta com cuidado  e um leve rangido revelando duas figuras ali paradas.

-Deku-kun?- a voz cansada de Uraraka soou enquanto e menina coçava seu olhos demostrando sono.

-O que faz aqui, kero?- perguntou Tsuyu bocejando.

-Ah gomena, eu acordei as duas.- falou abaixando o olhar.- Não queria atrapalhar o sono de vocês, mas eu  precisava de um lugar para dormir.- logo as olhou outra vez com certa vergonha.

-Aconteceu alguma coisa?- perguntou Uraraka já acordando e  se preocupadando como sempre.

-Ele está dividindo o quarto com Bakugou-kun, com certeza aconteceu algo.- comentou Tsuyu suspirando.- O que ele fez dessa vez?

-Me expulsou.- comentou simples respirando fundo.- Não tive coragem e bater na porta dos outros meninos, fiquei um tempo pedindo para entrar de volta no dormitório e mesmo com o barulho nenhum deles acordou com isso. Minha única opção foi vir aqui.

-Entendo.- sorriu de lado Ochako.- Pode dormir aqui sim, fique a vontade.

-Arigatou.- sorriu como agradecimento e logo se colocou a entrar.

{...}

            As três garotas estavam sentadas  juntas no tapete do quarto enquanto Deku contava o que havia acontecido entre ela e o loiro explosivo de humor bem duvidável.

-Ele foi longe demais!- esbravejou Uraraka incrédula.- Amanhã vamos falar com o sensei sobre isso e pedir mudança de dormitório.

-Não!- negou a verdinha rapidamente.

-Como não? O que ele fez tem que ser punido!- respondeu a menina.- Isso vai piorar se continuar com ele.

-Eu prometi a mim mesmo que resolveria as coisas com Kacchan.- comentou séria.- Não vou envolver mais ninguém nisso ou reclamar por ajuda, se tem alguém que tem que faze-lo parar, essa pessoa sou eu.

- Mas você já tentou.- gesticulou Ochako agitada.- O que vai mudar dessa vez?

-Eu não sou mais o de antes.- olhou para si mesma rapidamente.- Acho que assim talvez eu consiga algo.

-Sem querer ofender Midoriya-chan, mas eu acho que Bakugou não se importa muito se você é homem ou mulher.- explicou Truyu a olhando.- Ele é assim, mesmo que tente  há a possibilidade dele não mudar a forma que te vê.

-Mesmo assim, eu vou tentar, é preciso.- falou firme e suspirando.- Espera um pouco...Você me chamou de Midoriya-chan?- perguntou  se tocando da fala da amiga e logo olhou a menina sapo.

-Hai.- assentiu.- Você agora é uma garota, precisamos de chamar por apelidos de uma.

-Isso é bem estranho.- coçou a cabeça sem saber o que pensar.

-Ah Deku!- chamou Uraraka fazendo a outra a olhar.- Já que temos que te chamar por outro nome quando tiver alguém de outra classe por perto, por que criamos um?

-Tem certeza disso?- perguntou incerta.- Vai ser estranho para o pessoal e ainda mais para mim.

-Relaxa, acredito que não será por muito tempo.- garantiu Uraraka sorrindo.- Enfim, eu já estava planejando um nome perfeito.

-E qual seria?- perguntou Tsuyu a olhando.

-Midoriya Isane.- disse orgulhosa de si.- Não precisamos mudar muito o seu nome, e sinceramente ficou  fofo, combina bem com você.- focou na outra.

-Midoriya Isane...- o ex-menino parou e ficou pensando um pouco antes de sorrir e olhar para a amiga.- Gostei.

-Sério?!- disse animada.- Então posso te chamar assim de vez em quando?

-Ainda prefiro Izuko quando estamos juntos.- ri fracamente.- Mas se quiser me apelidar de Deku-chan, eu deixo.

            Então a jovem menina começou a comemorar fazendo as outras duas colegas rirem juntas animadas. Assim a noite foi passando, com risos e conversas animadas que fizeram Izuko se sentir melhor, e até mais segura de si.

{...}

Dia Seguinte

 

As aulas se passaram normais na classe do primeiro ano A, todos conversavam entre si normalmente, Midoriya discutia sobre assuntos de herói com Iida e Uraraka que a todo momento sorriam. No fim das aulas Bakugou esbarrou  no ex-menino e riu de si sem se importar, aquilo deixou Deku brava. A menor em um momento de raiva simplesmente deu as costas para os outros amigos e começou a andar para longe dali com rapidez, ignorou todos os chamados de seu nome masculino e até o feminino recém inventado.

{...}

Izuko depois de andar muito chegou ao lugar que iniciara seus treinos com All Might a  tempos atrás: um antigo ferro velho. Tudo ali estava organizado do mesmo jeito que havia deixado, por um momento a nostalgia de estar ali  de volta tomou conta de si e ela sentiu seus olhos marejarem, mas mesmo assim não chorou.

Ela andou até um dos antigos ônibus escolares subindo no mesmo e indo sentar bem no teto do automóvel com as pernas dobradas perto de seu corpo, de lá Deku podia ter a linda visão das águas do oceano e do sol  brilhando forte. A paz tomou conta de seu peito deixando que os sentimentos ruins esvaíssem junto, uma simples vista a acalmava.

- A vista daqui é bem bonita.- disse uma voz ao seu lado.

            A menina  se virou tomando um susto ao ver que ali de pé ao seu lado estava All Might na sua forma musculosa de herói, diferente da do dia anterior.

-ALL MIGHT!- disse alto assustada.- O que faz aqui?!

-Como você jovem Midoriya, eu vim observar o sol.- explicou se sentando ao lado do aluno.- Aqui é o lugar que mais gosto para relaxar.

-E por que?- perguntou de forma curiosa enquanto piscava seu olhinhos lindos.

-Por que foi onde te treinei pela primeira vez.- sorriu a olhando.- Foi onde tive certeza da minha escolha para discípulo, onde conheci sua força interior.

-Acho que agora só deve estar desapontado.- falou a menina apoiando o queixo  nas mãos em cima de suas pernas dobradas.

-Muito pelo contrário.- falou firme.- Estou muito orgulhoso.

-Por que estaria?- o olhou sem entender alterando a voz.- Olha para mim, eu fiquei com uma aparência mais delicada, esse corpo pode não suportar o One for all, posso me ferir mais gravemente!

- Quem disse que mesmo tendo o corpo de uma mulher não é possível o suportar?- olhou para o horizonte com calma.- Minha sensei era tão forte quanto a mim, quem sabe mais, tudo que tenho devo a ela em partes, meu poder um dia foi o dela.

-Sua sensei?- olhou surpreso para o maior.- Foi ela que...- não terminou a frase.

-Hai.- assentiu sério.

            Por um momento ambos ficaram quietos olhando para o litoral apreciando os raios quentes do sol.

-Eu não me surpreendi com você por que era um menino.-  voltou  a falar fazendo Izuko prestar atenção.- Me surpreendi pela sua força interior, pela sua vontade de salvar  os outros sem precisar que te chamem.- se virou para Deku  enquanto a menor fazia o mesmo.- Eu lhe escolhi como discipulo pelo que está aqui.- apontou para o lugar onde ficava seu coração.

            A garota  sentiu algo dentro de si se aquecer, sentiu que algo ali ficara mais forte apenas com as palavras de seu professor, ela  não pode deixar de sorrir docemente vendo All Might  lhe dando forças de uma maneira simples.

-Não importa o jeito que você se veste, come, fala ou até sua classe social.- o loiro então olha para o horizonte outra vez.- A verdadeira força de um herói vem do que está imposto em seus sentimentos, em suas ações. Se você virou uma mulher faça isso sua nova força, o poder que lhe dei não de desdobrará, apenas se você permitir que sim. Afinal um verdadeiro herói não precisa apenas da força para salvar vidas, ele  precisa da coragem de lutar cada segundo de sua vida.

            Izuko sem mais precisar escutar as palavras de seu grande ídolo o abraça de lado, fazendo o maior ficar surpreso.

-Arigatou All Might por acreditar em mim!- falou a menina o apertando emocionada.

-O-oh sem problema algum!- respondeu desconcertado enquanto ficava vermelho. Estava sendo abraçado por ume menina, mesmo sendo Izuko era algo que o deixava  cheio de vergonhado.- S-sempre que precisar eu vou a-ajudar.

-Que bom...- falou baixo de modo alegre.

            All Might não pode deixar de sorrir, ainda olhando o sol ao céu o símbolo da paz sentiu que seu trabalho havia sido feito, realmente se orgulhava em ver o aluno crescer aos poucos, ele seria o futuro, quer dizer...Ela seria o novo futuro.

            Mas partir dali a jornada de Izuko  apenas se complicaria mais.


Notas Finais


O que acharam desse momento com o All Might? Eu sei, o Kacchan foi escroto mas fiquem calmos que ele vai levar troco no próximo, apenas aguardem!!
Kissus de morango!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...