1. Spirit Fanfics >
  2. Dear Roommate (Woosan - ATEEZ) >
  3. T1-E9: Eu te amo, seu babaca.

História Dear Roommate (Woosan - ATEEZ) - Capítulo 9


Escrita por: e Grape_Jam


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 9 - T1-E9: Eu te amo, seu babaca.


Fanfic / Fanfiction Dear Roommate (Woosan - ATEEZ) - Capítulo 9 - T1-E9: Eu te amo, seu babaca.

A PESSOA CERTA

Já haviam se passado seis dias e o cio de Wooyoung finalmente teve seu fim. Foram os seis dias mais longos e prazerosos da vida dos dois. San apenas saia do quarto enquanto o ômega dormia, para pegar comida e água para os dois. Nunca pensou que ficar praticamente trancado em um quarto por quase uma semana pudesse ser tão bom. 

Agora era intervalo, na quarta-feira. San estava com Seonghwa e Yeosang, e os três caminhavam pelo campus enquanto conversavam.

— Então vocês se resolveram, huh? Os dois estão com um humor ótimo hoje. — Seonghwa comentou com um sorriso, caminhando entre San e seu ômega lúpus, que segurava sua mão.

— Era tudo por causa do cio dele. O meu cheiro fez com que os supressores dele perdessem efeito, por algum motivo. Eu não entendi muito bem, na verdade. — San sorriu e olhou para o alfa lúpus. — Mas ao menos estamos bem, agora.

— O aroma de um alfa costuma inibir os efeitos dos supressores de um ômega quando estão destinados. Sei bem como Wooyoung deve ter se sentido. — Yeosang se posicionou na conversa, fitando seu namorado com um sorriso radiante. Seonghwa apenas riu envergonhado.

— Destinados... — o alfa mais velho disse com um olhar incerto, balançando a cabeça. — É um termo meio forte. Eu não tenho certeza disso ainda.

— Vocês se acalmam com o cheiro um do outro, os supressores dele não funcionam na sua presença... Precisa de mais provas? Eu posso citar todas elas. — Seonghwa disse.

— Não há necessidade.

— San, você diz que se resolveram, mas parece nervoso.

San suspirou.

— Ele queria que eu o marcasse.

— Está vendo? BINGO! Vocês estão destinados! Mais uma prova bem no meio do seu nariz.

— Seonghwa. — Yeosang repreendeu o maior, como se pedisse para que ele se controlasse. — E não marcou porquê? — perguntou ao amigo.

— Somos muito novos, eu acho. E na hora eu pensei que ele apenas disse aquilo porque estava sob os efeitos do cio. Mas durante todos os outros cinco dias, Wooyoung me pedia a mesma coisa insistentemente. E eu queria marcá-lo mas... Não sei se eu sou a pessoa certa para ele.

— San. — Seonghwa chamou e os três pararam de andar. San ficou de frente para o casal, com um olhar curioso. — Veja isso. — o lúpus abaixou a gola da camiseta de seu namorado, revelando uma marca de mordida. San arregalou os olhos, surpreso. — Eu fiz isso ano passado. Sabe o que isso significa? Segundo ano do ensino médio, tínhamos entre quinze e dezesseis anos. Você não precisa ter medo de marcá-lo por causa da idade, San. Se ele é a pessoa certa para você, consequentemente você é a pessoa certa para ele.

— Você nunca vai encontrar alguém como o Wooyoung. Ele é único. Assim como o Seonghwa, assim como eu, assim como você. Cada um de nós é único no mundo, por mais que existam pessoas que remetam a nossa aparência ou personalidade. Somos unicos. — Yeosang sorriu para o namorado e logo olhou para o mais velho. — E não sabemos o que pode acontecer no dia seguinte ou daqui a algumas semanas. Por isso nunca é cedo demais para marcar alguém. É melhor marcá-lo enquanto ainda são muito novos...

— Do que sofrer por não conseguir fazê-lo mais tarde... — San completou pensativo, fitando o chão e assentindo com a cabeça.

— Você entendeu. — Seonghwa comentou sorridente.

— Sim. Muito obrigado. — San retribuiu o sorriso, caminhando para dentro do colégio, afim de encontrar Wooyoung.

— É impressão minha ou o hyung pretende marcar o Wooyoung dentro da escola?

— Seonghwa, deixe de ser bobo! San é mais esperto que isso, ele provavelmente só vai chamar o garoto para conversar sobre isso. Diferente de alguém que eu conheço. — Yeosang o encarou com as sobrancelhas arqueadas.

— Eu quis fugir dos padrões e te marcar em um momento inusitado, qual o problema?

— Não precisava ser na festa de Halloween. — o ômega lúpus disse com uma gargalhada constrangida, caminhando para longe.

— O que custa reconhecer a criatividade do seu namorado? Eu até me fantasiei de zumbi para ficar legal! Amor!

[...]

— Wooyoung-ah! — San chamou eufórico, sorrindo ao ver o ômega de costas, lendo algo na biblioteca. A bibliotecária chamou a atenção do alfa, franzindo o cenho e sinalizando para que ele falasse baixo. San sussurrou um "me desculpe" e, constrangido, caminhou até o ômega, o abraçando por trás. — O que está lendo?

— É um livro de ficção científica. Fala sobre um apocalipse causado por um vírus mortal.

— E pensar que você é a mesma pessoa que quando chega em casa, assiste desenho animado.

Wooyoung riu baixo e fechou o livro, o guardando de volta na prateleira.

— Você veio atrapalhar a minha leitura de propósito ou tem algo a me dizer? — perguntou de braços cruzados, sorrindo.

— É, a gente precisa conversar. Mas tem que ser rápido, antes que o sinal toque. Eu não quero perder a aula de artes.

— Nem eu, a Jungyoon é legal.

Os dois caminharam até o corredor do andar em que estudavam e Wooyoung apoiou as costas contra a parede, enfiou as mãos nos bolsos de seu moletom e olhou San com um pequeno sorriso. O ômega não conseguia olhá-lo sem sorrir, mesmo que fosse bem pouquinho.

— Seguinte, baixinho. — San disse sorrindo. Wooyoung o beliscou e riu.

— Eu não sou baixinho! — repreendeu.

— Aish, tudo bem! Você precisa perder essa mania de me beliscar... — riu baixo. — Enfim. Eu só... Estive pensando em umas coisas ultimamente e... — San balançou as mãos no ar, como se procurasse as palavras certas para dizer. Wooyoung arqueou as sobrancelhas, curioso. — E eu... Bem, eu... Hm. — o alfa respirou fundo. — Droga, não tem outro jeito de dizer isso então, você quer namorar comigo? — franziu o cenho envergonhado e fez bico, desviando o olhar.

Wooyoung só fez sorrir antes de envolver o alfa em um abraço apertadíssimo, dando pequenos pulinhos.

— É claro que eu quero! Seu bobo! Me deixou envergonhado...

— Você fica envergonhado por tudo, Wooyoung-ah.

— É repentino! — disse batendo com o pé no chão. San riu do menor e o presenteou com um selinho demorado, enquanto o sinal da quarta aula tocava. Wooyoung segurou a mão do alfa e os dois caminharam juntos até a sala 25. — E a minha marca? Eu vou ter uma, sim?

— Vamos esperar até o seu próximo cio, que tal? — San disse com um sorriso. Ainda não havia se recuperado da semana que passou naquele quarto ao lado do pequeno.

— Eu te disse, ele é esperto. — Yeosang provocou o namorado, beliscando o cotovelo do mesmo. Seonghwa riu e bagunçou os cabelos do ômega lúpus. Ambos estavam no fim do corredor, observando o novo casal.

— Vocês ômegas têm uma mania engraçada de beliscar os outros, não? — disse o alfa lúpus. Yeosang sorriu e ficou na ponta dos pés, deixando um beijo na bochecha do mais velho.

— É o nosso jeitinho carinhoso de dizer "eu te amo, seu babaca".



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...